Confira aqui quais são as ações que o Banrisul recomenda a compra e a venda neste mês de maio de 2017.

No mês de maio, Banrisul faz recomendação para que comprem nove ações para e vendam uma. Dessa forma, a corretora acaba por manter a estratégia de proteção da carteira por meio da posição vendida. A carteira recomendada é algo elaborado com o objetivo de oferecer as melhores alternativas de investimentos nas ações e facilitar a escolha do investidor.

A equipe que faz as análises na corretora Banrisul fez a divulgação de sua carteira recomendada para este mês. Mediante a indicação de investimento em nove ações e venda de uma, a empresa explica que tal apontamento leva em consideração vários fatores, como é o caso da análise gráfica e da fundamentalista, bem como as comparações entre pares, correlações estatísticas, entre outras.

De acordo com a corretora, por conta do recálculo das estimativas para os ativos que apresentam maior potencial, como é o caso da B2W e da Valid, implicou na diminuição das posições em ativos com volatilidade menor, como as ETFs do Ibovespa, a Cielo e a Fibria.

No mês de abril, a carteira recomendada apresentada pela corretora obteve valorização de 3,78% e o Ibovespa aumento 0,6% no mesmo período. Observa-se que, no que se refere ao acumulado do ano, os ganhos da carteira alcançam 16%, um valor quatro vezes mais elevado do que seria possível obter na renda fixa (8,6%). Nos últimos 12 meses, houve acúmulo de alta na carteira de 98% e no Ibovespa de 21,3%.

De acordo com a carteira, as empresas de risco alto são: Gafisa (peso 14%) e B2W Digital (peso 12%). Já as empresas de médio risco são: Valid (peso 16%); Cielo (peso 12%); BR Properties (peso 12%); Fibria (peso 11%); Embraer (peso 11%); Estácio (peso 11%); Totvs (peso 10%) e ETF do Ibovespa (peso -9%).

Analisando a carteira recomendada, observa-se que mantiveram a estratégia de proteger a carteira via posição vendida. Depois das fortes altas observadas em janeiro e fevereiro deste ano, alcançando patamares não observados desde 2012, a baixa que ocorreu no mês de março não fez com que se retirasse a atratividade de tal tipo de operação, de acordo com a corretora, que faz a recomendação de que sejam vendidas as ETFs do Ibovespa.

Iris Gonçalves


Empresa anuncia sua retirada do Brasil e está buscando sócio para comprar sua filial.

De acordo com um comunicado divulgado pelo grupo Fnac, foi iniciado um processo ativo com o objetivo de conseguir um sócio que possa dar lugar à sua retirada do Brasil.

A Fnac Darty, conhecida distribuidora francesa de produtos culturais, eletrônicos e eletrodomésticos, trouxe à tona nesta terça-feira, 28/2, que se retirará do país e, ao mesmo tempo, apresentou que houve um registro na companhia de resultado líquido em equilíbrio (zero) no ano de 2016. Mesmo com tal resultado, o grupo apontou que tem ocorrido aumento de vendas e também de rentabilidade.

Sendo assim, o grupo inicia o processo que buscará um sócio para então retirar-se do país, ou seja, a intenção é vender a filial brasileira. Os dados positivos apresentados pela companhia em documento oficial podem ser bastante atrativos para investidores com interesse no setor e que estejam dispostos a comprar a filial.

Analisando a história da companhia no país, sua instauração ocorreu desde o final da década de 90, contudo, há alguns anos já teria dado indícios de dificuldades no alcance de um nível crítico no Brasil.

Estão espalhadas pelo território nacional cerca de uma dezena de lojas, mas o país representa menos de 2% do volume de vendas total da Fnac, considerando os parâmetros internacionais. De acordo com o comunicado, houve um aumento de 37% do lucro líquido ajustado do grupo, com relação ao ano anterior, totalizando 54 milhões de euros.

As vendas aumentaram 79,6% no quarto trimestre e o volume de negócio também é crescente, tanto nos dados publicados, que indicam +43,6%, quanto em dados pró-forma, +1,9%, chegando a 7,4 bilhões de euros.

No ano de 2016, foi identificando crescimento do grupo tanto na França (+2,1%), quanto no que tange ao nível internacional (+1,3%).

Para o presidente da Fnac Darty, Alexandre Bompard, os resultados obtidos em 2016 são bastante sólidos e indicam forte crescimento, com todos os índices positivos. Seguindo tais informações, seria possível prospectar um futuro também crescente para os que vierem a investir na companhia e administrar as diversas lojas instaladas no Brasil, em ruas, shoppings e demais estabelecimentos comerciais.

Iris Gonçalves


Negociação deve envolver cerca de R$ 1,26 bilhão.

Uma gigante estatal brasileira declarou esta semana que bateu o martelo na venda do complexo químico-têxtil no Grande Recife, estado de Pernambuco.

A Petrobrás anunciou que a venda foi fechada em R$ 1,26 bilhão. Segundo a empresa, a compradora é a companhia mexicana Alpek, gigante do setor petroquímico e grande produtora mundial de poliéster.

A venda faz parte do Plano Estratégico da estatal e foi concretizada com a assinatura do contrato no último dia 28. Entenda melhor a importância do complexo para Pernambuco.

A refinaria Abreu e Lima, composta pela Petroquímica Suape e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (no conjunto denominados Complexo Químico-Têxtil Suape) foi construída no Complexo Portuário Suape e visava trazer prosperidade e desenvolvimento ao Grande Recife.

No início, o projeto de fato atraiu diversos investimentos, tendo recebido uma verba considerável do Governo Federal e da Petrobrás. Os setores de comércio e serviço tiveram um boom, proporcionando incríveis 8% do PIB Pernambucano. A partir de 2007, data do início de atividade do complexo, esse crescimento resultou num aumento considerável da população próxima, em busca de novas oportunidades.

Projetos paralelos foram criados, famílias desalojadas, convênios assinados. Embora os investimentos tenham sido consideráveis, parte do complexo não conseguiu sair do papel e o sonho do Eldorado começou a ruir.

Em 2015 a situação já estava crítica, com os problemas enfrentados pela estatal e pelo Governo Federal. Cerca de 50 mil trabalhadores entre os setores da indústria pesada, metalomecânica e de fretamento foram demitidos. Além disso, os demitidos deixaram de receber seus direitos trabalhistas, gerando uma bola de neve.

O complexo começou então a sofrer um sucateamento, vendo ir por água abaixo o sonho de prosperidade da região. As investigações do escândalo da Operação Lava-Jato concluíram que algumas licitações feitas pela Petrobrás foram irregulares, o que ocasionou prejuízo de cerca de R$ 10 bilhões. Empresas de construção e parceiros da estatal também estão envolvidos na denúncia.

Atualmente existe uma série de ações trabalhistas contra o empreendimento, que ultrapassa os 130 milhões de reais. As empresas envolvidas alegam falta de recursos para saldar essas pendências, tornando assim o sonho em pesadelo.

A Petrobrás possui no momento um programa de parcerias e de investimentos, mas a venda agora anunciada para a empresa mexicana ainda não será suficiente para cumprir a meta programada pela estatal brasileira, segundo informa a companhia.

Dan Dias


The Wall Street Journal anuncia que Yahoo poderá vencer seus negócios para a Alibaba.

Uma das empresas mais tradicionais e pioneiras no ramo de produção de conteúdo para internet, a gigante Yahoo, está cogitando vender os seus negócios. A notícia da venda do Yahoo foi divulgada por um dos mais importantes jornais do mundo, o jornal americano The Wall Street Journal.

Segundo a notícia, a CEO Marissa Mayer, responsável por administrar os interesses do Yahoo, cogita vender as ações da empresa para um grupo de acionistas chinês, o Alibaba, que segundo fontes, estaria disposto a desembolsar a quantia de 30 bilhões de dólares para ser dono dos direitos da empresa.

Somente a cogitação de venda do Yahoo foi benéfico a empresa, que teve suas ações valorizadas na bolsa de valores, houve um aumento de 7%, na última terça-feira, dia 1º de dezembro.

De acordo com a notícia, seriam vendidos serviços muito populares e considerados tradicionais do Yahoo, como o serviço de e-mail, os sites voltados a notícias e coberturas de notícias esportivas e de entretenimento, sendo que esses conteúdos se tornam muito atrativos a empresas gigantes de telecomunicação e conglomerados, como por exemplo, o Softbank Group Corp.

Por enquanto, a notícia não foi confirmada pela CEO Marissa Mayer, que não se pronunciou sobre o assunto, mais a notícia é concreta, pois os boatos de venda de ativos da empresa não são de hoje. Segundo informações secundárias, as reuniões dos conselhos administrativos do Yahoo já estão reunidos para decidir o futuro da empresa, sendo que essas reuniões da cúpula administrativa se estenderão até a próxima sexta-feira, dia 04 de dezembro.

O fato é que a internet se tornou muito dinâmica, milhares de empresas no mundo inteiro surgem divulgando conteúdos de qualidade, e esse bombardeio de novas empresas concorrentes, ainda poderá derrubar outras empresas consideradas gigantes da internet, que se não se precaverem e se adequarem à nova realidade, poderão ter seus negócios caídos por terra.

Por Rodrigo da Silva Monteiro


Os consumidores dos Estados Unidos estão preocupados com a crise financeira do país e a iminência de um possível abismo fiscal.

Por isso, estão menos confiantes causando, assim, uma queda nos movimentos de vendas de produtos para o Natal.

Toda esta preocupação dos norte-americanos tem fundamento em virtude dos impasses entre republicanos e o presidente Barack Obama na definição das medidas a serem utilizadas para evitar esta situação.

Com isso, os consumidores estão comprando menos e poupando para enfrentar possíveis tempos difíceis em 2013 com aumento dos impostos e no preço dos produtos em geral.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


As empresas General Electric e Renova Energia fecharam um acordo milionário neste mês de dezembro.

A transação comercial, no valor de 394 milhões de dólares, foi referente à compra de 230 turbinas eólicas do tipo 1.68-82.5.

Esta negociação integra um plano da empresa Renova Energia para o complexo do Alto Sertão II que irá criar na Bahia cerca de 15 parques eólicos com capacidade instalada de 386 megawatts.

Com o acordo firmado junto à General Electric, a Renova Energia pretende obter a energia adicional que precisa para ativar o completo de Alto Sertão II.

O contrato fechado terá duração de 10 anos e a empresa americana irá operar as turbinas eólicas diretamente de seu centro de controles sem a necessidade de vir ao Brasil.

Por Ana Camila Neves Morais


A presidente Dilma Rousseff aprovou neste mês um decreto que faz determinações importantes para as usinas elétricas.

De acordo com a nova lei, estas usinas tem o prazo até dezembro de 2013 para informar os investimentos e melhorias feitos para compensar a redução na tarifa de luz.

Deste modo, esta medida tem validade apenas para as usinas elétricas que aderiram ao plano do governo federal de reduzir o preço da conta de luz.

O motivo deste pedido reside no fato de que o projeto básico destas empresas foi o utilizado pelo governo para determinar o direito de indenização das concessionárias de energia elétrica do país.

Assim, a partir destas informações vindas das usinas elétricas será possível o cálculo de eventuais compensações que sejam necessárias podendo estas ser pagas por tarifas – com reajuste nas contas de luz – ou por indenizações.

Por Ana Camila Neves Morais


A Telefônica pretende lançar uma oferta pública de suas ações na América Latina com o objetivo de enviar uma mensagem sobre o valor do seu negócio para o mercado financeiro.

Com isso, deve ser lançado cerca de 15% das ações pertencentes à Telefônica América Latina com um valor global de 40 bilhões de euros.

A partir desta ação, a empresa de telefonia pretende reduzir o seu montante de dívida líquida para aproximadamente 50 bilhões de euros a partir de negócios como a venda de ações na América Latina bem como pela concretização da venda de sua participação na China Unicom e de parte da Telefônica na Alemanha.

Deste modo, a Telefônica pretende mostrar que possui liquidez em suas contas bem como responder à desvalorização da empresa frente aos mercados europeus.

Além disso, a empresa está investindo na transição de negócios tradicionais para seu correspondente digital por meio da Telefônica Digital.

Para a concretização da oferta de ações da Telefônica América Latina será preciso agora a autorização do conselho de administração da empresa.

Fonte: EFE

Por Ana Camila Neves Morais


A Kodak, empresa tradicional no ramo da fotografia e produtos eletrônicos vive uma situação financeira muito difícil que causou o seu pedido de concordata no início de 2012.

Em decorrência disso, a empresa ofereceu o seu portfólio de patentes ao mercado para ser vendido.

A realização desta venda foi durante esta semana quando um consórcio de empresas – composto pela Apple, Facebook, Google, Samsung, Amazon e Microsoft – comprar todas as patentes da Kodak por um valor total de 525 milhões de dólares.

Este dinheiro será utilizado pela Kodak para quitar suas dívidas em decorrência do pedido de falência junto à justiça dos Estados Unidos.

Por Ana Camila Neves Morais


A descoberta da morte de animais no Paraná em 2010 pelo agente causador da vaca louca gerou uma rejeição mundial à carne bovina vinda do Brasil.

Por isso, representantes da Secretaria de Defesa Agropecuária do Brasil foram nesta quarta-feira, dia 19 de dezembro de 2012, na OMC (Organização Mundial do Comércio) em Genebra para informar as ações que estão sendo tomadas com relação a esta situação com o objetivo de impedir que novos países embarguem o comércio deste tipo de alimento brasileiro.

Segundo o Ministério da Agricultura, foram tomadas todas as medidas para impedir a proliferação e que os padrões sanitários utilizados no Brasil seguem as práticas mundiais.

Esta reunião demonstra que os embargos tem natureza muito mais comercial visto que a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) após o ocorrido manteve a classificação do país como “insignificante” para a vaca louca.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


A Portugal Parpública, agência estatal em processo de privatização, recebeu quatro propostas para a operadora de aeroportos ANA.

Esta demanda surgiu depois que um dos ofertantes iniciais saiu da disputa nesse processo que pode render para o governo português cerca de 2,5 bilhões de euros para diminuir a dívida da empresa para realizar um resgate de 78 bilhões de euros.

As propostas feitas foram divulgadas nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro de 2012, e consistem na operadora de aeroportos da Suíça Flughafen Zurich, a alemã Fraport, o grupo argentino Corporacion América e a empresa de construção francesa Vinci.

Com a definição dos participantes, espera-se que as ofertas sejam feitas com valores superiores a 2,5 bilhões de euros para o controle da rede de aeroportos que cobre as cidades do sul de Portugal além de Lisboa e Porto.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um produto de sucesso se consolida no mercado tecnológico. Desta vez, o nome do momento é o aplicativo Google Maps cujo lançamento feito na quinta-feira – dia 13 de dezembro de 2012 – gerou entusiasmo até no mercado financeiro.

Esta valorização se deve à permissão do uso deste aplicativo pelos usuários do iPhone da empresa Apple já que o instrumento criado pela companhia de Steve Jobs para geolocalização simplesmente não agradou aos seus usuários.

Este avanço do produto da Google levou as ações da empresa a chegarem ao valor de US$716,00 já que em sete horas o seu Google Maps se tornou o mais baixado na App Store.

Por Ana Camila Neves Morais


O IBGE divulgou nesta última quinta-feira – dia 13 de dezembro de 2012 – dados atualizados com relação ao comércio de varejo no Brasil.

O estudo foi realizado a partir da análise de dez setores de comércio com sete deles tendo resultados satisfatórios no mês de outubro de 2012.

Segundo as pesquisas houve um aumento nas vendas de 0,8% no mês de outubro e de 9,1% quando comparado com o mesmo período do ano de 2011.

Ao considerar o faturamento das empresas, o comércio de varejo teve um aumento de 1,1% em outubro e de 13,9% na comparação com o ano anterior.

Esta alta no setor de comércio é um bom indicador já que o consumo consiste no pilar da economia do Brasil e o seu crescimento aponta para uma melhora econômica do país como um todo.

Fonte: Agência EFE

Por Ana Camila Neves Morais


A Grécia, buscando recuperar a sua economia, realizou nesta semana a recompra de títulos do país como parte de um pacote para evitar uma recessão ainda maior.

Na sexta-feira, dia 07 de dezembro de 2012, foi divulgado que esta transação comercial teve como resultado um valor de 30 bilhões de euros oferecidos pelos títulos gregos por investidores estrangeiros e gregos.

Este valor ficou dentro da expectativa do governo da Grécia para a obtenção de recursos.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta sexta-feira, dia 30 de novembro de 2012, a ALL (empresa do ramo de logística) anunciou que a criação da Vetria Mineração deve ser efetivada já na primeira semana de dezembro com o cumprimento de todas as condições suspensivas presentes no contrato da Vettorial e da Triunfo Participações.

O início das negociações para a criação da Vetria foram iniciadas em 19 de dezembro de 2011 e ela será constituída um ano depois se tornando, assim, um sistema integrado na produção de ferro.

Com isto, a ALL terá a propriedade de 50,38% da Vetria enquanto a Vetorial terá 33,83% e a Triunfo possuirá apenas 15,79% da nova organização.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


O mercado financeiro teve mais um indicador interessante divulgado nesta última sexta-feira dia 30 de novembro de 2012.

Desta vez a novidade foi relacionada com o barril de Brent que fechou na Bolsa Intercontinental de Futuros de Londres com alta de 0,42%.

Com isso, o barril para entrega em janeiro de 2013 está sendo cotado a US$113,23 a unidade sendo que este valor está diretamente relacionado com a incerteza dos Estados Unidos em seu possível cisma na área fiscal.

Fonte: EFE

Por Ana Camila Neves Morais


O diamante 'Archduke Joseph" ('Arquiduque José') com impressionantes 76,02 quilates foi leiloado no início do mês de outubro pela Casa Christie´s de leilões localizada em Genebra.

Este diamante é classificado com de cor D proveniente das minas de Golconda na Índia e possui uma coloração do branco mais puro que existe para este tipo de pedra.

Outras espécimes raras de diamantes foram obtidas nas minas indianas, que encontram-se fechadas devido ao final de suas reservas de pedras preciosas, como o Regente que está guardado no museu do Louvre em Paris e o Koh-I-Noor presente na coroa da rainha da Inglaterra.

Além do seu grande valor comercial existe a sua referência histórica que fizeram com que este diamante fosse arrematado por US$21,47 milhões que equivalem atualmente a cerca de R$44 milhões.

O diamante 'Archduke Joseph", segundo a Casa Christie´s, possui o tamanho de um dominó e a sua venda alcançou recordes em diversas categorias como o de preço por quilate (US$282,485), além do recorde para um diamante vindo das minas de Golconda e do recorde de preço para um diamante puro com classificação D.

Fonte: AFP

Por Ana Camila Neves Morais


Cheio de dívidas, o grupo Schincariol deverá ser vendido nos próximos dias. Há fortes rumores de que a empresa brasileira  teve os números reais do seu último balanço (realizado em abril), digamos, atenuados, para amenizar a crise. Porém a matemática financeira é uma ciência exata e contra fatos não há argumentos.

Há, em princípio, quatro interessados pela compra, todos eles grandes empresas globais: Heineken, SAB Miller, Diageo e Kirin. Estima-se que a transação seja concretizada assim que a dona da marca Nova Schin conseguir uma oferta que varie entre 7 e 8 bilhões de reais já somadas as dívidas. O que ainda não se sabe é que grupo internacional poderá ter cacife para concluir essa aquisição. No entanto, analistas apontam que a negociação não passe de cerca de 4,5 bilhões de reais, considerando o valor do seu índice Ebitda, que mede os lucros de uma empresa, antes de deduzidos os juros, os impostos, as depreciações e as amortizações.

No ano passado, o Ebitda da Schincariol chegou a 434 milhões e é provável que ela seja vendida, portanto, a um valor que chegue a ser 10 vezes esse montante.

Por Alberto Vicente

Fonte: Estadão


Enquanto vários setores estão atentos e focados para o Carnaval, outros segmentos já miram um pouco mais além: a Páscoa. A ocasião, em especial, marca a ressurreição de Cristo segundo as crenças religiosas mais tradicionais do país, mas também sinaliza época de compras de ovos de chocolate.

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) acredita que as vendas dessa data subirão 5% neste ano em comparação a 2010. A previsão é de que o consumidor não observará diferenças de preços nos ovos, mas sim maior variedade de trufados e a continuidade dos brinquedos-surpresa ao público infantil.

A manutenção do valor do chocolate ao consumidor final será alimentada pelo não repasse do incremento do papel e da manteiga de cacau, uma vez que a indústria continua com a ideia de diminuir a gramatura das embalagens.

Em 2011, de acordo com a Apas, os empresários estimam vendas de até cinco mil toneladas a mais de chocolates em comparação aos resultados do ano passado.

Enquanto aos ovos os preços devem se manter, aos bolos podem crescer cerca de 10%. Em relação ao bacalhau, bons prognósticos: comercialização 4% superior ante 2010.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O ponto de vista econômico é altamente favorável ao Brasil, capaz de situar o país em um dos locais mais rentáveis para investimentos. O mercado interno, que abarca a mesma positividade, observou crescimento ascendente principalmente nos primeiros meses de 2010, pois atualmente, queda em algumas das atividades é considerada normal após a forte expansão inicial.

Um dos setores que melhor se posicionou nesse ínterim foi o habitacional, em partes pelo famigeradíssimo programa do governo “Minha Casa, Minha Vida”. A cidade de São Paulo, uma das regiões mais beneficiadas em toda a nação devido a possibilidades de alocação de novas residências e poder de consumo da população apresentou alta nas vendas de imóveis novos em 18,4% nos primeiros seis meses deste ano em confronto anual totalizando 17 mil unidades.

O Sindicato das Empresas de Compra, Locação e Administração de Imóveis Comerciais de São Paulo (Secovi-SP) diagnosticou as residências de dois quartos como as maiores representantes dessa ascensão, correspondente a 35,3% de todo o crescimento, bem pouco à frente dos lares com três dormitórios, que chegaram a 35,1% da parcela comercializada.

Somente em junho, segundo a agência de notícias Reuters, foram vendidas 3,4 mil residências na cidade paulistana, arrefecimento de 5,6% em comparação ao período igual do ano passado, porém superior em 79% ao constatado em maio último.

Por outro lado, o portal de notícias G1 salientou que as vendas de novos lares em São Paulo caíram 10,4% no segundo trimestre de 2010 em comparação ao intervalo similar de 2009.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O crescimento no número de residências novas disponível no mercado é reflexo das iniciativas do governo federal nos últimos meses, sobretudo no que diz respeito ao programa “Minha Casa, Minha Vida”. Na verdade, o intento idealizado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva só vingou porque a criação de empregos prevaleceu, concernente, pois, ao maior poder aquisitivo médio da população e o acesso mais facilitado ao crédito.

Um setor inseparável do ramo habitacional é, sem dúvida alguma, o de materiais de construção, que de janeiro a julho deste ano apresentou aumento em suas vendas de 9,6% em comparação ao período igual de 2009. Segundo reportagem emitida pelo portal de notícias G1, o índice se aproxima da meta da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), de 11%.

Estritamente em julho, a comercialização de materiais ascendeu 4% em confronto ao mês imediatamente anterior e outros 8,5% ante julho do ano passado. Cláudio Elias Conz, presidente da entidade, relaciona que embora o crescimento tenha sido assinalado, os efeitos gerados pela Copa do Mundo baixaram sensivelmente o desempenho aguardado pelo setor.

Alguns dos contribuintes aos números, porém, continuam a ser os efeitos gerados pela exoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), prorrogada até o final deste ano, e também pelas expectativas em torno da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Por Luiz Felipe T. Erdei


De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), o setor de vendas por profissionais autônomos vem crescendo nos últimos tempos.

Segundo a ABEVD, no primeiro semestre deste ano foi registrado um valor de R$11,8 bilhões em movimentações no negócio, o que indica um crescimento de 21,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desconsiderando a inflação, tem-se um valor real de 16,4% de aumento no volume de vendas do setor. Além disto, também houve elevação no número de revendedores cadastrados, com um valor 16,7% maior nos primeiros seis meses de 2010 em relação ao primeiro semestre de 2009.

A maior parte do setor de vendas diretas é formada por produtos de cuidados pessoais, que representa 88% do segmento. A ABEVD possui atualmente 46 associados, onde estão inclusos empresas de vendas diretas, fornecedores e consultores.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Folha de São Paulo, Band


Dados divulgados nesta semana pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que as vendas no comércio varejista registraram quedas de 3% em abril em comparação com o mês anterior. Em relação ao mesmo período de 2009, houve alta de 9,1%. É a maior queda mensal desde o inicio do registro em 2000.

Das 10 atividades pesquisadas pelo IBGE, apenas duas registram crescimento: Produtos de uso doméstico e pessoal (+2,5%) e Vestuário, Tecidos e calçados (+2,2%)

Móveis e eletrodomésticos ficaram estáveis. Esse resultado pode ser atribuído as vendas relacionadas à Copa do Mundo.  Já os hipermercados, supermercados, alimentos e bebidas apresentaram queda de 0,7%. Veículos e motos também apresentaram queda de 11,7%. Em relação ao ano passado, todas as áreas avaliadas demonstraram crescimento.

Fonte G1

Por Fernanda Peixoto


Há apenas algumas horas de terminado o Dia dos Namorados, o setor varejista do país já conseguiu emitir informações sobre as vendas do segmento, data coincidente à Copa do Mundo de 2014 – que muito provavelmente estimulou a comercialização de produtos pertinentes ao evento, como é o caso de camisetas e acessórios da seleção brasileira e celulares ou televisores de última geração.

A Serasa Experian divulgou na segunda-feira, 14 de junho, que as vendas do comércio varejista cresceram quase 11% entre os dias 6 e 12 deste mês em comparação ao período similar do ano passado, índice que superou a expectativa de ampliação da comercialização do segmento (4,2%).

O portal de economia do Estadão relata que na capital paulista as vendas conseguiram ascensão de 6,5% na semana da comemoração e 12,7% no sábado e domingo. A entidade avalia que o fator clima somado às promoções e a maior probabilidade de parcelamento motivaram o crescimento.

O comércio deverá projetar novas estratégias para manter os percentuais, não tão elevados, claro, mas suficientes para manter o setor aquecido. A já relacionada Copa do Mundo é um meio imediato, dependente, praticamente, do resultado a ser obtido pela equipe do técnico Dunga na África.

Fonte: Estadão

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Brasil vem sendo um grande atrativo para as grandes marcas internacionais. Somente no primeiro trimestre deste ano, foi registrado um aumento de 30% nas vendas desta categoria de produtos e há mais de dez empresas do setor interessadas em investir no mercado brasileiro, já em fase de negociações.

E além disso, há mais empresas interessadas em colocar pontos de vendas no Brasil, devido à crescente procura do consumidor pelas grifes de luxo. Isto também é um reflexo do crescimento que a economia brasileira vem obtendo nos últimos anos.

As grandes marcas estão vendo o Brasil como um local fundamental para dar prosseguimento a sua evolução no mercado mundial.

Fonte: Folha e Administradores

Por Elizabeth Preático


Coca-Cola, uma das marcas mais conhecidas pelo mundo inteiro, anunciou à imprensa em 20 de abril, terça-feira, que seu lucro nos primeiros três meses deste ano foi maior em 19% em comparação ao período igual do ano anterior. Segundo a empresa, a alta deve-se, em grande parte, ao aumento no volume de vendas no Brasil, no Egito, nas Filipinas, na Índia, na Rússia e no Vietnã. Somente no país tupiniquim, por exemplo, conquistou índice de 12%.

O portal de economia Terra indicou que o volume de vendas no bloco latino-americano sustentou ascensão de 4%. Na região do Pacífico e na Ásia e na África o crescimento foi de 5% e 11%, respectivamente. Apesar de ser o local aparentemente mais consumista da bebida, a América do Norte reteve baixa de 2% no mesmo período de análise mencionado no parágrafo anterior.

Outro fator reportado pelo Terra foi o de vendas de bebidas não-gaseificadas, tais como águas, chás e sucos. Novamente relacionado a América do Norte, o recuo constatado para essa divisão da companhia foi de 2%, ao que tudo indica em virtude da crise econômica financeira.

Saiba mais aqui

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), que já comemorou ótimos resultados obtidos com as festas do final do ano passado, prevê, para o próximo feriado comercial (Dia das Mães), aumento de vendas em 7%.

O portal G1 indica que o feriado de Dia das Mães é considerado a segunda data mais importante para as vendas no varejo – obviamente, filhos querem prestigiar suas genitoras com presentes de valores “incalculáveis”.

Em segmentos, a Alshop acredita que cosméticos e perfumaria são aqueles que melhor conquistarão alta, estimada, então, para 15%. Além disso, a entidade relata que as mercadorias mais procuradas nas lojas são artigos para o lar e objetos de decoração, bem como CD’s, DVD’s, bijuterias, acessórios, roupas e sapatos, TVs de LCD, entre outros.

Fonte: Portal G1

Por Luiz Felipe T. Erdei


Em mais um levantamento veiculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), contabilizou-se em fevereiro deste ano crescimento de 3% nas vendas de hipermercados e supermercados, alimentos e bebidas em relação ao primeiro mês de 2010.

Reinaldo Silva Pereira, coordenador de serviços e comércio da entidade, explana que o aumento da massa salarial dos cidadãos do país e, também, o reajuste do salário mínimo, foram os motivos que fizeram o resultado atingir sua maior alta desde o último trimestre de 2007.

O índice alcançado ainda é maior se fevereiro deste ano for comparado ao período igual de 2009; alcança elevação de 12,3%. Embora, para Reinaldo, as vendas no varejo começaram a alcançar o mesmo nível pré-crise, a base fraca do ano passado, justamente em virtude da recessão mundial, explica o grande salto.

Leia mais informações sobre o levantamento do IBGE e saiba mais dados aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que as vendas no setor varejista do país cresceram acima do esperado pelos analistas da Reuters. Segundo a entidade, a elevação foi de 1,6% em fevereiro ante janeiro deste ano e 12,3% em relação ao período igual de 2009.

Especialistas da agência de notícias estimavam alta singela de 0,6% no segundo mês ante os primeiros 31 dias de 2010, bem como exatos 10% em relação a fevereiro do ano passado. Reinaldo Silva Pereira, economista do IBGE, realça que os números indicam crescimento sólido do comércio.

Oito das dez atividades estudadas pelo órgão conquistaram crescimento. Os destaques ficaram por conta de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria e cosméticos, além do segmento de tecidos, vestuário e calçados.

A Pereira, o poder de compra dos trabalhadores e os incentivos fiscais adotados pelo governo brasileiro foram os motivos que impulsionaram o crescimento das vendas.

Leia mais aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Neste primeiro trimestre de 2010 o grupo Pão de Açúcar tem o que comemorar. Após a incorporação do grupo Ponto Frio de eletrodomésticos, suas vendas líquidas aumentaram 50,2% neste período, em comparação com o ano de 2009.

Desconsiderando as empresas Ponto Frio, o grupo obteve um aumento de 15% nas vendas brutas. Explica-se o bom resultado principalmente por causa da antecipação da campanha da Páscoa, que neste ano ocorreu na primeira semana do mês de abril, ampliando as vendas do mês de março, enquanto que em 2009 a data comemorativa aconteceu na segunda semana de abril.

Dentro do grupo Pão de Açúcar, os nomes que mais se destacaram nas últimas vendas foram: Extra Supermercados, Extra Hipermercados, Extra Eletro e Assaí.

Por Márcia V. L. Galvão


A economia norte-americana consegue, aos poucos, entrar nos eixos e tomar rumos, embora lentos, progressivos, constantes. Um dos exemplos nesse ínterim é o índice de desemprego, que há poucos meses passou de 10%, mas que atualmente opera na casa de 9,7%.

Especialistas, economistas e líderes empresariais proferem, dia após dia, estimativas sobre o mercado estadunidense, desde exportações a sugestões de quanto figurará o Produto Interno Bruto (PIB) do país até o final de 2010. Akio Toyoda, presidente da Toyota Motor, crê que as vendas no continente norte-americano terão novo fôlego no atual mês (março), visto que a empresa tem trabalhado intensamente para atingir percentuais positivos de comercialização.

No mês passado, as vendas da Toyota nos EUA tiveram queda próxima a 9% em relação a janeiro, diferentemente da General Motor e da Ford Motors, de acordo com a agência de notícias Reuters.

Obviamente, os mais de 8 milhões de recalls arranharam a imagem da Toyota. Somente com o tempo e com um trabalho voraz da assessoria de imprensa da companhia é que a empresa poderá retornar com força.

Leia mais alguns dados aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Verão tem gerado efeitos devastadores na população, seja em virtude do próprio calor àqueles que trabalham na rua, seja aos cidadãos que passam parte do dia dentro de escritórios, mesmo com ar-condicionado e ventiladores ligados no máximo. O alto consumo energético tem alcançado índices surpreendentes, o que indica, obviamente, que o brasileiro tem feito o possível para se refrescar.

A Mallory, fabricante de ventiladores, passou a comemorar o calor mais fortemente do que em anos anteriores. De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, as vendas desses equipamentos (ou acessórios, a alguns) foram 40% maiores neste Verão se comparadas ao período igual de 2009. As regiões Sul e Sudeste do país merecem destaque entre as demais.

Paulo Braga, diretor superintendente da empresa, assegura que a Mallory aumentou seu estoque e que a estratégia de vendas foi dilatada para março, visto que a oscilação de temperatura leva a crer que o calor não cessará tão brevemente.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Seguindo uma tendência que se alastrou euforicamente pelo Brasil, Abílio Diniz, presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar, comentou que o consumo esperado para o fim deste ano superará o que se previu há alguns meses, mesmo com a crise financeira vigente em grande parte dos 365 dias de 2009.

Com o objetivo de atender o crescimento conjeturado de 5% do Produto Interno Bruto (PIB), o empresário afirmou que a companhia ampliará seus investimentos, ainda mais cooperada e impulsionada pelo chamado “efeito Copa do Mundo”, que certamente puxará, e muito, as vendas de bens duráveis.

Diniz realçou os efeitos da retomada da construção civil sobre o varejo em virtude do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Para ele, isto contribuiu para o crescimento geral do mercado imobiliário, o que impulsionará, brevemente e consequentemente, as vendas de eletroeletrônicos, eletrodomésticos e móveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O comércio eletrônico apresenta bons resultados em quase todas as suas mais conhecidas lojas online. Há pouco tempo, a rede Walmart levou os conceitos de suas lojas físicas para a rede mundial de computadores. Após um ano de bons resultados, a quantidade de mercadorias, no site, ascendeu 200%.

Em grande parte, tal resultado é ostentado pela página estar disponível todos os dias da semana, 24 horas por dia e em qualquer região do país. Com apenas onze categorias de produtos em seu início, atualmente, o www.walmart.com.br oferece 17 divisões diferenciadas para compra. O departamento de livros, por exemplo, conta com 15 mil títulos, enquanto que o setor de DVD, oito mil.

Hector Nuñez, presidente da Walmart Brasil, reflete que o e-commerce não figura apenas como uma nova loja, mas como um grande campo de negócios. Atrelada a uma equipe especializada em comércio eletrônico, os resultados contabilizados pela rede são surpreendentes, o que faz com que a companhia antecipe inúmeros planos para daqui dois anos.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Apesar dos esforços do governo para equacionar e aplicar o desenvolvimento atual em todos os segmentos do comércio, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) assinalaram que, das dez atividades do varejo estudadas, três apresentaram quedas nas vendas em setembro ante agosto deste ano.

A pesquisa envolveu atividades de hipermercados, supermercados, bebidas, fumo e produtos alimentícios, nos quais foi percebido um baque de 0,5% no período. Artigos farmacêuticos, medicamentos e perfumaria ilustraram, por sua vez, recuo de 1,1%. No caso dos materiais de construção, 1,5% foi a queda percebida.

Mesmo assim, se se considerar todas as atividades, as vendas no comércio varejista tiveram um desenvolvimento de 0,3% no mês de setembro em detrimento a agosto, na série com os devidos ajustes sazonais. Os destaques de desenvolvimento ficaram por conta de veículos, motos, partes e peças, com avanço de 9,1%, e de materiais de escritório e informática, com alta de 8,8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Uma nova tendência parece ter apunhalado de vez os consumidores brasileiros. De acordo com a e-bit, empresa de monitoramento do comércio eletrônico, as vendas através da internet devem ascender em até 30% no Natal deste ano em detrimento à mesma ocasião de 2008.

Dados estimados conjeturam a possibilidade de que as vendas entre a 2ª quinzena de novembro e a véspera de feriado, período muito utilizado pelos consumidores para compras, possam atingir a marca de R$ 1,63 bilhão, quase R$ 400 milhões a mais que o percebido no ano passado.

A e-bit crê que os pedidos deverão ser conduzidos pelo segmento literário e pelo setor de eletrodomésticos, principalmente em virtude da manutenção da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) à tão popular linha branca. Em seguida, estima-se que a categoria de produtos de informática e eletroeletrônicos figurem como as grandes preferências do consumidor.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O mundo veloz da internet, que engloba pessoas com menos tempo e mais afazeres, com o passar dos dias é cada vez mais utilizado pelas empresas de comércio eletrônico. Vêem-se, desde muito tempo, promoções atrás de promoções, incentivos e condições especiais aos usuários.

Se aquele ditado água mole em pedra dura, tanto bate até que fura for verdade, então, o mundo cibernético se reinventou, mais uma vez? Claro que sim! Com as novas redes sociais, dentre elas Facebook, Twitter, blogs e páginas de relacionamento, o comércio dito eletrônico passou a utilizá-los para fins próprios. E não é que tem dado certo, ainda mais com descontos que podem chegar a 50%?

Como essas tendências cerceiam novos adeptos, nada melhor do que ilustrar um produto bonitinho, bem destacado em uma propaganda. Tanto que Pedro Quissack, coordenador comercial da companhia Tray Sistemas, aposta nesses meios, pois a pessoa que antes não tinha intenção de compras, pode ter seu faro aguçado, o que possibilita às lojas um estoque rotativo, com mercadorias novas lançadas de tempos em tempos, principalmente em datas comemorativas.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio divulgou que a atividade varejista do mês passado obteve um crescimento de 7,1% em relação ao mesmo período de 2008, o maior índice de aumento registrado desde dezembro do ano passado. Para a entidade, o estímulo para o setor foi a proximidade do fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) aos produtos da linha branca. Entretanto, esse tributo foi prorrogado para até 31 de janeiro de 2010.

Em comparação com setembro deste ano, percebeu-se um desenvolvimento de 1,3% para o segmento, com dados já convencionados sazonalmente. O setor de eletroeletrônicos, informática e móveis obteve um aumento de 1,1% em outubro ante o mês anterior.

Outros setores que apresentaram crescimento foram os de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas, com 0,4%, bem como o de tecidos, vestuário, calçados e acessórios, com 0,7%. Para o lado negativo da história, os que mais se destacam são os segmentos de material de construção, com baque de -1,9%, e de veículos, motos e peças, com 0,9%. Neste último caso a explicação é bem clara: a volta gradativa do IPI.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Na intenção de lucrar consideravelmente no Natal deste ano, inúmeras lojas virtuais começam a se preparar em termos de logísticas de armazenamento e distribuição de suas mercadorias ao grande público. Isto porque todas, sem exceção, pretendem evitar maiores problemas para a execução das entregas solicitadas.

De acordo com Gladimir Somacal, diretor de Compras e Logística da Lojas Colombo, com sede no Sul do Brasil, a rede tem por pretensão ampliar seus centros de distribuição e aumentar a frota de veículos para a realização das entregas. Para ele, isso tem, também, outra função: preparar seu comércio para uma futura expansão.

Somacal admite que esse crescimento deve-se, sobretudo, à intenção de melhor atender as exigentes demandas do Rio Grande do Sul e de São Paulo. Assim como em outras redes do segmento de móveis e eletrodomésticos, a Lojas Colombo foi beneficiada pela redução à linha branca do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O aumento nas vendas chegou a 30%!

Por Luiz Felipe T. Erdei


Conforme dados levantados pela Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abraese), o mês de setembro deste ano assinalou uma alta de 9% nas vendas em detrimento ao mesmo período de 2008. De acordo com o órgão, as áreas de lazer e de entretenimento contribuíram em 40% para esse aumento.

Outros setores que colaboraram para esse índice positivo foram os de conveniência e serviço, com 23%, lojas satélites, com 12%, e alimentação, com exatos 10%. Para a Abraese, essas informações atestam que o segmento de empreendimentos é muito além do que simplesmente centro de compras.

Segundo Luiz Fernando Veiga, presidente da Abraese, há muito otimismo por parte da instituição devido à abertura de novas lojas, o que pode colaborar, e muito, para crescimento das vendas no Natal deste ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Um estudo destacado pela consultoria Nielsen revelou que as classes sociais D e E foram responsáveis por praticamente 50% do crescimento das vendas de alimentos e de artigos de limpeza e higiene nos supermercados.

A pesquisa, que fez o levante desses dados nos seis primeiros meses de 2009, mostra uma ampliação de 3% em relação ao mesmo período do ano passado. Divididos em 44 categorias, as mercadorias foram pesquisadas em quase 8.500 domicílios.

Para Sergio Pupo, executivo de atendimento da Nielsen, estes números revelam que o índice de desemprego se manteve controlado, além de denotar uma retomada da confiança do consumidor e a volta às compras da população de baixa renda.

O estudo mostrou, ainda, que as famílias pertencentes à Classe C apresentaram uma redução de 1% na compra média, apesar de um aumento de 5% na frequência de compras.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Por conta da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), pesquisas apontam que o feriado de Dia das Mães, a melhor ocasião para o comércio depois do Natal, apresentou um crescimento notável em até 35% na comercialização de geladeiras, máquinas de lavar e fogões entre maio e outubro de 2009 ante o mesmo período de 2008.

No princípio da exoneração do imposto, em abril, estudos assinalaram que as redes de lojas focadas no segmento repassaram, em média, somente a metade do benefício ao consumidor final. Antes disso, porém, o comércio de eletrodomésticos apresentava um preço elevado que atingia até 70%.

A exasperação percebida na concorrência dos hipermercados do setor de eletrodomésticos fez os preços despencarem consideravelmente. Os varejistas especializados, então, retransmitiram a redução do IPI em sua totalidade por conta do risco de perdas de clientes aos seus rivais comerciais.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O comércio varejista pela internet não é mais novidade para inúmeros consumidores. Várias empresas passaram a investir com veemência na reformulação de suas páginas, de maneira a torná-las mais atrativas e mais acessíveis, principalmente à Classe C, que entra definitivamente na era da informática.

Alejandro Padron, líder da área de varejo da IBM Brasil, revela que a nação está entrando em uma nova etapa no comércio pela internet. De acordo com ele, a forte concorrência em vendas pela rede mundial de computadores pode ser percebida na entrada das Casas Bahia e do Wal Mart nesse meio, no ano passado.

O Brasil deve fechar 2009 com um total de 17 milhões de consumidores online, um número quase 25% maior do que o representado em 2008. Pedro Guasti, diretor geral da E-bit, consultoria especializada em dados sobre o comércio eletrônico, observa que quase a totalidade desses novos clientes pertence à Classe C. Por fim, crê que esse segmento movimente mais de R$ 10 milhões até o final deste ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Conforme notícias veiculadas no transcorrer deste mês, o comércio brasileiro está otimista com as vendas para o Natal deste ano – o primeiro, de fato, após a crise financeira mundial. As primeiras iniciativas dos comerciantes foram as de reforçar seus estoques.

Uma pesquisa da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), a pedido do Grupo Estado, ilustra que 77% dos lojistas, dos 300 inquiridos, encomendaram produtos na mesma proporção do ano passado ou em volume maior do que o representado em 2008.

A projeção, segundo Fabio Pina, economista da Fecomércio e responsável pelo estudo, é que haja crescimento entre 4% e 5% no faturamento concreto do comércio. Com isso, dados apontam volta ao mesmo patamar comercial visto em 2007. Os setores mais otimistas são os varejistas de alimentos e bebidas e o comércio de bens duráveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Conforme estatísticas da agência Eurostat, as vendas no varejo na denominada zona do euro, conjunto dos 16 países que adotam a cédula euro como moeda oficial, desabaram 0,2% em agosto diante julho deste ano, além de retroceder 2,6% em detrimento ao mesmo período de 2008.

Para os economistas, porém, os dados não foram positivos. Eles esperavam um tombo menor, de 0,5% em comparação mensal, bem como 2,4% em base anual. O mês de julho revelou, ainda, que as vendas declinaram 0,2% ante junho de 2008, e 1,9% diante de julho do ano passado.

Alguns segmentos apresentaram, no entanto, ascendências notáveis, entre eles os setores de bebidas, alimentos e tabacos, com exatos 0,5% em agosto em detrimento a seu antecessor, isto após três meses seguidos de queda. Entretanto, a comercialização de produtos não-alimentícios declinaram 0,6% no período, a mais notável queda desde fevereiro de 2009.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Números otimistas parecem animar a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (câmara e-net). Segundo a entidade, das 70 milhões de pessoas que possuem acesso a internet em nossa nação, aproximadamente 17,2 milhões delas comprarão pela rede mundial de computadores até o final de dezembro deste ano, um número que representa acréscimo de 4,2% em relação a 2008.

Os pequenos e médios empresários estão, atualmente, esquadrinhando um caminho esquematizado pelas grandes corporações; passaram a adquirir e veicular, cada vez mais, produtos manufaturados, que representam apenas 1% do faturamento no comércio eletrônico.

Segundo Pedro Guasti, diretor geral do portal de consultoria e-bit, quem consegue atender a essa tendência são os pequenos e médios empresários, pois as grandes lojas, tais como Wal-Mart, Casas Bahia, Lojas do Baú etc. não dão conta da demanda. Um dos sites que apresenta uma parcela diferenciada neste segmento é o Elo7 (www.elo7.com.br), que, na verdade, veicula em grande maioria produtos artesanais, voltados à decoração.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Harley-Davidson divulgou que iria demitir funcionários assim que foram divulgados seus números comerciais. Segundo a fábrica, seu lucro líquido caiu 91% no segundo trimestre de 2009 (para o mesmo período de 2008) e as vendas no varejo registraram queda de 35% nos Estados Unidos e quase 20% ao redor do mundo.

Conseqüência disto, a Harley informou que vai demitir aproximadamente 1.000 funcionários, 700 empregos no setor de produção e mais 300 de outras áreas. Com isso o número de cortes já atingiu quase 3.000 vagas desde o início da crise mundial.

Mesmo com o desempenho do ano passado, segundo a marca de 106 anos, as demissões não puderam ser evitadas. No segundo trimestre de 2008 a HD lucrou US$ 222 milhões e de abril e junho de 2009 lucrou US$ 19,8 milhões.

Por José Alberi Fortes Junior

Com a proximidade do Dia das Crianças, a confiança do comércio brasileiro poderá ser medida e projetada para apurar se o Natal deste ano será melhor que seu antecessor (2008). De acordo com pesquisa realizada pela Serasa Experian de Expectativa Empresarial, 49% dos comerciantes esperam elevação nas vendas e, consequentemente, no faturamento.

Mesmo assim, o “12 de outubro” de 2009 apresenta uma expectativa inferior àquela apresentada no ano passado, quando, à ocasião, o mesmo índice apontou otimismo um pouco maior, em 52%.

Ao “separar” o levantamento em portes empresariais, as grandes empresas foram as que mais se mostraram otimistas, com 68%. Com isso, superou a expectativa dos médios empresários, que aguardam elevação no faturamento em 57%, diante de 46% das pequenas empresas. A pesquisa contou com a opinião de 1.011 executivos do varejo entre os dias 4 e 17 de setembro.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Por Lindomar Vieira

Os Estados Unidos têm agora mais um fato do qual se lamentar, além da crise interna recebeu mais um golpe na sua influência externa. Foi fechado um acordo no qual a Venezuela se tornou fornecedora de petróleo para o Irã depois de um longo período de negociações.

O acordo gira em torno de $ 800 milhões e o fornecimento será de 20 mil barris por dia.

Embora o Irã seja um dos maiores exportadores de petróleo do mundo, não dispõe de suficiente tecnologia para a produção de derivados, com isso abrem-se novas portas de parcerias no mercado petrolífero mundial e a Venezuela, de Chávez, está se beneficiando com a oportunidade surgida.


Para comprar ações
 

Não. O limite é igual ao capital que você tem disponível para investir. Apenas saiba que comprar ações no momento mais agitado do dia é como pegar um ônibus em uma grande capital em horário de rush – uma verdadeira lata de sardinha.

Enquanto você luta para que sua ordem seja executada, existe um batalhão de investidores do outro lado que ficam torcendo pelo seu fracasso. 

E para vender as ações?
 

Você pode vendê-las a qualquer tempo, porém, existe um fator crítico para que esta seja realizada de forma rápida ou não: a liquidez do papel.

A liquidez é basicamente a quantidade de compradores dispostos em adquirir suas ações no momento que você quer vendê-las, e essencialmente no preço que você estipulou. Ações com baixa liquidez podem demorar meses para serem vendidas no preço desejado.

Geralmente as ações de primeira linha (blue chips) possuem uma boa liquidez. Na seqüência será comentado um pouco mais sobre elas.





CONTINUE NAVEGANDO: