Há diversas maneiras de adquirir as moedas digitais de empresas estrangeiras ou, até mesmo, comprar ações negociadas em bolsa de empresas estrangeiras que nada tenham a ver com criptomoedas. Confira como fazer.

 

Os bitcoins são as conhecidas moedas digitais. A sua criação é virtual, sem a intervenção de bancos, da União ou de qualquer governo.

Para quem não sabe, ela é uma moeda virtual descentralizada criada no ano de 2008 no grupo virtual The Cryptography Mailing por um programador de origem japonesa, Satoshi Nakamoto. Vale ressaltar também que a transferência de bitcoins é realizada por meio de transações entre o endereço remetente e o destinatário na rede de Bitcoins. É possível fazer a auto transferência de Bitcoins também, de um endereço (carteira) para outro, da mesma titularidade.

Ela é fabricada aos poucos, e cada vez mais o número de moedas que podem ser criadas vai diminuindo. Até chegar a 21 milhões, o número máximo (atualmente estamos com pouco mais de 16 milhões). Pela escassez desta moeda, os bitcoins sofrem muito pouco com as variações dos índices de inflação. A referida moeda virtual pode ser comprada e vendida de forma online ou até mesmo offline, em uma espécie de leilão virtual. Veja aqui alguns sites para comprar bitcoin.

E elas podem ser usadas para diversas transações, entre elas a compra de ações em empresas estrangeiras. Mas, será que vale a pena? As transações dessa moeda virtual são instantâneas, mas depende das flutuações de nosso sistema financeiro e da própria volatilidade da moeda.

Além disso, você estará em um terreno cinzento, talvez sem a devida cobertura de uma comissão de valores mobiliários (no caso de criptomoedas que prometem dividendos, isso é uma certeza, no momento). E ainda pode estar infringindo normas de remessas ao exterior. Não é a mesma coisa que comprar uma ADR.

Pois bem. O Bitcoin está sendo aceito por algumas corretoras de valores, permitindo que os internautas possam comprar ações com esta moeda, o que, basicamente, abre as portas para pessoas de qualquer lugar do mundo investirem. Por ser o bitcoin uma moeda de cunho global, você pode comprar ações de empresas como Apple Inc, Johnson & Johnson, Facebook, Google, Amazon e outras empresas estrangeiras, usando apenas as suas criptomoedas.

Vale ressaltar que a Bolsa de Valores de Nova York criou um índice de conversão entre a moeda virtual e o dólar americano. Todavia, outras instituições já adotaram este método antes como a Bloomberg, a Microsoft e a própria Google. O índice é publicado no site da instituição periodicamente.

Investindo em ações com bitcoins

 

Keza

Existe um aplicativo de nome Keza, que pode ser baixado em dispositivo tipo Phone (IOS), no qual é possível investir as criptomoedas em carteiras pré-definidas. Inclusive, no aplicativo mencionado, ele traça um perfil do investidor e direciona os tipos de investimentos adequados a cada perfil.

1broker

Usuários de PCs ou Android não estão desassistidos. Velho conhecido da comunidade de criptomoedas, 1broker.com.

Cobrindo mais de 40 mercados, 1broker permite investir em ações de grandes empresas, índices das maiores bolsas de valores do mundo, commodities como petróleo, além de mercados de moedas estatais, como dólar americano, australiano, yuan e outros. E conta com limites altos, de 500 a 2.000 bitcoins (BTC), dependendo do mercado.

SimpleFX

Similar ao 1broker, mas com uma interface mais direta ao ponto, SimpleFX também permite negociar moedas, commodities, ações, e índices. Mas conta com um maior número de empresas listadas.

Vale a visita.

Outras opções

 

Por ser um mercado nascente, novas empresas estão sendo criadas a todo momento. Uma lista atualizada é sempre mantida nesta conversa de fórum no bitcointalk (em inglês).

 

Baseado no texto de Anneliese Gobbes Faria

Bitcoin


Veja como consultar o valor de seus créditos no programa Nota Fiscal Paulista.

A Nota Fiscal Paulista foi criada em 2007 pelo governo do Estado de São Paulo. A intenção do programa é o combate à sonegação de impostos, bem como o aumento da arrecadação do Estado.

O programa funciona da seguinte maneira: cada compra registrada gera uma devolução do valor de imposto anexado às mercadorias. Esses valores podem ser devolvidos em créditos tanto em dinheiro quanto em desconto no IPVA.

Nem todos os estabelecimentos participam desse recolhimento, é o caso dos órgãos que fornecem energia elétrica, serviços de comunicação, gás canalizado e etc. Os créditos podem chegar a até 7,5% do valor da nota fiscal da compra efetuada. Essa porcentagem independe do tipo do produto e está atrelada ao tipo de estabelecimento, seguindo a conformidade da arrecadação mensal de impostos.

É possível arrecadar créditos antes mesmo de cadastrar o seu CPF no programa. Para isso, basta que você informe o seu CPF no ato da compra para acumular créditos.

Os créditos são liberados para transferência duas vezes ao ano, sendo no mês de abril e no mês de outubro, entretanto os créditos constam em seu saldo imediatamente quando efetuada a compra.

Para consultar o seu saldo de créditos, você deve acessar a plataforma da Nota Fiscal Paulista, no site da Fazenda (www.nfp.fazenda.sp.gov.br/login.aspx?ReturnUrl=%2fcontacorrente%2fextratoContaCorrente.aspx). Lá, você deve preencher seu CPF no campo adequado. Se for o primeiro acesso, você deve preencher seu endereço e título de eleitor, bem como o nome da mãe e a data completa de nascimento. Preenchido esses dados, você deve avançar e continuar com o preenchimento de suas informações. A forma mais segura e recomendável para acessar o cadastro, é utilizando-se do número do título de eleitor, que pode ser consultado no site do tribunal superior eleitoral, caso você não o tenha em mãos.

Com a senha então cadastrada, você pode efetuar o login e na interface do programa Nota Fiscal Paulista, realizar a consulta de saldos, bem como o acompanhamento de suas transferências e transações.

Por Carolina B.

Nota Fical Paulista


Confira aqui as ações de empresas indicadas pelas Corretoras neste mês de abril de 2017.

Para um ano recém-saído de um período de turbulências econômicas, 2017 parece dar mostras de quem poderá iniciar um período mais calmo, porém, com muitas surpresas ainda. Um exemplo disto é a reação no mercado econômico de papéis de empresas que foram alvo de muita polêmica no ano passado.

Um exemplo daquilo que promete ser uma da maiores surpresas em 2017 é crescente valorização das ações da Petrobras, cujo aporte de valores foi recomendado por quase 100% das corretoras de valores no país. Em segundo, se destacou o Itaú Unibanco e em terceiro a B3.

A indicação da estatal brasileira de petróleo foi corroborada pela Bradesco Corretora, que justificou o fato de que os preços do barril foram mantidos no mercado internacional, assim como o fato da recuperação da empresa no mercado internacional frente aos problemas judiciais enfrentados com a justiça dos Estados Unidos.

Segundo a avaliação da corretora, a Petrobras mostrou uma ampla recuperação, em virtude da adoção de políticas internas de reestruturação e corte de gastos, o que auxiliaram na eficiência em manter uma produção adequada de barris de petróleo, o que ajudou a manter estável a sua cotação internacional. Isto levou a uma recuperação de sua credibilidade frente aos investidores e possibilitou a sua reabilitação como estatal de peso frente ao mercado mundial.

A avaliação positiva do Itaú Unibanco feita pela Citi Corretora mostrou que a o balanço positivo da instituição publicado neste ano mostrou um lucro que deu maior credibilidade e estabilidade frente ao mercado econômico. O seu capital positivo mostrou aos investidores que o lucro é certo para uma organização bancária que é capaz de crescer através de um investimento próprio.

Para a B3, a sua avaliadora concluiu que a fusão da Bovespa, da Cetip e da BM&F, geraram um patrimônio positivo e um retorno garantido de lucro aos seus investidores, o que a credencia como uma das melhores ações para se investir atualmente no mercado, ao lado da Petrobrás e do Itaú Unibanco.

Emmanoel Gomes


Saiba quais investimentos do Tesouro Direto podem combinar com você.

Todas as pessoas que tem algum dinheiro guardado, geralmente ficam na dúvida sobre qual investimento aplicar a grana. Poupança? Fundos de Renda Fixa? Ações? São muitas dúvidas e pouca rentabilidade do dinheiro quando são aplicados em alguns desses investimentos.

O que a maioria das pessoas não sabe é que um dos sistemas que mais faz o dinheiro render é o investimento nos Títulos do Tesouro Direto do governo federal, que gera uma boa rentabilidade e tem um risco relativamente baixo. Esse investimento nada mais é que uma venda de títulos públicos que tem uma renda fixa para pessoas físicas, ou seja, é uma espécie de empréstimo feito ao governo que tem como objetivo da captação de recursos públicos para o financiamento da enorme dívida pública. Em troca disso, a pessoa recebe todos os rendimentos que podem variar de acordo com o título escolhido, mas para isso é necessário um cadastro simples em uma corretora.

A escolha do título vai de acordo com a necessidade financeira de cada pessoa, podendo variar muito. Para quem deseja ter rendimentos de forma mais periódica, o ideal é comprar títulos que pagam cupom, ou seja, títulos NTN-F e NTN-B que tem pagamento semestral.

Outra dica bacana são para aqueles que querem aumentar de forma exponencial os seus rendimentos. Eles devem ficar de olho na taxa Selic e comprar os títulos LTF que variam de acordo com essa taxa, com baixo risco de perda.

Mais uma dica ótima dica é se a pessoa deseja fazer um investimento a longo prazo o ideal é investir em títulos com a rentabilidade mais alta, mas que vão dar um retorno daqui alguns anos. Esse tipo de investimento é ideal para jovens que desejam uma aposentadoria um pouco mais gorda e uma tranquilidade a mais na vida.

Independente da escolha, a forma de como aplicar o dinheiro vai depender muito da necessidade imediata de cada pessoa. Se você tem um dinheirinho extra guardado na conta e deseja uma rentabilidade segura e alta, não deixe de investir nos títulos de tesouro direto do governo federal.

Boa sorte na escolha.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Tesouro Direto


Saiba aqui o que é e para que serve a Análise Técnica ou Gráfica.

Nos tempos atuais é cada vez mais comum encontrar pessoas físicas interessadas em investir e atuar no mercado financeiro, seja para trabalho ou para hobby. Para saber trabalhar neste mercado, pequenos e grandes investidores devem ser capazes de analisar gráficos e identificar as oportunidades que o mercado financeiro lhe oferece. Se você tem interesse em atuar nesta área, conheça agora um pouco mais sobre a análise gráfica ou análise técnica, que é o tipo de análise mais utilizada por profissionais e amadores em todo o mundo.

A análise gráfica, também conhecida como análise técnica, é conhecida por utilizar-se das informações que o gráfico de um determinado ativo passa através de um histórico de preços. Para utilizar a análise técnica não é necessário ser conhecedor de questões econômicas, matemática, contabilidade, como a análise fundamentalista – outro tipo de análise utilizada no mercado financeiro e, por isso, requer apenas atenção, treino e conhecimentos sobre tendências, ciclos e padrões de preços.

Através da análise de gráficos, o investidor consegue identificar padrões de preços, tendências do mercado em períodos curtos ou mais longos de tempo, além de linhas de suporte e linhas de resistência, as quais os preços costumam respeitar. Não importa se estamos falando de índices, ações ou commodities, os padrões costumam sempre se repetir e tendem a permitir que o operador se antecipe ao próximo movimento do mercado e tenha êxito em suas operações financeiras.

A premissa mais importante da análise técnica é identificar justamente estes movimentos dos preços, deixando de lado tudo o que está externo ao elemento gráfico, como notícias, economia, política, e outros motivos, embora muitos destes fatores externos tenham o poder de alterar o preço do ativo sem respeitar qualquer padrão ou tendência. Por conta disso, muitos operadores preferem ficar longe das operações financeiras em períodos de notícias ou momentos turbulentos da economia ou política.

Entre os padrões gráficos utilizados pelos investidores que fazem uso da análise gráfica para operar no mercado estão as tendências altistas e baixistas, lateralidade (quando os preços estão laterais, com pouca volatilidade), topos e fundos de preços, pontos de suporte e resistência, entre outros. Também são bastante utilizadas ferramentas que permitem ao analista identificar tendências e os próximos passos do mercado, como as Ondas de Elliot, Pontos de Pivot Gráficos e a Sequência de Fibonacci.

É importante ressaltar, no entanto, que conhecimento em análise gráfica ou técnica não garante ao investidor sucesso em todas as suas operações. Além do conhecimento necessário para operar no mercado financeiro, é imprescindível que o investidor possua outras características particulares fundamentais para se obter sucesso, como paciência, controle psicológico e de risco, além da aplicação correta dos seus conhecimentos na prática.

Por Luana Neves


Confira aqui algumas maneiras de minerar Bitcoin na internet.

Atualmente minerar Bitcoins com o PC doméstico se tornou de fato uma tarefa infrutífera. Isso porque com o tempo foram aparecendo computadores criados especificamente para este fim. Chamados de ASICSs, eles contam com processadores potentes com foco exclusivo no Bitcoin Miner. Sendo assim, os usuários comuns ficaram meio que sem saída e com o caminho cheio de obstáculos. Devido a presença desses equipamentos a mineração de bitcoins praticamente se tornou meio que exclusiva para aqueles que possuem mais condições para gastar com as novas tecnologias.

Ainda assim vale dizer que dá para minerar bitcoins com o equipamento doméstico. A questão é a presença maciça dos ASICs, que estão em operação e que tornam bem pequena a chance de se encontrar um único bitcoin, mesmo passando um ano com aplicativo de mineração rodando. Então a relação custo x retorno não justifica muito essa opção.

Deixando essa parte de lado, vamos ver algumas formas (algumas até mais baratas e práticas) de como minerar bitcoins:

– ASICs

Caso a pessoa tenha condições de comprar um ASIC a coisa vai além: É preciso escolher a melhor máquina que der para adquirir. Existem no mercado uma variedade de modelos como diferenciações em termos de configurações. As mais caras e potentes trazem um bom resultado na mineração, mas consomem muita energia elétrica. Uma ASIC mais em conta pode consumir menos e em contrapartida trazer uma quantidade menor de bitcoins.

– Nuvem

Uma das maneiras alternativas para a mineração de bitcoins é por meio da nuvem. Uma boa alternativa para quem não possui meios para adquirir uma ASIC de ponta.

Os serviços podem ser assinados pelo usuário pela internet. O usuário paga uma mensalidade que fica em torno dos R$ 50 e o serviço, por sua vez, envia diariamente bitcoins.

A vantagem aqui é que o usuário terá a certeza de que bitcoins serão gerados diariamente a custo baixo. Porém, vale lembrar que o tempo do investimento e do retorno pode variar.

– Pools

Os chamados Pools são basicamente grupos de investidores que trabalham em rede. Eles juntam as forças e claro, o hardware para minerar. A principal vantagem aqui é que de acordo com o tamanho do grupo e do tipo de equipamento que o mesmo usa, o retorno pode ser bem interessante.

Para participar dos Pools é até fácil. Uma grande maioria deles organizam-se pela internet e envolvem pessoas de todo o mundo permitindo uma escolha melhor dos grupos, principalmente em relação ao tamanho dos mesmos.

Por Denisson Soares


Confira aqui algumas dicas de como ganhar uma renda extra no final do mês.

Se com a crise econômica no Brasil, suas dívidas aumentaram e você não está conseguindo pagar todas as suas contas em dia. Você procura realizar todos os meios de economia possíveis, gasta dinheiro apenas com as coisas essenciais, evita utilizar o cartão de crédito, começou a sair menos e mesmo assim o número de dívidas não diminui. Que tal aplicar as táticas para obter rendas extras?

Existem diversos sites e aplicativos que contribuem para as pessoas conquistarem uma renda extra no final do mês, o Uber e o Airbnb são dois exemplos. O aplicativo Uber foi criado em São Francisco – Califórnia, através dele os motoristas podem cadastrar seus automóveis para locomover os usuários que estão necessitando de um táxi. Já no Airbnb, os proprietários de residências podem realizar um cadastro no site ou aplicativo e alugar suas residências para diversas pessoas, hoje em dia apenas a página da Airbnb no Facebook tem mais de 3 milhões de curtidas.

A seguir estão mais sugestões sobre como obter renda extra no final do mês. Quem não gostaria de um dinheiro a mais na conta? Todos, não é mesmo? Então não perca essas dicas:

1. Aluguel de Imóvel:

Não é de hoje que existe a alternativa de aluguel de imóvel. Pessoas sempre alugaram o imóvel através de imobiliárias ou até mesmo boca a boca para obter renda extra.

Porém, com a criação da empresa Airbnb o aluguel ficou muito mais fácil, as pessoas conseguem alugar seu imóvel sem sair de casa, apenas com um computador ou celular e uma boa internet.

2. Transporte de Pessoas:

Antigamente as pessoas tinham que ficar em pontos específicos ou telefonar em um número para solicitar um táxi, agora não. Com o Uber a solicitação pode ser feitar através de um dispositivo móvel, apenas com o uso de uma boa internet.

Quando o dono do carro realiza o cadastro no Uber, seus dados criminais são puxados. Se o candidato tiver a ficha limpa é aceito, caso contrário não.

3. Ofereça o Trabalho através de um site de Freelancer:

Existem diversos sites para oferecer um trabalho, Workana, Guru, Upwork, entre outros. Os interessados devem realizar um cadastro no site e enviar propostas para os clientes.

Os cadastros geralmente são gratuitos, os sites apenas cobram um taxa sobre o projeto conquistado, sendo essa taxa de 10% em cima do valor cobrado pelo Freelancer.

4. Teste de Sites e Aplicativos:

Para as pessoas que tem noção de informática e como testar um aplicativo e um site, existe o site Testa Isso. O site agrupa companhias que realizam um pagamento para um cliente oculto que testar seus aplicativos ou sites.

Para se cadastrar, o candidato precisa apenas de um computador, boa internet, microfone, idade a partir de 16 anos e estar disponível para gravar a tela do computador. Para cada teste realizado é pago R$ 20,00.

Aline Aparecida Feitosa Dias


Confira aqui algumas dicas de como aplicar o dinheiro para garantir retorno financeiro.

Com o cenário de crise vivenciado no país, o brasileiro procura altenativas de investimento com garantia de lucratividade. Apesar disso, é preciso pensar e pesquisar opções de aplicações que rendam dinheiro momentaneamente como é o caso da renda fixa.

De acordo com o economista-chefe da TOV Corretora, Pedro Paulo Silveira, o cenário está bastante positivo para aplicações em renda e muito incerto para o mercado de ações. Outra alternativa de aplicação, não recomendável por especialistas, é a poupança. Isso porque, essa opção no momento tá gerando lucro de 0,5% ao mês mais TR. A poupança, ainda, só é melhor do que o rendimento gerado pelo dinheiro parado na conta-corrente. 

Outro investimento financeiro comum entre os brasileiros é no dólar, mas mesmo com a alta da moeda, esse tipo de aplicação não é recomendada pelos especialistas financeiros. Porém, há exceção, isso para quem tem investimentos no exterior ou tem viagem planejada pra fora do país este ano. De acordo com o consultor financeiro André Massaro, é arriscado investir em moeda estrangeira, mesmo investidores experientes costumam se "dar mal".

O melhor investimento, neste período de baixa financeira do Brasil, é aplicar no Tesouro Nacional. Pois essa aplicação vai ter a vantagem de acompanhar a alta dos juros e, ainda, não sofre com a marcação do mercado que altera o preço do papel diariamente. Segundo o diretor de operações da FN Capital, uma taxa de juros alta, torna a renda fixa muito atraente, principalmente os títulos do Tesouro que pagam uma remuneração atrelada à taxa Selic. Além de investir em títulos do Tesouro Nacional, é sugerido ainda acompanhar toda a movimentação referente aos juros gerados pela aplicação e comparar em relação a outras aplicações disponíveis. 

De acordo com levantamentos de empresas especialistas em investimentos financeiros, a procura de novos investidores em poupança reduziu muito em relação ao ano de 2014.

Stephanie Rodrigues do Nascimento


Alguns especialistas em economia e carteira de investimentos indicam quais as melhores ações para se investir neste mês de fevereiro. Muitas empresas que possuem ações no mercado estão em baixa e as opções de recomendações são poucas.

A maior comprovação desse fato é que em janeiro todas as corretoras de valores tiveram um desempenho negativo, juntamente com a bolsa brasileira Ibovespa, que teve uma piora de 6,20% somente no mês passado.

Neste cenário de instabilidades principalmente por causa dos escândalos da Petrobras, as recomendações ficam para as ações do Itaú Unibanco em primeiro lugar, com sugestão de 16 das 22 carteiras mais recomendadas por especialistas. Logo após, empatadas, vêm a BRF e BB Seguridade com 11 recomendações.

Investir em ações de bancos é a recomendação mais segura ao longo do ano. O Itaú Unibanco (ITUB4) tem rumores de aumento considerável de lucro, o que valoriza ainda mais as ações. Além disso, o aumento da taxa básica de juros, a Selic, para controlar a inflação, faz com que os bancos aumentem seus spreads (diferença entre a taxa de captação de capital entre investidores da taxa pedida pelas instituições financeiras para seus empréstimos para clientes). E a tendência, de acordo com o mercado, é de que o governo faça mais reajustes da taxa de juros este ano.

E não é só isso. Especialistas também afirmam que não basta apenas investir em ações de bancos, é preciso saber qual das instituições está mais preparada para lidar com a expectativa negativa de desaceleração de crescimento do país e consequentemente do maior número de inadimplentes no mercado. Segundo relatório da Citi Corretora, o Itaú Unibanco é o mais preparado para enfrentar esse cenário econômico atual e futuro.

A segunda empresa mais recomendada, a BRF (BRFS3), surgiu após a fusão da Perdigão com a Sadia no ano de 2009 e tem a sugestão de crescimento para os estudiosos no assunto. Por a empresa realizar muitos negócios internacionais a tendência é que as exportações da companhia aumentem neste cenário de desvalorização cambial, ou seja, com o real fraco a exportação de produtos sai mais barata. Segundo relatório da Um Investimentos, a BRF é a terceira exportadora do Brasil e 45% do seu retorno financeiro é obtido no mercado internacional.

A também segunda indicação de compra de ações de investimentos tem uma grande tendência de crescimento no mercado. A BB Seguridade (BBSE3) é uma das diretorias do Banco do Brasil e agrega muito valor pela grandiosa potência que o mercado de seguros tem para crescer e desenvolver, já que o Brasil ainda tem uma baixa penetração neste setor em comparação com outros países desenvolvidos e em desenvolvimento.

A BB Seguridade, especificamente, foi a escolhida dentre outras famosas instituições de seguros pela sua condição de ampliação da base de clientes, afinal a empresa aumentou consideravelmente a sua proporção de agências e existe expectativas de mais crescimento.

Por fim, dez corretoras também indicam para fevereiro o investimento nas ações do Bradesco (BBDC4) e da Suzano (SUZB5).

Por Carolina Costa

A?es para investir

Foto: Divulgação


Está pensativo neste ano que se iniciará e cheio de vontade de fazer aquele investimento que não pôde ser feito? Pois então, o melhor momento de se decidir é agora, um pouco antes deste ano começar.

Pensando nisso, apresentaremos algumas dicas que podem ser úteis se a sua decisão for pelo investimento em ações. Mas antes de falar sobre quais são as empresas que podem gerar mais lucro em 2015, precisamos relembrar no que consiste o investimento em ações.

Como sabemos, investir em ações significa que você irá investir em um fundo que lhe proporcionará uma renda variável.

É a mesma lógica dos fundos de ações e dos fundos imobiliários, por exemplo, isto é, eles podem render bem, até mais do que as outras modalidades (fundos de renda fixa, poupança, CDB), mas é preciso lembrar que, como se trata de investimentos que envolvem mais riscos do que o normal, é necessário que você tenha duas características: um perfil de investidor e uma base sólida em outros investimentos de baixo risco (algo como uma reserva de capital).

Passamos agora para listar algumas boas promessas de ações que podem satisfazer os investidores em 2015, segundo analistas:

A primeira delas é a BRFS3, uma empresa do ramos de alimentos, considerada por muitos como bastante sólida. Basta lembrar que é a detentora de marcas como Sadia, Batavo e Perdigão. Ela é uma empresa que possui baixa dívida e vende produtos consolidadamente efetivos, ou seja, com imensas chances de vender sempre, já que são "artigos" de primeira necessidade.

O grupo Itaú/Unibanco também está entre os bem cotados para o próximo ano. É uma instituição financeira privada muito bem sucedida, com uma carteira sólida de clientes, com mais de 4 mil agências pelo mundo, e um excelente valor de mercado: cerca de 215 bilhões de reais.

A Telefônica Brasil é a terceira bem cotada da nossa lista. Tem mais de 90 milhões de clientes, cobrindo serviços de telefonia móvel e fixa, internet e TV privada. Tem tudo para atrair investidores.

Por fim, lembremos que os analistas ainda dão crédito à Estácio e ao grupo Pão de Açúcar. A primeira, atuante do setor educacional, vem cada vez mais se firmando no setor de educação à distância. O segundo é nada menos do que a maior  empresa do ramo varejista da América Latina, possuindo cerca de 154 mil empregados em todas as suas unidades.

Mas se estiver ainda em dúvidas sobre qual investimento escolher, o melhor a fazer é avaliar seu perfil. Para isso, acesse o link: http://www.euqueroinvestir.com/teste-de-perfil-suitability/.

Por Alberto Vicente

Foto: divulgação


A caderneta de poupança continua sendo o maior investimento escolhido pelas pessoas, outra forma de investimento é o chamado Tesouro Direto que significa compra e venda de títulos públicos federais pela internet. Esse investimento, apesar de não ser o mais escolhido, está crescendo e já soma 420 mil pessoas.

Aparentemente as pessoas não conhecem como funciona o Tesouro Direto e por isso não investem nele, segundo o diretor da Easynvest Corretora, Amerson Magalhães, o programa ganha novos investidores apenas quando eles adquirem conhecimento sobre o Tesouro Direto.

O rendimento da poupança este ano foi de 6,99% em 12 meses, o título público federal que é considerado o mais seguro de oscilações de mercado permaneceu com rentabilidade bruta de 10,42% no mesmo período, possuindo um ganho liquido de 8,60% ao ano.

Para uma pessoa querer investir no título federal basta apenas possui um valor mínimo de R$ 70 e ter cadastro em qualquer banco a sua escolha. Existem taxas de administração em alguns bancos que variam entre 0,40% e 0,50% ao ano. Outra taxa que todos cobram é a de custodia da BM&FBovespa, de 0,3% ao ano, sendo cobrada na venda do título, no pagamento dos juros, no vencimento do título, ou semestralmente nas datas de 1º de janeiro e 1º de julho do ano corrente e o investidor deve possuir ainda os papeis.

Passo-a-passo de como investir no Tesouro Direto:

1.     Após o cadastro e com sua senha provisória do banco ou da corretora, é realizada transferência de recursos para esta conta;

2.    O investidor deve acessar o site pelo link www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto procurar o ícone chamado “Invista Agora” e acessar;

3.    Conectar com seu CPF e senha provisória (poderá ser efetuada a troca de senha caso o investidor desejar);

4.    Verificar quais são os títulos públicos federais que estão disponíveis para compra. São identificados por tipo, data de vencimento, indexador e taxa de juros ao ano. Existem três tipos em cinco papéis diferentes, o de juros pós-fixados [LFT], os de juros pré-fixados, em que o investidor já conhece o quanto vai receber [LTN e NTN-F], e os de inflação [NTN-B e NTN-B Principal], que pagam juros reais mais a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo [IPCA];

5.    Na página do Tesouro Direto resume-se em agendar a compra selecionando o item "agendar" ou comprar diretamente selecionado o item "comprar";

6.    Identificar o agente de custodia;

7.    Escolha da quantidade a ser comprada, sendo o mínimo 10% de um título;

8. Confirmação da compra do título, terá todas as informações e terá a opção de cancelamento ou adicionar títulos.

9. E por ultimo, caso queira vender o título basta acessar sua conta no site e procurar o item “vender”.

Por Igor Teixeira

Dicas de investimento

Foto: Divulgação


O Brasil vem se desenvolvendo bastante na área do mercado de capitais, isso faz com que as pessoas pesquisem e se interessem mais por outros tipos de investimento além da já conhecida poupança.

Uma modalidade de investimento que tem se tornado mais comum aqui no país é o FIP, Fundo de Investimento em Participações, voltado principalmente para quem deseja atuar mais efetivamente para o desenvolvimento das empresas que investiu. Os recursos deste fundo permitem ao investidor participar das decisões e definições estratégicas da companhia.

Embora o FIP esteja em crescimento cabe destacar que esse tipo de investimento possui cotas caras e o tempo de carência é alto, se comparado a outros tipos de fundo. Isso quer dizer que o investidor desse tipo de fundo deve ser aquele que aceita um certo risco e que quer uma boa renda, mas a longo prazo.

O Fundo de Investimento Imobiliário, FII, é bastante parecido com o FIP, mas seus ganhos são obtidos através do aluguel, arrendamento ou da alienação de unidades empreendidas investidas, ou seja, o lucro é gerado pela cobrança de parte do valor arrecadado, ou de uma porcentagem do valor total do imóvel.

Esse fundo exige do investidor um conhecimento de valorização de imóveis por região, para saber melhor onde e como aplicar. Além disso, os riscos são relativamente altos e a rentabilidade, nem sempre grande, é de longo prazo.

Já o FIDC, Fundo de Investimento em Direitos Creditórios, está relacionado à aquisição de títulos e direitos de créditos de operações financeiras, comerciais, imobiliárias, entre outros. Esse tipo de fundo pretende garantir a segurança do crédito em nosso mercado, amenizando o risco de crédito do cedente. São diversos os tipos de crédito que podem ser adquiridos pelo FIDC, como créditos consignados, imobiliários, financiamentos, duplicadas e etc.

Para os interessados em investir neste tipo de fundo vale uma boa análise do cedente para que possa fazer as negociações em segurança. O FIDC se diferencia dos outros fundos por apresentar uma maior segurança para o investidor, além de possuir uma maior rentabilidade.

Por Joana Junqueira Borges


Por ora, a edição desta quinta-feira debate a defasagem de small caps sobre as blue chips em 2014. O SMLL cai 6,42%, contra uma alta de 10,32% do Ibovespa no período.

As small caps estão simplesmente abandonadas em Bolsa, com o fluxo muito concentrado em nomes mais líquidos. Veja, por exemplo, como se comportam os fundos de investimentos em empresas pequenas no ano – mesmo gestores formidáveis estão perdendo dinheiro. A culpa não é deles – há exceções claro -, mas do péssimo momento para small caps.

Honestamente, não acho que a dinâmica vá mudar no curto prazo. As pequenas devem continuar largadas, pois Brasil virou um call de fluxo, que vem atraído, por ora, apenas por suposições, precipitadas ou não, de que a oposição pode ganhar a eleição.

Seja como for, grandes discrepâncias não podem durar para sempre. O investidor de longo prazo já pode garimpar excelentes oportunidades geradas pelas menores abandonadas.

Créditos: Felipe Miranda, CNPI (Empiricus Research)


Você gostaria de aprender a investir na bolsa de valores e não sabe como começar?

O primeiro passo é aplicar seu dinheiro e gerar lucros, mas, para isso, é preciso se informar muito a respeito do assunto, por meio de cursos, treinamentos ou mesmo pesquisando em sites especializados.

Uma notícia boa sobre isso, é que a própria BM&Bovespa, instituição financeira brasileira que faz intermediações de operações no mercado de capitais, oferece cursos e treinamentos presenciais e online para pessoas amadoras que queiram se aprofundar no assunto. Há também muito material disponível na internet para os autodidatas.

Os cursos da Bovespa vão do nível básico ao intermediário, e são realizados periodicamente em diferentes estados.

Primeiramente, os cursos de nível básico são gratuitos e não exigem nenhum pré-requisito. Já os cursos de nível intermediário são todos presenciais e possuem um custo que pode variar entre R$ 120 e R$ 980.

Para poder participar, é necessário ter o Ensino Médio completo.

Os principais assuntos abordados são “Como investir em ações”, “Conceitos básicos do mercado de ações”, “Finanças pessoais e mercado de ações”, “Guia do mercado de ações”, entre outros. Você pode conferir a lista completa no link: www.bmfbovespa.com.br.

Outros sites especializados em educação e formação de investidores disponibilizam também muita informação de qualidade sobre como investir bem no mercado de ações. Confira abaixo alguns endereços para se preparar antes de começar a aplicar seus investimentos:

– Portal Como Investir – Iniciativa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA), o portal não só ensina o investidor leigo a investir em ações, mas também oferece muitas informações a respeito de finanças pessoais, fundos, títulos públicos, entre outras;

– Win Trade – A página da corretora conta com um canal forte em educação financeira. Através de palestras online, os interessados no assunto terão a chance de aprender mais sobre a história financeira no país, o perfil do mercado brasileiro e também de como começar um investimento na bolsa de valores;

– Guia de Investimento – A plataforma é especializada em oferecer aprendizado financeiro, além disso, o site possui um canal com informações básicas para investidores iniciantes aprender a investir na bolsa. É possível também ter acesso a apostiladas gratuitas com cursos sobre bolsa de valores e assuntos relacionados a controle financeiro.

Por Daniela Almeida da Silva


Investir na Bolsa é uma tarefa que exige bastante estudo, análise de mercado, conhecimento e, para dizer a verdade, um pouco de sorte. Porém, no geral, o mais importante são as competências de seus investidores. E, por conta disso, vamos ver algumas dicas de investidores que ganharam muito dinheiro nos últimos anos em apostas na bolsa. 

O fato é que, de acordo com o ranking da InfoMoney, o principal fundo de ações que mais rendeu foi o da Equitas e da Quest. A  Quest, por sua vez, gerou um retorno de 56,47% para seus investidores, enquanto que a Equitas, em todo o caso, trouxe um retorno de 66,85% para seu investidor.

O co-gestor da Equitas, Felipe Amaral, apontou que as principais apostas do fundo nesse tempo foram para os setores da educação e para o consumo doméstico. A Gestora, no caso, deu-se muito bem ao investir em empresas como a ABRIL, BRF, Suzano e Eztec que, de acordo como Felipe Amaral, cresceu muito mais desde que a Equitas entrou no negócio.

Outra estratégia interessante para saber onde investir foi dada pelo co-gestor da Quest Investimentos, Welliam Wang. Ele sugeriu que o ideal é apostar em empresas pagadoras de dividendos e geradoras de caixas.  Wang afirmou que exportadoras como a DUFRY, que teve várias aquisições nos últimos anos e nomes como a Grendene, que vem melhorando o consumo do país e a Embraer também são ótimas opções de investimento.

O ideal é ter um olhar amplo e dinâmico sobre o mercado, sabendo que tudo pode mudar. Investir é uma missão que exige bastante atenção e análise de tudo que está em jogo. Amaral, da Equitas, disse que 2014 será um ano de transformações no cenário nacional. A Quest, por seu turno, já pensa em mudanças para a próxima temporada.

Por Juan Wihelm

Investimento na Bolsa de Valores

Foto: Divulgação


Com a economia em alta, é cada vez mais comum ouvir pessoas falando em investimento. Porém, não tem como falarmos em investimentos sem falarmos da bolsa de valores. No Brasil, a maior bolsa de valores é a Bovespa, responsável pela maioria das negociações dentro do país.

Atualmente é possível optar por alguns caminhos para os seus investimentos, dentre eles há aqueles que devem ser seguidos apenas por pessoas com mais experiência na área. 

O caminho que exige mais experiência é a compra de ações através de corretoras. Dessa forma você irá escolher em qual empresa investir e será total responsável pela quantidade de dinheiro investido. Nessa forma de investimento você ganhará mais, porém estará mais propício a ter prejuízo, justamente porque uma queda em suas ações resulta em um prejuízo direto e de sua responsabilidade.

Outra forma de investimento é através de grupos ou fundos. O grupo muitas vezes é formado por amigos de trabalho ou família, onde os ganhos são dividos, assim como o prejuízo. Já o fundo de investimento é sempre oferecido por instituições financeiras, elas ficam totalmente responsáveis pelos investimentos, ou seja, elam estudam as empresas e escolhem qual a melhor hora de investir. Essa com certeza é a opção mais segura, porém é a que rende menos.

Você também pode contar com empresas de Home Broker, que cuida das suas negociações e lhe oferece dicas de investimentos.

Fonte: Guia de Investimento

Por Matheus Camargo


Investir com responsabilidade é tendência no mercado e não se limita à escolha de instituições idôneas e éticas. A maneira como o operador age no mercado também é fundamental para que o investimento permita, de fato, o desenvolvimento econômico da sociedade.

Sobre isso, Maria José Pereira, ex-diretora do Banco de Investimentos Brown Brothers Harritman, afirma que o trading (comprar e vender aproveitando-se de uma anomalia do sistema) é uma postura tóxica. Assim, ela defende que não se deve buscar o lucro rápido e fácil, mas montar carteiras baseadas em operações de longo prazo, pois no investimento deve-se levar em conta uma responsabilidade moral.

Nesse sentido, a ONU propõe desde 2006 seis princípios para o Investimento Responsável, que podem ser lidos na íntegra aqui. Essa preocupação tem em vista o fato de que esses investimentos responsáveis podem deixar de ser alternativos e se tornarem o negócio principal das grandes corporações.

A estimativa da consultoria Robeco and Booz & Company é de que até 2015 esse tipo de aplicação deva acumular US$ 26,5 trilhões.

Por Christiane Suplicy Curioni


O mercado de ações é muito instável e, por isso, um grande risco para quem investe dinheiro nele. É como se fosse um jogo e os jogadores tivessem que adivinhar quais as ações certas para se investir. Recentemente, porém, um estudo realizado na London Business School provou que há grandes chances de o especulador que aposta em ações que tiveram boa lucratividade no último ano ter um desempenho superior ao da média no próximo ano. Por outro lado, se apostar nas que não tiveram bons ganhos, perderá dinheiro.

Para realizar a hipótese do estudo, foi utilizada uma libra investida em ações com maus desempenhos em 1900. Após 109 anos, ela havia sido transformada em 49 libras, enquanto o investimento em boas ações gerou 2,3 milhões de libras.

Esse estudo funcionou em 18 mercados, tendo apenas o Japão como exceção. Se você é corajoso e audacioso, essa é uma boa dica.

Por Flávia Yoshitani


O homem mais endinheirado do Brasil, Eike Batista, encabeça a lista como o oitavo mais rico do mundo. À sua frente aparecem figuras extremamente conhecidas, tais como Bill Gates, criador da Microsoft, e Warrem Buffett, industrialista, filantropo e investidor dos EUA. Contudo, o mais poderoso é o mexicano Carlos Slim Helú, empresário de origem libanesa.

Um dos temas mais recorrentes das últimas semanas, a desvalorização do dólar, possui diversas faces, uma delas a questão travada entre a China e os Estados Unidos sobre o câmbio. Para Slim, a discussão entre ambos seria mais bem resolvida se o governo asiático elevasse a remuneração dos trabalhadores.

Para Slim, ao invés de cada uma das partes tentar deixar sua moeda com a cotação mais amena, dar riqueza ao povo para melhoria de vida incidiria mais positivamente, sobretudo em relação ao maior poder de compra, com mercado interno mais positivo. Não somente neste caso, o mexicano avalia que as nações desenvolvidas devem evitar a guerra cambial.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Reuters


Graças à tecnologia, hoje temos acesso a todo tipo de informação e isso facilita muito a vida de quem está antenado eminvestimentos.

São diversos sites dando dicas e falando do assunto. Um tipo de investimento que se torna cada vez mais popular é o dólar.

A regra básica é comprar a moeda quando ela estiver mais desvalorizada, sempre ligado nos notíciários, você pode com o tempo tirar esse “momento certo de letra” e a previsão é de que a moeda chegue aos R$2,00 nos próximos dois meses, ou seja, não é hora de comprar dólares.

Mas como a valorização da moeda tem variado é bom ficar sempre ligado, porque com tanta oscilação ultimamente, pode ser que a previsão mude.


Depois de uma semana instável (semana passada), o UOL preparou uma entrevista bem interessante com o Analista Silvio Paixão, onde é discutida qual seria as melhores ações para se investir neste momento.

Segundo Silvio, esta grande variação na bolsa é bem comum de se acontecer quando a bolsa está com sua pontuação no pico.

Para o Analista, esta semana será mais uma semana instável na bolsa. Por isso, o mais indicado é investir em ações de alta liquidez (ações da Petrobras, Itaú ou Vale por exemplo).

Confira o vídeo com a entrevista no vídeo abaixo:





CONTINUE NAVEGANDO: