Dólar – Países Emergentes podem competir com a moeda norte-americana



Semana passada foi marcada pelo rompimento da barreira de R$ 1,70 da moeda norte-americana em relação ao real. O enfraquecimento do dólar tem preocupado políticos e autoridades brasileiras, tanto que Henrique Meirelles, presidente do Banco Central, já admitiu que o Brasil possui ferramentas necessárias para conter a tendência, caso seja realmente preciso.

Para o economista Joseph Stiglitz, vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2001, ao endossar a viabilidade de novos incentivos econômicos dos EUA, as grandes nações emergentes mostram-se competitivas o suficiente para combater um dólar anêmico, algo que, segundo ele, deve-se à afrouxada política monetária do país do norte.



Segundo o economista, Índia, China e Brasil são fortes o necessário para enfrentar essa política, embora existam temores de ameaças às exportações dos emergentes. A preocupação é tão evidente que Guido Mantega, ministro da Fazenda, avaliou existir, na atualidade, uma guerra cambial de nível internacional.

Ainda sobre a economia norte-americana, Stiglitz afirmou, conforme menção expelida pelo portal de Economia Terra, que o incentivo monetário não foi competente para estimular os empréstimos, uma vez que as empresas não mais investem por causa da ausência de demanda dos consumidores.



Por Luiz Felipe T. Erdei

Leia também:  Redução nas projeções de crescimento da Alemanha assusta mercados

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *