Site permite investimentos de pequenos valores no mercado imobiliário.

A Urbe.me é uma instituição brasileira que visa investimento imobiliário, mas o diferencial é que esse investimento não necessariamente acontecerá em altos volumes, uma vez que a empresa coloca em prática o conceito chamado crowdfunding.

O crowdfunding trata-se de um termo inglês que caracteriza investimento coletivo, ou seja, a Urbe.me possibilita que pequenos investidores participem de grandes investimentos. O investimento é à partir de R$1.000,00 e, uma vez confirmado, o investidor recebe um título que confere a ele a participação percentual referente ao investimento, sobre o Valor Geral de Vendas (VGV) do empreendimento. Ao fim de toda a captação, o investidor recebe o título de dívida, acompanhando todos os fluxos financeiros, além de ter acesso ao desenvolvimento das obras. Assim, quando as vendas iniciarem-se, o investidor receberá, dentro dos períodos conferidos de cada projeto, o valor da participação dele no empreendimento. A cada trimestre, a incorporadora fará a apuração do valor das vendas.

Captações em Aberto

A Urbe.me, atualmente, conta com dois projetos já concluídos, um em Porto Alegre e outro em São Paulo. Existe um empreendimento em aberto para captação até fevereiro. Esse projeto em aberto é em Maringá, no estado do Paraná, e está sendo dirigido pela Construtora Lotus. Segundo dados da página InfoMoney, a rentabilidade prevista por ano gira em torno de 13%, visto de forma mais conservadora, mas pode chegar a 17,1%, numa visão mais arrojada.

A cidade Maringá tem um dos melhores índices de desenvolvimento humano (IDH) do Brasil, além de ter seu foco no setor de prestação de serviços. Tudo isso faz com que a cidade tenha o PIB per capita de 35,6 mil reais, dado muito estimulante se comparado ao dos outros municípios. Esses dados são importantes para o mercado imobiliário, uma vez que apontam para a capacidade financeira elevada das famílias da região. Para saber mais sobre possíveis aplicações neste empreendimento, basta clicar aqui.

A intenção da Urbe.me é que 15 projetos sejam ofertados por ano, sendo que pelo menos 10 já estão sendo visados para 2017.

Carolina De Marco Brandenbergher


O Banco Itaú está realizando ações financeiras em diversos ramos como ferrovia e exploração de óleo e gás para aumentar o seu capital econômico.

E agora o seu rol de investimentos deve aumentar, pois a instituição financeira divulgou que irá investir em 2013 de forma maciça no setor de construção civil o qual deve manter o seu ritmo de crescimento no próximo ano.

Além disso, o Itaú Unibanco pretende ainda aumentar o montante de financiamento imobiliário disponível para seus clientes em decorrência do grande sucesso desta linha de crédito durante este ano que está terminando.

Por Ana Camila Neves Morais


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou dados de uma pesquisa feita com relação aos hábitos de consumo dos brasileiros.

De acordo com o estudo feito cerca de 60% dos consumidores entrevistados irão reduzir os gastos por causa do endividamento em que se encontram e da crise econômica mundial.

Esta situação se justifica pelo fato de que 41% dos participantes possuem dívidas ou algum tipo de financiamento chegando ao nível máximo de comprometimento da renda.

Por Ana Camila Neves Morais


Apesar do difícil momento financeiro enfrentado pela Petrobrás, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) irá financiar a criação de mais uma fábrica de fertilizantes da empresa com um total de recursos de 2 bilhões de reais.

Esta será a terceira unidade da fábrica que produz fertilizantes nitrogenados e será construída na cidade de Três Lagoas no estado de Mato Grosso do Sul com previsão de iniciar suas atividades em setembro de 2014.

A grande meta desta nova construção da estatal será diminuir a dependência do mercado exterior para obter insumos primordiais para uma melhor produtividade no setor agrário brasileiro com a redução de 66% para 39% na importação de uréia.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Foi ajuizada nesta última semana pedido de ação civil pública do Ministério Público do Distrito Federal contra o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento).

O motivo da ação é com relação às atividades de financiamento e apoio feitas pela instituição financeira que, segundo o Ministério Público, devem ser publicados no site do BNDES.

O órgão do judiciário quer que o banco divulgue todos os dados relacionados a seus projetos e serviços com envolvimento de recursos públicos desde o ano de 2002 em decorrência da recusa do BNDES em fornecer dados à Procuradoria sobre seus gastos e ações.

Caso o banco resolva descumprir as determinações do Ministério Público deverá para uma multa de R$50 mil por dia.

Questionado sobre o assunto, o banco – por meio de sua diretoria – informou que nunca impediu o acesso à informações e que a lei do sigilo bancário deve ser priorizada com relação à de transparência das informações.


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) divulgou nesta semana mais um investimento importante no país.

Desta vez, o banco irá financiar a construção da Usina Hidrelétrica Santo Antônio de Jarí com um aporte de R$736,8 milhões.

Esta usina com localização entre Almeirim no Pará e Laranjal do Jarí no Amapá irá iniciar suas atividades no ano de 2014 com capacidade de 374,4 MW.

Este projeto faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e irá permitir um reforço no fornecimento de energia elétrica para o Norte do Brasil.

O valor disponibilizado pelo BNDES será utilizado para construir a usina bem como para investimentos como redes de esgoto e água tratada, equipamentos de lazer e iluminação pública em locais próximos a ela.

Por Ana Camila Neves Morais


O BNDES aprovou o financiamento no valor de R$ 32 milhões para hotéis localizados em Pernambuco, o valor deverá ser investido na modernização e ampliação desses estabelecimentos. Ao todo, três hotéis serão beneficiados com a medida, o Summerville Beach Resort (localizado em Porto de Galinhas), o Mar Hotel e o Atlante Plaza (ambos em Recife).

Esses recursos são equivalentes a mais de 90% do valor total de investimento. O programa responsável por liberar esses recursos é o ProCopa Turismo.

A expectativa é que o número de leitos seja ampliado em mais de 30% na região. As obras já estão em andamento, sendo que o empreendimento irá gerar cerca de 954 postos de trabalho direto. O prazo para que toda a obra esteja concluída é janeiro de 2014.

Ao todo, o ProCopa Turismo já contribui para a construção e reforma de 10 hotéis, sendo que os beneficiados estão distribuídos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte e agora Pernambuco. O valor total de financiamento é de R$ 277,1 milhões, o que representa um aumento de mais de dois mil quartos na rede hoteleira do país.

Por Joyce Silva


Além de compor, atualmente, bom cenário no âmbito econômico, o Brasil atraiu a atenção de todo o mundo ao ser designado para sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Apesar da euforia, muito ainda precisa ser feito, cabendo às instituições de financiamento prover algumas bases.

Nesta semana, o governo anunciou isenções para aplicações em títulos privados, medida que visa amenizar a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no financiamento do investimento. Esta, porém, não se designa única e exclusivamente aos eventos, podendo ser estendida, deste modo, a outros projetos.

Segundo Guido Mantega, ministro da Fazenda, a intenção do governo é oferecer condições para o segmento privado financiar o longo prazo no Brasil e partilhar, assim, a responsabilidade com o banco. Matéria do G1 assinala que o governo comprimiu a taxação sobre rendimentos de aplicações em debêntures atrelados a projetos infraestruturais, com exoneração sobre aplicações realizadas por pessoas físicas e estrangeiras e arrefecendo amplamente os índices para pessoas jurídicas.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A cidade de São Paulo, assim como outras pelo país, é um exemplo claro de desenvolvimento, positivo mas desigual, desenfreado e em alguns pontos mal elaborado. Uma questão simples pode ser constatada ao se observar os rios Tietê e Pinheiros; poluição, inundação e outros similares são algumas das constatações.

Em meio a esse problema socioeconômico – uma parcela de um todo –, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sancionou financiamento de R$ 33,9 milhões para a Estre Ambiental, companhia nacional na gestão de tratamentos de áreas vexadas e detritos sólidos.

Reportagem do G1 assinala que os recursos serão utilizados na implantação de uma unidade responsável por processamento de detritos, com capacidade produtiva de 450 toneladas por ano de combustível derivado de resíduos, ou CDR (usado em fornos industriais e caldeiras).

O projeto da Estre conjetura a ampliação dos aterros sanitários situados em Paulínia e Itapevi, unidades de captação de biogás.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Gerir uma micro, pequena ou média empresa acarreta altos custos num primeiro momento. Parcela dos negócios não ultrapassa um ano de existência e outra fatia, dos cinco anos. Um dos meios pelo qual os empresários podem obter recursos é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que nesta semana decidiu aumentar o desígnio de seu cartão.

As novas diretrizes cercearão o financiamento de partes, componentes e peças empregadas no desenvolvimento, mantimento e modernização de equipamentos de informática e bens de capital e automação da indústria. Segundo o BNDES, essa ampliação abrangerá toda a cadeira de produção.

Na esfera de peças e componentes para bens de capital de utilização industrial, por exemplo, novos itens nacionais serão financiados. Para componentes eletrônicos a automação, bem como bens de informática, serão apreciados componentes de informática, placas montadas e partes de monitores, além de alguns outros abarcados pela Nomenclatura Comum do Mercado Comum do Sul (NCM).

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1


O setor aéreo brasileiro é um dos mais significativos em todo o mundo, tanto devido às companhias que realizam voos domésticos como em virtude das empresas atinentes ao setor, como é o caso da Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. (Embraer), especializada na fabricação de aviões para o território nacional e internacional.

Para manter sadiamente suas atividades, foi acertado pela empresa em 9 de setembro, quinta-feira, operação de crédito de US$ 1 bilhão com mais de 20 instituições financeiras situadas no exterior, garantindo à Embraer recursos financeiros a alíquotas pré-negociadas. De acordo com a agência de notícias Reuters, o acerto compreende renovação dos US$ 500 milhões proclamados há quatro anos.

A empresa admite que o dobro do valor acordo tem por base a confiança dos bancos em relação à saúde operacional e financeira da Embraer. Esse montante será dividido em duas partes, a primeira, de R$ 400 milhões, ao pré-financiamento de exportações, a segunda para financiamento de capital de giro.

Caso, efetivamente, a Embraer venha a fazer uso do dinheiro, o prazo final estipulado para o pagamento às instituições (Citibank, HSBC, Santander e Générale etc.) é setembro de 2013.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) demorou a ser composto, mas deverá ter delimitadas todas as suas diretrizes em breve. O intento, que tem por escopo interligar as cidades de Campinas, Rio de Janeiro e São Paulo, contará com suporte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Hélio Mauro França, superintendente executivo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), afirma que os termos do financiamento proveniente do banco deverão vir à tona nos próximos dias, pois existe, ainda, uma questão interna a ser resolvida pelo governo federal, então responsável na definição política do projeto.

O advogado Adelmo da Silva Emerenciano avalia que o ponto em questão é aquele que suscita maior expectativa entre os interessados, pois no estágio serão definidas as garantias, prazos e condições de taxas. De acordo com o Estadão, o BNDES poderá conceder financiamento de até 60,3% (aproximadamente R$ 20 bilhões) de todo o projeto do trem-bala.

Apesar de todo esse ambiente ambicionado pelo governo federal, a oposição tucana repreende a iniciativa, pois – dizem os peessedebistas – com o montante a ser financiado pelo banco daria para construir vários quilômetros de metrô em todo o país.

Por Luiz Felipe T. Erdei


De acordo com informações divulgadas pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) nesta quarta-feira, 11 de agosto de 2010, neste primeiro semestre de 2010 o mercado imobiliário apresentou a maior taxa de investimentos com uso da poupança, desde o início da série histórica no ano de 1967, totalizando R$ 23,8 bilhões.

Este valor supera em setenta e sete por cento os números registrados no ano de 2009. Além do valor total investido, também houve aumento no número de imóveis financiados, com uma elevação em 51,5% em relação ao ano anterior, totalizando 187,6 mil unidades neste primeiro semestre.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Band, Diário do Grande ABC


Há cerca de três anos o mercado de imóveis está mais atento a um público da faixa etária de 25 a 35 anos.

Como exemplo pode-se citar que dos financiamentos realizados pela Caixa Econômica Federal, mais da metade deles são feitos por pessoas com no máximo 35 anos. E o que está facilitando o acesso deste público no mercado imobiliário é a grande oferta de financiamentos, bem como as melhores taxas de juros, conforme relatado por Romeu Braga, diretor de incorporação da Living construtora.

Esta é especialista no atendimento ao público jovem, tendo oitenta por cento de sua clientela nesta faixa etária. A Living está investindo atualmente em propagandas via internet como principal meio de comunicação com seus possíveis clientes, como forma de atrair ainda mais o público jovem.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Band


O otimismo de empresários e da população como um todo tem favorecido amplamente diversos setores de referência econômica, tais como o de máquinas & equipamentos. Informações levantadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ilustram que os financiamentos concedidos pela instituição focados à aquisição de instrumentos relacionados ao segmento foi 133% maior no primeiro quadrimestre de 2010 em comparação ao período idêntico de 2009.

A instituição revela, por meio do portal de economia UOL, que de janeiro a abril deste ano R$ 15,6 bilhões em créditos foram outorgados por meio da linha BNDES Finame, num intento que envolveu mais de 67 mil operações. Somente em abril, por exemplo, o banco liberou R$ 10,2 bilhões, superior em 28% ao mês igual de um ano antes.

O BNDES enfatiza como fator predominante à ascensão o Programa de Sustentação de Investimentos (PSI), acordado há mais ou menos um ano, que tem como grande diferencial o financiamento a máquinas & equipamentos com alíquotas de juros fixas. A idealização foi tão importante que representou 44% das concessões totais.

Fonte: UOL

Por Luiz Felipe T. Erdei


O volume de financiamentos convencionados a ser aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2009 deverá figurar na casa de R$ 157 bilhões, de acordo com Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil. A soma representa uma quantia quase quatro vezes à liberada em 2004.

De acordo com Lula, esses dados foram delineados nesta semana por Luciano Coutinho, presidente do BNDES, este, que assegurou que os desembolsos do órgão figurarão entre R$ 120 bilhões e R$ 130 bilhões.

O presidente brasileiro voltou a defender os bancos públicos, pois o Banco do Brasil disponibilizará a mesma quantia de crédito que todo o sistema de finanças do âmbito nacional depositou no mercado em 2003. Lula também defendeu a importância do Estado na economia ao dizer que a crise financeira mundial provou que ele, o Estado, tem de ser firme.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Governador José Serra deu a partida na Agência Nossa Caixa Desenvolvimento. A Agência foi desenvolvida com o propósito de combater a crise econômica e fomentar o estado de São Paulo. Os serviços da Nossa Caixa Desenvolvimento começaram muito rapidamente, cerca de quatro meses e meio após sua instalação, em 11 de março deste ano.

A Nossa Caixa Desenvolvimento disponibilizará linhas de financiamento com juros reduzidos a pequenas e médias empresas. E para somar aos recursos que a Agência oferecerá, na data de inauguração também foram assinados convênios de cooperação com nove entidades empresariais, a fim oferecer os produtos da agência a seus associados.

A meta ser atingida com a criação da Nossa Caixa Desenvolvimento é o desenvolvimento econômico e social de São Paulo por meio de financiamento de projetos produtivos que irão gerar empregos e renda. A crise que se cuide.





CONTINUE NAVEGANDO: