Pirataria é principal Responsável pela queda das Videolocadoras





A época das fitas VHS já está esquecida, ao menos para as novas gerações. A tecnologia Digital Video Disc (DVD) veio para substituir esse formato e mais recentemente, eis que blu-ray veio para destronar ambos. Entre suas características diferenciadas, destaca-se maior definição de imagem e som, transformando uma simples película numa projeção de altíssimo nível.

Os discos blu-rays, aliás, parecem ter dado novo fôlego às videolocadoras, que nos últimos anos registravam queda no aluguel de DVDs e em casos mais gritantes, fechamento de empreendimentos. De acordo com o Sindicato das Empresas Videolocadoras do Estado de São Paulo (Sindemvideo), os lucros do setor avançaram 6% em 2010 sobre 2009.

Veja também:  Previsão de Inflação e PIB no Brasil em 2019



Para Luciano Damiani, presidente do sindicato, a tecnologia de gravação de discos de dados juntamente aos serviços pagos no concernente a download de jogos e filmes incita mudanças no ramo, tanto que a tendência é as locadoras unirem suas atividades com empreendimentos de segmentos semelhantes, como é o caso de livrarias, concessionárias de telecomunicações e lojas de departamento.

De 2004 a 2005, de acordo com o Sindemvideo, 4,8 mil locadoras exerciam atividades dentro do estado de São Paulo, número que caiu para 1,8 mil unidades em 2010. A pirataria, principal fator para essa brusca queda, por sinal, causou a demissão de 60% da mão de obra que atuava no ramo.

Veja também:  Previsão de Inflação e PIB no Brasil em 2019

Para suportar isso, as videolocadoras passaram a incluir outros serviços em seu interior, entre os quais comercialização de brinquedos, eletroeletrônicos, alimentos, roupas e presentes.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *