Diretor do FMI pede que União Europeia invista em Crescimento





Crise é a palavra da moda. Crise nos aeroportos, crise financeira mundial, crise no sistema de segurança de vários países, crise na comunidade europeia. No último caso, em específico, o mundo assiste uma série de especulações, ora contribuindo para arranque positivo nas bolsas de valores de todo o globo terrestre, ora puxando-as para baixo.

O pacote bilionário conferido à Grécia, em especial, serviu para acalmar momentaneamente os mercados europeus, apesar de existir muita oscilação, percebida pelos brasileiros de outra forma: valorização/desvalorização do dólar ante o real. Dominique Strauss-Kahn, diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), endossou a ideia de que parcela do pacote de ajuda à União Europeia seja destinada ao incentivo de desenvolvimento.




Segundo ele, que esteve reunido nas últimas horas com Guido Mantega, ministro da Fazenda, uma das saídas para a zona do euro é a resolução dos problemas relacionados ao sistema fiscal – de forma a assegurar crescimento, mesmo a médio prazo.

Strauss-Kahn parece ponderar bastante e tomar o Brasil como exemplo, tanto que destacou as políticas econômicas adotadas no país e relatou, no início desta semana, que a nação liderada por Luiz Inácio Lula da Silva se diferenciará ante as economias mais desenvolvidas.


Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *