Falências de Empresas – Alta em Agosto de 2010



O aquecimento da economia brasileira registrado nos dois primeiros trimestres do ano e que teve uma diminuição no terceiro trimestre não foi o suficiente para diminuir em Agosto um número importante do universo econômico: as falências. Segundo dados apurados pelo Serasa Experian, que compõem o seu indicador Falências e Recuperações, que foi divulgado no último dia 06 de Setembro, no mês passado foram decretadas 63 falências, distribuídas desta forma: 55 micro e pequenas empresas faliram, enquanto médias foram 5 e grandes 3 falências. Este total representa um aumento de 18,9% na comparação com o mês anterior. Já os números de pedidos de falência registrados tiveram um aumento de 5,1%. Neste item também as micro e pequenas empresas lideram com 119 pedidos.

De acordo com analistas do órgão os principais fatores para a subida no número de falências são a própria desaceleração da atividade econômica que se registrou no terceiro trimestre, apesar dos números da economia como um todo ainda serem bons e indicar um bom crescimento para o PIB neste ano, e o peso do aumento dos juros do capital de giro, que estrangulou diversas empresas, especialmente as micro e pequenas como indica a apuração do Serasa Experian.



Mesmo com todo o apoio que o governo vem dando as micro e pequenas, este indicador mostra o quanto elas, que representam uma parcela importante da atividade econômica, necessitam de uma política especial de proteção para que possam se desenvolver e se manterem atuando no mercado e sejam menos vulneráveis as oscilações tanto do risco de seu ramo de negócio quanto das pesadas taxas de juros.

De qualquer forma na comparação com igual período do ano passado se constata uma diminuição tanto no requerimento de pedidos de falências, que diminuiu 11,4% como no número de falências confirmas que teve queda de 4,5%. E como o final de ano se aproxima a tendência é que a economia se reaqueça e estes números devam diminuir até o final do ano.

Leia também:  Copom determinou nova alta da taxa Selic


Por Mauro Câmara

Fonte: G1

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *