Negociação deve envolver cerca de R$ 1,26 bilhão.

Uma gigante estatal brasileira declarou esta semana que bateu o martelo na venda do complexo químico-têxtil no Grande Recife, estado de Pernambuco.

A Petrobrás anunciou que a venda foi fechada em R$ 1,26 bilhão. Segundo a empresa, a compradora é a companhia mexicana Alpek, gigante do setor petroquímico e grande produtora mundial de poliéster.

A venda faz parte do Plano Estratégico da estatal e foi concretizada com a assinatura do contrato no último dia 28. Entenda melhor a importância do complexo para Pernambuco.

A refinaria Abreu e Lima, composta pela Petroquímica Suape e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (no conjunto denominados Complexo Químico-Têxtil Suape) foi construída no Complexo Portuário Suape e visava trazer prosperidade e desenvolvimento ao Grande Recife.

No início, o projeto de fato atraiu diversos investimentos, tendo recebido uma verba considerável do Governo Federal e da Petrobrás. Os setores de comércio e serviço tiveram um boom, proporcionando incríveis 8% do PIB Pernambucano. A partir de 2007, data do início de atividade do complexo, esse crescimento resultou num aumento considerável da população próxima, em busca de novas oportunidades.

Projetos paralelos foram criados, famílias desalojadas, convênios assinados. Embora os investimentos tenham sido consideráveis, parte do complexo não conseguiu sair do papel e o sonho do Eldorado começou a ruir.

Em 2015 a situação já estava crítica, com os problemas enfrentados pela estatal e pelo Governo Federal. Cerca de 50 mil trabalhadores entre os setores da indústria pesada, metalomecânica e de fretamento foram demitidos. Além disso, os demitidos deixaram de receber seus direitos trabalhistas, gerando uma bola de neve.

O complexo começou então a sofrer um sucateamento, vendo ir por água abaixo o sonho de prosperidade da região. As investigações do escândalo da Operação Lava-Jato concluíram que algumas licitações feitas pela Petrobrás foram irregulares, o que ocasionou prejuízo de cerca de R$ 10 bilhões. Empresas de construção e parceiros da estatal também estão envolvidos na denúncia.

Atualmente existe uma série de ações trabalhistas contra o empreendimento, que ultrapassa os 130 milhões de reais. As empresas envolvidas alegam falta de recursos para saldar essas pendências, tornando assim o sonho em pesadelo.

A Petrobrás possui no momento um programa de parcerias e de investimentos, mas a venda agora anunciada para a empresa mexicana ainda não será suficiente para cumprir a meta programada pela estatal brasileira, segundo informa a companhia.

Dan Dias


Recomendação ocorre após estatal elevar os preços dos combustíveis no país.

Depois dos sucessivos escândalos envolvendo parlamentares, executivos e outros agentes do governo nos esquemas de desvio de dinheiro envolvendo um das principais empresas do governo, a Petrobras, os indicadores financeiros parecem apontar novamente para a estatal brasileira que parece despontar novamente como um investimento seguro no país.

Depois de anunciar um grande rombo em suas contas e, como consequência, o cancelamento de novos investimentos em infraestrutura pelo país, a Petrobras, novamente reformulada e com a adoção de uma nova sistemática de gestão financeira, volta a se indicada como uma opção segura no Brasil, conforme a avalição dos consultores financeiros ligados ao banco Santander no Brasil.

A divulgação da intenção e avaliação de investimento feita pela instituição financeira veio após os executivos do banco darem o aval legal para a nova estratégia adotada pela estatal e que se confirmou com a mais recente elevação dos preços dos combustíveis no país.

De acordo com um dos responsáveis pelas análises, Gustavo Allevato, a Petrobras retoma o seu posto de investimento seguro em terras brasileiras após o aumento de preços, o que só colabora para mostrar a todos os investidores mundiais, assim como ao próprio banco, a intenção de empresa em adotar uma filosofia financeira que vai reorganizar a sua própria finança interna, assim como firma o compromisso com o capital estrangeiro de se tornar uma aplicação rentável no mercado internacional.

A avalição positiva que mudou o cenário da empresa e renovou a sua imagem como investimento veio após o reajuste dos seus produtos que poderá projetar expectativas positivas de valorização das aplicações em papéis da estatal.

As projeções são uma valorização superior aos 20% ainda neste ano. Para o ano de 2017, esta expectativa deverá ser que uma ação da Petrobras possa ser comercializada no mercado de ações com um valor que chegue até quase R$ 24,00.

No mercado atual, desde a sua reestruturação, este valor está cotado atualmente em quase R$ 19,00. Portanto, os analistas financeiros acreditam que se for mantido a mesma política, este percentual de expectativa possa ser mantido e a prática de recomendação em investimentos na empresa possa se solidificar nos próximos anos, o que a faz um investimento seguro para todos.

Emmanoel Gomes


Saiba aqui o que levou as ações da Petrobrás a subirem de valor neste ano de 2016.

Em janeiro deste ano, a Petrobrás (PETR4) chegou a atingir as cotações ais baixas dos últimos 13 anos, com suas ações chegando a cair dos R$ 5,00. Porém, a empresa vem em franca recuperação no ano de 2016 e os valores dos papeis da PETR4 já triplicaram em relação aos baixos valores do começo do ano.

Na última segunda-feira, 5 de setembro, as ações da Petrobrás fecharam em R$ 13,83, o maior valor desde maio de 2015. Os números, porém, ainda ficam muito aquém do pico de maio de 2008, quando a empresa registrou o recorde nos valores de seus papeis, com as ações custando R$ 50,56.

De acordo com uma análise de Thiago Salomão, no InfoMoney, existem alguns motivos para essa forte retomada da petroleira no mercado nos último oito meses. Um deles foi o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Desde sua reeleição no final de 2014, o governo de Dilma ficou marcado por intervenções na Petrobrás e pelo congelamento dos preços da gasolina no país, com a finalidade de se conter a inflação. Desde as eleições, podia-se observar a cada notícia negativa em relação ao governo do PT, o mercado reagia positivamente e as ações da PETR4 subiam.

Mas, para o analista, o principal motivo não foi nem a conjuntura política do Brasil, mas sim a recuperação dos preços do petróleo no mercado mundial. O barril de petróleo, que chegou a custar US$ 27,88 em janeiro, hoje está custando por volta de US$ 45. Houve também uma mudança na gestão da empresa, estimulando a venda de ativos.

A expectativa é que o preço do petróleo continue crescendo, atingindo a marca de US$ 75 em 2019. Em julho e em agosto, o Santander, o Itaú BBA e o Bradesco BBI elevaram a recomendação para as ações da estatal. O UBS também elevou as recomendações e, comparando a Petrobrás a Fênix, que renasce das cinzas, prevê uma máxima de R$ 18,20 para as ações da PETR4.

Os números do primeiro balanço da empresa sob a tutela de Michel Temer agradaram ao mercado. No balanço do 2º trimestre de 2016, a Petrobrás registrou um lucro líquido de R$ 370 milhões, frente a um déficit de R$ 1,24 bilhão no 1º trimestre.

Renato Senna Maia


Após perder o grau de investimento, as ações da Petrobras registraram queda, atingindo o menor valor de 2015.

O atual momento da Petrobras, uma das mais importantes estatais brasileiras, é bastante grave. Apenas um dia após o rebaixamento da Petrobras por parte da Standard & Poor’s, o que resultou na perda de seu grau de investimento, a empresa viu suas ações despencarem e atingirem o menor valor de 2015. Com isso, os números da empresa voltaram ao patamar 2003, um dos menores da história. Porém, é importante destacar que não foi apenas o rebaixamento que causou a queda de mais de 4% nas ações da Petrobras. Outros fatores como, por exemplo, o recuo na cotação internacional do petróleo juntamente com a forte valorização do dólar também influenciaram a queda das ações da empresa brasileira. É importante destacar que uma boa parte da dívida da empresa é denominada no dólar.

Como citado acima, o recuo no preço do petróleo tem sido um dos vilões contra os números da Petrobras, bem como de companhias petrolíferas em todo o mundo. A matéria do tipo Brent já registra recuo de 1,15% o barril.

Com isso, as ações preferenciais da Petrobras, que não possuem direito a voto, despencaram para 3,89% ao chegar a R$ 7,66, o que significa o menor valor desde 30 de setembro de 2003 quando foi registrado R$ 7,58. Já as ações ordinárias, aqueles que possuem direito a voto, sofreram recuo de 5,37% passando a R$ 8,81.

Além disso, é importante destacar que o recuo em ações das empresas brasileiras não foi exclusividade da Petrobras. A Vale, por exemplo, operou em saldo negativo. Ações do tipo PNs sofreram recuo de 2,06% enquanto que as Nos registraram baixa de 2,46%. O setor bancário também não escapou dos resultados negativos, haja vista a perda de 2,67% dos papeis preferenciais do Banco do Brasil.

Após isso, o grande desafio para o Governo Federal será tentar evitar que a Fitch e a Moody’s, agências de classificação de risco, também rebaixem a nota do Brasil. O grande risco no momento fica por conta da Moody’s, pois a nota do Brasil se encontra a um nível acima do grau especulativo.

Por Bruno Henrique

Queda das ações da Petrobras


Estatal teve prejuízo de R$ 6,194 bilhões com corrupção e de R$ 44,345 bilhões com reavaliação de ativos em 2014.

Foi divulgado o balanço auditado oficial da Petrobras e, conforme o esperado, a empresa teve prejuízo de cerca de R$ 21,587 bilhões com os escândalos da corrupção e reavaliação de ativos no ano de 2014, contra o lucro de R$ 23,6 bilhões em 2013. Apenas com a corrupção, a estatal perdeu R$ 6,194 bilhões e com a reavaliação de ativos, R$ 44,345 bilhões.

Segundo a Economatica, empresa de consultoria, em entrevista ao Jornal Folha de São Paulo, desde o ano de 1991 que a Petrobras não apresentava prejuízos anuais, ou seja, foram mais de 20 anos sem que a petroleira tivesse prejuízo.

Para o presidente da empresa, Aldemir Bendine, o que fica no momento é um sentimento de vergonha, por parte de todos os funcionários da estatal. Porém, ainda não há clareza sobre como a corrupção foi feita, não podendo identificar de forma especifica como e quais os valores de cada pagamento indevido efetuado.

Do total de perdas com a corrupção, 55% ocorreu apenas na área de Abastecimento, que era liderada por Paulo Roberto Costa, condenado na última quarta-feira, 22, por lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Outras áreas afetadas da petroleira são a de Gás e Energia, com prejuízo de R$ 637 milhões, a de Distribuição e Internacional, que somam R$ 46 milhões, e Corporativo com R$ 99 milhões. Ainda, há R$ 150 milhões desviados que não correspondem a áreas específicas da estatal, e sim, a pagamentos para empresas não citadas no processo da Lava Jato.

Com o grande prejuízo, a Petrobras não pagará a parcela de lucro destinada aos acionistas da empresa este ano. A medida será tomada para preservar o caixa da empresa.

De acordo com parecer de Bendine no balanço, a estatal tem capacidade de superar os desafios que estão por vir. Ainda, foi criado um novo plano de negócios que visa priorizar a produção e exploração de petróleo e gás.

Por Andréa Corneli Ortis

Petrobras


Balanço da empresa referente ao 1º trimestre de 2015 está previsto para ser divulgado no dia 15 de maio.

O balanço da Petrobras, referente ao primeiro trimestre de 2015, será divulgado a partir do dia 15 de maio, de acordo com nota divulgada pela própria empresa, onde é informado que o CA – Conselho de Administração vai se reunir nesta data, onde serão apreciadas todas as demonstrações contábeis referentes ao período dos três primeiros meses deste ano.

E a nota divulgada termina dizendo que é esperada a divulgação das demonstrações contábeis ao mercado, logo após a decisão do Conselho de Administração.

Na última quarta-feira (22/04), a Petrobras divulgou o balanço referente a 2014, através do presidente da empresa, Ademir Bendine, juntamente com a diretoria da empresa. Especialistas no assunto viram de forma bastante positiva a forma como a empresa foi transparente na divulgação dos dados.

O atual presidente da empresa também foi muito elogiado, já que ele assumiu a Petrobras em fevereiro, em meio a uma crise de corrupção e prejuízos imensos. Apesar do pouco tempo na presidência da empresa, Bendine já fez importantes mudanças, que resultaram na recuperação da confiança na empresa de um modo geral.

E foi o próprio Bendine que divulgou o novo plano de negócios da Petrobras que já está praticamente concluído, sendo apresentado a todos nos próximos 30 dias.

A meta deste plano de negócios é reduzir de forma rápida e contínua o endividamento da Petrobras. Outro objetivo deste plano de negócios é fazer com que a Petrobras volte a atuar em vários mercados onde ela deixou de atuar ao longo dos anos.

Ivan Monteiro, diretor de Relações com Investidores, comentou a respeito da divulgação do balanço que este foi um importante passo para que a Petrobras possa continuar caminhando e voltar aos mercados que já não está participando há um bom tempo como, por exemplo, o mercado de capitais, do qual a Petrobras está ausente há 15 anos.

E toda esta expectativa e o fato da Petrobras estar com uma nova gestão que vem dando muito certo e recebendo muitos elogios, faz com que o balanço do primeiro trimestre deste ano seja bastante aguardado, pois a expectativa em torno dos resultados é muito grande, assim como a esperança de que os primeiros bons resultados finalmente comecem a aparecer.

Por Russel

Petrobras


Uma notícia pegou muita gente de surpresa no meio econômico: a Petrobras foi rebaixada para o grau especulativo pela Moody’s. Dessa forma, deu-se início a uma grande confusão no mercado acionário. Acompanhando o rebaixamento para a categoria de grau especulativo, as ações da Petrobras despencaram 8%. Com tal notícia e a queda das ações, a IBOVESPA quase perdeu o patamar de 51 mil pontos. Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

A principal confusão no mercado acionário teve início na manhã da última quarta-feira, 25 de fevereiro. No entanto, na tarde da quarta-feira o fluxo vendedor diminuiu e a notícia sobre a possibilidade de a estatal brasileira vender ativos fez com que muitos investidores fossem às compras. Com isso, houve um pouco de estabilidade.

Apesar de a IBOVESPA também ter sentido a queda das ações da Petrobras, a mesma terminou a sessão com recuo de apenas 0,12%, com isso, foi para 51.811,02 pontos. Na mínima, a mesma ficou na casa dos 51.051 pontos, já na máxima, registrou 51.863 pontos.

Através de uma entrevista ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, a analista sênior da Moody’s, Nymia Almeida, se posicionou à respeito da decisão de vendas de ativos.

Segundo a analista, cortar investimentos não é o suficiente para preservar o caixa da Petrobras. Para Nymia, essa decisão pode ter resultados negativos na receita fatura da estatal. Para ela, além da venda de ativos outras medidas devem ser tomadas como, por exemplo, a abertura de capital de subsidiárias para gerar caixa.

O Banco do Brasil, empresa estatal, também sofreu com os resultados negativos que o rebaixamento da Petrobras gerou em todo o mercado. Dessa forma, o Banco do Brasil registrou perda de 2,11%.

Um dos principais destaques positivos foi a Eletrobras ter passado muito bem por tudo isso, haja vista a mesma ter obtido os seguintes resultados: ON +1,8%; PNB +1,23%.

Além disso, após o anúncio da Moody’s em relação ao rebaixamento da Petrobras, é esperado que isso favoreça o ajuste fiscal do Governo Federal. Apesar disso, Dilma Rousseff fez questão de minimizar o anúncio da Moody’s, 

Por Bruno Henrique


Mais um escândalo para  manchar  a  imagem do nosso Brasil.

E não é de  hoje que  isso  vem acontecendo, ao longo  dos  anos  estamos vendo ano  após ano  escândalos que ferem e  mancham a nação brasileira.

Agora o  escândalo mais comentado é o da Petrobras, a  cada  dia  as  manchetes dos  jornais trazem algo que  descobriram e a coisa  fica  mais  séria do que já está.

Graça Fosterqueria ser lembrada como a  presidente que  aumentou a  produção de petróleo no Brasil, mas  acabará sendo lembrada como a presidente da  companhia  que está  envolvida em um escândalo de corrupção com proporções imensas.

Graça  Foster trouxe  até um refrigério para esse  escândalo essa  semana, onde  havia  pedido à  Presidente Dilma  para que  saísse do  cargo de  presidente  da Petrobras, mas  a Presidente  Dilma  haveria pedido para que ela aguardasse  até achar um nome para colocar em seu  lugar.

Com essa  atitude o mercado  financeiro olhou com  bons olhos esses  rumores onde as  ações da  companhia  tiveram uma alta significativa.

Seus acionistas  viram com  bons olhos o pedido de Graça Foster de sair do comando da companhia. Isso devido ao simples fato de verem que suas ações subiram e isso traria um bom rendimento a eles.

Esse escândalo está  longe de  acabar, não é com a  saída de Graça Foster que os  escândalos  irão parar ou até mesmo que as pessoas  irão esquecer, pois  esse problema está muito longe do seu  fim.

As  ações vão  subir e  se  manter estáveis sem quedas? Poderá acontecer isso sim, basta as  coisas tomarem um rumo onde  seus  investidores possam  acreditar e ver que as coisas estão se ajeitando.

O aumento das  ações é um indicador muito favorável, pois o mercado está vendo que ainda pode  confiar na  companhia, e isso ocorreu graças à notícia de um suposto pedido de  demissão da então Presidente da Petrobras.

Por Andre Escobar

Petrobras


A Petrobras é uma empresa estatal, cujo maior controle acionário é representado pelo Governo do Brasil. E no contexto corrupto que está envolvido, a empresa  está passando por uma grande desorganização financeira. Um escândalo que passa diariamente nas manchetes de vários jornais, que infelizmente coloca o país como vencedor no escândalo de corrupções, perdendo somente para países como o Chile, Uruguai, Ruanda e Botsuana. Este agravante também passa uma imagem negativa para a economia, e ainda provoca muitos prejuízos para o país.

Esse conflito administrativo dentro da Petrobras está gerando muitas consequências como a queda das ações na bolsa de valores, sendo que antes era a preferida pelos investidores. Atualmente, o preço das ações está em torno R$ 12,26 +0,03 (+0,25%), mas qual será o melhor momento para investir? Com o preço em baixa, o ROE (retorno sobre o patrimônio liquido) não está sendo um atrativo para compradores.

É uma situação muito complicada para os interessados em comprar. Porém, qual é a perspectiva de retorno lucrativo? Para as pessoas que comprarem, será um tipo de investimento a longo prazo,  pois é preciso esperar uma reorganização e aguardar a possibilidade de melhora nas negociações comerciais

A desorganização financeira pela qual passa a Petrobras prejudica a imagem da empresa, diminui as perspectivas de concessão de crédito, como também a queda no mercado cambial. Esse problema está afetando também a produção, impedindo a realização de acordos comerciais e adquirir mais capitais. 

Por outro lado, considerando a importância da empresa no mercado, que pode contribuir para uma vulnerável possibilidade de credito, pois mesmo com a baixa produção, esse quadro pode mudar e surgir um avanço. Acredita-se que até 2018, tenha-se uma boa demanda produzida, que possa aumentar até futuras unidades de produção.

É preciso acreditar que os negócios possam melhorar, pois uma empresa que pode fornecer até 300 mil barris, como também dispõe de grandes  refinarias, Usinas e Gasodutos, um incrível avanço tecnológico e um crescimento sustentável para oferecer um serviço de alta qualidade. E com todo esse perfil tem tudo para superar essa crise.

Enfim, é preciso que o governo prossiga na solução dos problemas e agilize na reorganização financeira da empresa. Pois este compromisso é uma obrigação com a Petrobras, como também com o povo brasileiro.

Por Jaqueline Mendes

Petrobras


A Fitch, agência de risco, responsável por avaliar as condições financeiras de empresas com ações no mercado financeiro mencionou na terça-feira que a empresa brasileira de petróleo e gás – PETROBRAS corre risco de rebaixamento de sua boa aplicabilidade devido ao escândalo da Petrobras.

Segundo a agência de rating, o escândalo de corrupção pode afetar a credibilidade e a produção da empresa, como relata o jornal “A Cidade”.

No entanto, é importante lembrar que esta agência, assim como a Moody´s e a S&P (Standard and Poor), são apenas empresas de classificação de risco, cujo principal objetivo é garantir os menores riscos aos investidores financeiros que em sua maioria tem maior interesse não no investimento direto das empresas, mas, na especulação do mercado de ações.

O que importa para definir o real valor da PETROBRAS é efetivamente sua condição de produção física e, esta, até o presente momento, não foi afetada. A empresa continua sua produção física de petróleo e gás, os empregos, as plataformas, etc. Logo, a PETROBRAS não teve seu valor alterado. O que está em questão para as empresas de risco e para os especuladores é o valor de mercado que normalmente é fruto da especulação, fazendo o “preço” de uma empresa ultrapassar o seu real valor. Por isso, quando ocorrem movimentações e notícias como o escândalo da PETROBRAS ou as más informações como no caso das empresas “X” o valor no mercado financeiro pode sofrer alterações.

Porém, a PETROBRAS, ao invés das empresas “X”, possui sólida produção física e possibilidades de ampliar sua produtividade. O movimento de compra e venda do mercado acionário não afeta diretamente o real valor da empresa, a menos que seus ativos estejam mau aplicados. Ao que tudo indica a possível desvalorização da PETROBRAS não passa de outra especulação.

Apenas ocorrerão implicações na PETROBRAS se algo afetar sua produção ou produtividade. Um exemplo disso é a desvalorização do preço do barril de petróleo, a produção física, que vem acontecendo no mundo. Se o barril ficar abaixo dos US$ 70,00, aí sim, não somente a PETROBRAS como todas as produtoras do bem sofrerão impactos.

Por Roberta Lima

Petrobras


Apesar do difícil momento financeiro enfrentado pela Petrobrás, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) irá financiar a criação de mais uma fábrica de fertilizantes da empresa com um total de recursos de 2 bilhões de reais.

Esta será a terceira unidade da fábrica que produz fertilizantes nitrogenados e será construída na cidade de Três Lagoas no estado de Mato Grosso do Sul com previsão de iniciar suas atividades em setembro de 2014.

A grande meta desta nova construção da estatal será diminuir a dependência do mercado exterior para obter insumos primordiais para uma melhor produtividade no setor agrário brasileiro com a redução de 66% para 39% na importação de uréia.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta segunda-feira, dia 17 de dezembro de 2012, a Agência Moody´s mudou a classificação de risco da dívida da Petrobrás.

Agora a empresa estatal teve seu endividamento transferido de estável para negativo em decorrência do crescimento da dívida da empresa além da incerteza sobre o seu fluxo de caixa e capacidade de cumprir os prazos e volumes de produção do petróleo.

A agência Moody´s não é a primeira a se preocupar com o montante de dívidas da empresa, pois o seu conselho de administração também está apreensivo com esta situação.

Sobre esta questão a relação da dívida da Petrobrás sobre o Ebitda (geração de caixa) está em 2,6 vezes e pode chegar em 2013 a 3 vezes sendo que o valor padrão exigido pelas agências de classificação de risco é de 2,5 vezes.

Com isso, se a Petrobrás perder o seu grau de investimento poderá perder capacidade para negociar de forma atrativa com o crédito externo.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta quarta-feira, dia 19 de dezembro de 2012, a Petrobrás anunciou que irá reduzir os seus custos em R$32 bilhões até o ano de 2016 que equivalerá a cerca de 19% do total de custos gerenciados pela empresa estatal.

As áreas da empresa que farão parte do programa de custos serão de Gás e Energia, logística da Transpetro, Produção e Abastecimento.

Este anúncio foi feito após a empresa registrar um prejuízo no segundo trimestre de 2012 no valor de 1,34 bilhões de reais que foi a primeira perda de recursos da empresa nos últimos treze anos.

Deste modo, o valor a ser economizado será correspondente à necessidade da Petrobrás de obter novos recursos de 16 bilhões de dólares em um ano ou de 33 bilhões em três anos.

Para garantir o sucesso da redução de custos, a empresa informou que todas as ações deste programa serão monitorados com periodicidade mensal e serão avaliados pelo conselho de administração a cada três meses.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


A Petrobrás aprovou nesta sexta-feira, dia 30 de novembro de 2012, o Programa Infralog para otimização da infraestrutura logística da empresa que tem como missão realizar o planejamento e gerenciar projetos nas áreas de logística da estatal até o ano de 2020.

Com base neste programa, a Petrobrás espera economizar em logística cerca de US$ 1,6 bilhão e até 2020 este valor pode chegar a menos US$5,4 bilhões.

O programa vai funcionar em quatro temas principais: bases de apoio para atender à demanda de infraestrutura portuária e aeroportuária nas cidades de Campos, Santos e Espírito Santo; destino de lpiquidos de gás natural; movimento e exportação de petróleo; distribuição de derivados do petróleo e biocombustíveis.

Na sua primeira fase, o Infralog mapeou as demandas no ramo de Logística da Petrobrás e detalhou os projetos necessários para sanar estas necessidades.

Fonte: Valor Online

Por Ana Camila Neves Morais


Trabalhando com um novo preço do barril de petróleo, a Petrobras estima que haverá um reajuste de preços ainda este ano. A afirmação foi dita pela presidente da empresa, Maria das Graças Foster, durante um evento realizado no Rio de Janeiro.

De acordo com a estatal, o preço do barril de petróleo do tipo Brent está em US$ 118,5, mas a Petrobras trabalha com o preço de US$ 119. No plano de negócios da empresa, feito para o período 2011-2015, a estimativa era de que o preço do barril estaria entre US$ 80 e US$ 95. Já o novo plano da companhia, para o período 2012-2016, ainda não foi publicado.

No entanto, a presidente da Petrobras afirma que vai haver aumento de preço do barril de petróleo devido ao novo patamar.

Graça Foster ainda diz que está em tratativas com o governo para o repasse direto ao consumidor, mas o governo pretende segurar o reajuste por medo do impacto que isso terá na inflação. A Petrobras, por sua vez, possui uma política de não repassar as mudanças internacionais para os preços de derivados do petróleo.

Fonte: Reuters

Por Matheus Camargo


Realizada a assembleia geral ordinária de acionistas da Petrobras, novos rumos serão tomados para a economia brasileira. Segundo decisões da própria reunião, foram aprovados investimentos equivalentes a R$ 58,8 bilhões para 2012.

O valor não chegou a incluir companhias relacionadas, como a Transpetro, mas já possui orçamentos gigantes. São R$ 55,5 bilhões investidos em recursos próprios da Petrobras e um valor de R$ 3,3 bilhões colocados para melhorar os recursos de terceiros.

Referindo-se a um total de capital, 59,02% irão se destinar para a área mais importante atualmente: a de exploração e produção do petróleo, gás e pré-sal. Outros 33,10% serão para abastecimento populacional, junto com mais 5,42% para gás e questão energética. O restante (2,46%) será aplicado em outros segmentos da Petrobras.

Os acionistas não se restringiram a investimentos totais para a empresa e trataram de assuntos relacionados às propostas de dividendos, que equivalem a um valor de R$ 12 bilhões. Este número é relativo aos resultados do ano passado, equivalendo a 0,92 real por ação.

Por Jéssica Monteiro 


Cada vez mais o Brasil se dispõe a esbanjar grandes reservas de petróleo e, o mais importante, produtos relacionados ao pré-sal e que estão fazendo o nosso país crescer ainda mais neste segmento.

Depois de todas as descobertas feitas em torno de bacias profundas de petróleo e gás natural, mais uma vez o anúncio de que novas fontes estão em nossas terras chega aos ouvidos do povo e dos grandes interessados internacionais.

Segundo informações da própria Petrobras, o bloco BM-S-8 está escondendo produtos importantes para a economia em águas consideradas “ultraprofundas”, onde o inovador pré-sal pode estar sendo extraído da conhecida Bacia de Santos.

Para comprovar a real existência do produto nestas águas, a própria companhia deu um comunicado bastante direto: "O resultado foi comprovado por meio de amostragem de petróleo de cerca de 31º API em reservatórios situados a 5.750 metros de profundidade".

Para quem achava que o Brasil era o próximo dependente do Petróleo de outros países, se enganou redondamente, pois a cada dia, novas descobertas são feitas para comprovar justamente o contrário. 

Por Jéssica Monteiro


Devido a uma licitação bilionária empreendida pela Petrobras, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) pode se dar bem nessa historia. Localizado no Porto de Suape, na Região Metropolitana do Recife e graças ao seu contrato com a Sete Brasil, o estaleiro pode ser um dos responsáveis na construção de 21 das 26 sondas de perfuração encomendadas pela empresa.

Nada mais nada menos do que US$ 76 bilhões estarão envolvidos no processo. Desde licitações passadas, que o EAS já possuía um contrato com a Sete Brasil para a construção de sete equipamentos. As chances de que a parceria continue são muito grandes.

A empresa Ocean também acabou entrando na jogada e acabou vencendo mais uma licitação para que mais cinco unidades de sondas fossem implantadas. A Petrobras já declarou que os contratos com as duas empresas será de uns 15 anos e o prazo para entrega ficará entre quatro e sete anos e meio. O projeto da estatal ainda considera a construção de novos estaleiros no Brasil, além de promover a utilização de uma infraestrutura já existente.

No total, serão construídas 33 sondas, sendo que sete delas já começaram a ser preparadas no Estaleiro Atlântico Sul. Ainda existe a possibilidade na redução dos preços aos equipamentos de perfuração que deverão ser utilizado nas obras.

Por Jéssica Monteiro


A Bolsa de Valores de São Paulo, Bovespa, operou durante todo o dia 10 em baixa. Isso tudo graças a Petrobras que sofreu uma queda em suas ações.  Mais para o período da tarde, o principal índice da bolsa paulista, Ibovespa, caía o equivalente a 2%, chegando aos 64.216 pontos. Tanto as ações preferencias quanto as ordinárias sofreram queda brusca de mais de 6%.

No ano passado, a empresa petroleira divulgou resultados de decréscimo dos lucros em 5% em comparação a 2010. A porcentagem de queda representa 33 bilhões, para o desagrado do mercado.

Um relatório feito por analistas do bando Itaú BBA disseram que essas perdas nos lucros poderiam estar relacionadas a gastos com muitas importações por parte da Petrobras. Com isso, a instituição considerou os números muito ruins, mas têm expectativas de melhora para este ano, já que o segmento para exportação está aumentando.

Diferente dos mercados externos que oscilavam com valores crescentes, a bolsa fechou em queda pelo segundo dia seguido. As leves altas foram consequências de fatos como o acordo entre líderes gregos e dados positivos nos Estados Unidos.

Fonte: G1

Por Jéssica Monteiro 


Mais uma notícia da Petrobras para abalar os pilares da economia brasileira. A empresa acaba de anunciar a descoberta de uma nova reserva de Petróleo e Gás, que se encontra no Amazonas. Os poços já foram perfurados e calcula-se uma capacidade produtiva de cerca de 1.400 barris por dia. A partir disso, segue-se mais um projeto de instalar um novo polo produtor na Bacia do Solimões.

A reserva encontrada está localizada no município de Coari e indicou uma alta produtividade de óleo de qualidade, levando em consideração mais de 45 metros cúbicos de gás que ainda poderão ser extraídos. A perfuração do poço atingiu uma profundidade de quase 3.300 metros, o que é um valor bastante elevado.  

Para levar as descobertas a outro patamar, serão necessários ainda muitos estudos e pesquisas.

A viabilidade econômica do local deve ser levada em consideração e quando confirmada, será posta em prática a criação de um novo polo petroquímico na Bacia do Solimões, no Amazonas.

Este já é o segundo processo exploratório do Bloco SOL-T-171, pelo qual o Plano de Avaliação de Descoberta já havia sido viabilizado desde 2010.

Fonte: G1

Por Jéssica Monteiro 


Maria das Graças Foster, futura presidente da Petrobras, terá um orçamento de R$224,7 bilhões para administrar a empresa. A quantia está prevista no Plano de Negócios da companhia e deve ser utilizada entre 2011 e 2015.

José Sergio Gabrielli, atual presidente da Petrobras, lembrou que desde a posse do cargo ele assumiu que os investimentos da estatal seriam basicamente voltados para o segmento de produção e exploração de petróleo e gás.

O presidente também afirma que nós temos muito petróleo e gás, tanto no pré-sal quanto no pós-sal, e é por esse motivo que a empresa também vai aumentar a demanda de gás nacional no mercado, porém sem prejudicar o contrato de importação de gás da Bolívia, que vai até 2019.

Gabrielli também informou que a nossa participação na produção de etanol, dada por parcerias feitas com grandes grupos nacionais, está aumentando cada vez mais.

O atual presidente da Petrobras também disse que após deixar a presidência da empresa, vai assumir um posto no Governo da Bahia.

O nome de Maria das Graças Foster deve ser ratificado pela Administração da Petrobras na reunião do dia 9 de fevereiro.

Por Thiago Polido.


O ano de 2010 foi maravilhoso para a Petrobras. A Empresa divulgou recentemente o balanço do ano passado e fechou o ano com um lucro líquido nada menos do que R$ 35,189 bilhões (isso mesmo), 17% acima do arrecadado no ano anterior.

Segundo o comunicado da empresa, este resultado se deu pelo fato da alta da cotação do petróleo e pelo aumento de 11% na venda de derivados.

A Petrobrás prevê a ampliação neste ano em 2,5% da produção de petróleo, podendo chegar a incríveis 2,100 milhões de barris por dia. Com essa produção e o fato de sermos um país auto-suficiente, não consigo entender porque pagamos pela alta do petróleo no exterior, e quando seu preço é recuado aqui no Brasil ele continua o mesmo.

Talvez esse seja o motivo para o belo lucro da Petrobrás, afinal de contas, quem paga quase R$ 3,00 pelo litro da gasolina somos nós.

Por Henrique Pereira


A Petrobras registrou picos de instabilidade em ações no Brasil, mas a situação não é bem essa na Bolsa de Nova York. As ações que foram lançadas no dia 10 de agosto de 2010, comemora alta valorização durante o período.

Estima-se que a valorização foi de 400% durante a década, e está entre as que registram maior liquidez entre todas as empresas negociadas no pregão.

A grande parte dos donos da Petrobras não está no Brasil, com 70 % das movimentações, as ações negociadas se encontram em Nova York e não na Bovespa. Atualmente 40% dos investidores na Petrobras são estrangeiros, intensificando ainda mais o sucesso da empresa.

Juliana Alves


Se você quer investir nas ações da Petrobras, mas ainda está em dúvida, não perca tempo. O banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, recomenda aos clientes que invistam em suas ações. A oportunidade além de favorecer quem investe, também auxilia no crescimento e valorização da empresa.

A Petrobras necessita de capital para honrar com seus compromissos no desenvolvimento de pesquisas e exploração do pré- sal, um grande marco para a economia do Brasil.

Com o anúncio da oferta pública de ações, estima se que o valor da empresa privada é de R$ 120 bilhões ou cerca de 70 bilhões, o maior da história. A União ficou com R$ 42.945 bilhões das novas ações.

Quem quer pegar a fatia do bolo não deve perder tempo!

Juliana Alves


Pauta muito utilizada pela candidata do Partido dos Trabalhadores à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, a Petrobras realizou recentemente uma das maiores ofertas pública de toda a história do país, segundo fontes oficiais. Seu oponente, o postulante José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira, alegou durante os últimos debates e em horário eleitoral gratuito que seu bom posicionamento ante o eleitor conferiu valorização de ações à estatal.

Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central brasileiro e dono da Gávea Investimentos, avaliou nesta semana que o investidor estrangeiro tem se postado mais crítico para com o país depois de ocorrida a capitalização da Petrobras, bem como pelo uso mais amplo dos bancos públicos pelo governo.

Para ele, por ter se configurado uma operação entre partes relacionadas, a capitalização da estatal deixou na cabeça dos investidores internacionais um mal estar generalizado. De acordo com Armínio em reportagem apregoada pelo portal de Economia Terra, esse sentimento sofreu piora exatamente num momento em que o padrão contábil do governo brasileiro vem sofrendo flexibilizações.

Por Luiz Felipe T. Erdei


As últimas semanas foram bem agitadas para a Petrobrás devido à capitalização de suas ações, com representação pelo governo de 49% do capital social. Solidificando-se cada vez mais como asseguram autoridades brasileiras, inclusive Luiz Inácio Lula da Silva e a candidata do Partido dos Trabalhadores à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, a empresa já é considerada uma das marcas mais fortes do Brasil.

Apesar dessas descrições sobre um mesmo mote, José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, avaliou que a estatal terá de erguer US$ 60 bilhões nos mercados de capitais na próxima meia década para conseguir financiar seu programa de investimentos. Dando sequência às suas palavras, assegurou que as recentes flutuações das já citadas ações são naturais para uma companhia que realizou a maior oferta pública da história.

Em breve artigo descrito pelo Estadão, Gabrielli assinalou que houve ajuste de preço-alvo – em relação ao rebaixamento de recomendação oriundo de relatórios bancários –, perfeitamente normal para uma empresa que semeia R$ 120 bilhões.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Petrobrás está oferecendo uma bela oportunidade aos brasileiros que querem expandir ou investir em novos horizontes. É o seguinte: a Petrobrás está em vias de realização de uma oferta pública de ações no ano de 2010. Com isso há o investimento dos acionistas na Petrobrás e consequentemente  um investimento no país.

Para obter maiores informações há um prospecto disponível em www.petrobras.com.br e também no www.cvm.gov.br, vá direto a "Fatores de Risco", para saber todos os por menores envolvidos no processo, caso deseje proceder com  a compra das ações.

No site você também poderá informar-se sobre as corretoras e bancos que estão credenciados para o projeto. Bons negócios!

Por Teresa Almeida


Um orgulhoso presidente dará o ar de sua graça na próxima sexta-feira na BM&F Bovespa, em São Paulo. O anúncio foi feito pelo próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante discurso em Juiz de Fora (MG):

“Não vou dizer o nome do santo, mas vou contar um milagre. Dia 24 este país vai acordar vendo acontecer uma coisa que jamais vocês imaginaram que pudesse acontecer. Nós vamos na (sic) Bolsa de Valores de São Paulo. Este país vai presenciar a maior capitalização de uma empresa na história da humanidade”.

Lula irá acompanhar pessoalmente a operação de abertura para venda de ações da Petrobras, que tem estimativa de bater a casa dos R$ 135 bilhões. O anúncio será feita na sexta-feira, com o registro da abertura, mas os bilhões de papeis só serão ofertados na segunda-feira, 27.

Lula aproveitou parta espezinhar a oposição contrapondo a operação com as privatizações feitas no governo FHC:

“mostrando ao mundo, diferentemente daqueles que vieram antes de nós, que iam na bolsa para bater uma plaquinha para vender as empresas estatais, que nós vamos bater o martelinho para capitalizar a nossa querida Petrobras”.

Por Diego Diniz


No último mês de junho, a empresa Petrobrás realizou empréstimos com bancos nacionais totalizando em uma soma de R$4,2 bilhões, sendo R$2,2 bilhões provenientes do Banco do Brasil e R$2 bilhões da Caixa Econômica Federal.

De acordo com a empresa, estes empréstimos foram feitos com vistas à construção de dutos e navios, à ampliação de unidades industriais e para o desenvolvimento de projetos da Petrobrás. No ano de 2008, a empresa já havia solicitado crédito de bancos estatais, sob a justificativa de que o mercado externo, de onde sempre obtinha financiamento, estava em turbulência, devido à crise financeira mundial.

De acordo com a Petrobrás, os empréstimos irão alavancar seus negócios, onde novas oportunidades de mercado serão exploradas, ressaltando que a situação de caixa da empresa é “confortável” e que os créditos solicitados fazem parte de suas atividades normais.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Folha de São Paulo, Diário do Nordeste


A Petrobras informou nesta semana que obteve lucro líquido de R$ 16,2 bilhões nos seis primeiros meses deste ano. O montante corresponde a 111% do lucro obtido pela empresa no mesmo período do ano passado, quando foi registrado um lucro de R$ 14,4 bilhões.

Parte do crescimento do lucro da Petrobras se deve ao crescimento nas vendas da estatal no mercado brasileiro. Segundo informações da Petrobras, o aumento registrado no volume das vendas no Brasil foi de 11% no período. Já a produção de petróleo e gás cresceu 3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Não foi somente o lucro e a produção da Petrobras que teve crescimento no semestre. De janeiro a junho, a Petrobras investiu mais de R$ 38 bilhões em sua estrutura, o que significa um crescimento de 17% em relação ao montante investido nos mesmos meses em 2009.

Por Luana Neves


Já é possível comprar as novas ações da Petrobras, o presidente Luis Inácio Lula da Silva, sancionou lei que permite a compra de ações pelo FGTS para quem quiser investir no seguimento da bolsa.

A Petrobras é uma das empresas mais confiáveis atualmente e, sempre foi; investir em uma empresa tão sólida e que está em franco crescimento, principalmente agora que está chegando a era do pré-sal, parece ser um negócio muito atraente. O mundo inteiro está voltando as atenções para essa exploração, tanto é que, o Brasil está analisando o conceito de segurança nas divisas pois sabe-se que quando der início ao processo de extração, teremos que contar com toda segurança possível sem que isso seja transformado em exagero.

Tem um porém para quem pretende tornar-se investidor, só poderá usar 30% do valor do FGTS e quem possui ações da Petrobras, não poderá fazer a aquisição pelo fato de já ser um participante investidor.

Por Silvia Baptista


A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuou 1,12% nesta segunda-feira, aos 70.614 pontos, com mínima de 70.505 pontos e máxima de 71.606 pontos. O giro financeiro atingiu R$ 5,869 bilhões. Na opinião de analistas, as incertezas em relação ao processo de capitalização da Petrobras continuam preocupando o mercado. As ações PN da companhia, que movimentaram R$ 1,043 bilhão, recuaram 2,38%, a R$ 34,39, o que ajudou a levar para baixo o Ibovespa.

O presidente da Petrobras, no entanto, confirmou que a empresa segue trabalhando com a hipótese de realizar a operação ainda no primeiro semestre deste ano. Ele afirmou que se não houver a cessão onerosa, a empresa verá como a capitalização poderá ser feita, já que a considera indispensável.

Fonte: O Globo Online

Por Fabrício Fuzimoto


250 bilhões. Esse é o valor divulgado pela Petrobrás no seu Plano de Negócios com vigência 2010 – 2014, referente aos investimentos deste período.

A maior parte desses investimentos ficará na Exploração e Produção, alcançando o montante de 153,6 bilhões de reais acompanhando o sucesso na exploração da campanha do Pré-Sal. Para o planejamento pós 2014, os investimentos totalizam aproximadamente 462 bilhões, valores inclusos no PAC 2.

Na área de RTC, Refino, Transporte e Comercialização, os investimentos visam atender a crescente demanda do mercado doméstico. A empresa ainda aposta na melhoria da qualidade de seus derivados, atendendo aos padrões internacionais além de prever investimentos em novas fábricas de etanol e biodiesel.

Por: Teresa Almeida

Fonte: Agência Brasil


A Caixa Econômica Federal possui próprios meios de atuação e decisão, tanto que poderá permitir que recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) sejam destinados à capitalização da Petrobras. Embora contrário à decisão, o governo brasileiro confessa que a proposta poderá ser aprovada por grande parte dos deputados que votarão o projeto em plenário, daqui a pouco tempo.

De acordo com o Portal de Economia do Terra, caso o governo brasileiro não consiga frear a medida, caberá a Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, alterar algumas disposições ou vetar a medida. Se a primeira opção for acatada, a matéria poderá voltar à Câmara.

Caso acionistas minoritários adquiram papéis da estatal por meio do dinheiro do FGTS, uma injeção de aproximadamente US$ 35 bilhões poderá fazer parte da Petrobras. Agora, tem-se de aguardar o resultado e esperar que o melhor seja feito. Para tirar suas próprias conclusões, saiba mais sobre o assunto aqui

Por Luiz Felipe T. Erdei


Após o grande susto gerado pela crise financeira mundial, o Brasil continua a ser o foco em investimentos e referência econômica, seja aos estrangeiros, seja às empresas e estatais nacionais. Paulo Roberto Costa, diretor de Abastecimento da Petrobras, ambiciona ampliar a participação da companhia no mercado de etanol entre 10% e 20% até 2014.

Usinas existentes e projetos novos são um dos álibis de Costa para essa avaliação. Segundo ele, que teve idéias veiculadas pela Agência Estado, a estratégia está estabelecida no Plano de Negócios da Petrobras, num período de 2009 a 2013.

Por enquanto, Paulo não sabe a quantidade de usinas prospectadas. O que tem por certo é o aumento da participação da estatal brasileira no mercado interno e de exportação. A união entre a Shell e a Cosan é observada sem grandes preocupações pelo diretor, pois este examina que o intento entre as duas empresas só tem a favorecer as companhias brasileiras – ou seja, não se sente ameaçado.

Fonte: Agência Estado

Por Luiz Felipe T. Erdei


Depois de uma semana instável (semana passada), o UOL preparou uma entrevista bem interessante com o Analista Silvio Paixão, onde é discutida qual seria as melhores ações para se investir neste momento.

Segundo Silvio, esta grande variação na bolsa é bem comum de se acontecer quando a bolsa está com sua pontuação no pico.

Para o Analista, esta semana será mais uma semana instável na bolsa. Por isso, o mais indicado é investir em ações de alta liquidez (ações da Petrobras, Itaú ou Vale por exemplo).

Confira o vídeo com a entrevista no vídeo abaixo:


Um discurso de Alan Garcia, presidente peruano, pode dar muita alegria a milhares de brasileiros. Segundo ele, a Petrobras pode ter feito a descoberta de até 5 trilhões de pés cúbicos de gás natural na região amazônica daquele país. Se isso for atestado, tal novidade pode suprir as necessidades de gás, no Peru, até o ano de 2050.

A área em que a estatal brasileira pode ter encontrado essa matéria é conhecida por Bloco 58, uma região de exploração praticamente nova. O poço que engloba esse – provável – gás é o Urubamba, um dos cinco que se tem conhecimento.

Segundo o presidente do Peru, isso confirma um pulo dentro de suas fronteiras em garantias dessa matéria para o país. A nação peruana, por fim, possui, aproximadamente, 15 trilhões de pés cúbicos de gás em reservas em seu bloco sul. Um pouco a mais não faz mal a ninguém, certo?

Por Luiz Felipe T. Erdei


Novamente questionada sobre o andamento das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Petrobras declarou que não há falta de cimento asfáltico de petróleo (CAP) em suas refinarias às distribuidoras, diferentemente do relatado em diversos veículos noticiosos nos últimos dias.

De acordo com a estatal brasileira, sua capacidade de produção é de 3 milhões de toneladas anuais, enquanto que a demanda total estimada às obras do PAC é de 2,4 milhões de toneladas por ano.

A Petrobras alegou que, atualmente, realiza testes piloto de importação de CAP, com a finalidade de oferecer maior tranqüilidade no sentido operacional. A carga inicial, de acordo com a empresa, é de 7 mil toneladas a serem entregues até o final de outubro. A carga seguinte, de 9 mil toneladas, estará disponível já em novembro.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Uma previsão proferida por José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, aponta que São Paulo será o vice-líder na produção de petróleo até o ano de 2020, atrás apenas do Rio de Janeiro. Seu discurso tem por base a futura exploração do pré-sal. Atualmente, São Paulo ocupa o último lugar da lista dos dez Estados em que a companhia trabalha com a matéria-prima.

No mês de agosto, a produção de petróleo da Petrobrás assinalou, em média, 527 barris diários, isso sem contar o Gás Natural. No mesmo mês, o Estado do Rio de Janeiro obteve produção média diária de 1,6 milhão de barris, seguido por Espírito Santo, com mais de 90 mil.

Entretanto, Gabrielli não soube dizer qual será o nível alcançado pela produção paulista em 2020. O presidente da Petrobras aproveitou a ocasião para afastar qualquer hipótese de concorrer a algum mandato nas eleições de 2010, ano em que o Governo Lula chegará ao fim.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para a compra de ações da Petrobras foi endossada, há pouco, por Edemir Pinto, diretor-presidente da BM&FBovespa. O apoio a esta medida foi enunciado durante audiência na comissão especial da Câmara dos Deputados, esta, que pondera o projeto de capitalização da estatal brasileira.

Edemir apóia, além disso, o uso do FGTS não somente aos trabalhadores que selecionaram pela utilização do fundo na aquisição de ações no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas, também, aos que demonstraram a interesse em ingressar no mercado na época atual.

Para Pinto, uma das temeridades para o mercado de capitais do Brasil é o de não garantir ao trabalhador condições para o exercício de preferências, exclusivamente àqueles que já são acionistas da Petrobras e que utilizam parte do rendimento do FGTS.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Com a euforia pelas novas conquistas em torno da pauta “pré-sal”, José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, ratificou que a empresa está executando análises no litoral da Bahia a fim de verificar se existe petróleo na camada de lá.

Essas pesquisas foram iniciadas após o discurso de Jacques Wagner (PT), governador do Estado baiano, que supôs uma provável existência da matéria-prima na região. Entretanto, Gabrielli não afirma com veemência essa possibilidade. Para ele, será necessário perfurar alguns locais a fim de obter confirmação.

Se a moda pegar pelo Brasil, provavelmente a população escutará inúmeros rumores em torno de novas pesquisas em busca do petróleo. É esperado, de todo jeito, que cada indivíduo coma a sua parte do bolo – já crescido.

Por Luiz Felipe T. Erdei

O Pré-Sal ainda está em gestação e já está causando enorme discussão em todos os setores da política e da economia.

O presidente Lula já se mostrou inflexível na sua proposta da criação de um fundo para a Educação, pesquisas e Meio-ambiente. Há quem brande contra o papel que o governo espera para a Petrobrás como detentora de 30% do negócio e do regime de concessões proposto. Alguns concordam e endossam as parcerias com a iniciativa privada na exploração da riqueza, outros pensam que envolver a iniciativa privada é perigoso e pode significar a entrega do ouro nas mãos do vilão. Também há grande polêmica no que toca à criação da PETROSAL que poderá ser a gestora do negócio. Entre outras coisas.

A situação já está assim. Não seria melhor se começássemos a extrair óleo no Pré-Sal para sabermos para dar maior sentido às discussões?


O agricultor familiar, sim, aquele produtor que utiliza sua lavoura para prover seu sustento, terá mais motivos para continuar a produzir. Uma parceria entre o Banco do Brasil e a Petrobras Biocombustível acertou, nesta quarta-feira, 9 de setembro, um acordo de 90 milhões de reais para financiar as plantações de matérias-primas. O intuito inicial é impulsionar a área de biocombustíveis em diversas usinas espalhadas por inúmeros Estados.

Serão agraciados familiares e cooperativas pertencentes a Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia, Piauí, Ceará e outras regiões que primam pelo cultivo da soja, da mamona e do girassol.

Os recursos serão repassados aos favorecidos por uma linha de crédito a custeios agropecuários, dentro, em outras palavras, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).


Petrobrás, uma das estatais com maior poderio econômico mundial, passará, em meados de 2015, a processar o intenso volume de óleo do pré-sal. As refinarias da empresa, originalmente voltadas a apurar o diesel Premium, serão adaptadas para tal fim, segundo Paulo Roberto Costa, diretor de abastecimento da companhia.

Para ele, a empreitada pode diminuir o custo de construção, com previsão inicial em 20 bilhões de dólares para as unidades do Maranhão, que produz 600 mil barris por dia, e Ceará, em torno de 300 mil barris diários.

Entretanto, as duas divisões não serão satisfatórias para acolher toda a produção do pré-sal. Por isso, abre-se espaço para que apareçam novas unidades produtoras pelo Brasil.


Levantamento da consultoria Economatica aponta que a estatal brasileira apresentou, no segundo semestre de 2009, o maior lucro entre as empresas da América Latina com ações negociadas em bolsa. Se as empresas norte-americanas forem incluídas no ranking, a Petrobrás é a única empresa brasileira a aparecer entre os 10 maiores lucros, só ficando atrás do Citigroup se consideradas as empresas financeiras.

O valor registrado de abril a junho, US$3,96 bilhões é mais que o dobro do atingido pela segunda colocada no ranking, US$ 1,7 bilhão da mexicana América Movil, durante o mesmo período. Também se destacaram os bancos: Itaú Unibanco com US$1,3 bilhão, Banco do Brasil, com US$1,2 bilhão e Bradesco com US$ 1,17 bilhão.


A Bovespa determina um tamanho padrão de negócios com as ações em seu pregão normal, chamado de lote-padrão. Este lote poder ser de qualquer quantidade que represente um volume financeiro razoável.

Quando o acionista pretende comprar ações fora do lote-padrão, ele entra para o que se chama de mercado fracionário, que são propriamente “frações” do lote-padrão. 

Exemplo prático: o lote-padrão das ações da Petrobrás (PETR4) é 100. Você até pode comprar apenas 50 ações PETR4, porém, estará realizando essa operação de forma fracionada, e que apresentam menor liquidez no momento da venda.

A dica aqui é realizar compras preferencialmente dentro do lote-padrão. Se o valor de mercado da PETR4 é de R$42,00, por exemplo, isso significa que com R$4.200,00 você poderá adquirir 1 lote-padrão, ou seja, 100 ações.





CONTINUE NAVEGANDO: