Economia – América Latina – PIB





O Brasil poderá surtir positivamente ao longo dos próximos anos para os países latinoamericanos, segundo estudo emitido pela agência Moody’s. Em alguns casos, observado por acadêmicos até como uma espécie de Estados Unidos da região, a nação brasileira tem elevado mês a mês as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) a 2010.

Num âmbito mais geral, elucidado pela Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad), o PIB da América Latina crescerá cerca de 5% neste ano, e em alguns países mais específicos o índice tende a superar 6%. Ao Caribe e América Central, porém, a estimativa de desenvolvimento é mais moderada.




Reportagem divulgada pelo portal Economia Terra abaliza que essas estimativas tiveram como parcial ponto de “apoio” a reorientação das políticas macroeconômicas adotadas radicalmente pelo bloco latinoamericano após a crise financeira asiática, ocorrida no final da década de 1990, e a crise da dívida da Argentina, entre 2001 e 2002. A partir desses fatos, os governos situados na América Latida abraçaram políticas monetárias mais ajustadas e políticas de taxas de câmbio norteadas para a manutenção da concorrência global.

Veja também:  Previsão de Inflação e PIB no Brasil em 2019

Pelo estudo da Unctad, as medidas características voltadas ao mercado de trabalho foram consideráveis, entre elas incremento remuneratório sobre o salário mínimo e a reativação de órgãos responsáveis por negociar interesses coletivos.


Por Luiz Felipe T. Erdei



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *