Agronegócio começa com alta no PIB de 0,47%



Embora nos últimos tempos grande parte dos setores da economia estejam em constante retração, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) divulgaram boas notícias aos empreendedores do agronegócio. O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio iniciou o ano apresentando crescimento de 0,47% no mês de janeiro. O resultado positivo do agronegócio é em decorrência da cadeia produtiva da agricultura, que apresentou alta de 0,7% no período.

Para se ter ideia, em 2015 a indústria recuou 6,2% e o setor de serviços registrou queda de 2,7%. Os números positivos do agronegócio se mantiveram firmes mesmo em meio ao impacto negativo que a valorização do dólar frente ao real tem para o agronegócio. Isso porque uma quantidade significativa dos insumos empregados na produção agropecuária é, em várias ocasiões, importada. Todo este movimento cambial teve como consequência significativa elevação de custos para os produtores, os quais ainda tiveram que, no mesmo período, lidar com a alta dos combustíveis e da energia elétrica. 

Mesmo com uma série de situações que poderia gerar números negativos, diversas culturas tiveram seu faturamento elevado, devido ao crescimento da produção e da alta das cotações.



Entre as que obtiveram maior crescimento estão: cacau (27,33%), algodão (24,78%), banana (13,55%), milho (34,25%), cebola (5,91%), café (10,60%), feijão (7,21%), laranja (15,24%), mandioca (4,11%), soja (24,63%), tomate (72,63%) e trigo (16,71%). Por conta também da agricultura, o setor de serviços do agronegócio, correspondente à distribuição e comercialização dos produtos industriais e agropecuários,incluindo todos os prestadores de serviço de Agricultura de Precisão,  teve elevação no faturamento de 0,37%.

Os números apontam o potencial de crescimento contínuo do setor e aumento da produtividade e da rentabilidade das empresas com a crescente adoção de novas tecnologias.  Com o auxílio de um software de manejo de cultura, é possível aumentar consideravelmente a produtividade. Exemplo disso são os sistemas desenvolvidos pela InCeres para gerenciar e analisar o solo, processar mapas de fertilidade e produtividade em tempo real, de forma on-line. Criada em 2013, a InCeres é uma empresa de desenvolvimento de softwares inteligentes para manejo da agricultura, que nasceu para resolver uma série de problemas que o mercado enfrentava, aumentando a capacidade de trabalho e reduzindo custos.

Leia também:  Alta na inadimplência das empresas no 1º trimestre de 2015


Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *