Estados Unidos – Novas Previsões para a Economia

Uma das nações que mais tem sofrido com a crise financeira mundial, os Estados Unidos voltou a sentir o peso dos efeitos do colapso. Economistas estadunidenses depreciaram as previsões para a expansão da economia do país em 2010 e 2011 e acreditam, ainda, que o índice de desemprego deverá permanecer em crescimento.

Conforme pesquisa da National Association of Business Economics (Nabe), o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano crescerá 2,6% neste ano, 0,6% abaixo do levantamento de maio (3,2%), mesma estimativa respectiva para 2011. Em relação às compras para o Natal e datas festivas próximas, os economistas sopesam que poderão ser efetivamente fracas, com gastos dos consumidores aumentando 2,5% no confronto com 2009.

Para Richard Wobbekind, novo presidente da instituição, a confiabilidade na duração do crescimento apresenta-se ileso, porém a extenuação econômica recente fez com que vários participantes do estudo rebaixassem seus diagnósticos para ano que vem. Além desse ponto, crê que a desaceleração observada neste verão revelou a sensibilidade da economia a diminuições de riqueza, ao arrefecimento do estímulo econômico e a contenção de dívidas.

A pesquisa também revela, de acordo com o Estadão, que os economistas acreditam que o número médio de oportunidades de trabalho gerados mensalmente alcance o valor de 150 mil entre julho e dezembro do ano que vem, para depois ascender entre 170 mil e 175 por mês. A taxa de desemprego, atualmente em 9,6%, poderá chegar a 9,5% no princípio de 2011 e 9,2% em seu final.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Leia também:  FMI calcula desenvolvimento na América Latina como desigual

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.