Caixa autorizou a utilização do FGTS para realização de empréstimos consignados como forma de garantia.

A Caixa Econômica Federal divulgou na terça-feira (4 de abril) que trabalhadores poderão realizar empréstimo consignado utilizando o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Nesse caso, as parcelas do valor obtido serão descontadas em folha de pagamento.

A liberação do FGTS para esse tipo de transação financeira já havia sido promulgada pelo congresso em julho ano passado (2016) através de uma lei. Porém, para que de fato fosse colocada em prática, faltava a regulamentação da Caixa.

Como funcionará o empréstimo com base no FGTS?

Caso algum empregado do setor privado opte por esse tipo de empréstimo, ele poderá oferecer até 10% do saldo do fundo como garantia. Além disso, o empregador também poderá assegurar até 100% do valor da multa de 40%, quando ocorrer demissão sem justa causa. Esse tipo de empréstimo só poderá ser solicitado em apenas um contrato por trabalhador.

Qual será o prazo para pagamento?

Nessa nova opção, o prazo para pagamento será de até 48 meses, com taxas de até 3,5% ao mês. O valor total a ser adquirido dependerá do quanto o solicitante possui depositado em conta do FGTS. Em caso de não haver mais vínculo empregatício, esse saldo poderá inclusive ser retido pelo banco, para que a dívida seja paga. Se o valor retido for menor do que o total emprestado, o restante ficará à disposição do trabalhador, para que ele possa sacá-lo.

Essa nova modalidade de empréstimo é uma boa opção?

A alternativa de empréstimo tem dividido opiniões. Alguns especialistas acreditam que ela poderá prejudicar os trabalhadores em caso de desligamento da empresa. Afinal, eles não poderão ter acesso ao valor total do FGTS, principalmente da multa de 40% sobre esse montante, que é depositada em casos de demissão sem justa causa. Também acreditam que isso possa estimular criação de dívidas em um momento de crise como o atual.

Por outro lado, o governo acredita que isso poderá trazer uma nova possibilidade de empréstimo para os trabalhadores. Também seria uma forma de obter dinheiro a juros menores, se comparados aos que são atualmente oferecidos pelos bancos ou instituições financeiras em geral. No Brasil, a taxa média de juros para transações, como uso de cheque especial e cartão de crédito, é acima de 300% ao ano. Dessa forma, é um valor bastante alto.

Por Camilla Silva

Dinheiro


Quem está passando por dificuldades financeiras e por mais que já tenha tentado controlar melhor as contas domésticas não tenha conseguido, acaba muitas vezes recorrendo ao empréstimo.

Há diversas modalidades, com os mais variados juros, e por isso, antes de optar por um deles, é indicado que a pessoa se informe muito bem e veja qual é o mais vantajoso para as suas necessidades. Uma boa opção é fazer um empréstimo consignado, que têm taxas de juros mais baixas.

O empréstimo consignado é aquele cujas parcelas são descontadas diretamente do salário. Como o risco da pessoa não pagar a prestação é menor, o juro do empréstimo consignado cai muito.

Empréstimo consignado

Foto: Divulgação

Para poder optar por ele, é necessário que a pessoa tenha carteira assinada ou se enquadre no grupo de aposentados ou pensionistas do INSS. Os funcionários públicos estaduais, federais ou municipais, também podem usufruir dessa modalidade.

Para fazer a solicitação, é necessário se dirigir a uma agência bancária, preferencialmente a que a pessoa recebe o salário e levar o RG, CPF, comprovante de residência e contracheque. O valor das parcelas varia, mas é de no máximo 30% do valor do salário da pessoa. As taxas de juros são calculadas de acordo com a data de contratação. 

Por Milena Godoy


Com o fim de 2012, começam as movimentações no governo para a organização da economia do país no ano de 2013.

Pensando nisso, o ministro da fazenda Guido Mantega realizou uma reunião esta semana com as oito maiores instituições bancárias do país informando que o ano de 2012 foi difícil, mas que 2013 teremos uma situação financeira melhor.

Dentre os temas abordados pelo ministro um dos mais importantes foi o pedido feito aos bancos privados para aumentar a concessão de empréstimos no próximo ano.

Este pedido é justificado pelo fato de que o crédito é uma das apostas da presidente Dilma Rousseff para aumentar o crescimento econômico em 2013 e neste ano os bancos privados liberaram uma quantidade reduzida de crédito aos consumidores sobrecarregando as instituições públicas.

Ao abordar as perspectivas para o ano de 2013, Mantega falou dos principais projetos do governo – principalmente na área de infraestrutura, e pediu o apoio dos bancos privados.

Por Ana Camila Neves Morais


A Isolux irá receber um crédito no valores de 100 milhões de dólares do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Este recurso será usado pela empresa de engenharia da Espanha para criar projetos voltados à energia renovável no Peru e no Brasil.

Com este financiamento será construída uma nova linha de transmissão entre Taubaté e Nova Iguaçu com capacidade de 500 kV e a construção de novas usinas de energia solar nas cidades peruanas de Majes e Repartición com 40 MW de capacidade de energia

Fonte: EFE

Por Ana Camila Neves Morais


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou dados de uma pesquisa feita com relação aos hábitos de consumo dos brasileiros.

De acordo com o estudo feito cerca de 60% dos consumidores entrevistados irão reduzir os gastos por causa do endividamento em que se encontram e da crise econômica mundial.

Esta situação se justifica pelo fato de que 41% dos participantes possuem dívidas ou algum tipo de financiamento chegando ao nível máximo de comprometimento da renda.

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um empreendimento importante será feito no Brasil por meio de recursos vindos do BNDES.

Desta vez, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social irá fornecer um empréstimo no valor de R$1,2 bilhões para a reforma do Aeroporto Internacional de Viracopos na cidade de Campinas.

Com este recurso, a administradora do local irá realizar diversas obras para ampliar e modernizar o aeroporto gerando um aumento duas vezes maior da sua capacidade permitindo o atendimento de até 14 milhões de passageiros.

Para a execução deste projeto estarão envolvidos cerca de 7.000 novos empregos diretos e terceirizados e deverá estar finalizado em maio de 2014 para iniciar o seu uso na Copa do Mundo que acontece neste mesmo ano.

Fonte: EFE

Por Ana Camila Neves Morais


A Confederação Nacional do Comércio divulgou dados importantes sobre a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

De acordo com as análises realizadas, aproximadamente 59% das famílias brasileiras possuem dívidas, sendo este valor 0,2% menor do que o registrado em novembro de 2011.

Apesar desta queda, o montante de famílias com contas atrasadas aumentou para 21% em novembro ficando 0,5% maior do que o valor registrado no mês de outubro.

Outro dado relevante apontado por este estudo indica que dentre as famílias endividadas 6,8% delas não possuem condições financeiras de quitar seus débitos e aquelas que se consideram muito endividadas foi de 12,1%.

As principais ocorrências de débitos dos brasileiros são em cheque especial, empréstimo pessoal, financiamento de veículos, cartão de crédito e carnê de lojas.

Fonte: Agência Brasil

Por Ana Camila Neves Morais


Os bancos europeus Credit Suisse e Goldman Sachs irão oferecer crédito no valor de 1,6 bilhões de euros para a empresa Alcatel-Lucent com vencimentos entre três e seis anos de duração.

Esta organização é especializada na fabricação de equipamentos para o ramo de telecomunicações que possui uma previsão de crescimento entre 35 e 37% até o ano de 2015.

A garantia solicitada pelos bancos para realizar o empréstimo foi o portfólio de patentes da Alcatel-Lucent bem como outros ativos presentes na empresa beneficiada.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Foi ajuizada nesta última semana pedido de ação civil pública do Ministério Público do Distrito Federal contra o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento).

O motivo da ação é com relação às atividades de financiamento e apoio feitas pela instituição financeira que, segundo o Ministério Público, devem ser publicados no site do BNDES.

O órgão do judiciário quer que o banco divulgue todos os dados relacionados a seus projetos e serviços com envolvimento de recursos públicos desde o ano de 2002 em decorrência da recusa do BNDES em fornecer dados à Procuradoria sobre seus gastos e ações.

Caso o banco resolva descumprir as determinações do Ministério Público deverá para uma multa de R$50 mil por dia.

Questionado sobre o assunto, o banco – por meio de sua diretoria – informou que nunca impediu o acesso à informações e que a lei do sigilo bancário deve ser priorizada com relação à de transparência das informações.


O consumo está em alta entre os brasileiros e a procura por empréstimos também. Está é a constatação da última pesquisa da Serasa Experian a qual identificou uma alta de 17,2% na busca de empréstimos variados pelos brasileiros durante o mês de outubro e que contrastaram com a queda de 16,5% neste mesmo aspecto que aconteceu durante o mês de setembro.

Ao desmembrar os dados deste estudo verifica-se que o maior crescimento na solicitação de empréstimo foi de 26,8% na região Sudeste.

Ao analisar a estratificação da população de acordo com a demanda para empréstimos, os brasileiros com salários entre R$1.000,00 e R$2.000,00 representam 18,2% deste total enquanto que aqueles que ganham entre R$500,00 e R$1.000,00 corresponderam a 17,4% do montante de empréstimos realizados.

E as camadas da população que menos precisaram realizar empréstimos no mês de outubro estas entre as pessoas que ganham mais de R$10.000,00 por mês e que contribuíram com 13% do global de solicitações feitas.

Estes dados obtidos demonstram, segundo os economistas da Serasa Experian, uma melhoria progressiva da economia brasileira que está fazendo o consumidor voltar aos poucos para o mercado de crédito diminuindo, ainda, a inadimplência dos brasileiros.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


O empréstimo solicitado pelo Estado de Pernambuco ao Banco Mundial (Bird) foi aprovado pela CAE – Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

De acordo com a proposta aprovada, o Estado poderá contratar um empréstimo no valor de US$ 500 milhões à instituição financeira. Toda a verba deverá ser usada no programa "Expandido Oportunidades e Aumento a Equidade" do Estado que tem como principal objetivo expandir os investimentos nas áreas de gestão dos recursos hídricos, na capacidade de gestão pública e de riscos, além das áreas que envolvem projetos educacionais. 

Apesar de ter passado por essa fase, o empréstimo ainda deverá passar pelo plenário da casa, sendo que a previsão é que ele seja votado o mais rápido possível.

A fim de agilizar ainda mais o processo, o governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos, falou pessoalmente com o senador José Sarney, presidente do senado, sobre a importância da medida para o Estado. De acordo com nota, Campos solicitou que o pedido fosse tratado com prioridade pela comissão. 

Vale lembrar que o Bird é uma das instituições financeiras mais importantes do mundo e o responsável pela liberação de empréstimos para diversos países. 

Por Joyce Silva


O sonho de ter o próprio negócio torna-se cada vez mais próximo da realidade graças ao crédito concedido pelas instituições financeiras.

Mesmo para quem já possui uma empresa, mas precisa expandir ou impedir a falência, em momentos de crise, recorre ao crédito. Porém, os bancos estão cada vez mais cautelosos no momento de conceder empréstimos, o que deixa como opção o microcrédito.

A conclusão é do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que divulgou o resultado da pesquisa "Perfil das Instituições de Microfinanças no Brasil", uma parceria com a Associação Brasileira de Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças (ABCRED).

O levantamento foi realizado no ano passado e abrangeu 75 das 103 Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips) cadastradas no Ministério do Trabalho e Emprego.

A pesquisa apontou que a média de valor dos empréstimos é de R$ 2.800, sendo o máximo é de R$ 15 mil. Além disso, revelou que empresários do comércio (55%) e serviços (28%) são os que mais solicitaram esses empréstimos.

De acordo com o Sebrae, o número se justifica na facilidade para contrair esses pequenos empréstimos, em relação aos grandes, concedidos pelos bancos. Para os microcréditos, a garantia pedida são apenas bens e fiadores. O resultado é o crescimento do número de empresas, todos os anos.

Se você tem interesse em abrir a própria empresa, o Sebrae possui programas para fornecer as informações necessárias sobre estas e outras possibilidades.

Por Géssica Valentini


O crescimento da economia brasileira é pautado a partir de vários pontos específicos, porém intrínsecos entre si. A criação de empregos nos últimos oito anos, segundo Luiz Inácio Lula da Silva, possibilitou aumento da renda do trabalhador, algo estritamente ligado (como já pincelado) no acesso ao crédito. Cada um possibilitou, por exemplo, que a classe C, ou a nova classe média, começasse a adquirir inúmeros bens antes quase impossíveis, como é o caso de moradias.

Pesquisa divulgada pela Serasa Experian em 1º de novembro prevê que o mercado de crédito deve crescer ainda mais na esfera de crédito imobiliário devido ao incremento na concessão de crédito aos consumidores e às empresas. O Indicador de Perspectiva do Crédito às Empresas aumentou 0,2% entre agosto e setembro, para 103,1 pontos, e o Indicador de Perspectiva do Crédito ao Consumidor arrefeceu 1,8% na mesma base comparativa, para 100,5 pontos.

Matéria regida pelo portal R7 sopesa que os percentuais assinalam que as operações de créditos às empresas brasileiras acelerarão nos próximos meses, sentido parecido nos empréstimos às pessoas físicas, que continuará, sim, a crescer, mas num nível bem menor.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Estudo veiculado pela Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) na sexta-feira passada, 22 de outubro, indicou que a taxa média de juros do cheque especial chegou a 9,11% em outubro, leve crescimento em comparação ao mês imediatamente anterior, quando o percentual alcançou 9,10%. A entidade assevera que o incremento ocorreu em virtude de uma alteração ocorrida na alíquota do HSBC, dos anteriores 9,51% para novos 9,55%.

Mesmo com essa alta, a taxa praticada no empréstimo pessoal proveniente das instituições financeiras não sofreu qualquer alteração, permanecendo em 5,35% ao mês. Segundo o portal de Economia Terra, o estudo foi verificado mediante índices emitidos pelos bancos Santander, Safra, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Banco do Brasil, além do HSBC.

Como existe probabilidade de modificação da taxa do empréstimo pessoal devido à função do prazo do contrato, foi mensurado o período de um mês para o cheque especial e um ano para o empréstimo pessoal.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A China tem se consolidado como uma das maiores economias do planeta. Com a mais vasta população mundial e a consequente mão de obra relativamente numérica, o país atua amplamente além de sua fronteira, tal como o é no Brasil e os produtos etiquetados “Made In China”.

Uma medida que pegou o mundo de surpresa, agradando boa parte de economistas e analistas, foi fixada em 19 de outubro, terça-feira, na página virtual do Banco Central do país. Desde a crise financeira global a China evitava endurecer sua política monetária, porém, decidiu elevar a taxa de depósitos a um ano de 2,25% para 2,50%, e a dos empréstimos, pelo mesmo percentual a um ano, de 5,31% para 5,56%, cada qual em vigor desde esta quarta-feira.

A última ascensão no aumento das taxas de juros no país de que se tem notícia ocorreu em dezembro de 2007. Segundo o portal de Economia UOL, entre setembro e dezembro do ano seguinte as alíquotas foram abrandadas gradualmente como maneira de responder ao colapso financeiro.

De acordo com Lu Ting, economista do Bank of America Merrill Lynch, o anúncio é uma surpresa para os mercados porque existia consonância à estimativa de que a possibilidade de uma elevação das alíquotas era delicada. Notícias veiculadas antes do fechamento deste artigo parecem indicar que as medidas surtiram efeito positivo, entre elas o fortalecimento da moeda norte-americana.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A oferta de imóveis e a viabilidade para a aquisição por parte dos brasileiros são um dos motores que têm contribuído para o crescimento da economia. Embora os cidadãos tenham se aproximado do imóvel próprio, as taxas de juros dos empréstimos imobiliários do país se apresentam como um dos mais altos em todo o globo terrestre.

Estudo emitido pela consultoria ATKearney revela que o percentual, no Brasil, chega a 11,3%, inferior ao praticado nos Estados Unidos, 14,5%, porém superior aos 5% observados na Espanha, 4,9% na Rússia e outros 3,4% no Chile. Como adendo à pesquisa, dados do Banco Central relacionam que os empréstimos aumentaram 51% nos 12 últimos meses (encerrados em agosto) versus 19% do crédito total da economia.

Informações veiculada pelo portal R7 com base em dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) ilustram que poderá faltar dinheiro para a habitação no ano da Copa no Brasil, em 2014, se o nível atual dos negócios continuar, sobretudo com maiores investimentos em confronto a captação de recursos, ou spread (diferença entre a taxa paga pelos bancos para deter o dinheiro no mercado e o valor que estipulam ao transmiti-los ao cliente).

Por Luiz Felipe T. Erdei


Uma Medida Provisória (MP) publicada no inicio desta semana no Diário Oficial da União poderá outorgar cerca de R$ 30 bilhões adicionais ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), segundo intenções do governo federal.

Desde o ano passado R$ 180 bilhões já foram emprestados ao banco pelo governo na finalidade de aumentar a capacidade de financiar investimentos. Guido Mantega, ministro da Fazenda, já assevera em ocasiões passada que o BNDES precisaria diminuir sua sujeição de recursos oriundos do Tesouro para aumentar suas captações próprias.

Segundo a agência de notícias Reuters, o governo já deu sinais em estabelecer medidas, entre as quais isenções, de estímulo à ampliação de fontes de financiamento de longo prazo destinadas ao setor público. Pela MP, o crédito conferido se dará por meio de emissão de títulos públicos favoráveis ao BNDES, assim como o foi nos últimos repasses executados pelo governo à instituição.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Parcela da população gostaria, efetivamente, de gerir próprio negócio, situação que possibilitaria horários próprios de atuação, ganhos mais altos e probabilidades de expansão, principalmente se o empreendimento convier aos gostos pessoais e profissionais. Entretanto, as dificuldades de nutrir o inicio inibem os mais atentos pretendentes.

Para isso – e não somente para tal – existem várias empresas especializadas em conceder créditos, desde valor ínfimos a alta somas. A São Paulo Confia, banco do microcrédito disposto pela Prefeitura de São Paulo, por exemplo, é um dos meios rentáveis e que tem sido amplamente recorrido.

Nos seis meses iniciais deste ano os pedidos de empréstimos de até R$ 7 mil aumentaram 31,8% em comparação ao período igual do ano passado. O intuito do dinheiro outorgado é funcionar como capital de giro pelos pequenos empreendedores. Para adquirir vestuários e revendê-los, de acordo com o portal R7, é necessária uma quantia, justamente essa confiada pela entidade.

O interessante, em todo esse sistema, é a diminuição de 3,63% para 2,67% do número de pessoas com atrasos no pagamento do empréstimo.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Em menos de quatro anos o Brasil sediará a Copa do Mundo (2014) e cerca de 730 dias depois, as Olimpíadas. Enquanto muitos setores comemoram a breve chegada – e passagem – dos dois eventos, outros temem pela contagem regressiva. Obras infraestruturais, tanto no sistema público de transportes como nos aeroportos internacionais, são postas como emergenciais para poderem comportar com segurança e tranquilidade os turistas.

No inicio desta semana o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sancionou um empréstimo de US$ 187 milhões para estimular o turismo em Pernambuco e no Rio de Janeiro, dos quais R$ 75 milhões serão emprestados ao primeiro e os demais R$ 112 milhões ao segundo Estado mencionado.

A intenção do empréstimo, de acordo com o portal de notícias G1, é contribuir na melhoria dos serviços situados nas áreas litorâneas (que respondem relativamente bem à renda bruta de ambos os Estados) e nas regiões serranas.

O prazo para pagamento é de 25 anos aproximadamente, com período de carência de cinco anos para os pernambucanos e quatro anos para os cariocas, com alíquotas de juros variáveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Os brasileiros geralmente reclamam das altas taxas praticadas em vários segmentos e em diversas modalidades. Empréstimos pessoais por meio de instituições financeiras comportam uma das maiores, mas em setembro os juros médios praticados nesse quesito recuaram 5,35% ao mês, situação semelhante observada pela última vez em novembro de 2009.

Enquanto empréstimos pessoais obtiveram desaceleração nas taxas, as alíquotas praticadas sobre o cheque especial continuaram em 9,10% ao mês, sem qualquer alteração. De acordo com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP), a contração ocorreu em virtude da extração, na pesquisa, do banco Real, unificado ao Santander, e do Unibanco, pelo Itaú.

Apesar desse decréscimo geral, segundo a Band Online o Itaú foi a único a majorar as taxas, em particular cheque especial, de 7,79% para 7,95%, mesma tendência apresentada pelo Banco do Brasil, com incremento dos anteriores 8,71% para novos 8,75% ao mês.

Apesar de os juros se apresentarem inalteráveis ou em baque, o Procon-SP pede aos brasileiros atenção e cuidado na contração de crédito, pois estudo recente divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) relacionou aumento de 12% no endividamento das famílias.

Por Luiz Felipe T. Erdei


No último mês de junho, a empresa Petrobrás realizou empréstimos com bancos nacionais totalizando em uma soma de R$4,2 bilhões, sendo R$2,2 bilhões provenientes do Banco do Brasil e R$2 bilhões da Caixa Econômica Federal.

De acordo com a empresa, estes empréstimos foram feitos com vistas à construção de dutos e navios, à ampliação de unidades industriais e para o desenvolvimento de projetos da Petrobrás. No ano de 2008, a empresa já havia solicitado crédito de bancos estatais, sob a justificativa de que o mercado externo, de onde sempre obtinha financiamento, estava em turbulência, devido à crise financeira mundial.

De acordo com a Petrobrás, os empréstimos irão alavancar seus negócios, onde novas oportunidades de mercado serão exploradas, ressaltando que a situação de caixa da empresa é “confortável” e que os créditos solicitados fazem parte de suas atividades normais.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Folha de São Paulo, Diário do Nordeste


 O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou na semana passada que emprestou cerca de R$ 72,6 bilhões ao longo dos primeiros sete meses do ano. O valor liberado é 3% inferior ao montante emprestado pelo BNDES no mesmo período do ano passado.

De acordo com a institução, a diferença nos empréstimos do ano passado e de 2010 se dá em razão ao empréstimo excepcional concedido à Petrobras em julho de 2009, no valor de R$ 25 bilhões.

Entre os meses de julho de 2009 e julho de 2010, o BNDES emprestou R$ 134,9 bilhões em financiamentos para o setor da indústria, infraestrutura, entre outros. A área da indústria foi a que mais recebeu empréstimos, somando R$ 48,3 bilhões no período.

Por Luana Neves


As taxas de juros do cheque especial e empréstimo pessoal subiram no mês de agosto, de acordo com pesquisa realizada pelo Procon-SP. Segundo os dados divulgados pelo órgão, dois bancos aumentaram as taxas na categoria de empréstimo pessoal e quatro instituições financeiras registraram aumento de juros para o cheque especial.

Esta foi a quarta alta consecutiva registrada pelo Procon-SP. Os bancos Itaú Unibanco e o Bradesco elevaram, em média, 0,02 ponto percentual nas taxas de empréstimo, chegando a 5,44% ao mês. Para o cheque especial, o Itaú Unibanco, Bradesco, HSBC e Banco do Brasil aumentaram suas taxas, passando de 9,06% para 9,10% ao mês.

Os bancos Real, Santander, Safra e a Caixa Econômica Federal não aumentaram suas taxas de empréstimo ou cheque especial, de acordo com a pesquisa do Procon-SP.

Por Luana Neves


De maio a junho, a demanda das empresas por crédito caiu 0,7%. A análise é da Serasa Experian, que informou ainda que as principais responsáveis foram as micro e pequenas empresas. Segundo a análise, o setor que mais puxou a queda foi o comercial, que registrou recuo de 1,5% em relação ao mês anterior.

A diminuição de junho foi a terceira seguida e, segundo especialistas, uma das causas principais foi a Copa do Mundo.

Já em relação a igual período do ano passado, houve aumento de 3% na procura por crédito. Mas o resultado representa a menor elevação anual dos últimos cinco meses.

Os estados em que houve maior queda de demanda em junho foram o Nordeste e o Sudeste, onde a diminuição foi de 1,9%.

Marcos Santos


A cidade de São Paulo e Mato Grosso do Sul acabam de receber três empréstimos de US$ 494,496 milhões concedidos pelo Banco Mundial (BM). O prazo de amortização do crédito está fixado em duas décadas e meia, bem como período de carência, em 10 anos.

Segundo o portal de economia Terra, do total conferido, US$ 300 milhões são voltados a um projeto em Mato Grosso do Sul para a reabilitação das vias do Estado, enquanto US$ 64,496 a um planejamento para a expansão da rede de distribuição de água no estado de SP.

Os outros US$ 130 milhões, segundo informa o Terra, serão aplicados na ampliação da linha 4 do metrô localizado na cidade de São Paulo.

Com essas injeções, o Brasil será capaz de planejar com maior cuidado suas obras de infraestrutura. Vale salientar que é de sumaa importância adequar o país aos moldes das grandes economias mundiais, uma vez que a nação poderá ser, até 2016, a quinta potência global – conforme algumas autoridades supõem.

Fonte: Terra

Por Luiz Felipe Erdei


Informações divulgadas pelo Banco Central indicam que a inadimplência média das empresas no crédito livre ascendeu pelo 10º mês seguido, em setembro, e atingiu o patamar de 4% das operações.

Em agosto deste ano, os atrasos superiores a 90 dias era de 3,9%, mais que o dobro do mesmo período de 2008, quando o número cerceava 1,7%. Esses dados apontam que a inadimplência percebida em pessoas jurídicas se mantém no pior índice desde maio de 2001, quando alcançou 4,2%.

No sentido contrário, os empréstimos voltados a pessoas físicas proporcionaram uma queda significativa de 8,4% para 8,2% entre os meses de agosto e setembro, mesmo patamar de janeiro de 2009. De acordo com o BC, esse foi o 3º baque consecutivo de inadimplência notada entre as famílias.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito apontou que a procura das empresas do Brasil por crédito apresentou queda de 0,9% em setembro diante do mês de agosto de 2009. Esta é a segunda vez consecutiva que isto acontece.

Essa diminuição revela que apenas as micro e pequenas empresas manifestaram esse declive. A contenção do indicador foi de 4,3% no mês de agosto em detrimento a julho. Na acareação anual, setembro ilustrou um retrocesso de 4% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado do primeiro mês de 2009 até setembro, a desvalorização na demanda foi de 5,6% ante o mesmo intervalo de 2008.

Segundo a Serasa Experian, as micro e pequenas empresas trouxeram declínio mesmo com a mobilização do governo para garantir recursos a esse segmento. Já as grandes e médias companhias dilataram a demanda por crédito no mês de setembro, respectivamente, em 0,7% e 1%.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Em medida que visa beneficiar aposentados e servidores do Ministério do Planejamento que arrecadam benefícios pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o Banco do Brasil majorou em R$ 4 bilhões o limite pré-aprovado de crédito consignado para 2 milhões de clientes.

O resultado é fruto de uma análise feita pelo BB, que afirmou à imprensa ser decorrente de um refinamento dos procedimentos de análises de crédito. O objeto, segundo Ricardo Flores, vice-presidente de Crédito, Controladoria e Risco Global, é ampliar a carteira de crédito com eficiência e qualidade, no intuito de angariar a automatização de técnicas que desonerem a rede de atendimento, bem como a liberação dos funcionários das agências para realizarem negócios.

Nos dias atuais, o Banco do Brasil ostenta R$ 20 bilhões em empréstimos dessa natureza. Considerada líder no segmento, a instituição apresenta 32,6% de participação no mercado nacional.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Foi ratificado nesta quarta-feira pelo Conselho Monetário Internacional (CMN) a dilatação do limite que pode ser negociado em empréstimos realizados por entidades e órgãos do setor público. O valor atingido pode chegar até R$ 6 bilhões, com prazo de financiamentos de até 10 anos.

Conforme resolução publicada na ocasião, o novo valor estipulado já entrará em vigor.  Anteriormente, o limite para esse tipo de empréstimos estava situado em R$ 1 bilhão.

Na resolução firmada, o Conselho Monetário Internacional também sancionou o juro dessas operações, a ser determinado, então, pela Taxa de Juro de Longo Prazo, acrescida de 1,1% ao ano quando a intervenção possuir garantias da União. Caso não haja garantias, essa mesma taxa subirá para 2%.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Durante uma cerimônia na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse confiar que o volume de crédito concedido voltará brevemente ao mesmo patamar do volume que era praticado antes da crise.

Ele destacou que, mesmo com o consumidor reclamando das taxas de juros, o empréstimos em bancos públicos aumentaram em 25,2% de setembro a junho, e nos privados, 9,8%.





CONTINUE NAVEGANDO: