Quem leu “Os Axiomas de Zurique” de Max Gunther e não teve uma experiência real com investimentos certamente ficou um pouco perdido com a quantidade de incertezas que o autor joga e com os exemplos engraçadinhos que contradizem coisas que ele acabou de afirmar. Ele deixa a estratégia um pouco vaga, mas coloca saudáveis valores máximos de perda em cada investimento.

Mesmo assim, dá a impressão de que falta explicar algo. E este algo são justamente aquilo que Nassim Nicholas Taleb chama de “A Lógica dos Cisnes Negros“, de seu livro de mesmo nome. A incerteza, os eventos absurdamente improváveis, são justamente esses cisnes negros.

Não vou aqui entrar em detalhes sobre o que seriam esses cisnes negros e por quê eles são chamados assim. A idéia é que você entenda que está sujeito a eventos absolutamente inesperados. Por exemplo, você podia imaginar, no primeiro semestre de 2001, que dois aviões seriam jogados contra as Torres Gêmeas em Manhattan? Você podia imaginar que a Enron, uma das maiores empresas do mundo, seria palco de umas das maiores fraudes da história financeira? Volte a 1995: você poderia imaginar que uma empresa como a Google, que iria ser fundada 3 anos depois, seria uma das maiores empresas do mundo já em 2005?

O que podemos tirar de lição disso é que o mundo é incerto, como Gunther e Taleb colocaram. Absolutamente incerto. Quase que desesperadoramente incerto. Sim, quase, pois Taleb nos mostra um caminho: já que estamos expostos àquilo que ele chama de cisne negro negativo (má sorte, algo como a fraude na Enron e o 11 de Setembro) e àquilo que ele chama de cisne negro positivo (boa sorte, algo como o crescimento do Google), a ideia é que possamos nos proteger dos cisnes negros negativos e aproveitar os cisnes negros positivos. Ou seja, cisnes negros são basicamente eventos de sorte. Boa ou má.

A estratégia

Como não perder

Sendo assim, o que Taleb sugere? Ele sugere que você deixe uma quantia que você não possa perder em algo extremamente seguro, que dificilmente será abalado por um ou vários cisnes negros. No livro, ele sugere títulos da dívida do Tesouro Americano. Como, obviamente, para brasileiros como eu e você, não é uma opção viável comprar títulos do governo daquele país, poderíamos ficar com títulos da dívida brasileiros (não tão seguros assim) ou poupança (mais segura, desde que não apareça um cisne negro como Collor). Ele sugere cerca de 85% do valor aplicado aí. O restante, você usa para o tipo mais especulativo de investimento possível.

Como ganhar

Pensou em Bolsa de Valores? Correto! Ações da Vale, Petrobras, outras grandes? Não! O que você tem que procurar são as ações de empresas menores, aquelas que vão fazer uma oferta pública, ou ações de empresas de baixo volume e liquidez, aquelas que estão expostas a grandes ganhos quando conseguem um contrato grande com o governo ou outra empresa gigante, e que também estão expostas a grandes perdas.

Tais ações estão fora da mira da maioria dos investidores e, no caso da empresa ganhar algum contrato grande, não é incomum ver seu valor se multiplicar em dezenas de vezes o valor de compra, uma vez que isso vai causar um grande impacto no faturamento da empresa. Por outro lado, se a empresa perde algum contrato grande, você pode ver quase todo o seu dinheiro ir para o ralo.

Agora, imagine que você aplique uma quantia pequena (pense em uma quantia pequena que você possa perder, digamos, R$ 3.000,00). Pense que você aplicou isso em 10 empresas, totalizando R$ 30.000,00. 4 delas despencaram, perdendo mais de 90% do valor, o que te fez perder quase R$ 12.000,00. 2 delas perderam, em média, uns 10% do valor. 1 ficou na mesma e outras 2 tiveram um aumento médio de uns 10% do valor. Na soma geral, você está perdendo: você teve 4 cisnes negros negativos, um tremendo azar, e nas outras ficou mais ou menos empatado.

Mas uma delas, uma fabricante de componentes eletrônicos, ganhou um contrato para produzir e vender aparelhos de uma marca famosa no Brasil. Algo que já é um sucesso de vendas mundo afora e que será aqui também. Essa empresa, quando ganhou o contrato, teve perspectivas de aumentar absurdamente seu faturamento e seu lucro, o que fez as ações subirem 6.000% em questão de semanas (não, não é impossível, isso já aconteceu). Neste caso de cisne negro positivo, seus R$ 3.000,00 iniciais viraram R$ 180.000,00!!! Mais que o suficiente para cobrir sua perder de perto de R$ 12.000,00.

Resumo da ópera

Este é um exemplo que mostra quando diversificar é bom. É justamente quando você está numa situação imprevisível, onde você não sabe o que está fazendo ou não conhece o terreno. Ela funciona? Sim, funciona, e bem, porque te permite atingir ganhos muito bons te expondo ao mínimo de riscos. É a estratégia que, segundo Max Gunther, é adotada pelos bancos suíços. Mas não é a única. A estratégia de Warren Buffett, focada, é bem diferente.

Alguns exemplos de variações extremas

Quando se pensa em um cisne negro positivo, Google (Nasdaq:GOOG) certamente vem à mente. As ações foram lançadas ao mercado com agosto de 2004 ao preço de US$ 25 cada, um preço já alto, já que a mídia estava em cima. Menos de um ano depois, valiam US$ 300 cada. E chegaram a US$ 600 em 2008, antes de caírem novamente.

Mas o exemplo acima é extremo de uma empresa que está sob os holofotes da mídia, o que sempre infla o preço.  Mas existem grandes exemplos no Brasil. Pense em quem comprou MMXM3 e GFSA3 antes do IPO, por exemplo, multiplicando muitas vezes seu patrimônio. Ou pense no caso da FJTA4 que chegou a valer R$ 0,79 antes da votação do Estatuto do Desarmamento e que, após a falha deste (cisne negro) chegou a valer mais de R$ 15,00 pouco mais de 2 anos depois. Ou, ainda mais extremo, o caso da TELB4 que foi de R$ 0,04 para R$ 0,66 em cerca de 1 mês!

Isso só para ficar em exemplos de ações de primeira linha. Nas ações de pouco volume e liquidez, podem ocorrer variações ainda maiores. O negócio é ficar exposto a essas variações com o mínimo de dinheiro.

Mas lembre-se de uma coisa: em casos de cisnes negros, preços históricos não querem dizer nada. Se você comprar ações de uma dessas empresas, isso pode não ocorrer mais. A ideia, para aproveitar cisnes negros, é diversificar.

Veja também





CONTINUE NAVEGANDO: