A economia brasileira está enfrentando bastantes problemas e deve ser uma das principais pautas do governo federal em 2015. Em janeiro de 2015, a balança comercial brasileira já registrou resultados negativos: a mesma obteve um déficit de US$ 3,174 bilhões. Vale ressaltar que os dados foram divulgados oficialmente pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o MDIC.

Além disso, também foi informado que as importações brasileiras tiveram média de US$ 803 milhões, uma baixa de 12% se comparado ao mesmo período em 2014. Outro detalhe muito importante é que as exportações também sofreram uma baixa, ao todo 10,4% se comparado a janeiro de 2014. Dessa forma, a média diária de exportações foi de US$ 652,6 milhões em 2015. Esses foram os principais fatores para o déficit de US$ 3,174 bilhões, que se comparado a janeiro de 2014 sofreu uma baixa de 22%, haja vista o déficit de US$ 4 bilhões.

Através da divulgação dos dados aqui citados, o MDIC também informou que a queda no preço do barril do petróleo teve grande impacto na baixa das exportações. É importante destacar que o preço de combustíveis e lubrificantes teve uma baixa de 28,4% quando comparado a janeiro de 2014. Outro setor que também influenciou os resultados negativos da balança comercial foi o segmento de bens de consumo, haja vista a baixa de 14,2%. Já as importações de bens de capital e matérias-primas e intermediário sofreram queda de 8% e 7%, respectivamente.

Apesar dos resultados negativos, os mesmos já eram esperados, pois o mês de janeiro é um dos piores meses para a balança comercial. O mês de janeiro costuma apresentar resultados negativos, pois desde 2009, com exceção para 2010, o Brasil vem apresentando resultados negativos em sua balança comercial neste mês.

O secretário do MDIC, Daniel Godinho, enfatizou que essa característica negativa do mês de janeiro se deve ao fato de que esta é uma época de baixa atividade econômica e férias coletivas.

Por Bruno Henrique

Balan?a comercial


Falar de economia, de balança comercial brasileira não é uma tarefa fácil. Mas, seja como for, o Brasil registrou em 2013 o pior resultado desde 2000. Para entender isso, com efeito, é preciso saber que tal queda ocorreu por conta da queda das exportações e do aumento de importações. O que aconteceu, no entanto, foi que, no ano de 2013, o Brasil terminou o período com superávit 2,561 bilhões de dólares. Aliás, de acordo com levantamento de dados elaborados pelo  Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, esse foi o pior resultado desde 2000. Até porque, só para termos uma ideia, em 2012 o saldo terminou senso positivo com uma cota de 19,4 bilhões de dólares.

Sendo assim, mesmo com possibilidades de reverter essa situação se o câmbio for favorável, o governo brasileiro está tratando a situação com cautela e esmero, afinal é preciso melhorar esse quadro. De todo modo, dentro desse parâmetro, o fato é que, no ano passado, as exportações somaram um valor 242,178 bilhões de dólares, uma queda de 1% comparando o ano de 2012. Todavia, para melhorar o ocorrido, o governo está aguardando que nesse ano haja uma redução no déficit em relação ao petróleo.

É que, no ano de 2013, os resultados sobre o petróleo não foram nada bons. Sobre isso, contudo, o Secretário do Governo, Daniel Godinho, explicou que o problema foi uma queda interna do petróleo e de seus derivados, detalhe que ele espera não ocorrer em 2014. Aliás, todos esperam um aumento da produção de petróleo para este ano.

Assim, visando não passar pelos mesmos impasses, o governo está trabalhando e levando em conta os números da pesquisa da Reuters para, por assim dizer, reverter esse resultado que só não foi pior que o do ano 2000. Agora é esperar para ver se a economia toma um impulso positivo.

Por Juan Wihelm

Balança comercial brasileira

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: