Na semana passada foi assinado um convênio entre o Banco Central, seu sindicato de servidores, a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o governo do Pará, para a realização de um projeto que prevê a reutilização do dinheiro jogado fora pelo Banco Central como adubo na Amazônia. A idéia partiu de um funcionário do banco que é estudante de Agronomia da UFRA.

As notas trituradas pelo banco na Região Norte numa quantidade mensal de onze toneladas contém metais pesados e, ao invés de irem para os lixões ou serem queimadas, como era feito anteriormente, passarão a incorporar um adubo juntamente com outros vegetais reaproveitados.

Um projeto criativo, econômico e que ainda preserva os recursos ambientais.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Folha de São Paulo, Jornal Dia Dia





CONTINUE NAVEGANDO: