Lei de Moore pode ter chegado ao fim no ramo de energia elétrica



Um importante postulado científico na área da tecnologia pode estar chegando ao fim. Estamos falando da Lei de Moore que, segundo cientistas pode ter chegado ao seu limite.

A Lei de Moore, criada no ano de 1965, determina que o número de transistores em circuitos fechados fosse dobrado a cada 18 meses e é a base utilizada por diversas empresas para projetos de longo prazo bem como para realizar ações de pesquisa.



Este tipo de circuito é feito de cobre que oferece uma melhor interconexão conduzindo de forma mais efetiva a eletricidade. Os transistores aumentam com o tempo e a sua distância diminui.

Com isso ocorre uma menor capacidade de resistência que impede o aumento da velocidade na transmissão de eletricidade.



Deste modo, a interconexão destes circuitos fechados é o seu grande problema, pois haverá um ponto de inflexão quando a sua distância chegar em 14 nanômetros – atualmente ela está em 22 nm – e a resistência natural do cobre irá impedir tentativas de que os transistores fiquem mais rápidos.

Este problema possui extrema relevância para diversas áreas da sociedade e especialmente para a indústria dos chips que irá realizar o International Electron Devices Meeting para tentar encontrar soluções de manter a resistência do cobre e de encontrar novos materiais com características isolantes.

Por Ana Camila Neves Morais

Leia também:  Economia brasileira cresce quase 2% no trimestre passado

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *