Boletos a partir de R$ 100 poderão ser pagos em qualquer banco.

Agora é lei. Todos os boletos que possuírem valores iguais ou maiores a R$ 100, incluindo os já vencidos, poderão ser pagos em qualquer agência bancário ou em um correspondente bancário. A medida começa a valer a partir do próximo sábado, dia 13 de outubro, através da nova plataforma de cobrança disponibilizada pela Federação Brasileira de Bancos, a Febraban.

Vale lembrar que na data de 25 de agosto, esse pagamento já foi liberado para os boletos com valor a partir de R$ 400. Quem tiver os boletos rejeitados ou sem o registro na plataforma, precisa procurar o emissor do documento para quitar totalmente o seu débito.

Por meio dessa inclusão e novo processamento de boletos em sistema, a plataforma incorporará aproximadamente 3 bilhões de documentos. Isso representa 75% do total que é emitido a cada ano no Brasil, segundo os cálculos feitos pela Febraban.

O restante, que corresponde a cerca de 1 bilhão de boletos, é para documentos com valores abaixo de R$ 100. Esses deverão estar integrados no sistema na data de 27 de outubro.

Essa mudança tem acontecido de forma gradual para diferentes valores, sendo que o cronograma inicial sofreu atrasos. Até o dia 10 de novembro todos os boletos de doações, cartões de crédito e outros pagamentos de qualquer valor também passarão a ser aceitos em qualquer banco.

De acordo com a Febraban, a validação ocorreu em etapas. Isso se deu pela grande utilização dessa modalidade de pagamento. Por um cálculo realizado pela entidade, são emitidos por ano no país cerca de R$ 3,5 bilhões de boletos.

Identificação de CPF

Conforme a Febraban, além do boleto ser pago em qualquer agência bancária, essa nova plataforma também viabiliza a identificação do número do CPF do pagador, de forma a facilitar o rastreamento referente às cobranças. Caso os dados do boleto coincidam com os do sistema, é validada a operação.

Para qualquer divergência, não será autorizado o pagamento do documento, podendo o consumidor pagá-lo somente no banco responsável pela emissão da cobrança. Isso é necessário, pois a agência terá as condições necessárias para realizar as checagens de informações pertinentes.

Em um modelo anterior utilizado, não havia a centralização de registros em uma base de todos os boletos. Por esse motivo, é importante que os emissores de boletos registrem-nos em seu banco de relacionamento, dando todos os dados necessários.

É fundamental ressaltar também que os boletos que são enviados aos consumidores precisam conter algumas informações. São elas: o nome e o número do CPF do responsável pelo pagamento (por determinação do Banco Central), bem como o valor de pagamento, a data de vencimento do boleto e a autorização do próprio cliente para o envio da cobrança diretamente na sua residência.

As vantagens da nova plataforma

Para a Federação Brasileira de Bancos, um dos maiores benefícios no que diz respeito à nova plataforma é a maior transparência na realização dos pagamentos, uma vez que essa melhora a gestão de todos os recebimentos de empresas. Isso acontece pois as condições negociadas durante a operação com os seus consumidores são preservadas.

Não bastasse isso, o comprovante do pagamento se torna mais completo, com maiores detalhes referentes ao pagador e ao beneficiário, além de dados sobre os descontos, multas, juros, entre outros. Tudo isso diretamente impresso no boleto.

E, por fim, segundo a Febraban, a nova plataforma é importante para cruzar as informações, evitando assim inconsistências e lavagem de dinheiro pela identificação do CPF do pagador. Ainda, os pagamentos são mais exatos e transparentes na relação entre empresa e consumidor.

Cronograma da plataforma de boletos.

Boletos com valores iguais ou acima de R$ 100: a partir da data de 13 de outubro de 2018;

Boletos com qualquer valor: a partir da data de 27 de outubro de 2018;

Boletos de doações, cartões de crédito e outros: a partir da data de 10 de novembro de 2018.

Kellen Kunz


Aprenda aqui como realizar a consulta do Saldo do PIS-PASEP.

Está precisando de um dinheiro extra para pagar as suas dívidas ou fazer um novo investimento? Então, pode comemorar, pois o governo brasileiro ampliou o saque do PIS-PASEP para as pessoas de todas as idades que, comprovadamente, trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988.

O PIS (Programa de Integração Social) é um fundo criado pelo governo federal para os trabalhadores de empresas privadas e que é administrado pela Caixa Econômica Federal. Quer saber quanto você tem a receber? O banco criou uma página virtual exclusiva para os cidadãos consultarem os seus dados.

Confira abaixo, como você pode consultar o Saldo do PIS-PASEP pela internet!

Como consultar o PIS

1. Acesse o site da Caixa

O primeiro passo para verificar o seu saldo, você deve acessar o site da Caixa e entrar na página do PIS. Ao entrar na plataforma, é necessário clicar em cima do botão ‘’Consulte seu saldo’’. Em seguida, informe os números do seu CPF ou NIS, que pode ser encontrado na página de identificação da Carteira de Trabalho nova ou em anotações gerais da versão antiga, e também no Cartão Cidadão.

2. Cadastre a sua senha

Para prosseguir com a consulta, você tem que cadastrar uma senha e informar o número do NIS novamente. Clique no campo solicitado, e digite o dado, selecione o botão ‘Cadastrar senha’’. Aperte o ícone ‘’Aceito’’ para confirmar e digite a senha que vai usar para acessar a página.

3. Consulte o seu saldo

Após o cadastramento da senha, você será redirecionado para uma nova página, na qual terá que informar os seus dados de acesso. A partir daí, é possível checar os valores disponíveis para receber e como proceder para realizar o seu saque corretamente.

Como consultar o PASEP

O PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) é um fundo voltado para os trabalhadores que atuam na esfera pública. Nesse caso, os valores arrecadados dos servidores ficam guardados em uma conta bancária no Banco do Brasil.

A instituição financeira responsável pelo fundo também criou uma página específica para os cidadãos que desejam consultar os seus rendimentos. Você pode checar o seu saldo a partir dos seguintes passos:

1. Acesse o site do Banco do Brasil

Antes de qualquer coisa, acesse o site do Banco do Brasil, e selecione a página destinada ao PASEP. Feito isso, longo em seguida clique no botão ‘’Consulte sua cota do PASEP’’, que está localizado no lado direito superior da plataforma.

2. Faça o seu cadastro

Na página que vai abrir, é necessário informar os seus dados pessoais para efetuar o seu cadastro. Você pode selecionar uma das duas opções disponíveis: a primeira exige o número de inscrição no PASEP, que está disponível na sua Carteira de Trabalho, a segunda requer o seu número de CPF e data de nascimento.

Para confirmar que você não é um robô, marque a caixa de ‘’reCAPTCHA’’. Finalize esse processo clicando no botão ‘’Confirmar’’.

3. Cheque o seu saldo

Assim que o site carregar, você será redirecionado para a sua página inicial e checar todos os valores referentes ao seu saldo. Nessa página, também há todas as instruções que o cidadão precisa para fazer a solicitação do seu saque, bem como quando, onde e os documentos a serem apresentados para efetuar a retirada.

Não perca o prazo!

Tanto no site da Caixa quanto no do Banco do Brasil, você tem acesso ao calendário dos meses e datas em que os pagamentos do PIS/PASEP serão realizados. Por isso, é recomendado consultar esse documentar e acompanhar as datas para não correr o risco de perder o prazo.

Texto por Simone Leal


Saiba aqui como você deve fazer para declarar o saque de seu FGTS Inativo na Declaração do Imposto de Renda 2018.

Se você já sabe que neste ano de 2018 precisa realizar a Declaração de seu Imposto de Renda e já está preparando toda a papelada para que seus dados sejam corretamente enviados ao Fisco, com certeza já deve também saber que neste ano de 2018 algumas novidades forma acrescentadas à declaração.

Uma dessas novidades é a declaração do valor recebido de contas inativas do FGTS, que é o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

No ano de 2017, como uma medida provisória, o presidente Michel Temer, para auxiliar os contribuintes em um momento de crise financeira, liberou os saques de recursos dessas contas que se encontravam inativas. Grande parte dos trabalhadores brasileiros (que se enquadraram nos requisitos) teve direito ao saque desses recursos. Os números apontam que foram 25 milhões de contribuintes, o que totalizou um montante de 40 bilhões injetados na economia do país.

Assim sendo, quem no ano de 2017 recebeu recursos vindos de contas inativas do FGTS e que são obrigados a declarar seus impostos devem incluir o valor recebido em seus rendimentos.

A Receita Federal informa que os declarantes não precisam se preocupar, pois não será cobrado nenhum imposto sobre essa quantia recebida, contudo, ela precisa constar na documentação para que no fim das contas não ocorra uma variação patrimonial que não se possa justificar.

Nesse sentido, se você declarante recebeu qualquer valor relativo ao FGTS de contas inativas deve informa-lo em sua declaração que será enviada ao Fisco.

Veja agora como acrescentar mais este dado em sua declaração.

Entre os muitos dados que devem ser preenchidos, existe um campo descrito como “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, eles está localizado na linha de número 4, que é para a informação de dados sobre valores vindos de rescisão por acidente de trabalho, indenizações por fim de contrato trabalhista, título de PDV e valores de Fundo de Garantia.

Pois bem, é nesse espaço que você deve informar o valor recebido de contas inativas do FGTS.

Dessa forma, o declarante nessa seção deve informar o nome da instituição da Caixa, que foi o lugar de onde tirou o pagamento. Para isso basta informar o CNPJ da agência em questão, que deve ser uma correspondente do nº 00.360.305/0001-04.

Caso o declarante tenha adquirido algum imóvel com esse dinheiro recebido do FGTS Inativo, também é necessário incluir essa informação. Para isso, precisa ir ao campo “Discriminação” que pode ser localizado na ficha que trata de “Bens e de Direitos”.

Pode acontecer de o declarante optar em não declarar esse valor e enviar a Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física sem essa informação. Contudo, ele precisa ter consciência que após seus dados serem analisados e conferidos pelo Fisco, será identificado uma variação no valor de seu patrimônio e alguma justificação terá que ser dada por isso, o que com certeza irá demandar um pouco mais de trabalho do que informar de antemão esse valor, já que nada será cobrado por isso.

A Receita Federal aguarda que neste ano de 2018 28,8 milhões de brasileiros entreguem suas declarações de IRPF. Elas já podem ser enviadas e a data final para seu envio é o dia 30 do mês de abril.

Quem não enviar a declaração ou enviá-la depois da data determinada estará sujeito ao pagamento de multas, sendo o valor mínimo de R$165 e o máximo que pode chegar até 20% calculado sobre o valor do seu imposto.

A Receita Federal disponibiliza em seu site um programa para ser baixado em computadores, tablets e celulares para que os declarantes possam fazer suas declarações de forma mais prática, sem aquela papelada que nos confunde. Baixe o programa, informe seus dados corretamente e envie. Não deixe para a última hora.

Sirlene Montes


Com negativa Ultragaz terá que pagar R$ 280 milhões de multa para Liquigás.

Nesta quarta-feira, dia 28 de fevereiro, foi reprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, a compra da empresa Liquigás pela Ultragaz. O projeto teve uma votação contra de cinco votos e de dois a favor.

Com essa rejeição, a Ultragaz será obrigada a pagar uma multa à Liquigás no valor de R$ 280 milhões, já que essa constava em contrato no caso de que o conselho barrasse a operação.

Apesar de não ser uma surpresa, já que o Broadcast, um serviço de notícias do Grupo Estado, se antecipou aos fatos e relatou a possível reprovação do negócio, entende-se que essa foi uma operação de teor complexo desde o seu início. Isso porque a líder no mercado pretendia a compra da segunda colocada, de forma a elevar a sua participação em alguns Estados em mais de 60%.

Sendo assim, desde 2017 a Ultragaz apresentou diversas propostas em conformidade para que conseguisse aprovar a negociação. Porém, o conselho não foi convencido em um julgamento marcado pela divisão e que teve a duração de mais de cinco horas.

A última oferta do grupo e que foi apresentada oficialmente na sexta-feira passada, no dia 23 de fevereiro, previa a venda dos ativos que equivaliam a 45% do patrimônio da Liquigás. Conforme apuração realizada pelo site do Broadcast, os ativos também incluíam as marcas secundárias, como é o caso da Tropigás, as bases de abastecimento e os botijões que são grafados com as marcas.

Relatora do caso e votação

Conforme a relatora do caso, sob coordenação de Cristiane Alkmin, mesmo com a venda de quase metade da Liquigás, não havia argumentos suficientes para a proposta, já que, ainda assim, toda a concentração de mercado da Ultragaz ultrapassaria somente os 40% em alguns dos Estados tidos como meta.

Sendo assim, para Cristiane, somente estaria garantida a concorrência no mercado se fosse limitada a fatia de mercado da organização em 30% em cada unidade da federação. Para isso, todavia, a Ultra teria que negociar 65% da Liquigás, fato esse que não foi de interesse para a empresa.

Nas palavras da relatora, apesar de ser um valor alto, não é de responsabilidade do Cade a viabilização do negócio a qualquer custo, já que a sociedade pagaria pelo preço pelo programa de desinvestimento da Petrobras. Sendo assim, ao justificar o seu voto contrário, Alkmin sugeriu que seja feita uma nova venda da empresa Liquigás, porém, para uma organização que detenha menos de 10% da participação total do mercado.

Além da relatora do caso, mais quatro outros conselheiros optaram pela reprovação do negócio. São eles: João Paulo Resende, Paula Azevedo, Paulo Burnier e o presidente do Cade Alexandre Barreto. Optaram ainda pela aprovação o conselheiro Maurício Maia e a conselheira Polyanna Vilanova.

Para Vilanova, o conjunto de todos os ativos colocados diante da mesa para a proposta da compra garantem a entrada na negociação de uma organização que terá condições de criar uma concorrência saudável no mercado em que atua a Ultragaz. Sendo assim, todos os compromissos seriam suficientes para que se elimine as preocupações relacionadas com a operação, em si. Outro fato citado por Polyanna é de que a empresa compradora no negócio teria o direito a um pacote completo como contratos com clientes, suprimentos, botijões e bases de abastecimento, podendo assim atuar e concorrer com as outras imediatamente.

A conselheira rebateu ainda as críticas que foram feitas pelas concorrentes de que o Cade estaria sofrendo pressões para a aprovação do acordo, devido ao acordo feito e pagamento de multa contratual. Sendo assim, seu voto foi justificado somente pela sua própria convicção e após um profundo estudo realizado em seu gabinete sobre o caso.

Kellen Kunz


Receita Federal libera Programa para Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2018.

Desde 1991 a Receita Federal instituiu o preenchimento e envio da Declaração de Imposto de Renda eletronicamente. As primeiras declarações neste formato eram feitas por meio de disquetes e atualmente tudo é feito pela internet de forma prática e muito rápida.

Depois de 67 anos da criação do primeiro formulário em papel, a Receita criou o envio por meio magnético e em 1997, mais um marco para história, a entrega da declaração começou a ser feita através do Receitanet.

Uma das facilidades que a tecnologia proporcionou para os contribuintes declarantes foi eliminar a necessidade de se dirigir até um banco autorizado ou até mesmo uma unidade da Receita Federal.

Em 2018 não vai ser diferente dos outros anos, a partir de 26 de fevereiro a Receita Federal começa a liberar o programa para preenchimento da declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física. O prazo de entrega é de 1º de março até o dia 30 de abril.

Disponível no Site da Receita Federal

A partir das 8 horas da manhã do dia 26 de fevereiro, o programa que permite o preenchimento e entrega da declaração de imposto de renda de pessoa física estará disponível no site da Receita Federal.

No entanto, é preciso estar atento aos prazos. Caso não tenha tempo para preencher ou não sabe como fazer, é sugerido que encontre alguém que faça essa declaração por você.

Se você deseja fazer o download do programa IRPF 2018 é possível através deste link http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018. Encontre a opção IRPF 2018 e clique no link “download do programa”.

Caso desejar fazer tudo pelo seu smartphone também há esta opção baixando o aplicativo “Meu Imposto de Renda” e preencher todo seu formulário e enviar rapidamente, selecionando nesta mesma opção “Dispositivos Móveis – Meu Imposto de Renda”

Envio somente após o dia 1º de Março

Uma informação importante é que já está disponível o programa para adiantar o preenchimento, porém, o envio só poderá ser feito a partir do dia 1 de março. É preciso estar atento aos prazos e também ao preenchimento sem erros, pois a Receita tem feito um pente fino nos cadastros para a temporada 2018.

Quem deve declarar?

O ano base é 2017 e as pessoas que receberam no ano passado rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 estão obrigadas a fazer sua declaração de pessoa física.

Quem pratica atividade rural os valores são diferentes, neste caso, a obrigatoriedade é para quem teve uma receita bruta superior de R$ 142.798,50. A expectativa da receita federal é que este ano sejam recebidas um número superior ao ano de 2017.

A espera é que pelo menos 28,8 milhões de contribuintes entreguem suas declarações, um número superior ao ano de 2017, chegando a 300 mil pessoas a mais que o ano de 2017, que chegou a 28,5 milhões.

Multa

Quem não entregar a declaração no prazo de 1 de março a 30 de abril está sujeito a multas. Esta multa será de 1% por mês de atraso sobre o imposto devido, ou seja, o valor mínimo estipulado é de R$ 165,74 e máximo é de 20%.

Novidades

As novidades para este ano é que se você for obrigado a declarar, ou seja, não for isento e possuir filhos maiores que 8 anos, deverá preencher o CPF dos dependentes. Alguns novos campos serão incluídos nas declarações de bens como número do Registro Nacional de Veículos (RENAVAM).

Portanto, aproveite e já comece a preencher seu formulário e não deixe para última hora acesse: http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018 e baixe seu programa para entregar na Receita Federal.

Marcio Ferraz


Saiba aqui quais são as diferenças entre o Dólar Comercial, Turismo e Paralelo.

O manuseio relacionado com moedas estrangeiras exige de seus interessados um cuidado grande em relação às suas aplicações econômicas, bem como quanto às pretensões de cada investidor.

Neste caso, uma das análises iniciais que devem ser feitas quando se pretende atuar no mercado de câmbio refere-se às diferenças entre dólar comercial, dólar turismo e paralelo, que serão apresentadas em seguida neste artigo.

Aspectos básicos relacionados com dólar comercial

O dólar comercial é considerado como uma referência no mercado nacional sendo adotada como parâmetro para que bancos e empresas diversas determinem suas posições no mercado externo.

Este tipo de câmbio também é praticado por organizações públicas e, também, privadas para determinar as regras e as quantidades de remessa de capitais a serem enviados ou retirados de determinado local.

Mas o dólar comercial também é utilizado em transações efetuadas por pessoas físicas quanto a pagamentos relacionados com serviços variados, envios de recursos para manutenção de quem reside no exterior e outras transações a ele vinculadas.

Em decorrência da sua grande utilidade, as taxas vinculadas com dólar comercial variam de forma intensa sendo a sua média calculada ao final de cada dia de acordo com a média de todas as operações a ele relacionadas que foram feitas no mercado neste período analisado.

Devido a isso, ocorre a utilização da chamada Ptax, a qual fixa a cotação do dólar comercial para determinado dia sendo formada pelos valores apurados das seguintes negociações:

· Importação e exportação

· Compra e venda realizada entre os bancos

· Compra e venda realizada pelo setor financeiro das empresas

Nesta situação, a cotação relacionada com o dólar comercial é determinada pelo mercado em geral, mas o Banco Central do Brasil tem capacidade de intervenção como a execução de compra ou venda de determinada moeda para manter uma situação estável de seu valor.

Itens delimitados quanto ao dólar turismo

O dólar turismo é conceituado como aquele adotado em operações voltadas para compra e venda desta moeda com foco para viagens destinadas ao exterior, além de despesas em geral vinculadas com atividades turísticas diversas.

Em geral, a taxa do dólar turismo é maior que aquela praticada no dólar comercial, porque ocorre a inclusão dos custos relacionados com sua emissão desde a importação do papel-moeda até taxas vinculadas com sua colocação em corretoras de câmbio especializadas.

Um ponto relevante quanto ao dólar turismo diz respeito às moedas exóticas as quais pela sua menor negociação no mercado tem sua taxa de câmbio com uma diferença ainda maior quando comparada com o dólar comercial encontrado.

Por isso, a manutenção de uma moeda do tipo exótica em estoque pelos bancos tem um risco maior pela reduzida demanda em sua procura com oscilações maiores entre sua compra e a aquisição pelos clientes levando, assim, a um aumento de sua cotação para superar estes perigos identificados.

Considerações importantes funcionamento dólar paralelo

Por último, o dólar paralelo é considerado como um mercado de câmbio do tipo não oficial considerado ilegal porque ocorre sem a supervisão do Banco Central do Brasil.

As transações relacionadas com este tipo de câmbio para dólar movimentam uma quantidade elevada de dinheiro sempre em meios não oficiais, sendo considerado, por isso, como uma atividade clandestina e perigosa que pode sujeitar os seus responsáveis a penalidades previstas na lei.

Por isso, as negociações em dólar paralelo geralmente dizem respeito a atividade como tráfico de drogas, sonegação de impostos e lavagem de dinheiro, sendo preciso sempre buscar corretoras de câmbio credenciadas devidamente pelo Banco Central do Brasil.

Conclusão

Assim, ao conhecer de forma detalhada as diferenças entre dólar comercial, dólar turismo e paralelo os investimentos relacionados com esta modalidade de moeda podem ser efetuados com uma consciência maior e tendo resultados mais eficientes.

Ana Camila Neves Morais


Os cheques de qualquer valor poderão ser compensados em até um dia útil.

Para quem trabalha com cheque e está sempre tendo que esperar para que eles possam ser compensados, esse tipo de problema não vai mais atrapalhar.

É que acaba de ser anunciado que a compensação de cheques a partir de agora passará a ser realizada com apenas um dia considerado útil. A nova regra vale até mesmo para cheques com valores menores que R$300, que geralmente teriam que esperar até dois dias úteis para a sua compensação pelos bancos.

Essa modificação no prazo de compensação de cheques não surge assim do nada. Aliás, para que ela entrasse em rigor foi crida uma Circular, que o Banco Central tratou de divulgar na última segunda-feira, dia 27 de novembro.

Assim, a sistemática nova adotada para a compensação de cheques passa a ser válida em todos os bancos do país.

É claro que não será de um dia para o outro que as agências bancárias poderão adotar esse novo sistema. Por isso, para que posam se organizar de forma prática e objetiva foi estipulado um prazo total de 180 dias para que possam de adequar.

De acordo com informações divulgadas pelo Banco Central, esse novo sistema de compensação de cheques irá levar a uma redução no número de cheques que estejam em circulação. Além disso, haverá um considerável aumento na capacidade tecnológica para esse tipo de processamento, de modo que não é mais necessário manter uma faixa de valores para que sejam realizadas as compensações.

Outra informação relevante sobre os cheques é de que entre os meses de março do ano de 2005 e outubro do ano de 2017, a quantidade de cheques que foram processados a cada mês pela Compe caiu muito, sendo que estava em 70 milhões caindo para 42 milhões.

O Banco do Brasil informou que uma unificação na compensação de cheques, que atualmente é separada de acordo com seus valores, irá permitir que haja um ganho maior em termos de eficiência nos serviços e também na redução dos custos financeiros e também operacionais, para o sistema todo de bancos que atuará com base no Banco Central que possui uma linha de medidas que visam deixar o crédito mais em conta, aumentando a promoção da educação financeira, modernizando as leis e fazendo com que o sistema financeiro fique mais eficiente.

Tais alterações são de acordo com os objetivos que o Banco Central possuem no intuito de levar ao aprimoramento dos vários meios de pagamentos, deixando-os mais eficientes e mais seguros para aqueles que se utilizam desses serviços.

Nesse sentido, segundo as novas regras os cheques poderão ser compensados com um dia útil, até mesmo cheque com valores que sejam menores que R$300.

Diante disso, quem trabalha com cheques, independente de seus valores não terão mais que esperar para que eles sejam compensados, pois independente do valor eles, de acordo com essa nova regra que já está valendo, serão compensados em apenas um dia útil, o que deixará as coisas muito mais eficientes e até mesmo menos burocráticas.

Contudo, vale lembrar que embora o novo sistema de compensação de cheques já esteja valendo, cada agência deve oferecer o serviço de acordo com seu tempo. Para isso foi estipulado o prazo de 180 dias, ou seja, sãos seis meses de adaptação desse novo sistema.

Dessa forma, para que não existam enganos na hora de compensar seus cheques consulte a sua agência sobre esta questão, pois somente depois que este prazo de 180 dias passar é que os bancos poderão ser fiscalizados e autuados caso seja necessário.

Para ter acesso a estas e outras informações sobre o novo sistema de compensação e cheques (Compe) acesse o site do BC.

Por Sirlene Montes

Cheque


São Paulo, Florianópolis e Vitória são as cidades líderes no ranking de melhores para empreender.

Se você é um empreendedor assíduo no mercado brasileiro, ou se é alguém que sonha em abrir o seu próprio negócio e está prestes a realizar esse desejo, precisa saber qual é a situação atual de todas as cidades que podem receber o seu próximo empreendimento.

Por isso preparamos este post para lhe informar sobre as melhores cidades para empreender. Não perca tempo, mantenha-se informado sobre a situação das cidades brasileiras lendo este texto! Confira tudo o que precisa saber a seguir!

Índice de Cidades Empreendedoras Brasileiras 2015 – ENDEAVOR

Está matéria será produzida com base no ranking oficial divulgado pela ENDEAVOR, o qual foi baseado no índice de cidades empreendedoras do Brasil também elaborado pela instituição.

O que é ENDEAVOR?

A ENDEAVOR é a maior organização de todo Brasil que dá apoio a todos os empreendedores e ao empreendedorismo em si sendo os dois de alto impacto. Ela está presente em 20 países e nasceu com o intuito de renovar o mundo através do auxílio ao empreendedor e às suas ideias.

De acordo com o trabalho da instituição ENDEAVOR, São Paulo ocupa o primeiro lugar do ranking.

A capital do estado de São Paulo está em primeiro lugar e as justificativas deste resultado são caríssimas: o mercado é gigantesco, os investimentos são altos e vem do mundo inteiro e, é claro, as condições de logística são muito benéficas para qualquer área.

Atrás desta gigante cidade estão em segundo e terceiro lugar respectivamente: a capital de Santa Catarina, Florianópolis e Vitória, capital do estado de Espírito Santo.

São Paulo em primeiro lugar na lista

São Paulo recebeu o título de melhor cidade para se empreender por manter 60% de todo o capital brasileiro considerado de risco, além disso, a cidade representa mais de 10% do PIB do país e além de tudo é uma cidade considerada hub logístico, pois possui o maior aeroporto nas proximidades do porto da cidade de Santos.

Florianópolis em segundo lugar na lista

A capital de Santa Catarina ocupa o seu merecido segundo lugar por ter vários pontos fortes, um deles é o capital humano, a mão de obra recebe muitos elogios dos que lá habitam e de quem vai pesquisar na cidade, como a equipe da ENDEAVOR. A inovação também é uma qualidade forte a ser considerada. O trabalho de crescimento da cidade começou há apenas 30 anos, pouco tempo para quem ocupa a segunda posição.

Segundo a pesquisa feita pela instituição ENDEAVOR, 60% dos jovens universitários da cidade são formados em cursos de excelência, um dado de se surpreender já que a média das cidades brasileiras é 23%. Gente para trabalhar na inovação é o que não falta em Florianópolis, de acordo com a instituição, a cidade tem mais pessoas para inovar que a cidade de São Paulo, item obtido a partir do dado que a cada 100 empresas há 18 mestres e doutores em Ciência e Tecnologia.

Para selecionar estas três cidades (São Paulo, Florianópolis e Vitória) como as melhores e mais propícias para o empreendedorismo, a ENDEAVOR fez um trabalho muito completo e profundo em cada uma, a instituição considerou 7 itens como os mais importantes e de fatores decisivos, são eles: acesso a capital, capital humano, cultura empreendedora, inovação, mercado, infraestrutura e ambiente regulatório.

Por David Ferreira

São Paulo


O cronograma de pagamento acontecerá da mesma maneira como já vem ocorrendo em anos anteriores. Confira.

Quem é aposentado e pensionista do Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, já pode começar a se programar para o orçamento do próximo ano. Isso porque o instituto já confirmou quais são as datas de pagamento de todos os benefícios para 2018.

Com divulgação oficial do novo calendário no final da última semana, o mesmo já está disponível no portal da Previdência Social, no endereço www.previdencia.gov.br. Outro site que também disponibiliza a tabela é o do próprio Instituto no HTTPS://portal.inss.gov.br.

Mesmo esquema de anos anteriores

É possível perceber pelo cronograma de pagamento que esse acontecerá da mesma maneira como já vem ocorrendo em anos anteriores. Sendo assim, conforme a entidade, aqueles que recebem um salário mínimo, terão os seus depósitos referentes a janeiro realizados entre as datas de 25 de janeiro a 7 de fevereiro.

Já os segurados que possuem uma renda mensal acima do piso previdenciário nacional, os pagamentos serão creditados somente a partir de 1º de fevereiro de 2018. É importante lembrar, todavia, que em caso de que o dia caia em feriados, o valor somente é transferido e depositado no primeiro dia útil seguinte.

E para não perder nenhum prazo, os beneficiários precisam estar atentos, pois o dia de depósito dos proventos depende de cada número final do cartão do benefício, não considerando o último dígito verificador. Para quem não sabe, esse é aquele que aparece após o traço.

Ampliação do prazo de inscrição no CadÚnico

Uma fonte ligada ao governo federal divulgou que será ampliado em pelo menos mais um mês o prazo para a inscrição de pessoas no Cadastro Único, o CadÚnico. Uma vez que a data acabaria em 31 de dezembro, quem recebesse o Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica de Assistência Social, o BPC/Loas, pago pelo INSS, corria um risco de perder a sua renda mensal, estipulada essa no valor de um salário mínimo nacional, ou seja, de R$ 937.

O governo avaliou a necessidade de uma ampla campanha para informar a população sobre o prazo final do benefício, estando esse ainda em estudo. Um motivo alegado pela fonte, inclusive, é a de que muitos não recebem o seu valor, pois não sabem que ele existe e, ainda, não possuem informações sobre o prazo de cadastramento.

Sem o recadastramento, portanto, o benefício é automaticamente cortado, mesmo que o usuário tenha direito sobre ele.

O que é o INSS e quem possui direito sobre ele?

O INSS foi criado em 1988 como uma organização diretamente vinculada ao Ministério da Previdência Social. Ele é encarregado de diversas atividades, estando entre elas a arrecadação da quantia que é paga pelos contribuintes no programa e, também, o pagamento de benefícios diversos, podendo-se citar as principais que são: aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte e auxílio-acidente.

Sobre o benefício, têm direito os idosos a partir da idade de 65 anos e pessoas que possuem alguma deficiência. Vale informar que, nessa última categoria citada, independe a idade do beneficiado.

Além disso, a renda familiar precisa ser inferior a um quarto do salário mínimo por pessoa, ou seja, de R$ 234,25. É importante lembrar que o valor é equivalente a um salário mínimo mensal do INSS, não contando o 13º salário.

Conforme o Instituto, atualmente são mais de 30 milhões de brasileiros que recebem os benefícios, entre pensionistas, aposentados, segurados por auxílio-acidente e auxílio-doença. Todos os meses, a previdência estima ainda que mais de R$ 29 bilhões em pagamentos são disponibilizados, ajudando a aquecer a economia do Brasil.

Para quem tiver alguma dúvida ou quiser alguma informação sobre o programa, pode consultá-las pelo site oficial da Previdência, no endereço já disponibilizado anteriormente.

Por Kellen Kunz


De acordo com a MP têm direito ao saque do PIS mulheres com idade igual ou superior a 62 anos, homens com idade igual ou superior a 65 anos e aposentados devidamente cadastrados no PIS até o início de outubro de 1988, que não sacaram o saldo do PIS.

O PIS (Programa de Integração Social) é um dos vários direitos do trabalhador registrado em carteira de trabalho e que a cada ano, milhões de brasileiros têm o direito de sacar o mesmo.

Criado na década de 70 para beneficiar os trabalhadores de empresas privadas, esse benefício é liberado sempre de acordo com a data de nascimento em um calendário divulgado anualmente pelo governo. Pode ser sacado tanto nas casas lotéricas através do cartão cidadão, quanto nas agências da CAIXA. Porém, muitos trabalhadores não sabem quanto tem direito de sacar deste fundo que é administrado pela CAIXA.

Tem direito a sacar o PIS, o trabalhador que tem vínculo com o programa há cinco anos ou mais, a média dos salários do ano anterior não pode ultrapassar a margem de dois salários mínimos e esse tempo de cinco anos deve ter sido cumprido em empresa que entregue em dia o RAISS ao Ministério do Trabalho e Emprego. A partir de agora, de acordo com Medida Provisória assinada pelo Presidente Temer, tem direito também a sacar as mulheres com idade igual ou superior a 62 anos, homens com idade igual ou superior a 65 anos e aposentados devidamente cadastrados no PIS até o início de outubro de 1988 e que de acordo com o texto sancionado não sacaram o saldo do PIS. Estes que são clientes da CAIXA vão poder receber o dinheiro direto em suas contas.

Felizmente, existem meios para consultar os saldos. Uma delas é se dirigir a qualquer agência da CAIXA e levar tanto o CPF quanto a data de nascimento e o número do NIS e buscar as informações já que quem administra todo esse montante do setor privado é a CAIXA. Outra opção é entrar neste endereço: https://servicossociais.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01, inserindo o número do NIS que pode ser encontrado tanto no cartão cidadão ou na carteira de trabalho e cadastrar uma senha internet para acessar utilizando a senha do cartão cidadão. A consulta também pode ser feita pelo 08007260207 de segunda a sexta-feira das 08h às 22h e no sábado das 10h às 16h.

Já aos cidadãos que querem consultar se foram beneficiados pela MP 797/2017 podem acessar o seguinte endereço: https://cotasidade.caixa.gov.br/sipab_quotas/pages/#!/home, inserindo o CPF ou o número do NIS, data de nascimento e escolhe a opção se é aposentado ou não. Caso tenha direito, uma tela irá informar se o benefício estará disponível.

Para os que consultaram e verificaram que têm direito ao saque do PIS pela MP (mulheres com idade igual ou superior a 62 anos, homens com idade igual ou superior a 65 anos e aposentados devidamente cadastrados no PIS até o início de outubro de 1988 e que de acordo com o texto sancionado não sacaram o saldo do PIS) é importante prestar atenção ao calendário de pagamento: 70 anos ou mais recebem a partir do dia 19 de outubro de 2017, já os aposentados recebem a partir do dia 17 de novembro de 2017 e os homens a partir de 65 anos e as mulheres a partir de 62 anos recebem o benefício a partir do dia 14 de dezembro de 2017.

Hoje o PIS é um complemento de renda para muitos trabalhadores. O rendimento do valor do PIS gira em torno de 3 por cento ao ano, ficando abaixo da inflação, mas sendo um programa de transferência de renda. Essa atualização dos valores é feita sempre quando se termina o período do exercício financeiro com base nos índices estabelecidos pelo conselho do PIS. Lembrando que se o trabalhador não saca este benefício na data estabelecida pelo calendário do governo este dinheiro é destinado ao Fundo do Amparo ao Trabalhador (FAT).

Por Leandrinho de Souza

Saque do Pis


Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas são uma bolha? Ou apenas um mercado muito promissor em formação?

Antes de começarmos a analisar a existência de bolhas entre as criptomoedas, é necessário dizer: este é um mercado nascente, em pleno crescimento. A tecnologia é nova, estão surgindo várias moedas com propostas diferentes, e até mesmo a especulação é incipiente, até pelo fato de que ainda é difícil, para pessoas comuns, comprarem e guardarem criptomoedas. Mas uma coisa é certa: trata-se de uma tecnologia que pode mudar, e muito, o próprio conceito de moeda, principalmente num momento em que vários governos do mundo consideram acabar com as cédulas em papel. Estônia (Estcoin) e Índia (Lakshmi) chegaram a anunciar a criação de criptomoedas estatais próprias.

Por se tratar de moedas com uma dinâmica própria, com inflação monetária definida em algoritmo e praticamente impossível de ser modificada, Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas apresentam uma oferta extremamente previsível, reduzindo enormemente a incerteza econômica. São imunes a políticas monetárias, de câmbio e não estão expostas a crises de dívida soberana. Pelo contrário: podem se beneficiar de crises nas moedas estatais, fiduciárias. A ponto de Bill Gates, da Microsoft, e Richard Branson, da Virgin, terem afirmado que bitcoin é melhor que dinheiro. Por isso, é bom ficar atento.

Também é salutar revisitarmos o conceito de bolha especulativa: trata-se de algo que é praticamente um consenso permeando todo um mercado ou uma sociedade, com preços que refletem expectativas irreais ou improváveis, muito acima de seus fundamentos ou potencial real. Neste sentido, temos duas perguntas:

  1. Há um consenso de que as criptomoedas vão só subir? Difícil dizer, mas um sinal vermelho é que muitas pessoas comuns começam a ver criptomoedas como investimento seguro.
  2. As perspectivas de crescimento futuro estão exageradas? Por se tratar de tecnologia nova, reconhecidamente disruptiva até por bancos centrais, a resposta é não. O mercado ainda é muito pequeno, mesmo considerando que a tecnologia possa atingir 10% do potencial de previsões conservadoras.

Em consequência, tudo leva a crer que não há, de fato, uma bolha especulativa no mercado de bitcoin ainda. O valor de mercado, como um todo, ainda é muito baixo para tanto. O que não quer dizer que a criptomoeda necessariamente seja a vencedora deste mercado.

Quando comparadas a outros ativos, o valor de mercado das criptomoedas é irrisório. Temos, hoje, US$ 9 trilhões de dólares em ouro; o M1 (cédulas e conta corrente) dos EUA é de US$ 3,5 trilhões; na China e Zona do Euro, cerca de US$ 8 trilhões em cada; as 60 maiores bolsas de valores do mundo concentravam US$ 60 trilhões em ativos no começo de 2016 (só a Bovespa concentrava mais de US$ 500 bilhões, isso com o mercado deprimido da época, quando a bolsa brasileira se tornou muito pequena em cenário global). Ou seja: se cumprirem todo seu potencial, de se tornarem uma espécie de bolsa de valores atrelada a uso como dinheiro para pagamentos do dia a dia, os atuais pouco mais de US$ 100 bilhões de valor de mercado são muito baixos. Se o Bitcoin conseguir atingir US$ 1 ou US$ 2 trilhões de valor de mercado, estamos falando de um preço na casa de US$ 100 mil por unidade. Mesmo Jamie Dimon, CEO do JPMorgan, que chamou o bitcoin de fraude e afirmou que vai entrar em colapso, reconhece que pode chegar a isso.

No entanto, há alguns sinais claros de bolhas nas criptomoedas, em situações isoladas, e que podem afetar, moderadamente, o preço do Bitcoin (falaremos mais sobre isso adiante). Há moedas que só são negociadas por estarem lá, com projetos parados e sem casos de uso no mundo real. Há ETFs de Bitcoin com um valor descolado do ativo que têm em mãos (configurando um sinal clássico de bolha, quando o ativo não corresponde ao valor fundamental). A questão toda é separar os projetos bons (e eles existem, em boa quantidade) dos ruins e saber a hora de sair de cada posição.

Neste artigo, vamos fazer uma análise fundamental bastante aprofundada. É algo extremamente técnico, talvez difícil de ser entendido por quem ainda não é iniciado no mercado, mas ainda assim necessário para que se possa avaliar o potencial e os riscos envolvidos em cada situação. De todo modo, o leitor leigo pode considerar este texto uma porta de entrada para entender melhor o mercado de criptomoedas e saber que conceitos devem ser estudados por quem quer se aprofundar no assunto.

Bitcoin

Bitcoin e Ethereum

Bitcoin é a porta de entrada, a moeda que o mundo inteiro compra inicialmente para depois adquirir os outros ativos (estes sim, com enorme potencial para formar bolhas individualmente). Também é a criptomoeda com maior número de casos de uso no mundo real, para transações comuns, como compra de bens e serviços e transferências internacionais de dinheiro. Vai continuar assim? Não sabemos, mas se Ethereum ou outras ganharem mais pares com moedas fiduciárias (emitidas por governos, como dólar, real, iene, rublos, etc.), no mundo todo, a demanda do Bitcoin pode diminuir, pois este intermediário poderia ser eliminado. Neste caso, o Bitcoin pode mesmo não ser o vencedor. E o Ethereum corre o mesmo risco, em longo prazo (mesmo que os ativos vencedores sejam criados em seu blockchain). Cabe lembrar que a Bittrex, uma das maiores exchanges (casas de câmbio para criptomoedas), já anunciou o Any2Any, que possibilita negociar qualquer moeda diretamente, sem passar por Bitcoin ou outros pares, capaz de eliminar quaisquer intermediários, se houver liquidez.

Ethereum, por enquanto, é porta de entrada para ICOs e, em alguns casos, para criptomoedas mais bem estabelecidas (nas exchanges, ainda, é mais comum comprar ativos, mesmo que baseados em Ethereum, com Bitcoin, mesmo).

Além de Bitcoin e Ethereum

O mercado de criptomoedas não se resume somente a Bitcoin e Ethereum. Na verdade, já há perto de 1000 criptomoedas diferentes. A maioria sem grandes chances no longo prazo, mas há algumas promissoras, como Waves, Ripple, Monero, Iota, Nxt, e outras.

Para não alongar demais o artigo, vamos analisar os fundamentos apenas destas, embora existam, certamente, vários outros projetos muito interessantes.

Waves e Nxt

Waves e Nxt são parecidas com Ethereum, mas ainda em estágio bem inicial. Embora permitam que ativos sejam criados a partir de sua estrutura de dados (o blockchain), um problema sério em ambas é ainda não suportarem smart contracts (um dispositivo que permite que a criptomoeda se comporte como um ativo contratual, como uma ação, com regras, em software para distribuição de lucros e dividendos, por exemplo, ou outras informações). No entanto, Waves já anunciou que os smart contracts estão em desenvolvimento e que seguirão modelos específicos de regras, sem necessidade de programação.

Ambas são baseadas em algoritmos classificados como “Prova de Posse” (uma tradução livre de Proof of Stake, que literalmente significa “Prova de Aposta”. O termo vem de um jargão do mercado de ações, “Stake Holder”, que significa alguém envolvido com o projeto, seja com ações, seja com trabalho, compreendendo funcionários e acionistas) ao contrário de Bitcoin e Ethereum, que são por “Prova de Trabalho” (Proof of Work). Na “Prova de Posse”, o detentor da moeda tem um incentivo a mantê-la em carteira, e seus fundos são usados para validar outras transações, rendendo uma espécie de juros para quem as detém. Já na “Prova de Trabalho”, há a figura do minerador, um indivíduo ou empresa que detém máquinas poderosas, capazes de fazer cálculos matemáticos difíceis definidos por consenso, que realizam a validação de transações, independente do montante de Bitcoins e Ethereum em sua propriedade.

Muitos argumentam que a “Prova de Posse” representa um algoritmo superior, que remunera aqueles que fazem poupança na moeda, direciona investimentos para compra da mesma no lugar de computadores potentes, gasta menos energia e é mais segura quanto a tentativas de controle da atividade de “mineração”, embora, por sua simplicidade e sua disponibilidade recente, sua segurança ainda tenha que ser provada (em artigo de 2014 no blog da Ethereum – que está adotando Proof of Stake em parte dos blocos ainda em 2017, num modelo híbrido – são levantadas muitas questões acerca da inviolabilidade do blockchain e outras de ordem econômica. Muitas dessas questões continuam relevantes até hoje).

Recentemente, a rede Burger King da Rússia criou um sistema de cupons (uma criptomoeda, no fundo), baseada em Waves, a Whoppercoin. Isso dá um exemplo do número de usos que as criptomoedas ainda podem ter. Esta plataforma tem um maior número de projetos e está mais desenvolvida que Nxt.

Uma grande vantagem do sistema Waves é que seu sistema permite que se possa realizar “leasing”, uma espécie de cessão de fundos, para os chamados “forjadores”, que agregam fundos de vários usuários e validam transações de terceiros, distribuindo as taxas como se fossem juros. Isso sem a menor possibilidade de que o forjador se aproprie de seus fundos. Afinal, não se trata de um empréstimo, mas sim como uma espécie de declaração de que você, detentor de uma quantia específica de Waves, permite que o “forjador” anuncie para outros que está validando transações com seus fundos, como se fosse uma conta em banco sem possibilidade de confisco. Note-se que Nxt também permite leasing, mas a maneira como é feita, com saques manuais e com uma taxa cobrada (em Waves a taxa só é cobrada quando se realiza o leasing e é muito mais barata – 0.01 waves contra 1 Nxt – mesmo levando-se em conta a cotação das duas moedas. Neste momento, cerca de US$ 0.07 para cada Nxt e US$ 3.50 para cada Wave).

Assim como Bitcoin e Ethereum, ambas as moedas podem acabar se tornando portas de entrada para toda uma classe de ativos e, embora sejam tecnologias muito interessantes, muito de seu atual valor de mercado se deve a especulação. Ainda assim, se forem bastante usadas, podem render uma quantidade previsível de “juros” que permita que possam ter seu valor analisado conforme o fluxo de caixa gerado, de modo similar aos títulos públicos e ações.

Note que Waves e Nxt não são as únicas neste modelo. NEO e NEM são outras dignas de nota.

Monero

Moeda muito interessante, uma variação do Bitcoin com foco em privacidade. Da maneira como é construída, os saldos de cada endereço ficam escondidos atrás de criptografia forte, o que praticamente impossibilita que um terceiro (mesmo instituições governamentais), tome conhecimento da quantia que cada usuário tem (um problema que pode afetar o Bitcoin, se o usuário não tomar as devidas precauções de privacidade).

Além disso, cada transação é realizada, por projeto, através de um sistema denominado “mistura” (“mixing”), baseado nas chamadas “assinaturas por anel” (ring signatures) que faz com que pareça que cada endereço fez negócio com uma quantidade grande de outros usuários, praticamente impossibilitando o rastreio de uma transação. Como se não bastasse, as transações ainda são realizadas por endereços temporários, que só o detentor de cada carteira tem como saber, um limite ainda maior ao rastreamento.

A desvantagem é que, por isso, as transações tendem a ser mais caras, por sua complexidade, e é necessário que o software para utilizar a moeda tenha uma cópia completa do blockchain, o que pode ocupar muito espaço no computador. Além disso, por suas características de privacidade, pode haver um maior escrutínio futuro de governos.

Seu foco e principal caso de uso seria sua utilização como reserva de valor com privacidade absoluta. No entanto, por suas características de privacidade, a possibilidade de ser proibida ou muito regulada por leis contra lavagem de dinheiro e terrorismo (MLTF) é muito maior.

Outras criptomoedas com foco em privacidade são ZCash e Dash.

Ripple

Ao contrário do Monero, no Ripple o foco é na ausência de privacidade. Como moeda direcionada ao uso de bancos e mercado financeiro, por instituições que devem estar de acordo com regulamentos do tipo “KYC” (“Know your customer” ou “conheça seu cliente”), a empresa que o mantém tem investimento da holding Alphabet (dona do Google) e já tem contratos com mais de 90 bancos para transferências internacionais.

Seu blockchain é construído de maneira mais simples e direta, e pode validar até 1.500 transações por segundo, possibilitando uma escala digna de operadoras de cartão de crédito. Um problema sério que afetou Bitcoin e Ethereum, mas já resolvido pelo Ripple.

Da maneira como é construída, é uma moeda que pode vir a ser utilizada no dia a dia (embora seus desenvolvedores tenham lançado a Stellar Lumens, quase uma versão do Ripple para adoção por pessoas comuns, ainda incipiente).

Iota

Conceito bastante interessante de criptomoeda, usa uma estrutura chamada Tangle, no lugar do Blockchain, permitindo que cada transação seja salva em computadores diferentes e que tenham altíssima escala.

Em sua estrutura, cada usuário na rede precisa validar duas outras transações antes de ter a sua aprovada, possibilitando que sejam gratuitas.

O conceito ganhou tanto apelo que, embora tenha começado a ser negociada ainda em 2017 e somente na Exchange Bitfinex, de Hong Kong, seu valor de mercado rapidamente superou a casa do bilhão de dólares.

No entanto, há dúvidas quanto à viabilidade de sua proposta e mesmo à segurança. Recentemente, sua função hash, usada para codificar suas transações, foi considerada insegura e teve de ser mudada, rapidamente, por seus desenvolvedores (no entanto, o problema foi sanado com sucesso). E mesmo o conceito de tangle ainda precisa ser comprovado em escala.

Ativos baseados em Blockchain (smart contracts)

O Ethereum trouxe duas grandes inovações, responsáveis, em grande parte, pela explosão no número de criptomoedas e os chamados criptoativos:

  • permite que criptomoedas e criptoativos sejam criados com base em blockchain já existente, aproveitando-se de estrutura e mineradores já disponíveis, o que simplifica e torna muito mais barata sua criação e manutenção, além de melhorar a segurança da rede como um todo;
  • a criação dos smart contracts, que permitem, efetivamente, que uma criptomoeda se comporte como um criptoativo. Por exemplo, ações são um contrato, que dão ao detentor poder de voto e direito a dividendos de uma determinada empresa. Os smart contracts, com regras que podem ser programadas, são a versão desses contratos para criptoativos, embora seu uso possa ser ainda mais amplo que isso.

A quantidade e a qualidade desses ativos é determinarão, em grande parte e a longo prazo, para onde o mercado de criptomoedas caminhará. Em grande parte, ainda não são ativos que dão direito a dividendos, comportando-se, em sua maioria, como criptomoedas de uso específico, mesmo porque há uma série de leis e regulamentações, em cada país, que definem regras que devem ser seguidas por empresas para que os direitos dos investidores sejam obedecidos. Essas regras são observadas e/ou definidas por comissões de valores mobiliários, como a CVM brasileira, a SEC americana e outras.

Assim mesmo, dentro da lei ou não, alguns projetos já surgiram prometendo dividendos. O caso mais famoso foi o projeto “The DAO”, que conseguiu angariar mais de US$ 100 milhões em Ethereum, ainda em 2016 (alguns bilhões de dólares hoje). Consistia num sistema de investimento automático que renderia dividendos aos seus investidores e, por uma falha de segurança, foi o responsável pela primeira grande divisão na rede Ethereum, o chamado “hard fork”, dando origem ao Ethereum Classic (mantido por mineradores que não concordaram com o fork). “The DAO” foi considerado como valor mobiliário pela SEC americana e deveria ter passado por controle de investidores qualificados. No entanto, nenhuma ação foi tomada até agora.

Há ativos, como Bankera, que já estão distribuindo dividendos. No momento em que escrevemos este artigo, vemos projetos, como o LAToken, que promete usar os fundos para adquirir imóveis em Los Angeles e distribuidor parcelas de alugueis, convertidos de dólar para Ethereum, aos seus investidores. Monaco, um projeto que visa permitir o uso de cartões de crédito pré-pagos com criptomoedas, também promete dividendos (note que estamos usando esses projetos apenas como exemplo e não endossamos quaisquer destes investimentos).

A criação destes e outros ativos e sua promessa de distribuição de lucros fez com que a cotação do Ethereum disparasse em 2017. Afinal, era preciso adquirir esta criptomoeda para poder participar dos chamados ICOs. Em última instância, são ativos deste tipo que podem levar o mercado de criptomoedas a patamares ainda muito superiores ao que encontramos hoje. Mas o caminho não é sem riscos. Regulamentações e problemas nas próprias plataformas podem fazer com que desvalorizações muito grandes aconteçam no mercado como um todo. A recente proibição dos ICOs pela China comprova isso.

Além disso, há outro risco, que afeta particularmente as moedas de entrada, como Bitcoin e Ethereum: como a arrecadação de fundos, da ordem de milhões de dólares, se deu através delas, há empresas com grande quantidade destas moedas em carteira. Empresas que, para honrar suas promessas durante seus ICOs, precisarão investir estes fundos no desenvolvimento de seus negócios, pagando salários e fornecedores em dólares e outras moedas fiduciárias, ou seja, obrigando-as a vender suas posições. Uma diminuição no ritmo de ICOs pode fazer com que exista uma maior pressão vendedora, potencialmente causando uma baixa em seu valor de mercado. Por outro lado, o surgimento de regulamentações, como a japonesa, que considera o Bitcoin como um meio legal de pagamento, e a aceitação generalizada, por parte de fornecedores e funcionários, de pagamento em criptomoedas, pode fazer com que a pressão vendedora praticamente desapareça, o que possibilitaria um aumento muito grande de preço.

Bitcoin e Ethereum podem se beneficiar de bolhas em criptoativos

Considerando o uso para adentrar o mercado de criptomoedas, Bitcoin e Ethereum ainda são moedas que podem se beneficiar de bolhas. Têm um potencial de valorização atrelado à quantidade e, até em menor grau, à qualidade dos criptoativos envolvidos. Quanto mais desenvolvido o mercado, melhor para as moedas de entrada.

A capacidade dos smart contracts (de sediar uma verdadeira bolsa de valores baseada em blockchain) mal começou a ser explorada; embora a maioria das moedas e ativos de hoje possam ser considerados sem futuro, um sinal indicativo de bolha, a dotcom só estourou quando o market cap da Nasdaq passou de US$ 6 trilhões (voltando para US$ 2 trilhões). Isso a dólar de 2000. Não significa que o mercado das criptomoeda atinja o mesmo valor (na verdade, pode ficar muito aquém disso), mas o estouro pode estar bem longe, e dá para manter um belíssimo lucro mesmo com seu acontecimento.

Mesmo que a maior parte desses ativos seja simplesmente “lixo”, baseados em projetos que não têm capacidade de gerar valor de longo prazo (algo que também ocorre em bolsas de valores, embora em menor grau pelas exigências regulatórias), seu estouro trará um impacto indireto nas criptomoedas de entrada. Como costumamos verificar no mercado, as pessoas e empresas costumam comprar Bitcoins e Ethereums para especular com estes ativos, depois vendendo-os novamente nas mesmas criptomoedas, para então entrar novamente especulando em outros ativos.

Ou seja, se não há troca por moeda fiduciária, não há uma pressão vendedora nas moedas de entrada, o que faz com que o preço destas não seja impactado por uma venda generalizada de ativos. Além disso, um estouro de bolha nesses criptoativos necessariamente fará com que seu preço desabe em relação a seus pares Bitcoin e Ethereum, o que já foi visto inúmeras vezes no mercado (dados do Coinmarketcap podem comprovar que a cada baixa geral do mercado, a baixa em outros criptoativos é geralmente maior). Isso quer dizer que, caso o investidor decida se retirar completamente do mercado de criptomoedas, o valor de venda de sua posição será menor (provavelmente muito menor) que aquele de compra, gerando um impacto reduzido no preço.

Há riscos regulatórios, principalmente no curto prazo

O investidor em criptomoedas deve, no entanto, tomar plena ciência dos riscos, principalmente de curto prazo, inerentes à criptomoedas. Como dissemos anteriormente, países importantes que proíbam ou restrinjam ICOs ou as próprias criptomoedas, podem impactar fortemente o preço das moedas de entrada. Por exemplo, o volume no mercado diminuiu consideravelmente depois que a China baniu os ICOs, e o Bitcoin perdeu cerca de 30% de seu valor.

Jamie Dimon, o CEO do JPMorgan que citamos no começo deste artigo, embora tenha usado uma retórica seja exagerada, a partir de uma posição em que há conflito de interesse, coloca um ponto válido e importante em seu argumento: o de que governos eventualmente podem banir o bitcoin porque não desejam permitir uma moeda que não possam controlar. Novamente, China comprova isso, e a própria história demonstra, com o curso forçado de moedas (obrigação de uso dentro de um país, para contratos e pagamentos do dia a dia), que esta é uma possibilidade.

Para se ter uma ideia do risco que regulações restritivas podem representar, considere também que a distribuição de Bitcoins e volume de negociação é ainda muito concentrada, embora menor que no começo de 2017. Apenas China, EUA, Japão e Coreia do Sul são, neste momento, países representativos no mercado de Bitcoin, com volume de negócios somados ultrapassando os 95%.

No entanto, o mercado mudou dramaticamente em 2017: até janeiro, 90% dos negócios com Bitcoins eram realizados somente na China. Este número caiu para menos de 10% logo antes da proibição dos ICOs e tende a próximo de zero com o fechamento das exchanges. Ou seja: a queda de 30% no preço do Bitcoin foi até suave. Se os eventos tivessem se desenrolado apenas nove meses antes, não seria exagero traçar cenários de queda de 70% ou mais na cotação da criptomoeda (algo similar ao que já ocorreu em 2013, basicamente pelos mesmos motivos, além da falência da exchange japonesa Mt.Gox). O risco tende a ser mitigado com um volume maior em outros países, principalmente se houver crescimento explosivo na Zona do Euro ou Reino Unido, mas ainda é considerável.

Outra questão que pode impactar, no futuro, é uma melhora na qualidade das moedas fiduciárias, o que pode ocorrer até pela concorrência com as criptomoedas. Um dólar forte pode representar uma menor cotação para estas, assim como acontece com ouro e prata.

Conclusão

Há sinais claros de bolhas nas criptomoedas, o que certamente pode afetar o Bitcoin e o Ethereum. Além disso, não há nenhuma garantia de que essas sejam as moedas vencedoras do mercado nos próximos anos.

No entanto, o mercado ainda é pequeno e nascente e, embora os especuladores já estejam atuando, ainda não há uma quantia significativa de investimento institucional em criptomoedas, embora já tenha começado a ocorrer.

Ou seja, o potencial de valorização ainda é consideravelmente grande, mas também há muitos riscos e volatilidade. O investidor deve ter a cautela de variar seus investimentos e acompanhar o mercado, que muda muito rapidamente. Tecnologias novas, regulamentações e outros eventos neste mercado podem fazer com que mude radicalmente, de maneira imprevisível.

É muito difícil, senão impossível no momento, avaliar o valor de mercado potencial de cada criptomoeda em particular, simplesmente porque não há fluxo de caixa previsível (com possível exceção de Waves e Nxt, vistos acima, que podem se tornar previsíveis). Sendo assim, seu valor de longo prazo dependerá, exclusivamente, de sua adoção e uso em situações reais de mercado, seja para negócios corriqueiros, do dia a dia, seja como reserva de valor. Usamos a comparação com a base monetária dos principais países para avaliar o potencial, mas Bitcoin e outras criptomoedas podem ficar consideravelmente abaixo de tais valores.

Considere este texto como uma análise de tendências, algo possível de acontecer no mercado de criptomoedas, baseadas em situações já conhecidas no momento. Em hipótese alguma deve ser visto como uma recomendação de investimento.


Entenda aqui um pouco mais sobre o CDB e o seu funcionamento.

Os grandes estudiosos economistas já explicavam que a precípua e mais lucrativa atividade de qualquer banco é a de emprestar dinheiro para, em seguida, oferecer empréstimo. É necessário que esse conceito esteja bem claro para que se possa compreender o que significa a sigla CDB. Os Certificados de Depósitos Bancários são modos de investimentos que podem dar retorno lucrativo. Para compreender bem essa atividade entre banco e cliente, são necessários alguns esclarecimentos.

Toda pessoa pode realizar depósitos em sua conta corrente, depósito à vista ou a prazo, esse valor pode ser pego emprestado pelo banco onde a pessoa possui conta. Essa soma, depósito à vista, que pode ser tomada emprestada pelo banco, é limitada, ou seja, a empresa é freada em sua ação sobre esse dinheiro, porém, ela não recompensa financeiramente o cliente por isso. Entretanto, o tipo de depósito intitulado CDB é uma ação financeira em que o cliente cede ao banco uma parcela do montante depositado. Esse valor, cedido voluntariamente pela pessoa que realiza o depósito, obriga o banco a uma restituição conforme taxa de juros, portanto, se trata de uma espécie de acordo pré-estabelecido e com prazo definido. Assim, o banco tem o compromisso de devolver o valor emprestado acrescido da taxa de juros. O CDB funciona deste modo.

Para que uma pessoa possa investir de modo mais lucrativo é necessário consultar profissionais no ramo, que poderão aconselhar e conduzir o futuro investidor nesse empreendimento. O especialista Bernardo Pascowitch, que é sócio fundador da startup YUBB, tem sempre excelentes dicas para que auxiliar as pessoas a encontrar as melhores opções de investimentos de uma maneira fácil, segura e muito simples, indicando meios e referências sobre empreendedorismo, startups, aplicação financeira e negócios. Esse profissional em investimentos realizou um longo levantamento sobre os CDBs de maior rendimento que estão disponíveis no mercado para pessoas que desejam investir, por exemplo, o valor de R$ 5.000 ou R$ 10.000, em um prazo de um ano. Ele selecionou as melhores opções a disposição, as quais são ofertas sempre sujeitas a mudanças. Uma série de opções de maior ou menor retorno financeiro, porém, ao final, quem investe tem um bom rendimento, mesmo com o desconto da alíquota do Imposto de Renda incluída.

Qualquer pessoa pode começar um bom investimento financeiro. Para que isso comece a acontecer ela precisa entrar em contato com o gerente de seu banco, estabelecer acordo para a abertura de uma Conta Investimento. O pretendente a investidor deve portar RG, CPF e comprovante de residência para iniciar a atividade. É claro que os valores a serem investidos variam entre mínimo e máximo, de acordo com a instituição financeira com que se tem contato. É uma atitude de extrema responsabilidade, pois o indivíduo não pode focar apenas na ideia de quanto esse investimento rende, pois olhar só para quanto é pago pode ser uma armadilha. Todo investimento é complexo e possui seus riscos, como nesse caso, se o banco quebrar e não devolver o dinheiro aplicado, porém, mesmo nessa possibilidade os riscos são muito poucos. O mesmo especialista, acima citado, explica que todo investidor precisa estar atento e sintonizado com seus negócios quase vinte e quatro horas por dia, sempre pensando na qualidade de seu empreendimento, que vai envolver uma série de relações comerciais e marketing. Toda a atenção é pouca nessas questões financeiras, pois o investidor é um estrategista que deve conhecer bem os tipos de mercados existentes. É importante, diz o profissional da startup YUBB, que se estabeleça uma educação financeira, ou seja, aplicação de matérias de educação econômica no Ensino Fundamental e Médio, para que cedo as noções mais básicas de finanças, tais como imposto de renda e inflação, por exemplo, possam integrar a consciência e a inteligência da população sobre essas questões e orientá-la qualitativamente na vida econômica, impulsionando para melhor todo o mercado de trabalho, a produção, o PIB e, consequentemente, a vida privada de cada um.

No site da UOL há uma pequena matéria sobre esse assunto, com referências e outros links para simulação de processos de investimentos. Acesse aqui. Como disse o próprio especialista, o pior investimento é aquele que a pessoa não realiza.

Paulo Henrique dos Santos


Salário Mínimo 2018 terá um aumento de 4,5%.

Foi sancionada na última quarta-feira, dia 9 de agosto, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO, para o ano de 2018. Em texto publicado na mesma data pelo presidente Michel Temer no Diário Oficial da União, o mesmo foi aprovado com alguns vetos.

Na mensagem enviada ao Senado por Temer, foi justificado pelo governo que alguns pontos sofrem contrariedades com os interesses públicos e a constituição. Um dos vetos, portanto, foi relacionado ao item que dizia que o Executivo deveria adotar providências e medidas que tivessem o objetivo final de reduzir o total de incentivos e de benefícios com natureza financeira, tributária, patrimonial ou creditícia. Nisso, inclui-se também o envio de proposições ao Legislativo por meio desse.

O veto teve a sua justificativa no fato de que o dispositivo teria a capacidade de tornar ilegal algumas medidas de caráter concessivo e que apresentassem alguns prementes ao longo de todo o exercício.

O outro ponto que foi vetado previa, ainda, que alguns projetos de lei e de medidas provisórias com relação ao aumento de gastos com pessoas e encargos sociais, não viabilizavam a concessão de reajustes salariais posteriores logo ao término do mandato do presidente em curso. Com isso, o governo teve como argumento o fato de que a limitação é prejudicial à negociação de estruturas salariais com os servidores de cada um dos três poderes, impondo, assim, um marco final breve para a concessão dos reajustes salariais.

O texto ainda lembra que, em muitos casos, os reajustes concedidos acontecem de forma parcelada e em mais de um exercício fiscal.

O que consta no texto sancionado?

No texto sancionado pelo presidente Michel Temer consta, portanto, que será mantida a meta fiscal que foi proposta pelo governo. Sendo assim, prevê-se que para o ano de 2018 ocorrerá um déficit primário para o conjunto relacionado ao setor público consolidado previsto em R$ 131,3 bilhões. Esse conjunto engloba as empresas estatais, os estados, municípios e, por fim, o próprio governo federal.

Desse valor total, a distribuição é feita da seguinte forma: R$ 129 bilhões são direcionados para orçamento Fiscal e de Seguridade Social da União; e os R$ 3,5 bilhões restantes para o Programa de Dispêndios Globais.

Continuando, a Lei de Diretrizes Orçamentárias estipula para 2018 um aumento no salário mínimo atual, que é de R$ 937. Sendo assim, no próximo ano esse passará para o valor de R$ 979. A definição, portanto, registra um aumento de 4,5%.

Além disso, a mesmo também projeta um crescimento real na economia brasileira de aproximadamente 2,5%. A taxa básica de juros (Selic) fica em 9%, sendo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, de 4,5% no ano. Por fim, o dólar ficará em R$ 3,40 no final do ano que vem.

É importante ressaltar que essa será a primeira vez que a LDO entrará em vigor após a aprovação de um teto de gastos públicos, uma vez que esses estão atrelados à inflação do ano anterior, em um período de 20 anos.

Regra do reajuste do salário mínimo

A regra do reajuste do salário mínimo foi aprovada no ano de 2011, no primeiro governo de Dilma Rousseff. Até então, o salário era reajustado sempre pelo presidente da República, não havendo para isso um parâmetro fixo para o valor final.

Sendo assim, todo 1º de janeiro o valor é reajustado com base na inflação do ano anterior e, também, no crescimento da economia nos dois anos anteriores. Por isso, para 2018, os parâmetros utilizados são o Índice Nacional dos Preços ao Consumidor de 2017 e o Produto Interno Bruto de 2016.

Devido à recessão da economia brasileira, que teve início no segundo trimestre de 2014, o salário mínimo não tem tido um aumento real. Sendo assim, a crise interrompeu a trajetória da valorização que vinha acontecendo desde a implementação no Plano Real.

Sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias

A Lei de Diretrizes Orçamentárias é a responsável por estabelecer as metas e as prioridades do governo, levando em conta o ano seguinte. Com isso, ela orienta a elaboração de uma lei orçamentária anual, fixando os limites em orçamentos dos poderes Judiciário e Legislativo e, ainda, do Ministério Público.

Kellen Kunz


Saiba aqui mais detalhes sobre o Saque do Lucro do FGTS.

Uma boa notícia para quem está precisando de um dinheiro extra. O governo brasileiro anunciou que o trabalhador brasileiro que sacou o seu FGTS inativo também poderá receber parte do lucro atingido no fundo. A decisão de distribuir este lucro entre os trabalhadores faz parte da mesma MP (Medida Provisória), que determinou o saque das contas inativas e que permitiu a retirada de aproximadamente 44 bilhões entre os contribuintes brasileiros até o mês de julho, conforme divulgou a Caixa Econômica.

A distribuição do lucro tem o objetivo de aumentar a rendibilidade do fundo do FGTS. Esta medida será inclusa nas regras comuns do Fundo de Garantia a partir de 2017. Confira abaixo todas as informações necessárias para saber quem e quando é possível fazer o saque o lucro do FGTS:

Como funciona a distribuição do lucro FGTS

O dinheiro referente ao lucro do FGTS será depositado até o dia 31 de agosto. Porém, é importante ressaltar que o saque só pode ser feito em casos específicos, ou seja, não são todos os trabalhadores brasileiros que serão beneficiados por esta distribuição. Estima-se que 240 milhões de contas do FGTS, tanto ativas quanto inativas, que tenham saldo em 31 de dezembro, irão receber um valor que é proporcional à metade do lucro líquido obtido pelo fundo por meio de investimentos no ano passado.

Segundo o governo, a distribuição do lucro será realizada de forma proporcional ao saldo disponível em cada conta do FGTS. Portanto, mesmo que o dinheiro da conta tenha sido sacado anteriormente, ainda assim o valor será depositado na mesma conta.

O valor do lucro do FGTS ainda não foi divulgado oficialmente, mas entende-se que o lucro obtido em 2016 tenha atingido em torno de R$ 14,5 bilhões, possibilitando que R$ 7 bilhões sejam distribuídos nas contas dos trabalhadores brasileiros.

Quem pode sacar o lucro FGTS

O lucro do FGTS não pode ser sacado sem justificativa. O saque do dinheiro pode ser realizado nos seguintes casos:

· Quando há demissão sem justa causa;

· Quando a rescisão do contrato é feita devido à extinção total da empresa: fechamento dos seus estabelecimentos, agências ou filiais, supressão de parte dos seus serviços, por falecimento do empregador individual ou decreto de nulidade do contrato de trabalho, conforme o II do art.37 da Constituição Federal, se mantido o direito ao salário;

· Quando há o término do contrato por prazo determinado;

· Quando há a rescisão do contrato por força maior ou culpa recíproca;

· Na aposentadoria;

· Quando o Trabalho Avulso é suspenso pelo prazo igual ou acima de 90 dias;

· Quando há a necessidade pessoal, grave e urgente, proveniente de desastre natural, que tenha afetado o trabalhador, além dos casos de emergência e situação de calamidade, devidamente reconhecida pelo Governo Federal;

· No falecimento do trabalhador;

· Quando ou trabalhador ou o seu dependente é comprovadamente portador do vírus HIV;

· Quando o titular da conta do FGTS tiver 70 anos ou mais;

· Quando o trabalhador ou seu dependente tem câncer;

· Quando o trabalhador ou seu dependente está em estágio terminal, por conta de uma doença grave;

· Quando o trabalhador está há 3 anos consecutivos fora do regime FGTS, onde o afastamento deve ter acontecido a partir de 14/07/90. Neste caso, o saque pode ser feito no mês de aniversário do dono na conta;

· Quando a conta vinculada não recebe depósito por 3 anos consecutivos, devendo o afastamento ter acontecido até 13/09/90;

· Para a compra da moradia própria, para o pagamento de parte das prestações, amortização ou liquidação do financiamento habitacional feito no SFH;

· Para a liquidação, amortização de saldo devedor ou pagamento de parte das prestações adquiridas por meio de sistemas imobiliários de consórcio;

Quando você pode sacar

Conforme já foi dito, o dinheiro do lucro do fundo do FGTS será depositado no dia 31 de agosto de 2017. A partir desta data, se você tem direito a receber o benefício, é preciso procurar uma agência da Caixa Econômica Federal e fazer a sua solicitação.

Simone de Paula Leal


Processo de venda deverá ser finalizado nas próximas semanas.

Foi anunciado nesta quarta-feira, dia 19 de julho de 2017, pela varejista francesa de música e livros Fnac Darty, um acordo que fará a venda de suas operações no país para a Livraria Cultura.

De acordo com as informações apresentadas pela Fnac Darty, será realizada a licenciatura da marca da Fnac para essa nova empresa e será feita uma recapitalização para auxiliar a companhia a tornar melhor sua posição dentro do mercado.

Todavia, o grupo francês, porém, não deixou público o tamanho da recapitalização e também não deu demais detalhes acerca do acordo feito com a Livraria Cultura.

De acordo com informações disponíveis no site do G1, ao serem procuradas pelas equipes de reportagem no Brasil, as duas empresas optaram por não se manifestar acerca do assunto, ao menos não de imediato. A conclusão a que se chega é de que o processo de venda deverá acontecer nas próximas semanas.

Sabe-se que a operação da Fnac no Brasil engloba 12 lojas distribuídas por 7 estados do território nacional, além das atividades de comércio eletrônico. A companhia francesa está operando no país desde o ano de 1999 e atualmente está empregando cerca de 550 colaboradores. De acordo com a varejista francesa, as operações que acontecem no Brasil acabam sendo responsáveis por menos 2 por cento das vendas do grupo por ano (que são de 7,4 bilhões de euros).

A unidade da Fnac do Brasil estava no grupo de empresas do setor de varejo (de eletrodomésticos e eletrônicos) colocadas à venda após o modelo de negócios de lojas amplas e pequeno giro de estoque passou a ser cada dia mais insustentável dentro do pior período de recessão vivido no país.

Já no que se refere à Livraria Cultura, sua fundação ocorreu há mais de 70 anos e hoje em dia possui 18 lojas físicas, além da operação realizada por meio de comércio eletrônico. Em comunicado à imprensa, a companhia fez a afirmação de que a união entre esses dois grupos irá criar sinergias e valores, a partir do compartilhamento de suas culturas similares e permitirá que a Livraria Cultura possa diversificar seus negócios, somando a eles novas linhas de serviços e também de produtos.

Iris Gonçalves


Caso negócio seja concretizado teremos a criação de uma nova gigante no comércio eletrônico.

Segundo uma notícia que foi veiculada por meio do site Exame, a gigante Netshoes está processo de negociação para adquirir a sua principal concorrente no mercado, no segmento de comércio eletrônico no Brasil, a Dafiti.

Logo depois de três meses que o capital foi aberto na bolsa de valores de New York, a grande empresa varejista Netshoes tenta realizar o que diversos especialistas apontam como sendo o seu mais ousado movimento.

O fundador da Netshoes, conhecido como Marcio Kumruian, deu início ao processo de negociações para que fosse realizada a compra da grande concorrente, a Dafiti, a qual é o fundo alemão Rocket que controla.

Se esta fusão vier a se concretizar de fato, uma gigante do comércio eletrônico seria criada, que logo de início iria contar com faturamento de aproximadamente 4 bilhões de reais.

A gigante empresa de comércio eletrônico Netshoes teve sua fundação concretizada ainda no ano de 2000, por dois sócios: Hagop Chabab e o próprio Marcio Kumruian, que agora realiza o processo de negociação com a Dafiti. No último ano, 2016, a empresa conseguiu registrar uma receita líquida que alcançou a incrível cifra de R$ 1,74 bilhão, diante R$ 1,51 bilhão conquistada no ano de 2015.

Ambas as competidoras, Dafiti e Netshoes, do atual comércio eletrônico dentro do mercado brasileiro são rivais ferrenhas e desde sempre acabam perdendo dinheiro e não é pouco não, o prejuízo acumulado chegou a atingir a impressionante marca de R$ 151,9 milhões no último ano (2016), por outro lado, há dois anos, em 2015, o valor chegou aos R$ 99,5 milhões.

Entretanto, a companhia teve a capacidade de conseguir concluir o ano de 2016 com uma quantidade de 5,6 milhões de usuários ativos, o que representa uma elevação de 18,9% se comparado com o ano de 2015.

Embora muitos veículos de comunicação tenham falado e criado diversos rumores sobre a aquisição da Dafiti por parte da Netshoes, a empresa informou que não tem o costume de comentar os rumores que ocorrem no mercado atual, em suas próprias palavras.

Se a Dafiti será comprada ou não ainda não é possível dar uma certeza, é preciso esperar.

FILIPE R SILVA


Atualização:

Passado o primeiro de agosto, o mercado aceitou muito bem as mudanças, afastando, quase por definitivo, qualquer possibilidade de complicações técnicas no Bitcoin, pelo menos no curto e médio prazo.

O Segwit foi ativado e o hardfork realmente aconteceu, dividindo a moeda em duas: Bitcoin e Bitcoin Cash. As exchanges depositaram esta última normalmente nas contas de seus usuários e, pelo menos por enquanto, não houve fuga maciça de Bitcoin Cash, com usuários mantendo-as em carteira e permanecendo a criptomoeda com um bom valor de mercado.

Quanto ao Bitcoin, após cair para cerca de R$ 5.000,00 no mercado brasileiro (após uma alta de até R$ 13.000,00) em junho, a moeda se valorizou até chegar aos R$ 18.000,00. Mesmo com as más notícias chinesas, o que levou a uma queda para próximo de R$ 13.000,00 novamente, o Bitcoin voltou a ganhar valor e agora é negociado acima de R$ 15.000,00.

Interrupção e Atualização complexa do serviço põe em cheque o futuro da moeda virtual.

O final deste mês de julho deve ser bem importante para o mercado das moedas digitais, inclusive para o Bitcoin. No último dia do mês, dia 31, às 21h (no horário de Brasília), a criptomoeda poderá sofrer uma interrupção de serviço complexa e isso pode acabar sendo um problema para os detentores desta moeda virtual.

Segundo informações do site Bitcoin.org, é ideal que não se realize transação alguma por pelo menos 48 horas antes do evento, isso porque moedas bitcoins que forem recebidas podem acabar desaparecendo da sua carteira, ou ainda não ser aceita como forma de pagamento. Assim que essa situação for resolvida, poderão ocorrer duas situações diferentes:

Uma delas é o fato de que as coisas permaneçam como está atualmente, outra é a possibilidade da Bitcoin se tornar duas criptomoedas, ou até mais, concorrentes, o que faria com que o preço desta moeda virtual despencasse.

O site citado anteriormente também indica para que os usuários não deixem suas moedas em algum tipo de Exchange que não de permissão para o mesmo fazer um backup local de suas chaves privadas. Caso eles aceitem transações ao decorrer do período de interrupção, as moedas podem acabar desaparecendo e assim, todos os usuários podem acabar sofrendo perdas.

Além destas recomendações, o site Bitcoin.org ainda dá mais duas, dizendo que o bitcoin pode ser altamente volatil, então a melhor coisa é não segurar mais moedas do que o usuário pode perder. A outra é para os usuários evitarem pessoas que prometem realizar a multiplicação de suas moedas.

Um brasileiro especialista em bitcoin disse que uma alternativa mais segura é por a venda todas as moedas de sua carteira antes da chegada do acontecimento e então comprá-las mais tarde, assim que o resultado após o ocorrido seja conhecido.

A bitcoin é uma moeda virtual criada em meados de 2008 por Satoshi Nakamoto e funciona de maneira descentralizada, isto é, não possui nenhuma instituição, órgão ou banco que detenha a regulação da mesma. Ela por si só possui a capacidade de se auto regular.

FILIPE R SILVA


Entenda aqui o que significa e como é o funcionamento do Mercado de Opções.

Se você é um pequeno investidor e está pensando em algo maior em seus investimentos para ganhar mais dinheiro, tenho a certeza de que você já pensou em investir em ações. Se afirmativo, podemos dizer que o negócio é lucrativo, entretanto, antes de por os pés, ou melhor, o seu suado dinheiro no concorrido mercado das bolsas de valores, é melhor você estar por dentro de alguns conceitos bastantes elementares nesta área.

Para começar, os iniciantes devem aprender o conceito de opções. Se uma determinada empresa ou uma pessoa física possui uma ação do mercado, então ela é dona de uma opção e o seu dono é o titular. São estas opções que podem ser negociadas no mercado, como nas bolsas de valores.

Estas opções podem fazer parte do leque dos chamados ativos de cada titular. Entende-se por ativos aquilo que podemos negociar e transformá-lo em dinheiro. É a parte positiva(+) de um balanço financeiro.

Quando se tem opções disponíveis, os seus titulares podem tanto vendê-las quanto comprá-las num determinado espaço do tempo, que chamamos de exercício. Elas possuem um preço que pode ser negociado em um determinado intervalo, o chamado strike price.

Algumas ações só podem ser negociadas até um determinado prazo ( sistema americano). Outras só poderão ser negociadas, ou seja, vendidas ou compradas no dia do vencimento daquele prazo (sistema europeu).

Neste ponto, devemos entender o conceito de lançador, ou seja, aquele que se compromete negociar as opções de um titular em um determinado. Entram aí as bolsas de valores, que irão receber do dono das ações um prêmio pela especulação do montante a ser negociado e o titular pode receber um valor a qualquer hora pelo risco de colocar seus ativos nas mãos daquele operador.

E quando falamos em compra e venda, como podemos entender tudo isto?

Se o lançador vai vender as ações de uma empresa, antes ele recebe um prêmio por isto e assume o compromisso da venda.

Se ações estão cotadas naquele dia da venda a R$ 50,00, por exemplo, no mercado e a própria empresa consegue comprar as mesmas ações a R$ 30,00, ele terá um lucro com a venda de seus ativos. Se o lançador percebeu que o preço iria cair e vendeu mais barato, o dono das ações apostou na subida e se deu bem. Conseguiu comprar mais barato e ganhou dinheiro no mercado.

O processo contrário também é verdadeiro. Caso o lançador se comprometa a comprar as ações de um titular, ele recebe um prêmio também. Se o preço das ações for cotado no mercado estiver abaixo do valor da venda, então o titular terá lucro ao vendê-las.

Este são apenas alguns dos conceitos básicos utilizados no complexo mundo do mercado de ações mundiais. Para quem quiser se aprofundar mais, um dos sites bastante interessantes é o Infomoney, que além de dar dicas sobre investimentos, pode esclarecer ao leitor sobre todos os conceitos e termos utilizados no mundo dos negócios.

Emmanoel Gomes


O Ibovespa respondeu positivamente após a condenação do ex-presidente Lula e encerrou o dia 12 de julho em alta.

Com a notícia de que o ex-presidente do país, Luiz Inácio Lula da Silva, foi condenado a cumprir 9 anos de prisão, pelo juiz Sérgio Moro, o principal índice da bolsa de valores de São Paulo acabou fechando em alta nesta quarta-feira, dia 12 de julho de 2017.

O Ibovespa já estava apresentando uma trajetória positiva neste dia que é posterior à aprovação da reforma trabalhista no país, pelo Senado, aumentando a alta no começo da tarde.

O índice aumentou 1,57%, chegando aos 64.835 pontos. Na semana e neste mês, a bolsa tem, respectivamente, acumulado alta de 4,03% e 3,08%. No ano, existe um avanço de 7,65%. Quanto aos destaques, a Petrobras aparece entre as principais altas, aumentando 3,9% nas ações ordinárias e 4,95% nas ações preferenciais.

O mercado de câmbio também apresentou um efeito parecido. O dólar, que já diminui para cerca de R$ 3,23, fechou em R$ 3,20.

De acordo com especialistas entrevistados pelo site do G1, diante dos desdobramentos da denúncia contra o atual presidente, Michel Temer, os mercados não apresentaram reações com tanta força. A condenação do ex-presidente Lula indica para o mercado que a operação Lava Jato, de fato, possui efeitos reais, caindo por terra as dúvidas sobre a capacidade do juiz Moro de fazer a condenação de uma grande figura pública.

É preciso ter em mente que a decisão do juiz Sérgio Moro traz ainda mais incertezas no que se refere cenário político e econômico do Brasil, de acordo com especialistas, tendo em mente que torna maiores as chances de que demais figuras políticas que estão hoje no poder também possam ser condenadas, o que inclui o atual presidente do Brasil, Michel Temer.

Sobre a Reforma Trabalhista

Antes que fosse divulgada a notícia da condenação do ex-presidente Lula, o mercado já apresentava reflexos da aprovação da reforma trabalhista, que foi feita pelo Senado Federal. Na véspera dessa aprovação, o Ibovespa chegou a 1,28%, alcançando os 63.832 pontos. Por mais que tenha apresentando uma alta maior que 1% pelo segundo dia consecutivo, os operadores afirmam que ainda é muito cedo para dar certezas de que o mercado está ingressando em uma tendência de alta.

Por Iris Gonçalves

Ibovespa em alta


No dia 11 de julho a Ibovespa operou em alta após a aprovação da reforma trabalhista que implica na modificação de mais de 100 pontos da CLT.

Apresentando um tom positivo, com amparo na aprovação da reforma trabalhista na noite de terça-feira, 11 de julho, o principal índice da bolsa paulista operou em alta ao longo do dia, apresentando o terceiro pregão seguido de ganhos.

Constatou-se que às 11h20, o Ibovespa aumentava 0,44 por cento, a 64.111 pontos, após avançar 1 por cento, que foi a máxima da sessão até então. No que se refere ao giro financeiro, constatou-se 1,95 bilhão de reais.

A aprovação da reforma trabalhista implica na modificação de mais de 100 pontos da CLT, tendo sua aprovação no plenário do Senado por 50 votos a favor e 26 votos contra, além de uma abstenção.

Confira alguns destaques da Bolsa de Valores, em especial no que se refere ao Ibovespa, nesse cenário:

· PETROBRAS PN: aumentava 2,84 por cento e PETROBRAS ON subia 2,6 por cento, tendo uma linha que demonstrava ganhos dos preços do petróleo dentro do mercado internacional. Neste mesmo radar constavam os resultados de julgamentos na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) favoráveis à empresa, bem como a aprovação do conselho de administração da Petrobras para abrir o capital da BR Distribuidora.

· USIMINAS PNA: aumentava 2 por cento, depois que anunciou o reajuste de 10,7 por cento no valor dos laminados a quente.

· CSN ON apresentava alta de 1,16 por cento, ao passo que a GERDAU PN aumentava 0,73 por cento.

· BRADESCO PN crescia 1,82 por cento, auxiliando no tom positivo do Ibovespa em função do peso na sua composição.

· ITAÚ UNIBANCO PN apresentava uma leve queda de 0,32 por cento, com investidores analisando a decisão da superintendência-geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), sobre a recomendação para aprovar a aquisição das operações de varejo oferecidas pelo Citibank.

· GPA PN apresentava uma valorização de 0,42 por cento e depois fez o registro de alta de 9 por cento na receita líquida do segmento de varejo alimentar.

· VALE PNA baixava 0,46 por cento e VALE ON apresentava diminuição de 0,7 por cento, dando de volta os ganhos observados mais cedo e estando na contramão do desempenho dos contratos futuros de mineração de ferro na China.

Por Iris Gonçalves

Ibovespa em alta


Reforma Trabalhista agora depende apenas da sanção do presidente Michel Temer para passar a valer.

Nesta terça-feira, dia 11 de julho, foi à votação no Senado questões acerca da reforma trabalhista. O texto que traduz as novas formas de acordar o trabalho entre empregadores e empregados, foi aprovado, sendo assim, agora a aplicação depende do presidente Michel Temer, ou seja, está nas mãos dele sancionar ou não as novas normas.

Essa reforma, chamada trabalhista, vem com novas definições no que diz respeito a questões contratuais, alterando alguns textos da CLT, sugerindo novas configurações para jornada de trabalho, férias, entre outros assuntos.

Modificações na nova lei trabalhista poderão ser feitas através de medidas provisórias. Acionar medidas provisórias foi uma opção muito visada e negociada, prometida para os opositores, a fim de tentar aprovar a proposta no Congresso de forma mais rápida.

O que muda?

O primeiro item que vamos abordar são as férias: antes eram 30 dias, que podiam ser divididos em dois períodos não inferiores a 10 dias, sendo possível também receber ⅓ do pagamento proporcional ao período, no formato de abono.

Agora, as férias podem ser divididas em até 3 períodos, desde que acordado entre as duas partes interessadas, sendo que um deles deve ser de pelo menos 15 dias corridos.

A questão jornada de trabalho é uma das mais discutidas. Na lei trabalhista vigente atualmente, o limite da jornada de trabalho é de 8 horas por dia, sendo no formato de 44 horas por semana, somando 220 horas por mês, sendo permitidas também 2 horas extras num período diário.

Agora, as 220 horas semanais continuam, sendo que a jornada pode ser de 12 horas, com 36 horas de descanso. O limite semanal é de 44 horas por semana. No caso de horas extras, esse número sobe para 48.

A questão de tempo na empresa também foi alterada, não contando momentos em que o trabalhador está na empresa, executando uma tarefa que não seja a função dele, ou seja, momentos em que o trabalhador descansa, estuda, se alimenta ou troca de trajes para vestir o uniforme, não contam como tempo de jornada.

Regras acerca da remuneração, descanso, transportes, regras de planos de carreira, entre outros, também foram modificadas. O texto começa a valer 4 meses depois de publicado no Diário Oficial.

Carolina B.


Conheça aqui um pouco mais sobre a operação financeira Hedge.

Hedge são operações que tem como objetivo proteger. A palavra é derivada do inglês (em tradução livre: CERCA). É uma posição contrária daquela que se tem no mercado físico, por exemplo, um produtor de milho necessita da proteção contra a queda nos valores, desta forma, no mercado futuro assume posição vendida, é como se vendesse sua safra de maneira antecipada.

Confira alguns exemplos:

Este produtor confere que a saca do milho no mês de maio é comercializada por R$ 30,00 na BM&F, tendo um custo de produção no valor de R$ 20,00 por saca, o mesmo deseja garantir a margem de lucro de R$ 10,00 por saca, antecipadamente, isso porque ele não sabe o comportamento do mercado e então decide garantir essa margem de lucro. Vamos supor um cenário de baixa e um de alta dos valores:

Primeiro cenário:

O milho, em setembro, está R$ 40,00.

O débito do produtor é de R$ 10,00 a saca na BM&F, porém, no mercado físico ganha R$ 10,00.

Na BM&F, preço Hedge: R$ 30,00.

Em Setembro preço de: R$ 40,00.

O produtor paga um ajuste o valor de R$ 10,00 por saca, mas vende seu o produto por R$ 40,00 no mercado físico, sendo assim, garantiu os R$ 30,00. Ou seja, o que foi perdido na BM&F foi recuperado no mercado físico pela valorização da saca, isto é, pela operação de proteção, onde o mesmo, ao montar sua operação, prevê seu ganho.

Segundo cenário:

O milho em setembro no valor de R$ 20,00. Na BM&F, o produtor tem um crédito no valor de R$ 10,00 a saca, porém, no mercado físico perde R$ 10,00.

Na BM&F preço Hedge: R$ 30,00.

Em Setembro preço de: R$ 20,00.

Produtor tem ajuste no valor de R$ 10,00 a saca, mas no mercado físico vende seu milho por R$ 20,00, garantindo os R$ 30,00 por saca. Isto é o ganho adquirido na BM&F compensou a desvalorização da saca que ocorreu no mercado físico, operação de proteção.

O Hedge não tem como objetivo obter lucros, mas de travar o preço, assim se protegendo em um cenário adverso.

FILIPE R SILVA


Nova criptomoeda cresceu 4.000% em apenas seis meses e já começa a ameaçar o Bitcoin.

No início do ano, um ether equivalia US$ 8 (aproximadamente R$ 26), neste mês está valendo US$ 340 (aproximadamente R$ 1.135).

Em abril, o ether era somente uma entre as 762 moedas virtuais da internet com as quais podem-se se realizar diversas operações, inclusive sacá-las em moeda física.

Nos últimos anos, surgiu o Bitcoin como principal moeda virtual no mercado de criptomoedas e continua a mais valorizada, valendo US$ 2.693,91 (equivalente a R$ 9.000) para cada unidade.

Desde o começo de 2017, o ether teve sua cotação aumentada em 4.250%, sendo a segunda criptomoeda de maior valor, segundo o CryptoCurrency Market Capitalizations.

Restrições de uso

Ao contrario de outras moedas, o ether funciona sobre a plataforma Ethereum, sendo único local de uso.

Lançado em meados de 2014, o Ethereum é um software que permite realizar aplicações sem um ponto centralizador, como bancos ou instituições, sendo regulado apenas pela Fundação Ethereum.

Tal recurso usa uma blockchain, cadeia de bloco de transações que garantem a segurança das transações.

Ether e Bitcoin

Para operar no Ethereum há um custo, que devem ser pago na própria moeda.

Cada processamento executado pelo dispositivo do usuário há um preço. Segundo a fundação, o valor garante a qualidade do processamento na plataforma.

Durante boa parte do ano de 2015, a moeda não chegou a US$ 1.

As vésperas deste ano, o mercado de moedas virtuais era dominado em 91,3% pelo Bitcoin, em segundo lugar o Ripple (com 2,8%) e em terceiro o Litecoin (com 2,15%), sendo que apenas 1% era representado pelo Ether.

Entretanto, neste cenário: a porção do Bitcoin foi reduzida no mercado chegando a 39,8%, já o Ether aumentou e atingiu 28,5%.

De acordo com o historiador econômico, Garrick Hileman, da London School of Economics (LSE) e da Universidade de Cambridge, essa mudança se deve a três razões.

O segundo motivo é referente às características mais "sofisticadas" desta moeda, a qual torna possível projetar tais transações. E, no entanto, o motivo mais importante, é que diversos empreendedores encontraram as vantagens disponibilizadas pelo Ethereum para que se consiga financiamento: a ICO, da sigla inglês, Oferta Inicial de Moedas. Acredita-se ainda que seu valor evolua consideravelmente.

FILIPE R SILVA


Saiba como funciona o Tesouro Direto, os rendimentos e como investir.

Em tempos de crise, muitas pessoas estão começando a repensar a forma de usar seu dinheiro. Grande parte da população não sabe investir o seu dinheiro e por conta disso acaba se enrolando e entrando em muitas dívidas.

Porém, outras pessoas, que aprenderam e tem o hábito de guardar o dinheiro que sobra no final do mês, depositam em uma poupança.

Para aqueles que buscam por mais informações sobre educação financeira ousam um pouco mais, investem seu capital em ações e chegam até ter bons rendimentos e um retorno bem maior do que a poupança, onde os rendimentos são bem pequenos.

No entanto, existe uma outra forma de guardar seu dinheiro e que os rendimentos podem ser até 50% maiores que o de uma poupança convencional. Quer entender um pouco mais sobre este investimento? Continue lendo este texto que você vai ter uma nova alternativa de como aplicar seu dinheiro de forma mais rentável.

O que é o Tesouro Direto? É uma poupança?

Alguém já deve ter escutado que o Tesouro Direto é a nova poupança que o governo quer que as pessoas apliquem seus rendimentos.

Você fica na dúvida e se pergunta: Tesouro Direto? Uma nova poupança?

A poupança todos já entendem e conhecem como funciona por ser mais simples, não tem cobrança de imposto, não existe qualquer custo. E muita gente gosta de guardar suas economias nela.

Muitos pensam a poupança é a melhor forma de guardar dinheiro! Será mesmo?

Estudar um pouco de educação financeira é muito importante, porque você vai encontrar novas alternativas para rentabilizar seu capital e também vai ter mais clareza em relação a este assunto.

Mas, o que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto foi desenvolvido em parceria com o BMF&F, é um Programa criado pelo Tesouro Nacional que utiliza a internet para venda de títulos públicos para pessoas físicas.

Para que você possa entender melhor, o Tesouro Direto é uma ferramenta que o governo criou para que qualquer pessoa possa comprar títulos públicos pela internet sem precisar contratar um especialista em investimentos.

Seria mais ou menos assim, você empresta dinheiro para o governo e recebe juros por este empréstimo.

O que é um Título Público?

É uma forma que o governo criou para financiar atividades como investimento em educação, saúde e infraestrutura. São opções de renda que são fixas e elas são usadas para captar estes recursos para custear a dívida pública com os investimentos que foram citados acima.

Quais são os títulos?

São 3 tipos: o Tesouro Selic, o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA. O Selic você ganha de acordo com a variação da taxa, por exemplo, se estiver em 15% a taxa, seu rendimento será sobre esta porcentagem.

O Prefixado você já sabe quanto é a sua rentabilidade e quando será o resgate. Esta é uma opção para quem quer ter mais segurança e uma rentabilidade mais sólida é uma boa opção.

O IPCA é de acordo com a variação da inflação e mais uma taxa que é prefixada. Quem quer garantir o poder de compra e não que perder dinheiro para inflação em longo prazo, este tipo é uma boa opção.

Investimento mínimo

Com apenas R$ 30,00 você já pode começar a investir no Tesouro Direto, ou seja, na compra de títulos públicos. A rentabilidade é bem maior que a poupança e chega ser em média 50% maior.

Como investir?

A primeira exigência é ter um CPF e uma conta corrente em uma instituição financeira. Em seguida, escolha o banco ou uma corretora que vai intermediar suas transações com o Tesouro Direto.

No site do tesouro direto www.tesouro.fazenda.gov.br você vai encontrar todas as informações necessárias e uma lista das instituições que são autorizadas para trabalhar com os títulos federais.

Entre em contato com o banco que você escolheu e se cadastre. A partir daí você deverá enviar todas as documentações necessárias para que o seu banco possa abrir uma conta em seu nome para o Tesouro Direto.

Uma senha provisória será enviada da BM&FBovespa para acessar a área restrita do Tesouro Direto, onde poderá visualizar todas as transações e consultar extratos e saldos.

Troque a senha por outra com pelo menos 8 à 16 caracteres com letras e números e alguns caracteres especiais. A partir deste momento você já é um investidor do Tesouro Direto.

Como você já sabe quais são os títulos, agora é só verificar qual é o que encaixa em seu objetivo e começar as aplicações.

Por Marcio Ferraz

Tesouro Direto


Banco ainda não informou data de lançamento da função.

Clientes que possuem conta no Banco do Brasil muito em breve irão contar com uma funcionalidade para que se possa realizar uma transferência de recursos e fazer divisão de contas por meio do aplicativo de mensagens instantânea WhatsApp. Esta nova solução, a qual recebeu o nome de “Pagar ou Receber”, irá fazer uso de um QR Code e também das mensagens trocadas por meio do aplicativo para que assim possa realizar as suas transações.

Esta solução desenvolvida pelo Banco do Brasil é destinada principalmente para os grupos de indivíduos que desejam realizar a divisão ao pagar as contas. O recurso irá estar disponível para os usuários na tela inicial do aplicativo do Banco do Brasil. No momento em que o cliente realizar o acesso, o mesmo irá receber o QR Code com informações que contém o número de sua conta corrente e de sua agência.

De acordo com informações publicadas pelo próprio Banco do Brasil, a partir deste momento, o indivíduo que for responsável por realizar a transferência poderá fazer a leitura da imagem no display do seu aparelho ou então receber a mensagem contendo as informações, diretamente no seu aparelho smartphone. Feito isso, o aplicativo do BB novamente será ativado para que a transação seja confirmada com segurança.

O Banco do Brasil ainda concluiu que além de facilitar a transferência, tornando a mesma ainda mais prática e rápida, o recurso Pagar ou Receber consegue fazer a eliminação de um problema bem frequente, que é a devolução de valores que foram transferidos devido a inconsistências ao preencher de forma errada os dados bancários como agência e conta.

A tecnologia atual de smartphone e aparelhos como tablet tem facilitado muito a utilização de serviços e recursos online e o Banco do Brasil tem investido alto no uso de recursos para seus clientes e o Pagar ou Receber é mais uma comodidade para os utilizadores do Banco.

Embora o BB tenha divulgado a noticia, ainda não foi informado nada com relação a data em que o app será lançado.

FILIPE R SILVA


Negócio foi realizado pelo valor de US$ 200 milhões.

A empresa escandinava AINMT e a NII Holdings publicaram na última terça-feira um acordo onde a controladora da Ice pode realizar um investimento no valor de US$ 200 milhões na Nextel, desta forma podendo assumir o controle da empresa brasileira.

Segundo as informações do comunicado das empresas, a AINMT irá investir a princípio US$ 50 milhões pela compra de uma fatia de 30% da Nextel Holdings, a qual é subsidiária total da NII, empresa que atualmente controla a Nextel Brasil. Depois, contará com a opção de mais um investimento, no valor de US$ 150 milhões.

A primeira ação deverá ser tomada até dia 15 de novembro. Já a segunda operação deverá ser realizada até o dia 31 de janeiro de 2018. A Nextel acredita que a operação se conclua ainda nos primeiros três meses de 2018.

Caso a AINMT realize o segundo investimento de US$ 150 milhões, a empresa brasileira Nextel contará com uma solidez financeira ainda maior para continuar com sua estratégia recém criada para expansão que conta com contínuos investimentos em mercados chave com a ideia de expandir sua base de clientes.

De acordo com o comunicado, o negócio irá fornecer para a Nextel um crescimento de capital que revitalizará o mesmo e irá permitir que a empresa de telecomunicações seu crescimento.

Para que a transação seja concluída será necessário um aditamento das dívidas da companhia e à substituição e a liberação de algumas garantias existentes, sem contar outras condições de fechamento, que inclui aprovações antitruste e regulatórias e uma aprovação tanto de terceiros como dos acionistas da NII.

O Bradesco BBI comentou através de uma nota aos clientes que a comercialização da Nextel para a escandinava AINMT é considerada inesperada e ainda que visualizava como os três principais compradores os participantes do mercado, entre eles a TIM.

De acordo com os analistas Tales Freire e Fred Mendes, o valor de até US$ 200 milhões deverá facilitar muito a atividade da Nextel Brasil, entretanto, não irá resolver os problemas de liquidez da empresa, assim podendo ser que necessite de uma nova injeção de valores futuramente.

FILIPE R SILVA


Conheça aqui todos os serviços ofertados pelo Banco Next.

Conforme comunicado feito pelo banco, o Bradesco fez o lançamento de sua plataforma 100% digital, o “Next”, nesta segunda-feira, 05 de junho. O desenvolvimento do projeto durou 2 anos e agora está disponível para download no Google Play e na App Store, para Android e iOS.

A plataforma tem uma proposta inovadora, com o objetivo de relacionar-se com clientes que procuram diferentes formas de gerenciar seu dinheiro.

Além dos cartões de débito e crédito, que podem ser utilizados nos autoatendimentos do Bradesco, o banco oferece ferramentas que possibilitam mais organização financeira, como a criação de orçamento mensal, com controle de gastos feito por categorias, criação de objetivos e outros. Também é possível através da plataforma do aplicativo: abrir conta, fazer pagamento de boletos, consultar saldo e extrato, além de controlar dados do cartão de crédito e até mesmo solicitar empréstimos.

Pacotes para aquisição:

A criação de conta no Next está sujeita à escolha de um dos pacotes oferecidos. As tarifas partem do valor de R$19,95 e vão até R$ 39,95. O pacote mais básico é o chamado: “Na Medida”, que inclui desde cartão Next Internacional, até saques, DOC e TED, com utilização ilimitada, inclusive para contas em outros bancos.

Os outros dois planos disponíveis são: “Tem Tudo” e o “Turbinado”, os quais além de terem os mesmos serviços disponíveis no outro plano, também permitem que o usuário participe do Programa de Milhagens Livelo. Entre os dois a mudança está no cartão de crédito disponível, que pontua com valores diferentes entre eles. Nos primeiros 5 meses de utilização o cliente fica isento de tarifas da conta.

Mais pacotes de serviços

Com o Next o Bradesco oferece pacotes de serviços partindo do valor de R$5,50, que é o “Click Conta”, um pacote mais barato do que o pacote mais simples oferecido pelo Banco Digital.

Um outro fator importante e que certamente influenciará na utilização do app Next é a indisponibilidade da Digiconta, uma conta digital gratuita que desde abril não está mais disponível para novos clientes do banco.

Para o desenvolvimento da plataforma Next o investimento do Bradesco teria sido algo em torno dos R$120 milhões, segundo informação do Estado de S. Paulo.

Por Silvano Andriotti


Saiba aqui quais são as marcas que fazem parte do Grupo JBS.

O Brasil há muitos anos é cenário para grandes empresas nacionais e internacionais. Devido a sua extensão territorial, economia que cresce a cada ano e o número de pessoas que podem vir a ser uma boa quantidade de mão de obra, o país se tornou o local para muitas empresas atuarem. E uma dos maiores grupos empresariais do país é a JBS.

Fundada nos anos 50, no estado de Goiás, a instituição detém o título de maior empresa de alimentos de todo o mundo. A empresa foi criada por José Batista Sobrinho e começou com um pequeno açougue na cidade de Anápolis. Com o passar dos anos, a organização foi aumentando a sua produtividade e consequentemente aumentando seus domínios empresariais e tendo mais lucro. Dois momentos importantes ajudaram mais ainda a expandir os números da JBS. O primeiro aconteceu em 2007, quando as ações da empresa ingressaram na bolsa de valores e o segundo foi quando o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, comprou algumas ações da empresa e colocou muito dinheiro na empresa, o que fez com que ela atingisse o patamar que possui hoje.

Atualmente, a companhia atua no mercado nacional e internacional. São mais de 20 países nos quais os seus produtos são comercializados. Além disso, a JBS possui em seu portfólio mais de 40 marcas dos mais variados produtos do gênero alimentício.

As marcas que fazem parte do grupo são:

– América do Sul:

Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai: Seara Gourmet, Pena Branca, Tekitos, Wilson, Excelsior, LeBon, Delicata, Macedo, Confiança, Rezende, Doriana, Seara, Canelones, Hans – Frigor, Frangosul, Do Chef Friboi, Big Frango, Anglo, Reserva Friboi, Angus Friboi, Maturatta Friboi, Massa Leve, Plate, Amour, Cabaña las Ilas, Swift Black, Swift e Friboi.

– América do Norte:

Canadá, Estados Unidos, México e Porto Rico: Country Pride, Gold Kist Farms, Wing Dings, Pierce Chicken, Pilgrim’s Pride, King Island, Swift Australia, Great Southern, Beehive, Primo, Swift Premium, Swift, Cedar River Farms, 5 Star, 1855, Aspen Ridge, La Herencia, Swift 1855 e Swift Premium.

– Europa:

Reino Unido, Itália, Holanda, França e Irlanda: Moy Park, O’Kane e Rigamonti.

– Oceania:

Austrália: King Island, Swift Australia, Great Southern, Beehive, Primo, Swift Premium, Swift, Cedar River Farms, 5 Star, 1855 e Aspen Ridge.

Todas essas marcas representam uma receita anual de mais de 150 bilhões de reais e com lucro de mais de 350 milhões por ano.

Isabela Castro.


Conheça aqui as principais vantagens e desvantagens com relação ao real e dólar.

O que é este boom que está nas mídias das moedas virtuais? Porque muitas pessoas estão falando sobre elas? E porque também os hackers estão tão interessados nestas moedas?

Você já deve ter escutado sobre o Bitcoin e também deve estar acompanhando as diversas notícias que está praticamente todos os dias em diversos canais que abordam o assunto de finanças e economia.

Diante de tanta mídia sobre estas moedas criptografadas, algumas dúvidas aparecem em relação a sua segurança e também aos riscos que este tipo de moeda pode oferecer.

E por conta desta nova "moda" ou "tendência" que ainda existe muitas incertezas, por isso neste post vamos falar um pouco sobre as vantagens e desvantagens das moedas virtuais em relação ao dinheiro físico.

As moedas virtuais são uma moda, futuro da economia ou um alto risco para os negócios?

O Bitcoin é um termo que está sendo visto como o mais utilizado na internet no momento. Todos os dias aparecem novas notícias sobre estas moedas digitais, entre essas notícias, encontramos sobre a abertura de lojas virtuais que trabalham exclusivamente como forma de pagamento o Bitcoin.

Esta moeda tão famosa pode trazer alguns danos para as pessoas. Algumas entidades financeiras elaboraram alguns relatórios que afirmam que o Bitcoin possui algumas semelhanças com os esquemas de pirâmides, aqui no Brasil é muito conhecido como “Marketing Multinível”.

Moeda sem controle

É importante ressaltar que não citamos sobre as compras de Bitcoin, mas que é preciso ter a consciência dos riscos que esta moeda ainda em desenvolvimento possui, já que não tem qualquer controle dos governos.

Por conta disso, é importante ficar ciente dos riscos e vários problemas que podem ocorrer, principalmente roubos ou por que não a desvalorização brusca dessas moedas virtuais.

Para quem usou ou pensa em usar estas moedas como forma de investimento, perdas financeiras podem ser iminentes.

A forma como são desenvolvidas estas moedas é baseado em processamento de máquinas (pc´s) que são usadas para “minerar”, com algoritmos complexos. A analogia feita é como se o Banco Central estivesse dentro da sua casa.

Para minerar alguns centavos de Bitcoin, alguns usuários relatam que é preciso pelo menos 12 horas de mineração. Alguns vlogueiros especialistas no assunto afirmam que é um péssimo investimento.

Muitas pessoas são influenciadas pelo sonho do dinheiro grátis, onde fazem altos investimentos em maquinários e não obtém o retorno de seus capitais.

Vantagens e Desvantagens

Já citamos algumas desvantagens desta moeda virtual, principalmente pela forma como é disponibilizada, não sendo centralizada e controlada por uma entidade financeira, portanto, é uma moeda totalmente “descentralizada”.

A criptomoeda, como também é conhecida por utilizar de criptografia em seu desenvolvimento contra fraudes e falsificações, é uma das vantagens em relação ao dinheiro físico que é utilizado pelos bancos.

No Brasil, por exemplo, existe um alto índice de falsificações das cédulas todos os anos, um fato que não existe controle.

Outra vantagem é que o Bitcoin permite realizar muitas transações de forma rápida e fácil através dos smartphones usando apenas um aplicativo e também qualquer pessoa pode fazer uso dele e transferir quantias de forma anônima.

Não há necessidade do uso de cartões de crédito ou senhas. Transferências e pagamentos são feitos rapidamente por conta da criptografia e porque seu sistema é descentralizado, independente dos bancos.

Perigos da moeda virtual

Os pagamentos que são feitos em Bitcoin são irreversíveis, ou seja, uma vez realizada a transação não existe a possibilidade de estornos, que é comumente feita pelas instituições com os cartões de crédito.

Não existem muitos locais que aceitam este tipo de moeda, por conta dos riscos e também dos roubos das carteiras de Bitcoin.

O uso ilegal nas transações anônimas é também muito utilizado no mercado negro para a compra de drogas ou armas.

Os roubos das carteiras podem ser feitas por hackers e uma vez roubadas não há restituição ou reversão dos valores subtraídos, justamente por não ter controle por um banco.

Dados importantes

Em 2014, uma das maiores casas de intercâmbio de Bitcoin informou que cerca de mais de 450 milhões de dólares que foram investidos em moeda virtual estavam faltando e que possivelmente foram roubados.

Agora fica a pergunta: assumir o risco? Sim ou não? Faça pesquisas antes de entrar neste novo modelo de investimento.

Marcio Ferraz


Preço do Bitcoin agora: [stock_quote symbol=”CURRENCY:BTCBRL” show=”name” decimals=”2″ number_format=”” template=”BITCOIN %price% %changep%” nolink=”0″ class=””]

Atualização – setembro de 2017

 

Desde que publicamos este artigo, muita coisa mudou no mercado de criptomoedas. A China baniu as ofertas iniciais de moedas (ICOs) e várias casas de câmbio (exchanges) de Bitcoin anunciaram seu fechamento. Isso fez com que o preço do Bitcoin desabasse em 30%.

Mas não antes de ter atingido US$ 5 mil em mercados internacionais e R$ 18 mil no Brasil (que continua tendo um Bitcoin mais caro que a média mundial). Ou seja, os números que colocamos aqui, em junho, há três meses, são mais baixos que os atuais. Neste momento, o Bitcoin é negociado a cerca de US$ 3,600 nos mercados internacionais. E o Bitcoin é negociado acima de R$ 13.000,00 no Brasil, seu pico de junho.

Por outro lado, o Ethereum, que parecia ameaçar a hegemonia do Bitcoin, perdeu um pouco do seu apelo com as regulamentações chinesas (como é uma moeda que se beneficia, essencialmente, de ICOs, acaba sendo particularmente atingida). Seguiremos acompanhando.

No entanto, o que não muda são nossas ressalvas. Bitcoin é um ativo com muito potencial, mas também muito risco e, principalmente, não pode ser precificado como uma ação que gera dividendos e renda, ainda que variável, para seus detentores. Seu potencial valor é inferido, por nós, a partir de comparação com outros ativos que também se comportam como moeda.

Deixaremos o texto original, de junho, abaixo, na íntegra, para você acompanhar tudo o que dissemos sobre a criptomoeda.

Conheça aqui um pouco mais sobre o Bitcoin e seu valor potencial

Se você esteve ligado às notícias ou à timeline do seu Facebook nos últimos meses, é bem provável que tenha ouvido falar sobre esse tal de Bitcoin.

Mais do que isso, é possível que você tenha ficado interessado em destinar parte do seu dinheiro para investir nele.

Afinal, você só ouviu falar bem e os números mostram como ganhos estratosféricos foram obtidos a partir dessa moeda digital.

Toda a beleza do Bitcoin está ligada ao fato de ele não existir fisicamente. Por isso é chamado de moeda digital.

Sua estrutura de rede, o Blockchain, permite que em questão de minutos Bitcoins sejam transferidos entre usuários e, melhor, de forma completamente anônima e com um alto nível de segurança. O que reduz drasticamente os custos de transação, principalmente em transferências internacionais. A Accenture, por exemplo, afirma que o uso de criptomoedas baseadas em blockchain pode gerar uma economia de US$ 8 a 12 bilhões anuais em infra-estrutura para os maiores bancos de investimento do mundo. Muita coisa.

O anonimato nas transações chamou a atenção do mercado negro e da deep web (o submundo da internet) anos atrás e, por isso, o Bitcoin teve seus primeiros anos com uma imagem negativa, sendo considerado algo que só hackers usariam (nota do editor: o usuário de Bitcoin deve se atentar, no entanto, que todas as transações, desde o início, são salvas no Blockchain. Ao revelar informações pessoais junto de um endereço de Bitcoin, a identificação do usuário pode ser possível).

Ao longo dos anos, o Blockchain, a tal rede, foi ganhando força e relevância e o Bitcoin, junto com outras moedas digitais (como Litecoin e Ethereum), ganhou relevância. Independência de governos e bancos (o valor investido não rende juros ou dividendos, como em aplicações de renda fixa ou ações, mas em compensação está seguro contra inflação), facilidade e segurança nas transações e forma de proteção contra crises foram aspectos que começaram a ser debatidos.

Como você pode esperar, isso fez com que muito mais gente começasse a se interessar pela moeda digital. E hoje quero falar sobre os efeitos disso.

O Bitcoin começa a ser considerado um tipo de investimento, apesar de para mim não ser um investimento como os que você conhece, mas sim um elemento mais especulativo (inclusive pelo fato de não render juros e dividendos). Nem por isso é algo ruim. Pelo contrário.

Conforme vai ganhando mais espaço e aderência mundialmente (há inclusive governos começando a adotar o Bitcoin como forma de pagamento regularizada, como é o caso do Japão), a atenção se volta para seu potencial de valorização.

Se olhamos para seu preço há exato um ano, é assustador. Naquela época, 1 Bitcoin valia cerca de 500 dólares ou 1700 reais. Hoje vemos algo completamente diferente: aproximadamente 2500 dólares ou 9500 reais. Note que os valores não são uma conversão exata. Como é negociado em várias plataformas, cada uma tem um preço diferente para o bitcoin. Na Coreia do Sul, por exemplo, o bitcoin, atualmente, custa cerca de US$ 1,000 a mais que nos EUA.

Até aí, tudo bem. Quem comprou 1 Bitcoin há um ano está felizão, vendo seu dinheiro se multiplicar por mais de 5 vezes.

Porém, muita atenção!

Eu penso que nada garante que isso vai continuar assim.

Vamos pensar no seguinte: ninguém sabe quanto vale o Bitcoin.

Como assim? Bom, constantemente ele supera seu maior valor histórico. Quando isso ocorre, ninguém sabe ao certo qual o novo patamar onde se pode chegar. O que existe são apenas especulações.

E essa é a graça toda do jogo. Como qualquer inovação, o futuro do Bitcoin é extremamente incerto. Se todos nós já soubéssemos seu valor justo ou o que vai acontecer com a moeda daqui seis meses, deixaria de ser uma inovação, por definição.

Ou seja, se você decide comprar Bitcoins para buscar a valorização, ótimo. Mas lembre-se que você está apostando em uma inovação e nem todas elas dão certo.

Por isso, a única coisa que eu te peço é um pouquinho de atenção. Se você compra Bitcoins, faça isso com a cabeça tranquila de que você pode perder tudo. Ou ganhar muito. É parte do jogo.

Mas evite se deixar levar pela manada, como no caso da semana passada. A moeda atingiu seu maior pico em 13.000 reais e geral saiu comprando. Dois dias depois, a inevitável correção: Bitcoin a menos de 10.000. Mais de 25 por cento de queda.

Nessas horas, o cara que comprou no pico se desespera, vende e perde grana.

E esse comportamento se repete, dia após dia, com todos os tipos de investimentos.

Mas você, que está aqui para montar uma mentalidade financeira forte já sabe: não tente acertar no curto prazo.

Se for para jogar, entre para jogar o jogo inteiro e não só para bater o pênalti. E se for pra comprar Bitcoins, leia sobre ele, se interesse, saiba seus riscos e potenciais. Tenha em mente de que é um tipo de moeda ao portador, de uma maneira parecida com as fotos que você tem em seu celular. É necessário fazer backup para não perdê-las para sempre e ter cuidado para que hackers não tenham acesso à sua carteira (leia mais sobre uso de bitcoin com segurança).

O valor potencial

Após nossa introdução e enfatizado seu caráter especulativo, vamos a alguns fatos que podem nos dar uma luz quanto ao valor potencial de um bitcoin.

Se a criptomoeda se tornar um meio de pagamento amplamente aceito (há quem aposte que, em 2030, será uma das seis mais usadas do mundo) e, mais que isso, continuar a ser vista como uma reserva para momentos de crise, rivalizando com metais como ouro e prata, é um tanto quanto consenso que seu valor está muito baixo. Não se deixe levar pelo valor de face acima de R$ 9.000,00 no momento. Não é isso que determinará o preço. No lugar disso, considere que há apenas 21 milhões de bitcoins que podem ser emitidos (“mineirados”), que há pouco mais de 16 milhões de bitcoins em circulação e que o valor total dos bitcoins hoje soma menos de US$ 40 bilhões. Para uma moeda digital, é pouco.

A título de comparação, se juntarmos todos os bitcoins do mundo ao preço atual, não dá para comprar sequer uma empresa como o Paypal, a líder de pagamentos online, que vale US$ 65 bilhões hoje. Uma Apple então nem se fala. A fabricante dos iPhones vale incríveis US$ 810 bilhões, mais de 20 vezes o valor somado dos bitcoins.

Ou seja, para uma moeda, ainda mais uma de alcance mundial, o Bitcoin ainda vale muito pouco. Tanto que o Saxo Bank considera que o preço unitário da moeda pode passar dos US$ 100 mil em 10 anos. E ainda pode ser uma estimativa conservadora. Quem lê em inglês pode ver essas previsões, onde o preço potencial fica acima de US$ 1 milhão.

Como também estudamos e investimos em criptomoedas, cabe, no entanto, algumas ressalvas. No momento, podemos vislumbrar alguns fatores que podem fazer com que o Bitcoin possa ser menos utilizado em alguns anos, perdendo valor potencial:

  • o primeiro é o limite de transações por segundo. Pelo próprio desenho da rede, o Bitcoin suporta, atualmente, cerca de 300 mil transações por dia, algo que já está perto do limite. Para título de comparação, a Visa processa cerca de 2 mil transações por segundo (fonte em inglês).
  • o segundo é que a criptografia utilizada, embora bastante robusta para os padrões atuais, é relativamente fácil de ser quebrada pelos computadores quânticos que começam a surgir, o que pode levar a problemas de confiabilidade.
  • o terceiro, e até mesmo em decorrência dos dois primeiros, é o risco do Bitcoin ser suplantado por outra criptomoeda. No momento, a Ethereum tem crescido até mais rapidamente que o Bitcoin, e já ultrapassa metade do valor de mercado da primeira. Com uma tecnologia de Blockchain mais robusta, que permite melhor integração e desenvolvimento de aplicativos que suportam carregamento de informações, a nova criptomoeda tem ganho adeptos do peso da Intel, Microsoft, Accenture e JP Morgan e, no momento, revela-se a grande rival do bitcoin para tornar-se uma criptomoeda de padrão mundial.

 

Por fim

Para começar a entender bem sobre o bitcoin, seu potencial e seus riscos, é interessante assistir a este vídeo do Inversa Pub, uma discussão entre um dos grandes expoentes e entusiastas de Bitcoin no Brasil, o economista Fernando Ulrich, e o também economista Ricardo Schweitzer, ex-analista da Empiricus:

Baseado no texto de Jean Carlos Weber Andrades


Saiba aqui algumas dicas para usar o Bitcoin com segurança.

A carteira digital é um sistema, um software onde são armazenadas chaves públicas e privadas. Elas permitem que o usuário envie e receba uma moeda digital. Para utilizar a moeda digital Bitcoin ou qualquer outra moeda digital é necessário ter uma carteira digital. Será com a carteira digital que o usuário poderá checar o seu saldo, enviar e receber fundos, além de realizar operações financeiras. Assim como você protege sua carteira em dinheiro fazendo com que fique pouco dinheiro em espécie, o mesmo deve ocorrer para a carteira digital, deixar pouca quantidade de Bitcoin armazenado em seu computador ou outro aparelho digital.

Nossa dica é usar o Electrum, que armazenará sua carteira como um arquivo em seu computador, mas permitindo fazer cópias. Caso você tenha uma grande quantia, o uso de uma carteira em hardware, como Ledger Nano S ou Trezor são recomendados.

Para você entender como funciona, o sistema Bitcoin (assim como a maioria das outras moedas digitais, como Ethereum), funciona com base em criptografia, onde há uma chave pública (o seu endereço, que você divulga para receber pagamentos) e uma privada, que é como se fosse a chave do seu cofre, e que deve ser mantida com a máxima segurança.

Se você perder ou “esquecer” a chave privada (a chave do cofre), você nem ninguém mais conseguirá ter acesso aos seus fundos. Se alguém conseguir ter acesso a ela, esta pessoa poderá roubar seus fundos. Portanto, mantenha tudo sob a máxima segurança.

Sempre faça backup de sua carteira

Copie sempre os dados de sua carteira em um disco externo, com o backup ficará protegido de alguma falha no sistema ou humana. Ao salvar os dados é possível recuperar seu wallet, em caso de ter seu celular ou computador roubado. Uma boa prática é criptografar os backups, para caso ocorra de ser infectado por algum software malicioso. Use diferentes armazenamentos como pendrives, documentos ou mídias. Também vale guardar sua senha e frase de recuperação em documentos em papel, mantidos fora dos computadores.

Isso vale inclusive para carteiras em hardware, como Ledger e Trezor.

Faça do backup um costume

É necessário sempre salvar os dados da sua carteira e organizar os armazenamentos, sempre quando houver alguma mudança de endereços de Bitcoin. Verifique se todos os endereços criados estão inclusos no armazenamento.

Escolha uma senha forte

Faça uso de senhas que contenham letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos (ex.: kstGvWz20AE_AF00&), também pode ser usado senha de várias palavras, podendo ser em outros idiomas, porém, não esqueça dos caracteres. Senhas simples demais podem ser vulneráveis de serem descobertas. É necessário que sua senha tenha no mínimo de 12 a 16 caracteres. Lembrando que existem programas criados especificamente para criar senha. É importante que a senha seja difícil. É fundamental que anote sua senha em um local seguro, caso venha esquecer a sequência, seu saldo será perdido permanentemente. Existe limite para recuperação de senha com Bitcoin, sendo diferente dos bancos.

Atualize sempre o seu software

Atualizar o software Bitcoin possibilitará receber as correções estáveis, as atualizações são importantes pelo fato de prevenir alguns problemas, também irá incluir novas funcionalidades que ajudaram em manter a carteira protegida.

Gisele Alves de Brito


Confira aqui uma lista com os melhores sites para comprar Bitcoin no Brasil.

Com o avanço das tecnologias surgiram os comércios eletrônicos fazendo a diferença no relacionamento de compradores e vendedores, isso é possível graças as moedas digitais, como é o caso do bitcoin, que é uma criptomoeda gerada pela internet através de um processo que podemos denominar “mineração”.

O bitcoin funciona como uma moeda virtual, a diferença é que não ocorrem intermediações de bancos ou autarquias financeiras, é um sistema aberto, não possui um dono. Mesmo que o bitcoin seja associado a uma moeda digital, seu valor é real, podendo ser convertido em valores reais. Podendo ser usado como investimento ou pagamentos de produtos e serviços. O Bitcoin já é aceito por milhares de lojas no mundo, segundo uma pesquisa da BitPay, a porcentagem de comerciantes que aceitam a moeda virtual aumentou significativamente nos últimos anos, podendo destacar que as transações feitas com bitcoin tiveram um grande avanço.

Caso queira investir em bitcoins no Brasil, conheça as exchanges mais conhecidas para realizar essa transação. Podemos definir Exchanges como sites onde os usuários se cadastram para a venda e compra de bitcoins, na maioria delas é necessário preencher um cadastro e ao finalizar e emitir documentos, alguns não são necessários a emissão de documentos, principalmente as de fora do Brasil. Sendo assim, conheça quais são as exchanges brasileiras que trabalham com essa transação:

1 –Mercado Bitcoin – A empresa de moedas digitais foi criada em 2011,é uma das primeiras exchanges, possui grande visualização na mídia brasileira e internacional, no ano de 2015 superou a marca de 35 milhões de reais negociados.

2 – FOXBIT – Fundada em 2014,a FOXBIT é uma bolsa de bitcoins, possui mais de 10 mil clientes e nós últimos 18 meses movimentou mais de 90 milhões de reais em transações de bitcoins, é referência na plataforma de bitcoins e blockchain no país.

3- Bitcointoyou – Fundada em 2010, a Bitcointoyou começou a trabalhar com a transação de bitcoins em 2013, a empresa destaca como credenciais segurança e agilidade.

Essas plataformas são os mais populares, porém, existem outros sites que realizam essas transações de compra e venda de bitcoins, principalmente no Brasil. Existe hoje ferramentas online que facilitam na compra de bitcoins, ranqueando os sites com Bitcoins mais barato.

Gisele Alves de Brito


Há diversas maneiras de adquirir as moedas digitais de empresas estrangeiras ou, até mesmo, comprar ações negociadas em bolsa de empresas estrangeiras que nada tenham a ver com criptomoedas. Confira como fazer.

 

Os bitcoins são as conhecidas moedas digitais. A sua criação é virtual, sem a intervenção de bancos, da União ou de qualquer governo.

Para quem não sabe, ela é uma moeda virtual descentralizada criada no ano de 2008 no grupo virtual The Cryptography Mailing por um programador de origem japonesa, Satoshi Nakamoto. Vale ressaltar também que a transferência de bitcoins é realizada por meio de transações entre o endereço remetente e o destinatário na rede de Bitcoins. É possível fazer a auto transferência de Bitcoins também, de um endereço (carteira) para outro, da mesma titularidade.

Ela é fabricada aos poucos, e cada vez mais o número de moedas que podem ser criadas vai diminuindo. Até chegar a 21 milhões, o número máximo (atualmente estamos com pouco mais de 16 milhões). Pela escassez desta moeda, os bitcoins sofrem muito pouco com as variações dos índices de inflação. A referida moeda virtual pode ser comprada e vendida de forma online ou até mesmo offline, em uma espécie de leilão virtual. Veja aqui alguns sites para comprar bitcoin.

E elas podem ser usadas para diversas transações, entre elas a compra de ações em empresas estrangeiras. Mas, será que vale a pena? As transações dessa moeda virtual são instantâneas, mas depende das flutuações de nosso sistema financeiro e da própria volatilidade da moeda.

Além disso, você estará em um terreno cinzento, talvez sem a devida cobertura de uma comissão de valores mobiliários (no caso de criptomoedas que prometem dividendos, isso é uma certeza, no momento). E ainda pode estar infringindo normas de remessas ao exterior. Não é a mesma coisa que comprar uma ADR.

Pois bem. O Bitcoin está sendo aceito por algumas corretoras de valores, permitindo que os internautas possam comprar ações com esta moeda, o que, basicamente, abre as portas para pessoas de qualquer lugar do mundo investirem. Por ser o bitcoin uma moeda de cunho global, você pode comprar ações de empresas como Apple Inc, Johnson & Johnson, Facebook, Google, Amazon e outras empresas estrangeiras, usando apenas as suas criptomoedas.

Vale ressaltar que a Bolsa de Valores de Nova York criou um índice de conversão entre a moeda virtual e o dólar americano. Todavia, outras instituições já adotaram este método antes como a Bloomberg, a Microsoft e a própria Google. O índice é publicado no site da instituição periodicamente.

Investindo em ações com bitcoins

 

Keza

Existe um aplicativo de nome Keza, que pode ser baixado em dispositivo tipo Phone (IOS), no qual é possível investir as criptomoedas em carteiras pré-definidas. Inclusive, no aplicativo mencionado, ele traça um perfil do investidor e direciona os tipos de investimentos adequados a cada perfil.

1broker

Usuários de PCs ou Android não estão desassistidos. Velho conhecido da comunidade de criptomoedas, 1broker.com.

Cobrindo mais de 40 mercados, 1broker permite investir em ações de grandes empresas, índices das maiores bolsas de valores do mundo, commodities como petróleo, além de mercados de moedas estatais, como dólar americano, australiano, yuan e outros. E conta com limites altos, de 500 a 2.000 bitcoins (BTC), dependendo do mercado.

SimpleFX

Similar ao 1broker, mas com uma interface mais direta ao ponto, SimpleFX também permite negociar moedas, commodities, ações, e índices. Mas conta com um maior número de empresas listadas.

Vale a visita.

Outras opções

 

Por ser um mercado nascente, novas empresas estão sendo criadas a todo momento. Uma lista atualizada é sempre mantida nesta conversa de fórum no bitcointalk (em inglês).

 

Baseado no texto de Anneliese Gobbes Faria

Bitcoin


Saiba aqui o que é e como comprar Ethereum.

Depois dos cyberataques ransomware, em que os hackers sequestram os dados dos equipamentos e devolvem apenas mediante pagamento, o valor das criptomoedas foi às alturas.

O Bitcoin foi a moeda preferida e escolhida pelos hackers para liberar o acesso aos dados roubados da pessoa que sofreu este atentado.

Para se ter uma ideia, hoje o valor de 1 bitcoin está variando entre R$ 9.000,00 e R$ 9.400,00. Será que deu para entender o motivo dos hackers começarem os ataques?

Neste artigo vamos falar sobre uma outra moeda digital, o Ethereum. E que como consequência desta nova tendência, está com os valores cada vez mais altos. Continue lendo este texto e entenda o que é este “concorrente” do Bitcoin.

Ether é a moeda do Ethereum

O Ethereum é basicamente uma plataforma open-source que usa de recursos de computação distribuída que faz uso de blockchain e executa contratos inteligentes.

O blockchain é uma espécie de livro-razão de forma estruturada que registra todas as entradas financeiras ou registros de transações em Bitcoins. E estas transações são assindadas digitalmente (criptografadas), na qual garante a autenticidade e evita a adulteração das mesmas.

É definido também como um computador de escala global e com proteções contra censura, que dá o poder aos seus usuários de usar a plataforma de um forma segura e totalmente distribuída em suas aplicações.

O Ether é a moeda que circula na rede Ethereum e são utilizados como forma de pagamento por usar os recursos dessa rede e também por intermédio das transações que ocorrem na plataforma.

Ethereum x Bitcoin

Para que você entenda o poder e a diferença do Ethereum e o Bitcoin, vamos por analogia. Imagine que o Bitcoin é uma calculadora que é usada no Blockchain e o Ethereum seria um smartphone que qualquer pessoa pode criar e escrever códigos para que se transformem em aplicativos e o detalhe é que um desses aplicativos seria uma calculadora.

Para você ter a real noção do que é o Ethereum, ele usa o blockchain em um nível muito além do que o Bitcoin utiliza atualmente.

A tendência é que em um futuro bem próximo, o blockchain será uma revolução tão grande quanto a internet foi e um dos projetos que está mais a frente em relação ao blockchain é o Ethereum.

Como comprar a moeda do Ethereum?

Ainda não existe corretoras para que seja comprado Ether aqui no Brasil. É possível que este texto possa ficar ultrapassado em pouco tempo e acredito que irá, porque a evolução do Ethereum está em uma crescente que logo já haverá outras formas de aquisição.

Para que seja entendido, embora ainda não tenha uma corretora no país, não é ilegal comprar Ether. É possível comprar qualquer moeda, desde que se declare o Imposto de Renda da compra.

Para comprar Ether, você terá que comprar Bitcoins e converter os Bitcoins em Ether.

Os passos para isso são: primeiro criar uma carteira de forma segura do Ether, depois comprar os Bitcoins em reais e por fim converter os Bitcoins em Ether.

O site que é recomendado para que seja criado a carteira Ether é o https://www.myetherwallet.com/. No entanto, antes de começar suas transações, faça um estudo sobre esta nova plataforma e veja os passos corretos para a criação e como proceder.

Depois de criar a carteira, você poderá trocar seus Bitcoins e para isso você terá que buscar as casas de câmbio que trabalham com criptomoedas e fazer a transação. Como as criptomoedas não tem regulação de instituições financeiras, existe sempre um risco, portanto, pesquise muito bem antes de começar a trabalhar com estes modelos de transações.

Gostou deste artigo? Compartilhe para outras pessoas que possam se interessar por este assunto que está em uma crescente.

Quer conhecer um pouco mais sobre a Ethereum? Então confira o vídeo abaixo e confira mais detalhes.

Marcio Ferraz


Entenda aqui o que é e como funciona as criptomoedas.

Uma revolução virtual que foi criada para abalar o mercado financeiro a nível mundial. Neste artigo vamos abordar um assunto que está abalando diversos mercados e já está sendo considerada como a mais nova tendência mundial e que pode definir o futuro da comercialização de produtos, serviços e investimentos.

Qual é a origem da criptomoeda?

Este modelo de moeda foi criada no ano de 2009, por um programador, cuja identidade é desconhecida, porém, é identificado por Satoshi Nakamoto, criador da chamada “moeda virtual bitcoin”.

Existem muitas especulações sobre o criador da moeda virtual, porém, ainda há muitas incertezas em relação a sua real identidade. Vários repórteres investigativos buscam informações sobre quem é o criador, entrentanto, ele foi o responsável por este boom no mercado mundial.

A primeira moeda virtual se popularizou e hoje já é chamada como a moeda do futuro, dinheiro da internet e dinheiro virtual. Independente da nomenclatura, a sua popularidade aumentou ao redor do mundo devido aos benefícios e diferenciais que ela possuí em relação as moedas tradicionais.

Quais são os benefícios da moeda virtual?

O dinheiro da internet, como é conhecido, já é muito utilizado para comprar diversos produtos e vendê-los com taxas menores e com muito mais rapidez.

Por ser uma moeda descentralizada, ou seja, não há o controle de nenhuma instituição financeira para que haja a circulação no mercado, o Bitcoin (moeda virtual) se transformou na primeira rede onde os próprios usuários controlam esse sistema financeiro.

Como funciona?

Para entender como funciona o processo de captação de moedas virtuais, ele é comparado ao sistema do ouro, ou seja, os bitcoins são mineirados.

Para mineirar alguns bitcoins é preciso ter um computador com bom desempenho, ter programas adequados instalados específicos para a captação de bitcoins e estar integrado à uma rede de computadores.

A estratégia é que quanto mais difícil for para conseguir um bitcoin, mais valorizado esta moeda virtual será no mercado financeiro. Existem flutuações de mercado, por isso é importante entender que quanto maior for a procura pela criptomoeda, maior será sua cotação.

Para quem pretende adquirir esta moeda, deve acompanhar muito bem esta variação de mercado para que seja usada como forma de investimento e ganhos capitais.

Existe um dado que no ano de 2013 1 bitcoin estava variando entre 13 e 1000 dólares. Hoje o bitcoin estimado em reais está chegando na casa dos R$ 9.300,00.

Riscos do Bitcoin

Por ser uma moeda com muitas variações e coberta de incertezas sobre o futuro, é muito comum que estas variações sejam bem frequentes e também até abruptas.

Você deve estar atento em qual sistema que trabalha com Bitcoin e se possui a segurança contra hackers e invasores, já que está virando moda o pedido de resgate pelos hackers para desbloquear computadores e sequestro até de pessoas.

Comprar bitcoins

É possível comprar bitcoins das casas de câmbio de Bitcoin. As chamadas exchanges permitem fazer transferências bancárias e logo a compra dos bitcoins.

No Brasil as exchanges mais conhecidas são: Mercado Bitcoin e Foxibit.

Confira mais detalhes sobre as criptomoedas e como elas funcionam no vídeo abaixo:

Marcio Ferraz


Saiba aqui como realizar a declaração de Bitcoin no Imposto de Renda.

Quem precisa fazer a Declaração do Imposto de Renda já sabe que o prazo é o dia 28 de maio, domingo. Nesse sentido, quem não declarar até essa data será sujeito ao pagamento de multa. Uma das novidades referentes a Declaração de Imposto de Renda deste ano de 2017 foi a inclusão nas declarações do chamado Bitcoin. Você sabe o que é um Bitcoin?

Para quem ainda não sabe, o Bitcoin é um tipo de moeda digital que já é bastante utilizada, visto que as tecnologias digitais a cada dia estão mais presentes na vida das pessoas.

A moeda digital está presente nas instruções que a Receita Federal divulgou este ano. Na realidade o “Perguntão”, que é um manual com perguntas e repostas desenvolvido para auxiliar os contribuintes, trazia duas perguntas com o tema do Bitcoin.

Dessa forma, o manual explica como fazer a declaração da moeda digital, eliminando assim muitas dúvidas, uma vez que a primeira vez que esse tipo de moeda entra na declaração.

Veja abaixo algumas informações sobre como declarar o Bitcoin e estar em dia com o temido leão:

Em primeiro lugar o contribuinte precisa baixar no site oficial da Receita Federal o Programa de Apuração dos Ganhos de Capital. Com o uso do programa a apuração da renda relacionada ao Bitcoin deve ser realizada todo mês em que o volume total for maior que R$ 35 mil.

Assim, neste ano devem ser apontados no Imposto de Renda os rendimentos do ano de 2016, já os valores em Bitcoins devem ser declarados no programa de declaração anual, no dia 31 do mês de dezembro.

Para este ano o valor pago referente aos Bitcoins teve uma modificação, já que a partir deste ano os 15% serão cobrados quando os ganhos de capital forem superiores R$ 5 milhões, aumentando gradativamente essa percentagem de acordo com aumento dos ganhos, podendo chegar até 22,5%.

Por sua vez, as pessoas que possuírem mais de mil reais, estes devem ser incluídos na seção da declaração chamada “Outros bens”.

Para quem trabalha com a moeda digital Bitcoin e nos últimos 5 anos não fez a declaração, o imposto será pago com juros e multa.

Acesse o site da Receita Federal e saiba mais sobre como declarar seus Bitcoins.

Sirlene Montes


Saiba aqui mais informações sobre o Bitcoin.

Já pensou em fazer compras online usando uma moeda específica para o meio digital? Embora pareça algo estranho ou fora da realidade, saiba que isso já é possível desde 2009, graças ao Bitcoin. Mas o que de fato ele é e por que tem sido uma alternativa de pagamento viável para muitas pessoas.

O que é Bitcoin?

O Bitcoin (BTC) é uma moeda virtual desenvolvida em 2009 por uma pessoa ainda desconhecida, sob o pseudônimo de “Satoshi Nakamoto”. Funciona como um meio de realizar transferências e pagamentos digitais, semelhante ao dinheiro que usamos em nosso dia a dia.

Entretanto, a diferença é que o Bitcoin não existe fisicamente e é uma moeda descentralizada, ou seja, não existe instituição responsável por sua administração, como ocorre no caso de bancos e instituições financeiras.

Como funciona seu uso?

Não é preciso dominar termos técnicos para usar o Bitcoin. Porém, é necessário instalar em um computador e/ou dispositivo móvel um aplicativo de carteira de Bitcoin (“Bitcoin Wallet”), para poder fazer operações usando a moeda virtual.

Dessa forma, por meio do recurso, será possível receber e realizar pagamentos, como uma conta bancária. Nesse sentido, informações privadas e transações estarão protegidas por criptografia.

Vale a pena investir e usar Bitcoins?

Alguns e-commerces e sites já usam Bitcoins como forma de recebimento. Aliás, neste link é possível visualizar uma lista desses estabelecimentos.

Por outro lado, afirmar que vale a pena investir e usar a moeda é algo bastante relativo, pois se trata de uma unidade monetária muito recente, sem regulação e que passa por diversas flutuações de mercado. Aqui é possível visualizar a taxa de câmbio do Bitcoin em qualquer momento.

No entanto, pode-se dizer que é bastante fácil e prática de ser usada. Afinal, é livre de burocracias e impostos justamente por ser descentralizada.

Qual será o futuro da moeda virtual?

Ainda é cedo para dizer qual será o destino do Bitcoin, mas é possível apostar que ele tem trazido uma nova forma de se usar e investir dinheiro de maneira livre.

Além disso, é certo que com a expansão da internet, e-commerces e tecnologias, os conceitos de facilidade e praticidade têm sido dois grandes atrativos para grande parte dos consumidores. Por essa razão, talvez o Bitcoin possa vir a reinar e mais moedas semelhantes surgirão e alimentarão esse tipo de ideia.

Assim, o Bitcoin se mostra como uma alternativa interessante para quem deseja investir e usar dinheiro de maneira descomplicada. Mas, devido a alguns fatores, vale a pena pesquisar bastante e se inteirar sobre o seu uso, para não ter que lidar com surpresas.

O que acha do Bitcoin? É uma moeda interessante em sua opinião?

Camilla Silva


Negócio está sendo analisado pelo Cade. Banco pretende futuramente adquirir a totalidade de investimentos da empresa.

O Itaú Unibanco investiu R$ 6,3 bilhões no acerto de compra de participação da XP Investimentos, cerca de 49,9%, na última quinta-feira (11). De acordo com informação do G1, o negócio está sendo analisado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

O Unibanco publicou uma nota, logo após a divulgação da notícia, anunciando a realização do negócio. Segundo o comunicado, a negociação passará por divisão entre aporte de capital no valor de R$ 600 milhões e posse de ações retidas por vendedores no valor de R$ 5,7 bilhões.

Uma das promessas do banco será adquirir, em 2020, uma parte adicional de 12,5% da XP Investimentos. Desse modo o banco será detentor de 62,4% da empresa de investimentos.

Já no ano de 2022, o banco fará mais uma compra de 12,5%, passando então a ser dono de 74,9% do capital social total da XP.

De acordo com o Itaú, não foi informado o valor das duas futuras aquisições, que deverá ser determinado seguindo o valor de mercado da XP à época.

O banco também explicou que pode no futuro comprar totalmente a XP Investimentos e que a partir de 2024, a XP Controle poderá praticar uma opção de venda do total de sua participação no capital social da XP ao Itaú

Em 2033, o banco passa a ter opção de comprar o total da participação. Segundo o Itaú, somente por intermédio de uma dessas duas opções acontecerá a posse do controle total do capital social da XP pelo Itaú Unibanco.

O grupo XP continuará sendo controlado pelos sócios da XP Controle. O Itaú, caso deseje, poderá fazer a indicação de dois membros do Conselho de Administração, porém, executivos e administradores continuarão à frente da XP Holding, XP Investimentos e todas suas controladas.

Na nota o Itaú destaca que a gestão atual de toda sociedade do grupo XP continuará independente, preservando valores e princípios que vigoram atualmente.

As negociações

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fez a divulgação que foi, posteriormente, confirmado pelo banco a aquisição de participação minoritária da XP Investimentos, que segundo o Itaú, a empresa de investimentos possui 410 mil clientes.

Seu principal negócio é corretagem de valores mobiliários, distribuição de produtos de investimentos e gestão de recursos de terceiros.

Por Ruth Galvão


Confira aqui quais são as ações que o Banrisul recomenda a compra e a venda neste mês de maio de 2017.

No mês de maio, Banrisul faz recomendação para que comprem nove ações para e vendam uma. Dessa forma, a corretora acaba por manter a estratégia de proteção da carteira por meio da posição vendida. A carteira recomendada é algo elaborado com o objetivo de oferecer as melhores alternativas de investimentos nas ações e facilitar a escolha do investidor.

A equipe que faz as análises na corretora Banrisul fez a divulgação de sua carteira recomendada para este mês. Mediante a indicação de investimento em nove ações e venda de uma, a empresa explica que tal apontamento leva em consideração vários fatores, como é o caso da análise gráfica e da fundamentalista, bem como as comparações entre pares, correlações estatísticas, entre outras.

De acordo com a corretora, por conta do recálculo das estimativas para os ativos que apresentam maior potencial, como é o caso da B2W e da Valid, implicou na diminuição das posições em ativos com volatilidade menor, como as ETFs do Ibovespa, a Cielo e a Fibria.

No mês de abril, a carteira recomendada apresentada pela corretora obteve valorização de 3,78% e o Ibovespa aumento 0,6% no mesmo período. Observa-se que, no que se refere ao acumulado do ano, os ganhos da carteira alcançam 16%, um valor quatro vezes mais elevado do que seria possível obter na renda fixa (8,6%). Nos últimos 12 meses, houve acúmulo de alta na carteira de 98% e no Ibovespa de 21,3%.

De acordo com a carteira, as empresas de risco alto são: Gafisa (peso 14%) e B2W Digital (peso 12%). Já as empresas de médio risco são: Valid (peso 16%); Cielo (peso 12%); BR Properties (peso 12%); Fibria (peso 11%); Embraer (peso 11%); Estácio (peso 11%); Totvs (peso 10%) e ETF do Ibovespa (peso -9%).

Analisando a carteira recomendada, observa-se que mantiveram a estratégia de proteger a carteira via posição vendida. Depois das fortes altas observadas em janeiro e fevereiro deste ano, alcançando patamares não observados desde 2012, a baixa que ocorreu no mês de março não fez com que se retirasse a atratividade de tal tipo de operação, de acordo com a corretora, que faz a recomendação de que sejam vendidas as ETFs do Ibovespa.

Iris Gonçalves


Confira aqui a lista de ações recomendadas pelas corretoras nestes mês de maio de 2017.

Confira as ações mais indicadas por 18 corretoras, onde as ações da Petrobras (PETR4) se mantiveram em primeiro lugar nas indicações dos bancos e corretoras. Veja:

Ativa

  • Via Varejo (VVAR11)
  • Ultrapar (UGPA3)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Gerdau (GGBR4)
  • Equatorial (EQTL3)
  • BR Malls (BRML3)
  • Banco do Brasil (BBAS3)

BB Investimentos

  • Santander Brasil (SANB11)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Kroton (KROT3)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Iochpe-Maxion (MYPK3)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • Hering (HGTX3)
  • Eletropaulo (ELPL4)
  • Cielo (CIEL3)

Bradesco

  • Usiminas (USIM5)
  • Suzano (SUZB5)
  • Renner (LREN3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Iochpe-Maxion (MYPK3)
  • Cesp (Cesp6)
  • Banco do Brasil (BBAS3)
  • B3 (BVMF3)

Citi

  • Braskem (BRKM5)
  • Ecorodovias (ECOR3)
  • Gerdau (GGBR4)
  • Iguatemi (IGTA3)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Localiza (RENT3)
  • Lojas Americanas (LAME4)
  • Petrobras (PETR4)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Taesa (TAEE11)

Coinvalores

  • Vale (VALE5)
  • Smiles (SMLE3)
  • São Carlos (SCAR3)
  • Renner (LREN3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Iochpe-Maxion (MYPK3)
  • Iguatemi (IGTA3)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • Gerdau (GGBR4)
  • Eztec (EZTC3)
  • Cosan (CSAN3)
  • Bradesco (BBDC4)
  • B3 (BVMF3)
  • Alupar (ALUP11)

Elite

  • Vale (VALE5)
  • Ultrapar (UGPA3)
  • Telefônica Brasil – Vivo (VIVT4)
  • Renner (LREN3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Localiza (RENT3)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • CCR (CCRO3)
  • BRF (BRFS3)
  • Bradesco (BBDC4)
  • BB Seguridade (BBSE3)
  • B3 (BVMF3)
  • Ambev (ABEV3)

Geração Futuro

  • Porto Seguro (PSSA3)
  • Marcopolo (POMO4)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Hering (HGTX3)
  • Grendene (GRND3)
  • CVC Brasil (CVCB3)
  • CSU Cardsystem (CARD3)
  • Bradesco (BBDC4)
  • Ambev (ABEV3)

Geral Investimentos

  • Valid (VLID3)
  • Tupy (TUPY3)
  • São Martinho (SMTO3)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Iguatemi (IGTA3)
  • Eztec (EZTC3)
  • Equatorial (EQTL3)
  • Bradesco (BBDC4)
  • Banrisul (BRSR6)

Guide

  • Weg (WEGE3)
  • Telefônica Brasil – Vivo (VIVT4)
  • Rumo (RAIL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Multiplus (MPLU3)
  • M. Dias Branco (MDIA3)
  • Lojas Americanas (LAME4)
  • JSL (JSLG3)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • B3 (BVMF3)

Lerosa

  • Telefônica Brasil – Vivo (VIVT4)
  • Suzano (SUZB5)
  • Renner (LREN3)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Pão de Açúcar (PCAR4)
  • Klabin (KLBN11)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • BR Malls (BRML3)
  • BB Seguridade (BBSE3)
  • Banco do Brasil (BBAS3)
  • B3 (BVMF3)
  • Ambev (ABEV3)

Magliano

  • Vale (VALE3)
  • Usiminas (USIM5)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Gerdau (GGBR4)
  • Fleury (FLRY3)
  • Cemig (CMIG4)
  • B3 (BVMF3)
  • Ambev (ABEV3)

Nova Futura

  • Vale (VALE5)
  • Sulamérica (SULA11)
  • Sabesp (SBSP3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Klabin (KLBN11)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Gerdau (GGBR4)
  • Fibria (FIBR3)
  • Cielo (CIEL3)
  • BB Seguridade (BBSE3)
  • Banco do Brasil (BBAS3)
  • B3 (BVMF3)

Planner

  • Weg (WEGE3)
  • Telefônica Brasil – Vivo (VIVT4)
  • Taesa (TAEE11)
  • Petrobras (PETR4)
  • Multiplus (MPLU3)
  • Multiplan (MULT3)
  • Kroton (KROT3)
  • Klabin (KLBN1)
  • Itaúsa (ITSA4)
  • BB Seguridade (BBSE3)

Quantitas

  • SLC Agrícola (SLCE3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Multiplan (MULT3)
  • Metalúrgica Gerdau (GOAU4)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • Guararapes (GUAR3)
  • Grendene (GRND3)
  • Eztec (EZTC3)
  • BB Seguridade (BBSE3)
  • B3 (BVMF3)

Rico

  • Weg (WEGE3)
  • Sabesp (SBSP3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Minerva (BEEF3)
  • Lojas Americanas (LAME4)
  • JBS (JBSS3)
  • Itaúsa (ITSA4)
  • CSN (CSNA3)
  • Bradespar (BRAP4)
  • Bradesco (BBDC4)

Spinelli

  • Wiz (PARC3)
  • Suzano (SSBR3)
  • Springs Global (SGPS3)
  • Sonae Sierra (SSBR3)
  • SLC Agrícola (SLCE3)
  • Santander Brasil (SANB11)
  • Sanepar (SAPR4)
  • Rumo (RAIL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Mills (MILS3)
  • Magazine Luiza (MGLU3)
  • Grendene (GRND3)
  • Fras-le (FRAS3)
  • Embraer (EMBR3)
  • Direcional (DIRR3)
  • Copasa (CSMG3)
  • BTG Pactual (BBTG11)
  • Braskem (BRKM5)
  • BR Properties (BRPR3)

Walpires

  • Smiles (SMLE3)
  • Sabesp (SBSP3)
  • Rumo (RAIL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Pão de Açúcar (PCAR4)
  • Hypermarcas (HYPE3)
  • Hering (HGTX3)
  • Comgás (CGAS5)
  • Cemig (CMIG4)
  • Bradesco (BBDC4)

XP Investimentos

  • Vale (VALE5)
  • Raia Drogasil (RADL3)
  • Petrobras (PETR4)
  • Pão de Açúcar (PCAR4)
  • Lojas Americanas (LAME4)
  • Itaú Unibanco (ITUB4)
  • Ecorodovias (ECOR3)
  • Cosan (CSAN3)
  • BR Malls (BRML3)
  • BB Seguridade (BBSE3)
  • Banco do Brasil (BBAS3)
  • B3 (BVMF3)

FILIPE R SILVA


Presidente da FCA afirma que empresa não possui mais interesse em realizar fusões e deve focar em seu plano de negócios.

Sergio Marchionne, presidente da Fiat Chrysler, pronunciou-se na último sexta-feira (dia 14), afirmando que a empresa não possui mais interesse na busca por acordos de fusão. Marchionne finalizou seu posicionamento, dizendo que na situação atual, a montadora dará continuidade em seu plano de negócios.

Anteriormente, o presidente havia citado de forma repetitiva, a possibilidade de uma fusão. Uma parceria na indústria automotiva foi cogitada, por muito tempo, a fim de relançar a Fiat Chrysler (FCA), montadora cujo presidente Sergio Marchionne deve abandonar em 2019, depois de ocupar por 15 anos o cargo.

Há 2 anos atrás, Marchionne tentou uma fusão com a renomada General Motors, mas a proposta não foi aceita. Mês passado (março), o executivo declarou que a líder do mercado automotivo no território europeu, a Volkswagen, poderia estar interessada em fazer uma aliança com a FCA, uma vez que a concorrente PSA expandiu seu mercado, adquirindo a Opel. Em uma reunião geral em Amsterdã, o presidente da FCA afirmou que uma fusão entre montadoras era necessárias para o que as grandes demandas de investimento fossem cumpridas, mas negou que a Volkswagen estivesse em negociação com a empresa de sua presidência, declarando que acerca da VW, a resposta para a pergunta sobre a existência de negociações em andamento é negativa. Sem detalhar, Marchionne finalizou sua declaração acrescentando que o estágio da FCA não era para a discussão de qualquer aliança: “o foco principal é a execução de plano”, afirmou, referindo-se ao plano de negócios da Fiat Chrysler.

A montadora tem a meta de alcançar o posicionamento líquido de caixa equivalente a 5 bilhões de euro, com prazo até 2018, revertendo assim a dívida líquida no valor de 4,6 bilhões de euros, dado apurado no fim do ano passado (2016). Considerada um desafio, a promessa de reverter esse quadro é, segundo Marchionne, a oportunidade da empresa de estar melhor posicionada futuramente para o fechamento de um acordo.

Carolina B.


Veja como consultar o valor de seus créditos no programa Nota Fiscal Paulista.

A Nota Fiscal Paulista foi criada em 2007 pelo governo do Estado de São Paulo. A intenção do programa é o combate à sonegação de impostos, bem como o aumento da arrecadação do Estado.

O programa funciona da seguinte maneira: cada compra registrada gera uma devolução do valor de imposto anexado às mercadorias. Esses valores podem ser devolvidos em créditos tanto em dinheiro quanto em desconto no IPVA.

Nem todos os estabelecimentos participam desse recolhimento, é o caso dos órgãos que fornecem energia elétrica, serviços de comunicação, gás canalizado e etc. Os créditos podem chegar a até 7,5% do valor da nota fiscal da compra efetuada. Essa porcentagem independe do tipo do produto e está atrelada ao tipo de estabelecimento, seguindo a conformidade da arrecadação mensal de impostos.

É possível arrecadar créditos antes mesmo de cadastrar o seu CPF no programa. Para isso, basta que você informe o seu CPF no ato da compra para acumular créditos.

Os créditos são liberados para transferência duas vezes ao ano, sendo no mês de abril e no mês de outubro, entretanto os créditos constam em seu saldo imediatamente quando efetuada a compra.

Para consultar o seu saldo de créditos, você deve acessar a plataforma da Nota Fiscal Paulista, no site da Fazenda (www.nfp.fazenda.sp.gov.br/login.aspx?ReturnUrl=%2fcontacorrente%2fextratoContaCorrente.aspx). Lá, você deve preencher seu CPF no campo adequado. Se for o primeiro acesso, você deve preencher seu endereço e título de eleitor, bem como o nome da mãe e a data completa de nascimento. Preenchido esses dados, você deve avançar e continuar com o preenchimento de suas informações. A forma mais segura e recomendável para acessar o cadastro, é utilizando-se do número do título de eleitor, que pode ser consultado no site do tribunal superior eleitoral, caso você não o tenha em mãos.

Com a senha então cadastrada, você pode efetuar o login e na interface do programa Nota Fiscal Paulista, realizar a consulta de saldos, bem como o acompanhamento de suas transferências e transações.

Por Carolina B.

Nota Fical Paulista


Caixa autorizou a utilização do FGTS para realização de empréstimos consignados como forma de garantia.

A Caixa Econômica Federal divulgou na terça-feira (4 de abril) que trabalhadores poderão realizar empréstimo consignado utilizando o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Nesse caso, as parcelas do valor obtido serão descontadas em folha de pagamento.

A liberação do FGTS para esse tipo de transação financeira já havia sido promulgada pelo congresso em julho ano passado (2016) através de uma lei. Porém, para que de fato fosse colocada em prática, faltava a regulamentação da Caixa.

Como funcionará o empréstimo com base no FGTS?

Caso algum empregado do setor privado opte por esse tipo de empréstimo, ele poderá oferecer até 10% do saldo do fundo como garantia. Além disso, o empregador também poderá assegurar até 100% do valor da multa de 40%, quando ocorrer demissão sem justa causa. Esse tipo de empréstimo só poderá ser solicitado em apenas um contrato por trabalhador.

Qual será o prazo para pagamento?

Nessa nova opção, o prazo para pagamento será de até 48 meses, com taxas de até 3,5% ao mês. O valor total a ser adquirido dependerá do quanto o solicitante possui depositado em conta do FGTS. Em caso de não haver mais vínculo empregatício, esse saldo poderá inclusive ser retido pelo banco, para que a dívida seja paga. Se o valor retido for menor do que o total emprestado, o restante ficará à disposição do trabalhador, para que ele possa sacá-lo.

Essa nova modalidade de empréstimo é uma boa opção?

A alternativa de empréstimo tem dividido opiniões. Alguns especialistas acreditam que ela poderá prejudicar os trabalhadores em caso de desligamento da empresa. Afinal, eles não poderão ter acesso ao valor total do FGTS, principalmente da multa de 40% sobre esse montante, que é depositada em casos de demissão sem justa causa. Também acreditam que isso possa estimular criação de dívidas em um momento de crise como o atual.

Por outro lado, o governo acredita que isso poderá trazer uma nova possibilidade de empréstimo para os trabalhadores. Também seria uma forma de obter dinheiro a juros menores, se comparados aos que são atualmente oferecidos pelos bancos ou instituições financeiras em geral. No Brasil, a taxa média de juros para transações, como uso de cheque especial e cartão de crédito, é acima de 300% ao ano. Dessa forma, é um valor bastante alto.

Por Camilla Silva

Dinheiro


Confira aqui as ações de empresas indicadas pelas Corretoras neste mês de abril de 2017.

Para um ano recém-saído de um período de turbulências econômicas, 2017 parece dar mostras de quem poderá iniciar um período mais calmo, porém, com muitas surpresas ainda. Um exemplo disto é a reação no mercado econômico de papéis de empresas que foram alvo de muita polêmica no ano passado.

Um exemplo daquilo que promete ser uma da maiores surpresas em 2017 é crescente valorização das ações da Petrobras, cujo aporte de valores foi recomendado por quase 100% das corretoras de valores no país. Em segundo, se destacou o Itaú Unibanco e em terceiro a B3.

A indicação da estatal brasileira de petróleo foi corroborada pela Bradesco Corretora, que justificou o fato de que os preços do barril foram mantidos no mercado internacional, assim como o fato da recuperação da empresa no mercado internacional frente aos problemas judiciais enfrentados com a justiça dos Estados Unidos.

Segundo a avaliação da corretora, a Petrobras mostrou uma ampla recuperação, em virtude da adoção de políticas internas de reestruturação e corte de gastos, o que auxiliaram na eficiência em manter uma produção adequada de barris de petróleo, o que ajudou a manter estável a sua cotação internacional. Isto levou a uma recuperação de sua credibilidade frente aos investidores e possibilitou a sua reabilitação como estatal de peso frente ao mercado mundial.

A avaliação positiva do Itaú Unibanco feita pela Citi Corretora mostrou que a o balanço positivo da instituição publicado neste ano mostrou um lucro que deu maior credibilidade e estabilidade frente ao mercado econômico. O seu capital positivo mostrou aos investidores que o lucro é certo para uma organização bancária que é capaz de crescer através de um investimento próprio.

Para a B3, a sua avaliadora concluiu que a fusão da Bovespa, da Cetip e da BM&F, geraram um patrimônio positivo e um retorno garantido de lucro aos seus investidores, o que a credencia como uma das melhores ações para se investir atualmente no mercado, ao lado da Petrobrás e do Itaú Unibanco.

Emmanoel Gomes


Saiba aqui quais são as novas regras e o que vai mudar com relação ao Crédito Rotativo do Cartão.

O cartão de crédito pode, muitas vezes, facilitar a vida de quem precisa comprar algo com preço elevado de modo parcelado. Porém, quando usado de maneira descontrolada, pode representar o perigo de uma dívida difícil de ser paga. Isso acontece porque quando não se pode liquidar todo o valor da fatura, as pessoas recorrem ao seu pagamento mínimo (ou crédito rotativo), que a cada mês tem um acréscimo de juros, tornando-se uma verdadeira “bola de neve”.

Para evitar que isso ocorra, o Banco Central divulgou em janeiro de 2017 algumas mudanças, que serão adotadas pelos bancos brasileiros na segunda-feira (3 de abril). A ideia é que os clientes possam ter opções mais viáveis para pagar esse tipo de dívida.

Como funcionará a cobrança de crédito rotativo?

A partir de agora, o cliente que não conseguir pagar o valor total da fatura do cartão de crédito só poderá recorrer ao crédito rotativo durante apenas um mês (30 dias) e não mais de maneira sucessiva. Depois disso, se ele ainda não puder liquidá-la de modo integral, o banco será obrigado a oferecer o parcelamento da dívida a juros menores. Caso o consumidor ainda não tenha dinheiro para poder pagar a dívida nem de forma à vista nem parcelada, passará a ser inadimplente.

Quais taxas de juros serão aplicadas?

Com as mudanças propostas pelo Banco Central, grandes bancos, como Itaú, Santander, Banco do Brasil e Bradesco, já estão aplicando taxas de juros que variam entre 0,99% a 9,99% ao mês. Ou seja, bem menores das que vinham sendo utilizadas (uma média de 15% ao mês). Até o ano de 2016, o percentual médio anual de juros desse tipo de transação financeira chegou a 484,6%.

O que acontecia antes?

Dessa forma, o cliente ficava com uma dívida praticamente impagável, pois a cada mês ela ficava bem maior do que o valor original. Segundo informações do Portal Brasil, se o cliente ficasse seis meses utilizando o crédito rotativo, sua dívida teria valor total dobrado.

Embora seja uma solução que deve reduzir consideravelmente as taxas de juros de faturas de cartão de crédito, ainda é importante que o consumidor em geral tenha maior controle de gastos. Afinal, esse tipo de recurso ainda pode gerar dívidas, principalmente em tempos de crise. Então, é necessário ter cada despesa “na ponta do lápis”.

Camilla Silva


Saiba quais investimentos do Tesouro Direto podem combinar com você.

Todas as pessoas que tem algum dinheiro guardado, geralmente ficam na dúvida sobre qual investimento aplicar a grana. Poupança? Fundos de Renda Fixa? Ações? São muitas dúvidas e pouca rentabilidade do dinheiro quando são aplicados em alguns desses investimentos.

O que a maioria das pessoas não sabe é que um dos sistemas que mais faz o dinheiro render é o investimento nos Títulos do Tesouro Direto do governo federal, que gera uma boa rentabilidade e tem um risco relativamente baixo. Esse investimento nada mais é que uma venda de títulos públicos que tem uma renda fixa para pessoas físicas, ou seja, é uma espécie de empréstimo feito ao governo que tem como objetivo da captação de recursos públicos para o financiamento da enorme dívida pública. Em troca disso, a pessoa recebe todos os rendimentos que podem variar de acordo com o título escolhido, mas para isso é necessário um cadastro simples em uma corretora.

A escolha do título vai de acordo com a necessidade financeira de cada pessoa, podendo variar muito. Para quem deseja ter rendimentos de forma mais periódica, o ideal é comprar títulos que pagam cupom, ou seja, títulos NTN-F e NTN-B que tem pagamento semestral.

Outra dica bacana são para aqueles que querem aumentar de forma exponencial os seus rendimentos. Eles devem ficar de olho na taxa Selic e comprar os títulos LTF que variam de acordo com essa taxa, com baixo risco de perda.

Mais uma dica ótima dica é se a pessoa deseja fazer um investimento a longo prazo o ideal é investir em títulos com a rentabilidade mais alta, mas que vão dar um retorno daqui alguns anos. Esse tipo de investimento é ideal para jovens que desejam uma aposentadoria um pouco mais gorda e uma tranquilidade a mais na vida.

Independente da escolha, a forma de como aplicar o dinheiro vai depender muito da necessidade imediata de cada pessoa. Se você tem um dinheirinho extra guardado na conta e deseja uma rentabilidade segura e alta, não deixe de investir nos títulos de tesouro direto do governo federal.

Boa sorte na escolha.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Tesouro Direto


Entenda como o processo inflacionário funciona.

É comum ouvirmos falar do impacto da inflação nos preços de nossos serviços e produtos, mas é incomum que saibamos a origem dessa relação.

Quando se trata de abordar o cenário econômico de uma região ou país, a palavra “inflação” é sempre citada como um fator negativo, que inibe o poder de compra dos consumidores e dispara os preços da mercadoria, desvalorizando a moeda local e tornando assim a vida do trabalhador mais complicado, já que o salário dele não é reajustado de acordo com os índices de subida de inflação. Claro que parece muito mais simples apenas realizar esse ajuste, mas isso exigiria movimentação monetária tamanha. A pergunta aqui é: o que causa a subida da inflação? Quais são os fatores que desvalorizam nosso dinheiro e nos fazem comprar menos que ontem com a mesma quantidade de dinheiro?

Um aumento da emissão de papel-moeda realizada pelo Governo, seja para realizar a cobertura de gastos do Estado ou por qualquer outra razão, é uma causa de aumento de inflação. Nesse caso, existe maior volume de moeda em circulação, mas não acontece nenhum aumento de riqueza ou de produção, assim é exigida uma maior quantidade de dinheiro para consumir a mesma quantidade de produtos.

Outra causa de inflação é a demanda por produtos, isto é, quando o consumo aumenta de tal forma que se torna maior que a capacidade de produção da região. Acontece da seguinte forma: o consumidor tem poder de compra muito maior do que há disponível para vender, portanto aumentam-se os preços para que se compre a quantidade que há disponível.

A inflação também pode acontecer quando o custo da produção sobe muito, causando o mesmo efeito de desequilíbrio, porque é necessário elevar o preço dos produtos para que compense o processo produtivo.

Quanto menor o índice de inflação, maior é a estabilidade da moeda, portanto, se a inflação está medida em zero, entende-se que existe equilíbrio estabelecendo o valor da moeda, fazendo com que os preços não flutuem de maneira drástica, afetando a vida de milhões de trabalhadores.

Por Carolina B.

Inflação


A inflação é um conceito econômico que aplica o aumento generalizado e persistente do preço de determinados produtos de uma região ou país por determinado período de tempo.

O processo de inflação influencia diretamente em nossas vidas. Embora seja um conceito vago para muitos de nós, é sumamente importante que tenhamos a compreensão do que ele simboliza e qual é o impacto desse fenômeno em nossas finanças.

A palavra inflação é muito usada por especialistas em políticas, economistas, jornalistas e outras pessoas envolvidas em áreas parlamentares principalmente, mas a verdade é que não é nenhum bicho de sete cabeças entender do que se trata.

O processo inflacionário, a inflação é simplesmente um conceito econômico que aplica o aumento generalizado e persistente do preço de determinados produtos de uma região ou país por determinado período de tempo. Por exemplo, se uma determinada cesta de produtos, em janeiro, custa 50 reais e no mês seguinte, em fevereiro, a mesmíssima cesta passa a custar 100 reais, significa que existe uma inflação de 50% no mês. Esse aumento do valor também caracteriza a perda de poder aquisitivo, porque você vai consumir a mesmíssima cesta de produtos pelo custo de mais dinheiro, ou seja, o poder de compra do dinheiro diminui e ele passa a valer menos. Isso caracteriza uma desvalorização da moeda. Seguindo essa lógica, quando a inflação está baixa ou iguala a zero, os preços estabilizam-se, não ocorrendo mais o aumento no custo dos produtos e serviços.

Dos anos 1994 em diante, com a implantação do Plano Real, o processo inflacionário foi controlado. Desde os anos 80, diversos planos não obtiveram sucesso nesse objetivo, visto que a economia brasileira ficou em choque por conta do crescimento elevado da inflação antes do Plano Real. Em 2008, por exemplo, o índice de inflação registrado pelo IPCA no Brasil foi de 5,9%.

A inflação pode ter algumas causas, entre elas, a demanda, os custos e a monetária. Na demanda, o consumo de produtos aumenta e se torna maior do que a capacidade produtiva da região, causando o desequilíbrio. No caso da inflação de custos, a matéria-prima, a mão-de-obra ou as máquinas de produção tornam-se de alguma forma mais caras, tornando a produção do produto mais cara. Já na inflação monetária ocorre uma emissão de dinheiro em grande volume por parte do governo.

Por Carolina B.

Inflação


Chineses da GAC negociam compra das operações da FCA.

Diversos sites da internet estão veiculando matérias e notas apontando que a FCA (Fiat Chryslers Automobiles), conglomerado automobilístico que inclui entre outras marcas a Fiat, Chrysler, Jeep, Ivecco, Lancia, Alfa Romeo e Dodge, estaria em processo de negociação de suas operações ligadas a fabricante chinesa GAC (Guangzhou Automotive Group China).

O fato é que a informação não chega a ser tão nova. Já no mês de maio do ano passado começaram a surgir alegações do tipo. Na época a notícia que saiu em um jornal italiano dava conta de que o grupo chinês tinha planos para obter o controle da companhia ítalo-americana.

É bom lembrar que a GCA já tem sociedade com a FCA para a produção do Renegade e do Jeep Cherokee na China.

Ainda segundo o jornal citado, a intenção da GAC de efetuar a compra seria os planos futuros para o mercado ocidental.

Já aqui no Brasil o assunto circulou muito por meio de diversas fontes nesta última semana. Para se ter ideia, alguns já afirmam que uma delegação chinesa está visitando as instalações da Fiat há cerca de dez dias (informação de um funcionário da marca).

Já o empregado de um fornecedor disse que aqueles contratos que estão em vigor serão cancelados, para então, serem renegociados com os chineses que passariam a ser donos de parte da fábrica.

Apesar de todo mundo estar dizendo que existe “um dedo chinês” nessa história, o fato é que ninguém sabe ao certo qual será o fim: parceria regional ou mundial, fusão ou compra.

Agora, oficialmente, Marco Antônio Lage, diretor de comunicação da FCA, afirma que a empresa, aqui no Brasil, não tem conhecimento de nada sobre isso. Inclusive ele chega a negar a presença da tal delegação chinesa visitando a unidade da fábrica em Betim (MG).

Ele destaca ainda que se caso houvesse esse tipo de negociação ela seria tratada com o mais absoluto sigilo em todos os níveis do grupo.

De qualquer maneira, o negócio entre a FCA e os chineses poderia trazer bons frutos para os dois lados. Por um a FCA iria aumentar a sua presença no mercado chinês, que por sinal é o maior do mundo. Do outro lado a GAC começaria a atuar no Brasil, mercado que mesmo em crise é considerado um dos mais importantes do mundo.

Por Denisson Soares


Bradesco lidera ranking de queixas seguido por Banco do Brasil e Caixa Econômica.

O Banco Central (BC) divulgou no dia 15 de março o ranking de queixas de clientes contra bancos brasileiros, referente ao primeiro bimestre de 2017 (janeiro e fevereiro). Nesse sentido, o Bradesco lidera a lista com o número de 1.598 reclamações reguladas procedentes, índice de 17,28%. No último período verificado, o banco teve a mesma posição, seguido do Santander.

Demais posições

As demais posições atuais são ocupadas respectivamente pelas seguintes instituições:

· Segundo lugar: conglomerado do Banco do Brasil (1.024 reclamações e índice de 17,25%).

· Terceiro lugar: conglomerado da Caixa Econômica Federal (1.286 reclamações e índice de 15,37%).

· Quarto lugar: conglomerado do Santander (514 reclamações e índice de 13,75%).

· Quinto lugar: conglomerado Itaú (790 reclamações e índice de 11,54%).

Assim, de acordo com o levantamento, o Santander reduziu significativamente o número de reclamações junto ao BC, saindo da segunda posição para o quarto lugar.

Do que tratam as reclamações

A maioria das reclamações estão relacionadas a irregularidades, como ocorre em transações com falhas humanas ou quanto à não realização de débito automático. Em seguida, estão queixas referentes à falta de informação sobre produtos e serviços. Por fim, encontra-se problemas relacionados ao débito não autorizado.

Critério de avaliação

Para desenvolver o ranking, o BC avaliou queixas apenas de instituições que possuem mais de 4 milhões de clientes. Foi computado o total de 6.008 reclamações contra 7.169 avaliadas no último período (novembro/dezembro de 2016). Esse conjunto de queixas refere-se apenas àquelas que desrespeitam as regras do BC ou do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para desenvolver a lista, são levados em consideração somente clientes com depósito em conta corrente ou poupança, que são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que têm operações de crédito ou outras opções de depósito não incluídos pelo FGC. Sendo assim, para definir as posições e índices, o BC considera o número de reclamações procedentes, dividindo-as pelo número de cliente que a instituição possui e multiplica o valor obtido por 1 milhão.

Como reclamações podem ser registradas no Banco Central do Brasil

As queixas podem ser feitas por qualquer cidadão tanto pela internet, no site oficial do BC, quanto através de atendimento telefônico, por meio do número 145. Elas funcionam como base para fiscalização e regulação do sistema financeiro no Brasil. Porém, o órgão não tem competência legal para intervir em questões individuais de cada usuário de serviços prestados por essas instituições.

Camilla Silva


Conheça aqui o Aplicativo da Caixa para consultar o saldo do FGTS no celular/tablet.

Todos as pessoas que tenham conta no Fundo de Garantia, inativo desde 31 de Dezembro de 2015, poderão retirar o saldo dessas contas, depois do dia 13 de Março. O conhecido Saque do FGTS Inativo foi um projeto gerado pelo presidente da República Michel Temer para estimular a economia, que satisfez muitas pessoas com saldo retido na conta do FGTS. No entanto, é imprescindível saber se a pessoa tem realmente saldo inativo e a melhor e mais eficaz maneira de ver o saldo do fundo é pelo aplicativo FGTS da Caixa.

Aplicativo FGTS Caixa

O aplicativo viabiliza a consulta do Fundo de Garantia, a Caixa Econômica Federal disponibiliza gratuitamente para os 3 melhores sistemas de dispositivos móveis: Android, Windows Phone e iOS. Lembrando que o aplicativo oficial do FGTS é o fornecido pela Caixa Econômica Federal.

Veja abaixo um passo-a-passo de como conseguir o aplicativo:

1º Passo – Baixar o Aplicativo FGTS

A pessoa pode baixar o aplicativo gratuitamente pelo celular, na loja de aplicativos. Ao realizar o download, tenha certeza que é o aplicativo fornecido pela Caixa Econômica Federal.

Além de verificar o saldo do Fundo de Garantia, a pessoa pode ainda verificar o local de saque mais perto, como Caixa Eletrônico, Agências da Caixa e lotéricas.

2º Passo – Aceite os Termos de Contrato

Logo depois de realizar o download e instalar, abra o aplicativo que estará na tela do seu celular. Sendo a primeira vez que é utilizado, poderá ser pedido que Aceite dos Termos de Contrato. É importante ler as cláusulas antes de aceitar os termos.

3º Passo – Informar seu número do NIS

Ao aceitar os termos do contrato, selecione a opção “primeiro acesso”. Para utilizar o aplicativo pela primeira vez, será preciso informar o número do NIS e a senha da internet – caso não tenha, pode ser registrada pelo portal do Cidadão Caixa, no link https://servicossociais.caixa.gov.br/.

4º Passo – Atualizar o seu endereço

Depois de informar os dados do NIS e da senha da internet, será exigido que informe seu endereço residencial pelo aplicativo. A Caixa utiliza seu endereço para enviar o saldo anual do seu Fundo de Garantia.

5º Passo – Conferir o Saldo do FGTS

Somente clique em “Minhas Contas” e poderá ver o saldo de todas as suas contas de FGTS, cada empresa em que foi trabalhador cria uma nova conta do fundo de garantia. Caso uma dessas contas apresenta-se inativa desde Dezembro de 2015, é permitido sacar o saldo.

Lucineia Fatima Campos


Confira aqui a lista de 10 ações recomendada pela BTG Pactual neste mês de março de 2017.

BTG Pactual divulga a lista com as 10 ações que recomenda investir no mês de março de 2017. Os últimos anos, em especial no Brasil, não foram prósperos, nem tampouco seguros economicamente para os investidores. Entretanto a BTG prevê que apostas acertadas nesta época do ano trarão lucros futuros, uma vez que a previsão é de melhora na economia brasileira até o fim do ano. Para saber quais são as ações recomendadas e mais previsões de investimento, continue a ler o texto!

Na carteira recomendada para março, a escolha dos analistas foi manter a seleção de investimentos que já vinha anteriormente. Segundo eles, há a expectativa de queda na taxa de juros e melhora econômica com o passar do ano, por isso a permanência da seleção de investimentos.

Os setores em alta em relação as ações são os de infraestrutura. Isto se deve ao baixo custo de capital envolvido neste tipo de empreendimento. Estão enquadradas nesta gama empresas como a Vivo, a Light, Sanepar e Rumo. Além disso, bancos privados como Bradesco, cuja concorrência é baixa, são boas apostas devido à previsão da possibilidade de aumento de crédito.

Segue abaixo a carteira de investimentos do grupo BTG para Março:

  • Petrobras – Ticker: PETR4 – Peso 15%
  • Bradesco – Ticker: BBDC4 – Peso 15%
  • BM&F – Ticker: BVMF3 – Peso 10 %
  • Gerdau – Ticker: GGBR4 – Peso 10%
  • BR Malls – Ticker: BRML3 – Peso 10%
  • Telefonica Brasil – Ticker: VIVT4 – Peso 10%
  • Cosan – Ticker: CSAN3 – Peso 10%
  • Light – Ticker: LIGT3 – Peso 10%
  • Rumo – Ticker: RUMO3 – Peso 5%
  • Senepar – Ticker: SAPR4 – Peso 5%

A BTG pactual afirma ainda que vê vários motivos para melhora nas ações brasileiras. Fatores como o apoio político do Governo e os cortes de juros influenciam a subida das ações.

A BTG Pactual foi fundada em 1983 na cidade do Rio de Janeiro, como uma distribuidora de títulos e valores imobiliários. Este grupo preza pelo trabalho assíduo dos funcionários, a excelência e precisão dos resultados. Além disso, valores como hard-working, hands-on e desempenho individual.

Para obter mais informações e notícias a respeito da BTG Pactual ou suas recomendações de investimento é possível também acessar o site: https://www.btgpactual.com/home.

Por Carolina Costa


Empresa anuncia sua retirada do Brasil e está buscando sócio para comprar sua filial.

De acordo com um comunicado divulgado pelo grupo Fnac, foi iniciado um processo ativo com o objetivo de conseguir um sócio que possa dar lugar à sua retirada do Brasil.

A Fnac Darty, conhecida distribuidora francesa de produtos culturais, eletrônicos e eletrodomésticos, trouxe à tona nesta terça-feira, 28/2, que se retirará do país e, ao mesmo tempo, apresentou que houve um registro na companhia de resultado líquido em equilíbrio (zero) no ano de 2016. Mesmo com tal resultado, o grupo apontou que tem ocorrido aumento de vendas e também de rentabilidade.

Sendo assim, o grupo inicia o processo que buscará um sócio para então retirar-se do país, ou seja, a intenção é vender a filial brasileira. Os dados positivos apresentados pela companhia em documento oficial podem ser bastante atrativos para investidores com interesse no setor e que estejam dispostos a comprar a filial.

Analisando a história da companhia no país, sua instauração ocorreu desde o final da década de 90, contudo, há alguns anos já teria dado indícios de dificuldades no alcance de um nível crítico no Brasil.

Estão espalhadas pelo território nacional cerca de uma dezena de lojas, mas o país representa menos de 2% do volume de vendas total da Fnac, considerando os parâmetros internacionais. De acordo com o comunicado, houve um aumento de 37% do lucro líquido ajustado do grupo, com relação ao ano anterior, totalizando 54 milhões de euros.

As vendas aumentaram 79,6% no quarto trimestre e o volume de negócio também é crescente, tanto nos dados publicados, que indicam +43,6%, quanto em dados pró-forma, +1,9%, chegando a 7,4 bilhões de euros.

No ano de 2016, foi identificando crescimento do grupo tanto na França (+2,1%), quanto no que tange ao nível internacional (+1,3%).

Para o presidente da Fnac Darty, Alexandre Bompard, os resultados obtidos em 2016 são bastante sólidos e indicam forte crescimento, com todos os índices positivos. Seguindo tais informações, seria possível prospectar um futuro também crescente para os que vierem a investir na companhia e administrar as diversas lojas instaladas no Brasil, em ruas, shoppings e demais estabelecimentos comerciais.

Iris Gonçalves


Dívida da empresa chega a R$ 7,8 bilhões.

A PDG Realty, segunda maior empresa do setor imobiliário do Brasil, deu início ao seu pedido de recuperação judicial na Justiça do Estado de São Paulo. O pedido foi formalizado nesta quinta-feira, 23 de fevereiro. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo, o pedido já se encontra no gabinete do juiz responsável, cabendo a ele decidir se irá deferir ou não.

Para aqueles que não sabem, a recuperação judicial é nada mais que uma medida legal através da qual uma empresa pode evitar a sua falência. Tal pedido é viável juntamente a justiça quando a empresa em questão não possui condições de quitar suas dívidas. Segundo destacou o Jornal Valor Econômico, a recuperação da PDG deve abranger uma dívida de R$ 7,8 bilhões.

Segundo consta no pedido oficial feito pela empresa juntamente ao Tribunal de Justiça de São Paulo, essa decisão de recuperação judicial foi tomada justamente pelo fato da reestruturação de dívidas acordado com os bancos não ter gerado os resultados esperados pela empresa. Tal acordo tinha entre os seus principais termos a prorrogação de pagamentos de juros bem como um novo financiamento com o objetivo de quitar despesas no âmbito geral e administrativo.

Em nota oficial, o Grupo PDG destaca que a situação econômica do país foi um fator importante para esse período negativo da empresa, haja vista os setores de construção e imobiliário terem sofrido bastante. Com isso, a PDG enfrentou grandes problemas na gestão e continuidade de seus negócios no setor imobiliário. A queda nas vendas em todo o país, o alto número de distratos de unidades vendidas, a paralização de obras em andamentos, além do aumento de dívidas relacionadas ao IPTU, condominiais e fornecedores de produtos e serviços foram alguns dos fatores que impulsionaram o estado de falência.

O pedido de recuperação funciona da seguinte forma: o mesmo deve ser feito diretamente no Tribunal de Justiça. Após fazer o pedido formalmente ao juiz, a empresa em questão deve apresentar processo para o juiz responsável pelo caso. Após a análise do processo, caso toda documentação esteja completa, o magistrado dará um despacho favorável à autorização da recuperação judicial.

A partir daí a empresa terá 60 dias para desenvolver o plano de recuperação. Depois de apresentado o plano, a autoridade irá divulgar tal plano para os credores, sendo que esses devem aprovar ou não o plano em até 180 dias. Uma vez aprovado, a empresa iniciará sua recuperação, do contrário, é decretada a falência da empresa.

Por Bruno Henrique


Prazo para envio das declarações ocorre do dia 2 de março até o dia 28 de abril de 2017.

Todos os anos nessa época as pessoas já começam a se preparar para realizar a Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física. Nesse sentido, no dia 23 de fevereiro (última quinta-feira), a Receita Federal divulgou o seu Programa Gerador do imposto, que já se encontra disponível para download em parelhos celulares smartphones e tablets. Dessa forma, os contribuintes terão uma ferramenta muito útil para fazer a declaração que corresponde ano base de 2016.

Para baixar o aplicativo do programa basta acessar o site da Receita Federal. O processo do download é bem simples, bem como o uso do programa.

Depois de ter o programa instalado em seus aparelhos os contribuintes podem dar início ao preenchimento das declarações. A Receita pede que esses documentos sejam preenchidos com atenção e veracidade, para isso os contribuintes terão até o Carnaval para fazer suas declarações com calma, já que o período para o envio das declarações tem início no próximo dia 02 do mês de março, após as festividades do Carnaval.

O prazo de envio das declarações do IRPF termina no dia 28 do mês de abril. Após esse prazo os contribuintes que enviarem a sua declaração ou que não se declararem terão que pagar uma multa cujo valor mínimo é de R$ 165,74 e cujo valor máximo pode representar até 20 % do valor a ser declarado. Dessa forma, fique atento ao prazo determinado pela Receita Federal.

Para os contribuintes que forem mais rápidos e enviarem a documentação no início desse prazo, e estando sem erros, sem omissões e inconsistências, as restituições serão recebidas mais rapidamente também.

A Receita Federal também informa que pessoas portadoras de deficiência mental e física, assim como contribuintes que possuam alguma enfermidade grave, receberão prioridade sobre as restituições do IR.

Para os contribuintes que não caírem na malha fina, a partir do dia 16 do mês de junho iniciam-se os pagamentos de suas restituições.

Se você precisa declarar seu IR, não deixe para a última hora, já comece a preencher suas declarações e faça o envio dentro do prazo previsto. Assim, você fica dentro da lei e ainda não precisará pagar multa.

Em caso de dúvidas informe-se no site da Receita Federal.

Sirlene Montes


Confira as principais informações sobre o saque das contas inativas do FGTS.

Você está com dúvidas sobre o FGTS?

Leia este artigo e saiba tudo o que envolve o FGTS, inclusive o FGTS de contas inativas.

O que significa FGTS, o que ele é?

FGTS significa Fundo Garantidor por Tempo de Serviço. Como o próprio nome diz ele é um fundo criado para garantir ao trabalhador de carteira registrada um auxílio financeiro em casos de demissão sem justa causa.

Para que o trabalhador nesses casos tenha esse direito, os empregadores mensalmente devem fazer depósitos em contas abertas nos nomes de seus funcionários, correspondendo a 8% do salário registrado na carteira.

E o que é Conta Inativa do FGTS?

Quando o funcionário que possui a carteira de trabalho assinada é demitido por justa causa ou pedi demissão, ele não possui o direito do FGTS. Dessa forma, esse dinheiro fica “parado” em sua conta que passa a ficar “inativa”, pois não recebe mais depósitos. Contudo esse saldo pertence ao trabalhador dono da conta e quando ele se aposenta tem o direito de sacá-lo.

Mas como saber quem tem algum saldo de FGTS inativo?

Terão direito a esse saldo, cidadãos que tenham trabalhado com carteira de trabalho devidamente assinada e que tenham pedido demissão ou foram demitidos com justa causa até o período de 31 de dezembro do ano de 2015, ou ainda, que estejam há mais de três anos sem registro em carteira.

Para quem tem esse direito, quando o saque poderá ser feito?

A Caixa Econômica Federal para organizar e otimizar o processo de pagamentos desenvolveu um calendário que organiza os vencimentos considerando a data de nascimento dos mesmos. Os saques serão liberados a partir do dia 10 de março, para aqueles que nasceram nos meses de janeiro, fevereiro e março. Já os outros recebem de acordo com essa sequência.

Quando chegar a data para o saque, onde e que documentos levar?

Na data determinada pelo calendário, o beneficiado pode procurar agências da Caixa, casas lotéricas ou postos de autoatendimento. Os documentos necessários são: documento com foto, carteira de trabalho e cartão cidadão.

Como fazer para obter informações pelo Celular?

Para acompanhar o andamento do FGTS, como valores atuais e juros, é preciso baixar em aparelhos smartphone o aplicativo da Caixa. Acesse www.caixa.gov.br/atendimento/aplicativos/fgts/Paginas/default.aspx#como-acessar.

Como atualizar seu endereço?

Caso ocorra alguma modificação em seu cadastro pessoal ou endereço, acesse a página https://servicossociais.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01&produto=FGTS, preencha os campos vazios com o número do NIS ( PIS/PASEP) informe a senha do cartão cidadão.

Em casos de dúvidas acesse www.caixa.gov.br/contasinativas.

Por Sirlene Montes

FGTS


Governo divulgou o calendário dos saques das contas inativas do FGTS. Confira.

O governo já divulgou nesta terça-feira, dia 14 do mês de fevereiro, as datas em que os trabalhadores poderão realizar seus saques em suas contas inativadas do FGTS. A estratégia de pagamento realizada pelo governo foi disponibilizar o valor monetário no mês de aniversário.

No próximo mês, março, a partir do dia 10, terão direito a receberem todos aqueles nascidos em janeiro ou fevereiro.

Já aqueles que nasceram nos outros três próximos meses, como junho, julho e agosto, poderão sacar os valores ainda no dia 12 do mês de maio.

Os que fazem aniversários nos seguintes meses: junho, julho e agosto, estão aptos a retirar a quantia monetária, já a parir do dia 12 do mês de maio.

Aqueles que fazem aniversário nos meses de outubro, novembro e dezembro, vão poder sacar os valores do dia 16 do mês de junho a diante.

E, por fim, aqueles que nasceram em dezembro podem sacar a partir do dia 14 do mês de julho.

Segundo as estimativas do governo, são aproximadamente R$ 45 bilhões que estão estagnados nessas contas. Dessa forma, o governo está calculando que, desse montante, quase R$ 35 bilhões vão ser retirados das contas pelos trabalhadores.

Os trabalhadores vão poder consultar os seus saldos, por meio do aplicativo da Caixa Econômica ou mesmo, através de outro aplicativo, o do FGTS. Ambos podem ser baixados por aparelhos Android ou iOS e será exigida do trabalhador a realização de um cadastro.

Segundo estimativas e especulações, a grande maioria dos trabalhadores vai sacar, no máximo, até cerca de R$500,00. Uma parcela mediana tem para receber quase R$2.000,00 e uma pequena parcela pode receber a partir de tal quantia.

Até pouco tempo atrás, podiam ter acesso ao FGTS depositado em uma conta inativa apenas quem estivesse desempregado. E não é só isso, a exigência era que fosse no mínimo 3 anos sem carteira assinada.

Os saques poderão ser realizados todos de uma vez. Isto é, não haverá parcelamento da dívida. Apenas se o trabalhador receber mais de R$3.000,00 é que haverá de ter algum parcelamento.

Aqueles que por algum motivo, tiverem mais de uma conta inativa, terão acesso ao recebimento vindo de todas as contas.

Por Sirlene Montes

Saque do FGTS


Negociação deve envolver cerca de 664 milhões de euros. Objetivo da Heineken é se tornar a segunda maior fabricante de cervejas do Brasil.

A gigante holandesa Heineken divulgou nessa segunda-feira (13) um acordo feito com a empresa japonesa Kirin Holdings Company que vai permitir a compra da fabricante de refrigerantes e cervejas o mais breve possível.

O maior intuito da Heineken é se tornar a segunda maior fabricante de cervejas do Brasil e pretende expandir seus negócios em 2017 por aqui.

Segundo fontes oficiais, o valor da negociação gira em torno de 664 milhões de euros, mas a transação ainda precisa da aprovação de alguns órgãos fiscalizadores e a previsão é que tudo seja acertado até o meio do ano.

As marcas da bebida do grupo Brasil Kirin incluem a famosa marca Schin, Baden Baden e Eisenbahn, que também são conhecidas por um público mais seleto. O grupo japonês, perante comunicado oficial, informou que devido à crise econômica e os altos riscos para investimentos, além da acirrada concorrência da indústria da cerveja, tornavam o Brasil inviável para investimentos, do ponto de vista econômico. A Heineken espera que esse novo investimento aumente muito as vendas de seus produtos no Brasil, inclusive da cerveja, que já é bastante apreciada pelo seu paladar por muitos brasileiros, além de fortalecer ainda mais o nome e as marcas do grupo.

A Brasil Kirin fez um investimento total de 3 bilhões de dólares em 2011, na compra da marca Schincariol, que na época era considera a segunda maior fabricantes de cerveja do Brasil, tendo o seu nome mudado, posteriormente, para Kirin Brasil. O grupo japonês terminou o ano de 2015 amargando perdas na casa de 1 bilhão de dólares e se viu obrigado a se desfazer de uma das suas fábricas no estado do Rio de Janeiro para um poderoso grupo alemão do mesmo ramo. Em setembro do ano passado, começava as negociações com prováveis sócios investidores para tentar aumentar todas as operações na quase falida Schin e a Heineken se ofereceu para comprar o império e o martelo foi batido.

O Brasil é considerado o terceiro país em comércio de cerveja do mundo e só perde para China e Estados Unidos.

Rodrigo Souza de Jesus


Saiba aqui como funciona e como investir no Tesouro Direto.

O Tesouro Direto, é um meio elaborado pelo Tesouro Nacional pra que o cidadão consiga adquirir Títulos Públicos pela Internet com ou sem o assessoria de um profissional. O investidor entrega um determinado valor ao governo, que o gratifica pelo empréstimo. É permitido aplicar a partir de R$ 30,00.

Títulos públicos são uma ótima opção de aplicação em renda fixa, utilizados para angariar recursos para saldar a dívida pública e custear ações do Governo Federal.

Segue um passo-a-passo para quem deseja começar a investir no Tesouro Direto e não tem noção de como fazê-lo.

Passo1 – Registre-se numa Instituição Financeira

O seu banco pode aplicar o seu dinheiro, mas vai lhe cobrar altos valores. As mínimas taxas ou sem cobrança de taxas, estão em Instituições financeiras direcionadas aos investimentos, denominadas também como corretoras de valores ou agentes de custódia.

O investidor localiza todas as instituições com habilitação para investir no Tesouro Nacional e as taxas cobradas para aplicar o seu dinheiro neste site http://www3.tesouro.gov.br/.

Após definir, o investidor deve realizar o cadastro pelo site da corretora escolhida, encaminhar a documentação solicitada e esperar a aprovação do cadastro, para conseguir ter acesso ao home broker da instituição e assim estar apto a comprar e vender títulos públicos.

Passo 2 – Conhecer o Títulos

Os Títulos do Tesouro Direto são:

  • Tesouro SELIC – O investidor recebe conforme a alteração da Taxa Selic. O título mais recomendado para quem pretende ter a disponibilidade de retirar o valor aplicado a qualquer momento.
  • Tesouro Prefixado – O Investidor sabe precisamente qual será os rendimentos no momento do resgate.
  • Tesouro IPCA+ – Recebe de acordo com a alteração da Inflação mais uma taxa prefixada.

Os investimentos podem ser a curto, médio e longo prazo.

No programa de negociação online existe uma lista de vários títulos públicos disponíveis, cada qual com a sua forma de rendimento.

Passo 3 – Risco dos Títulos

Verifique quais títulos estão com disponibilidade para compra naquele instante e defina aquele que melhor se enquadre com seu propósito, prazo de investimento e perfil de risco.

É de suma importância conhecer os riscos dos títulos. Ao passo que títulos pós-fixados, como o Tesouro Selic, não apresentam riscos de perdas ao serem negociados antes do vencimento, os títulos que apresentam taxa prefixada, como o Tesouro IPCA+ e o Tesouro Prefixado, podem apresentar grandes prejuízos se forem negociados antes do prazo.

Passo 4 – Compra do Título

Após definir um dos títulos o investidor pode escolher pela aquisição tradicional ou a programada. A quantia mínima para aquisição é 1% do título, mas precisa considerar o valor mínimo de aplicação que é de R$ 30,00.

Passo 5 – Após a Confirmação da Compra

Depois de confirmada a compra, o Tesouro Direto comunicará a data limite na qual o dinheiro deve ser colocado na conta da corretora. O investidor precisará se comunicar com a Instituição Financeira para solicitar os dados bancários no qual deverá realizar o depósito.

Lucineia Fatima Campos


Site permite investimentos de pequenos valores no mercado imobiliário.

A Urbe.me é uma instituição brasileira que visa investimento imobiliário, mas o diferencial é que esse investimento não necessariamente acontecerá em altos volumes, uma vez que a empresa coloca em prática o conceito chamado crowdfunding.

O crowdfunding trata-se de um termo inglês que caracteriza investimento coletivo, ou seja, a Urbe.me possibilita que pequenos investidores participem de grandes investimentos. O investimento é à partir de R$1.000,00 e, uma vez confirmado, o investidor recebe um título que confere a ele a participação percentual referente ao investimento, sobre o Valor Geral de Vendas (VGV) do empreendimento. Ao fim de toda a captação, o investidor recebe o título de dívida, acompanhando todos os fluxos financeiros, além de ter acesso ao desenvolvimento das obras. Assim, quando as vendas iniciarem-se, o investidor receberá, dentro dos períodos conferidos de cada projeto, o valor da participação dele no empreendimento. A cada trimestre, a incorporadora fará a apuração do valor das vendas.

Captações em Aberto

A Urbe.me, atualmente, conta com dois projetos já concluídos, um em Porto Alegre e outro em São Paulo. Existe um empreendimento em aberto para captação até fevereiro. Esse projeto em aberto é em Maringá, no estado do Paraná, e está sendo dirigido pela Construtora Lotus. Segundo dados da página InfoMoney, a rentabilidade prevista por ano gira em torno de 13%, visto de forma mais conservadora, mas pode chegar a 17,1%, numa visão mais arrojada.

A cidade Maringá tem um dos melhores índices de desenvolvimento humano (IDH) do Brasil, além de ter seu foco no setor de prestação de serviços. Tudo isso faz com que a cidade tenha o PIB per capita de 35,6 mil reais, dado muito estimulante se comparado ao dos outros municípios. Esses dados são importantes para o mercado imobiliário, uma vez que apontam para a capacidade financeira elevada das famílias da região. Para saber mais sobre possíveis aplicações neste empreendimento, basta clicar aqui.

A intenção da Urbe.me é que 15 projetos sejam ofertados por ano, sendo que pelo menos 10 já estão sendo visados para 2017.

Carolina De Marco Brandenbergher


Governo deve anunciar mudanças na próxima semana.

Novas mudanças deverão ser anunciadas pelo governo dentro do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), lançado ainda na gestão da ex-presidente Dilma. As alterações deverão fazer parte já da nova regra que estabelece um valor do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para a aquisição de imóveis com um teto de até R$ 1,5 milhão. Isto satisfaz de forma parcial às necessidades do ramo da construção civil, que foi afetada em cheio pela atual recessão da economia brasileira.

Na próxima segunda-feira, dia 6, o conselho curador do FGTS deverá estar se reunindo para que sejam acertados os detalhes das novas mudanças. A expectativa é que depois deste encontro, sejam definidos os valores para a composição de uma reserva de fundo no valor de R$ 500 milhões. Ele deverá ser suficiente para que se possa financiar imóveis acima do limite estabelecido atualmente, que é em torno de R$ 950 mil.

Este valor, por exemplo, é o utilizado em estados como Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e o Distrito Federal. As declarações a respeito dos detalhes do fundo foram dadas por José Carlos Martins, que é atualmente presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e que considera que as alterações deverão ajudar tanto aos brasileiros que queiram adquirir seu imóvel próprio quanto às construtoras que terão a oportunidade de fazer caixa, visto que poderão utilizar os imóveis parados em seus ‘estoques’.

Além das alterações das regras do fundo para o financiamento, o governo vai mudar os limites de renda e valor do imóvel em algumas faixas como a 3. Elas deverão acompanhar as mudanças em relação ao estabelecimento do novo fundo. Paralelo a tudo isto, deverá haver a abertura de uma linha de crédito adicional. Este medida deverá ser adotada exclusivamente para grupos familiares que se sustentam com um rendimento mensal de até R$ 9 mil. O valor da taxa de juros deverá ser baixo e ficará em torno dos 9% ao ano, segundo as declarações do próprio presidente da CBIC.

Maiores detalhes a respeito do encontro que deverão definir os novos valores, inclusive do fundo de financiamento, ainda não foram repassados por órgãos oficiais do governo como o Ministério das Cidades, a própria Caixa Econômica e o Conselho curador do FGTS.

Emmanoel Freire Gomes


Novo sistema dos bancos promete ser mais ágil e trazer inúmeros benefícios aos consumidores.

Todo mundo sabe que se deixar o boleto passar da data de vencimento, o mesmo só poderá ser pago no banco que o emitiu, o que geralmente causa muitos transtornos para as pessoas, até mesmo por enfrentar longas filas e o tempo perdido com deslocamento, haja visto que nem sempre moramos perto de um banco.

A Federação Brasileira dos Bancos acabou de noticiar que isso vai acabar a partir de março desse ano, pois todos os correspondentes bancários e até os bancos que aderirem a nova plataforma de pagamento poderão aceitar qualquer boleto vencido, independente do banco no qual foi emitido.

Segundo o representante da Febraban, Walter Tadeu de Faria, a nova plataforma, que ainda está em fase de testes, trará inúmeros benefícios para o consumidor e para toda a sociedade como um todo, pois vai facilitar e muito o pagamento de boletos vencidos, além de evitar o envio de boletos que não foram autorizados, diminuindo os transtornos.

Ainda de acordo com o representante, o sistema estava um tanto arcaico e funcionava dessa maneira há mais de duas décadas, precisando de uma atualização urgente.

Além da mudança do pagamento podendo ser feito em qualquer agência bancária após o vencimento, o novo sistema vai permitir identificar o CPF ou CNPJ do pagador, o que vai facilitar o rastreamento dos pagamentos.

Todo o pagamento que o cliente fizer será feito uma consulta o novo sistema com o objetivo de checagem da veracidade das informações e se todas as informações do boleto coincidirem com a do sistema que será implantado, a operação será concluída. Caso as informações do cliente não estiverem de acordo com a do novo sistema, a transação não será validada e o boleto não será pago, devendo o consumidor pagar o boleto vencido exclusivamente no banco emitente do mesmo, pois somente essa instituição é que terá permissão para verificar as informações do cliente e realizar os pagamentos.

Todas as pessoas estão apreensivas se esse novo sistema relamente trará benefícios para quem precisar desse serviço, pois no Brasil, o que é bom e realmente funciona, o governo tira de cena ou cancela. Quem viver, verá.

Rodrigo Souza de Jesus


Saiba tudo sobre os Leilões da Receita Federal.

O sistema eletrônico de leilão da Receita Federal é o meio no qual o órgão realiza leilões online de diversas mercadorias de qualquer natureza, sejam elas abandonadas ou apreendidas pela Polícia Federal.

Toda a sociedade em geral tem a permissão de acompanhar via internet no site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br) a publicação de diversos editais dos leilões eletrônicos, clicando na aba "Acompanhe e Consulte Editais de Leilão Eletrônico".

Os produtos que são barrados na alfândega brasileira no momento em que vão entrar no Brasil, geralmente são leiloados pela Receita Federal via leilão com preços bem atrativos. Os produtos são dos mais variados tipos e vão desde tigelas e canecas de porcelana importados até carros ou aparelhos eletrônicos de uso pessoal.

O site é bastante interativo e só vai exigir um pouco de paciência do internauta para ler todo o edital e arrematar o produto que deseja. Na verdade, existem dois tipos de leilões, que são os presenciais e os eletrônicos. Os mais usados pelas pessoas são os eletrônicos, já que os presenciais são feitos em diferentes cidades do país gerando um custo de locomoção muito maior para o internauta, o que acaba sendo inviável.

A forma de venda dos leilões eletrônicos da Receita Federal é semelhante ao de um site de leilões online em que o usuário acessa o portal da Receita Federal munido de um código de acesso que pode ser conseguido na hora do cadastro, além de um certificado digital, para que não haja fraudes.

Qualquer brasileiro com CPF ou empresa com CNPJ estão liberados para participar dos leilões da Receita Federal, além de estar em dia com as obrigações da mesma. Vale lembrar que o internauta deve ler o edital com muita calma para não dar um lance errado ou fazer uma compra enganado, pois no edital consta todos os detalhes do leilão e do lance mínimo. Alguns produtos tem fotos, o que pode facilitar e muito a compra ou o lance do usuário que deve ficar atento ao preço final do produto, pois a maioria dos produtos são cobrados ICMS que é calculado depois da compra feita. Toda atenção é pouca para que não haja arrependimentos posteriores.

Rodrigo Souza de Jesus


Confira aqui a lista dos bancos com mais reclamações no último bimestre de 2016.

Como faz todo ano e a cada bimestre, o Banco Central (BC) divulgou a lista dos bancos campeões de reclamações no Brasil. Neste início do ano, foram divulgados os dados referentes às instituições para os últimos dois meses de 2016.

Desta vez, "superando" todas as expectativas, o Bradesco saiu na frente em número de clientes insatisfeitos e superou a tão esperada Caixa Econômica, que ficou em terceiro lugar, seguido do seu segundo lugar ocupado pelo Banco Santander.

Deve-se salientar que esta classificação é elaborada pelo Banco Central de acordo com alguns critérios de classificação. Por exemplo, as instituições bancárias são classificadas em grupos de acordo com um determinado número de clientes. Para os bancos citados acima, pelo fato de possuírem um grupo de mais de dois milhões de correntistas, eles situam-se na classe dos grandes bancos. Os demais com clientes abaixo deste número são considerados bancos médios. Para esta classe, o Safra ficou na frente do Intermedium. Nesta mesma colocação ficou o banco Pan, que saiu do quarto lugar e ficou também na colocação acima.

Além disto, a avaliação feita pelo BC leva em consideração todas as reclamações efetuadas junto à instituição. Segundo a mesa, elas são analisadas detalhadamente uma a uma e se verifica se cada caso realmente deixou de cumprir todas as normas estipuladas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para os leitores que ficaram curiosos, a listagem completa com o ranking nacional das instituições financeiras pode ser vista em sua totalidade na página do Banco Central na internet.

Nesta listagem são analisados também aspectos como segurança e sigilo nas transações efetuadas pelos clientes em cada instituição citada, assim como a confiabilidade e a operacionalização das ofertas de produtos e serviços que são colocados diariamente à disposição de todos os clientes, tanto pessoa física quanto pessoa jurídica.

De acordo com os aspectos analisados para se classificar cada banco, além do Bradesco, Santander e Caixa Econômica, completam o ranking o Banco do Brasil, que vem em quarto lugar e em quinto ficou o Itaú.

Para os bancos de porte médio, além do Safra, Intermedium e Pan, completam a lista o Agiplan e o Paraná Banco, em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Emmanoel Gomes


Receita Federal irá liberar novo recurso para atualizar dados do CPF na internet.

Com a intenção de facilitar a vida do contribuinte brasileiro e aproveitando as facilidades da informática, a Receita Federal anunciou que deverá disponibilizar a partir do próximo dia 16, mais um serviço via internet. Trata-se da possibilidade de qualquer pessoa poder fazer as alterações relativas aos dados do seu Cadastro de Pessoa Física, o CPF.

Antes disponibilizado somente de maneira presencial, nas unidades do órgão, o contribuinte vai poder contar com a ajuda de uma nova opção que estará disponível somente no seu site, na internet. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, dia 12, pela instituição.

Com mais esta opção, a Receita espera descomplicar a vida de milhares de brasileiros que constantemente precisam se deslocar de casa para realizar a operação. Com a novidade, espera-se que cerca de 200 milhões de pessoas poderão ter acesso ao serviço. Como é realizada através da rede, a opção deverá ficar disponível durante as 24 horas do dia e nos setes dias da semana. Tanto as pessoas que moram no Brasil, quanto os brasileiros que residem no exterior, poderão faz uso o sistema.

Vale lembrar que através do novo serviço somente dados como nome, endereço e os telefones poderão ser alterados e atualizados. Mesmo quem queira ainda se utilizar dos serviços tradicionais, a opção de se realizar de forma presencial deverá ser mantida. O órgão preferiu manter esta opção para possibilitar que aqueles brasileiros que possuem certa dificuldade de acesso à internet não seja prejudicados. Para tal, o contribuinte poderá comparecer a uma agência da Caixa Econômica, do Banco do Brasil ou dos Correios e realizar a operação. Para tal, deverá ser pago um valor de R$ 7,00 nestes locais.

O outro objetivo da Receita é inibir os processos de fraudes durante a emissão do documento. Segundo o novo sistema, os dados que forem alterados deverão constar num novo tipo de código de acesso do tipo QR. Estes dados então poderão ser comparados com as informações que já constam no banco de dados da instituição e assim, o processo poderá ser efetivado. Além de comparar estes dados, será possível também verificar a autenticidade dos documentos já previamente emitidos.

Emmanoel Gomes


Reajuste do novo salário mínimo foi de R$ 57,00, indo para R$ 937,00 em 2017.

Já é quase uma tradição para os brasileiros, quando ao fim do ano é anunciado o valor do salário mínimo do próximo ano. Muitos brasileiros temiam que esse reajuste não fosse feito, em razão da forte crise financeira que o Brasil enfrentou em 2016 e deve continuar enfrentando em 2017. Mas o janeiro valor do novo salário mínimo foi anunciado e a partir do dia 1º de janeiro, ele já é uma realidade.

Trabalhadores de todo o Brasil, que recebem salário mínimo, já estão trabalhando sob o novo valor do salário mínimo brasileiro. O reajuste foi anunciado oficialmente pelo presidente da República Michel Temer, na última semana do ano de 2016 e em seguida o valor foi publicado no “Diário Oficial da União”.

O salário mínimo brasileiro teve um reajuste de 6,5 % que significa em reais o valor de R$57,00. Dessa forma o valor total passa para R$937,00.

O valor anunciado surpreendeu muitos brasileiros, uma vez que no mês de agosto do ano passado, o próprio governo federal havia anunciado a previsão de que o valor do salário mínimo em 2017 seria R$945,80.

Porém, conforme um cálculo utilizado há mais de 20 anos, não foi possível que o reajuste alcançasse esse valor, ficando assim R$8,80 abaixo do anunciado em agosto. Aliás, há muitos anos isso não acontecia, pois, todos os anos passados, o valor do reajuste sempre foi maior que o valor da inflação, exceto no ano de 1997 quando o reajuste também não consegui superar.

O histórico dos salários mínimos brasileiros é bem positivo, pois em um período de 20 anos, os reajustes mantiveram uma crescendo, fazendo com que o salário partisse de R$ 200,00 até o valor atual de R$937,00.

De qualquer modo, embora o reajuste não tenha sido tão alto, ou simplesmente não tenha atingido o valor previsto em agosto, com certeza ele deve ajudar o trabalhador brasileiro, que vem enfrentando desde o ano passado uma forte crise econômica.

Além disso, todos os benefícios do Governo Federal também são reajustados, baseado no aumento do salário mínimo, o que também é um ponto positivo, uma vez que auxilia as pessoas e famílias de baixa renda.

Dessa forma, o salário mínimo vigente no Brasil é de R$937,00.

Por Sirlene Montes


Negociação entre a Dona da Maguary e a Bela Ischia pode chegar a R$ 218 milhões.

Uma importante notícia para o mercado brasileiro. A Britvic, um importante grupo britânico que é detentor da tradicional marca de sucos Maguary, fez uma oferta quase que irrecusável para uma fabricante no Brasil de sucos, a marca Bela Ischia Alimentos.

A britânica ofereceu o equivalente a R$ 218 milhões para comprar a brasileira, como forma de expansão de sua presença em todo o mercado mundial referente a sucos concentrados. A oferta acompanha um ciclo de investimentos da Britvic no País, uma vez que foi em 2015 que a mesma adquiriu a Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos, a Ebba, que até então comercializava o suco Maguary. A negociação, na época, foi fechada por R$ 580 milhões.

Em comunicado oficial divulgado na última terça-feira, dia 3 de janeiro, a britânica anunciou que a união com a Bela Ischia irá garantir a participação do grupo em terras brasileiras, em áreas como Minas Gerais e Rio de Janeiro. Até então, a empresa atuava fortemente somente na região Nordeste e em São Paulo.

Anteriormente, segundo fontes da Reuters, houve interesse da Britvic com a fabricante dos sucos Natural One, sob comando do empresário Ricardo Ermírio de Moraes. Todavia, não houve acerto nas negociações, fato esse que desencadeou na venda da participação minoritária da Natural One para a Gávea Investimentos.

A Bela Ischia

Presente no mercado do Brasil desde o ano de 1967, a Bela Ischia começou os seus trabalhos comercializando frutas frescas no Rio de Janeiro. Porém, após esse período, a mesma fez uma forte aposta no mercado de polpas, começando a produzir sucos com o verdadeiro sabor da fruta, levando à inauguração de uma unidade de produção em Astolfo Dutra, em Minas Gerais.

E a expansão foi tão grande que, somente no ano de 2016, a empresa teve faturamento de aproximadamente R$ 160 milhões, com lucro bruto de R$ 18,5 milhões. Garantindo a qualidade de seus produtos, a Bela Ischia aposta em pomares próprios e possui mão de obra especializada, com rigoroso controle nas frutas selecionadas.

Para o grupo britânico Britvic, há expectativas que, ainda, até o final do mês de março a empresa consiga adquirir a brasileira. Isso ocorrerá após a análise de números da organização e processo de auditoria. Resta-nos aguardar o desfecho.

Kellen Kunz


Negociação deve envolver cerca de R$ 1,26 bilhão.

Uma gigante estatal brasileira declarou esta semana que bateu o martelo na venda do complexo químico-têxtil no Grande Recife, estado de Pernambuco.

A Petrobrás anunciou que a venda foi fechada em R$ 1,26 bilhão. Segundo a empresa, a compradora é a companhia mexicana Alpek, gigante do setor petroquímico e grande produtora mundial de poliéster.

A venda faz parte do Plano Estratégico da estatal e foi concretizada com a assinatura do contrato no último dia 28. Entenda melhor a importância do complexo para Pernambuco.

A refinaria Abreu e Lima, composta pela Petroquímica Suape e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (no conjunto denominados Complexo Químico-Têxtil Suape) foi construída no Complexo Portuário Suape e visava trazer prosperidade e desenvolvimento ao Grande Recife.

No início, o projeto de fato atraiu diversos investimentos, tendo recebido uma verba considerável do Governo Federal e da Petrobrás. Os setores de comércio e serviço tiveram um boom, proporcionando incríveis 8% do PIB Pernambucano. A partir de 2007, data do início de atividade do complexo, esse crescimento resultou num aumento considerável da população próxima, em busca de novas oportunidades.

Projetos paralelos foram criados, famílias desalojadas, convênios assinados. Embora os investimentos tenham sido consideráveis, parte do complexo não conseguiu sair do papel e o sonho do Eldorado começou a ruir.

Em 2015 a situação já estava crítica, com os problemas enfrentados pela estatal e pelo Governo Federal. Cerca de 50 mil trabalhadores entre os setores da indústria pesada, metalomecânica e de fretamento foram demitidos. Além disso, os demitidos deixaram de receber seus direitos trabalhistas, gerando uma bola de neve.

O complexo começou então a sofrer um sucateamento, vendo ir por água abaixo o sonho de prosperidade da região. As investigações do escândalo da Operação Lava-Jato concluíram que algumas licitações feitas pela Petrobrás foram irregulares, o que ocasionou prejuízo de cerca de R$ 10 bilhões. Empresas de construção e parceiros da estatal também estão envolvidos na denúncia.

Atualmente existe uma série de ações trabalhistas contra o empreendimento, que ultrapassa os 130 milhões de reais. As empresas envolvidas alegam falta de recursos para saldar essas pendências, tornando assim o sonho em pesadelo.

A Petrobrás possui no momento um programa de parcerias e de investimentos, mas a venda agora anunciada para a empresa mexicana ainda não será suficiente para cumprir a meta programada pela estatal brasileira, segundo informa a companhia.

Dan Dias


Previsão do governo para economia brasileira baixou de 1,6% para 1% em 2017 com alta do PIB.

O Ministério da Fazenda anunciou há bem pouco tempo que sua equipe econômica prevê um crescimento rebaixado da economia do Brasil em 2017, de 1,6% foi para 1%. No ano de 2016 o encolhimento da economia só cresceu, a previsão era de 3% e passou para 3,5%.

De acordo com o governo as estimativas da inflação oficial foram revisadas pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE. Essa é a terceira vez que a equipe econômica do governo Temer divulga uma estimativa de crescimento para o ano de 2017.

O projeto de Lei e Diretrizes Orçamentárias (LDO), a projeção foi fixada em 1%, contudo em agosto bem próximo de enviar o Orçamento ao Congresso a equipe econômica mudou de ideia e anunciou o aumento da projeção para 1,6%, sob a alegação que o mercado brasileiro sus avaliações.

De acordo com Boletim Focus houve uma queda na estimativa de crescimento para 2017, de 1,13% para 1,00 %. O Ministro da Fazendo fez menção a respeito da alta ser de apenas 1% no PIB (Produto Interno Brasileiro) no próximo ano. O que seria de grande negatividade para a arrecadação de 2017, afirmou o ministro.

Impacto no orçamento:

Se a economia crescer menos que a previsão do governo os danos são logo aparecem, pois o governo arrecada bem menos impostos trazendo prejuízos incalculáveis à economia brasileira. A mudança na projeção para o desempenho do PIB deve influenciar os cálculos governamentais para a receita do próximo ano.

O Brasil mostra uma situação bem complicada com seu déficit fiscal ou despesas acima da arrecadação, cada vez mais presentes.

A proposta do governo Temer para o próximo ano será que os gastos do governo sejam maior que a arrecadação com impostos, num montante de até R$ 139 bilhões. Caso esse valor seja confirmado, será o segundo maior rombo fiscal, levando-se em crescimento de 1,6% o PIB para o próximo ano.

Meta fiscal:

O governo comprometeu-se com a meta fiscal, independente da revisão do PIB e para 2016 essa meta foi um déficit de R$ 170,5 bilhões, contra o déficit do ano de 2017 que é déficit de R$139 bilhões.

Por Ruth Galvão

Economia brasileira


Investimento registrou mais de 181 mil operações somente no mês de novembro de 2016.

O Tesouro Direto, programa desenvolvido no ano de 2002 com o objetivo de permitir a pessoas físicas que efetuassem a compra de títulos públicos via internet, por banco ou por corretora, sem que para isso fosse necessário fazer aplicações em algum fundo de investimento, conseguiu registrar a marca de 181.498 operações de investimento no último mês (novembro). A título de curiosidade, esse é o maior número já alcançado pelo programa em sua história.

Em novembro, quando a grande maioria dos trabalhadores brasileiros receberam a primeira parcela referente ao 13° salário, as aplicações no programa chegaram a atingir a cifra de R$ 1,8 bilhão, enquanto que os resgastes somaram R$ 715,2 milhões. Desse total R$ 669,1 milhões são de recompras e outros R$ 46 milhões de vencimentos.

Segundo o Tesouro Nacional, o valor médio envolvido em cada operação no último mês foi de cerca de R$ 10.142,00. Sendo que a maior fatia das operações realizadas (71,9%) dizem respeito a aplicações de montantes de até R$ 5.000,00. Esses dados deixam claro a popularização do Tesouro Direto entre os chamados pequenos investidores.

No decorrer do mês de novembro os títulos que mais foram solicitados pelos investidores foram aqueles indexados ao IPCA. Neles a participação em cima do volume total de investimentos chegou a atingir 58,4%.

No caso dos títulos prefixados o percentual de investimentos foi de 17,4% do total, enquanto que dos indexados à taxa Selic foi de 24,2%, segundo o Tesouro Nacional.

Agora, no início do mês de dezembro, o governo lançou o aplicativo do Tesouro Direto. Por meio dele os investidores irão poder fazer as principais transações a exemplo dos investimentos, consultas de extratos, agendamentos e resgates. Também foi ampliado o horário de venda dos papéis, além de outras facilidades.

O aumento com relação ao interesse dos investidores no Tesouro Direto ainda coincide com a queda significativa da rentabilidade e atratividade na poupança. Enquanto que nos fundos de renda fixa os rendimentos aumentam de acordo com a Selic, nas cadernetas eles ficam limitados a 6,17% ao ano mais a variação da TR quando então, a Selic ultrapassa 8,5% ao ano.

Os títulos do Tesouro Direto atraem as pessoas ainda pelo fato de que oferecem rentabilidade acima da inflação e ainda há a incidência do Imposto de Renda. A perda de atratividade das cadernetas, fizeram com que entre os meses de janeiro e outubro de 2016, os saques dos recursos investidos na poupança superassem os depósitos realizados em R$ 53,25 bilhões.

Por Denisson Soares


Novo Pacote de Medidas Econômicas pode regulamentar cobrança com valores diferenciados para compras feitas com cartão.

No último dia 15 de dezembro, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, marcou presença no evento realizado para a divulgação do anúncio oficial do novo pacote de medidas econômicas que será adotado pelo governo. Durante a sua participação, Henrique Meirelles tratou, entre outras questões e medidas, da regulamentação da cobrança sobre valores diferenciados em relação as compras feitas no cartão ou ainda em dinheiro. Até agora, o lojista se vê na obrigação, estabelecida por lei, a fazer a cobrança do mesmo valor que é cobrado pelo pagamento à vista tanto no cartão de débito quanto no cartão de crédito.

Segundo o ministro da Fazenda, essa é uma prática que o governo tem conhecimento de que existe, principalmente entre os pequenos comerciantes e lojistas. Entretanto, que ainda é proibida.

A mudança entrará em ação por meio de um Medida Provisória. O principal objetivo é promover a alimentação do comércio com a hipotética redução nos valores que são pagos pelos consumidores. Isso basicamente é possível porque as lojas devem taxas oscilantes que partem de 2% do valor da compra em transações que são feitas via cartão (tanto de débito quanto de crédito).

Ainda nesse sentido, Henrique Meirelles também anunciou a diminuição das taxas de juros do cartão de crédito e do prazo de pagamento ao lojista.

Em um prazo de cerca de 10 dias, segundo o ministro, o governo analisa apresentar uma solução para baixar o custo financeiro que comumente se encontra embutido, mas que quase nunca é percebido pelo usuário.

Em outras palavras, isso significa dizer que os comerciantes poderão oferecer para os seus clientes que efetuarem pagamentos à vista descontos.

O governo destaca que o pacote de medidas microeconômicas irá auxiliar para que haja uma redução dos custos das empresas. Além disso, deverá ainda aliviar um pouco as dívidas oriundas de pessoas jurídicas e físicas e promover a redução da burocracia que envolve o comércio exterior.

O ministro da Fazenda afirma que esse pacote se trata de um complemento das medidas macroeconômicas que envolvem o teto para o aumento dos gastos públicos bem como da reforma da Previdência.

No caso de serem aprovadas, o governo estima que haverá a redução de custos para o consumidor (crédito).

Por Denisson Soares


Recomendação ocorre após estatal elevar os preços dos combustíveis no país.

Depois dos sucessivos escândalos envolvendo parlamentares, executivos e outros agentes do governo nos esquemas de desvio de dinheiro envolvendo um das principais empresas do governo, a Petrobras, os indicadores financeiros parecem apontar novamente para a estatal brasileira que parece despontar novamente como um investimento seguro no país.

Depois de anunciar um grande rombo em suas contas e, como consequência, o cancelamento de novos investimentos em infraestrutura pelo país, a Petrobras, novamente reformulada e com a adoção de uma nova sistemática de gestão financeira, volta a se indicada como uma opção segura no Brasil, conforme a avalição dos consultores financeiros ligados ao banco Santander no Brasil.

A divulgação da intenção e avaliação de investimento feita pela instituição financeira veio após os executivos do banco darem o aval legal para a nova estratégia adotada pela estatal e que se confirmou com a mais recente elevação dos preços dos combustíveis no país.

De acordo com um dos responsáveis pelas análises, Gustavo Allevato, a Petrobras retoma o seu posto de investimento seguro em terras brasileiras após o aumento de preços, o que só colabora para mostrar a todos os investidores mundiais, assim como ao próprio banco, a intenção de empresa em adotar uma filosofia financeira que vai reorganizar a sua própria finança interna, assim como firma o compromisso com o capital estrangeiro de se tornar uma aplicação rentável no mercado internacional.

A avalição positiva que mudou o cenário da empresa e renovou a sua imagem como investimento veio após o reajuste dos seus produtos que poderá projetar expectativas positivas de valorização das aplicações em papéis da estatal.

As projeções são uma valorização superior aos 20% ainda neste ano. Para o ano de 2017, esta expectativa deverá ser que uma ação da Petrobras possa ser comercializada no mercado de ações com um valor que chegue até quase R$ 24,00.

No mercado atual, desde a sua reestruturação, este valor está cotado atualmente em quase R$ 19,00. Portanto, os analistas financeiros acreditam que se for mantido a mesma política, este percentual de expectativa possa ser mantido e a prática de recomendação em investimentos na empresa possa se solidificar nos próximos anos, o que a faz um investimento seguro para todos.

Emmanoel Gomes


Negociação aprovada deve movimentar cerca de US$ 26 bilhões.

A UE (União Europeia) autorizou a compra da rede social LinkedIn – focada no mercado profissional – pela Microsoft, uma das empresas mais poderosas e influentes de todo o planeta, como informa a agência “Reuters”. Essa transação movimenta US$ 26 bilhões, a iniciativa mais ousada da empresa fundada por Bill Gates.

A agência de notícias ainda informa que o LikendIn gera US$ 3 bilhões por ano. A página é conhecida por trazer perfis de profissionais de diversas áreas de atuação, em meio a manutenção de rede de contatos, bem como, busca por oportunidades no mercado de trabalho.

O LinkedIn tem hoje mais de 433 milhões de usuários cadastrados na plataforma, sendo que 2 milhões deles pagam por assinatura, segundo o portal “The Verge”. O “Wall Street Journal”, um dos veículos mais influentes do mundo, cita que a Microsoft pretende autorizar que os concorrentes da rede social tenham acesso a recursos que facilitam acessar o pacote Office – bem como Outlook, Word, PowerPoint e Excel.

Um concorrente do LinkedIn que promete sacudir o mercado é o Egomnia, que ainda não foi lançado oficialmente no Brasil, mas o usuário pode acessar a plataforma para testar as funcionalidades. A rede social foi criada por Matthew Achilli, citado muitas vezes pela imprensa especializada como o “Mark Zuckerberg italiano”.

Oportunidades de empregos

Os setores de RH (Recursos Humanos) das empresas também divulgam oportunidades na página, além de buscarem perfis para preenchimentos de vagas. Esses departamentos costumam pagar por assinatura, o que gera receita.

No caso dos profissionais, existe a opção de contas básicas-gratuitas, que permitem envio de candidatura para algumas oportunidades – mas com recursos limitados, ao contrário da conta paga (premium) que dá acesso a vagas exclusivas e facilita contato com recrutadores.

A analista de marketing Alessandra Silva, 33, conta que conseguiu boas oportunidades de trabalho por meio da plataforma. “Eu participei de duas entrevistas para vagas bem interessantes, passei nos processos e optei por uma das oportunidades. Mesmo com conta gratuita, o RH dessas empresas entrou em contato comigo, as pessoas gostaram do meu perfil”, afirma. E para quem deseja ser notado pelas empresas, Alessandra dá um conselho: “mantenha o perfil atualizado e completo”.

Além disso, ela também destaca a importância em consultar sempre a plataforma e ter muita cautela quanto ao tipo de assunto postado na timeline. “Conheço pessoas que já perderam oportunidades por postarem, justamente, sobre assuntos polêmicos, os quais a empresa considerou ser uma ideia que não condiz com a política e propósito deles”, destaca.

Por Letícia Veloso


Negociação com a locadora de carros chega a R$ 337 milhões.

A Localiza anunciou a compra das operações da Hertz Brasil no início desta semana. Essa aquisição tem o valor estimado de R$ 337 milhões, em que está incluso o patrimônio líquido e dívida da companhia. Porém, essa transação financeira não se trata de uma participação societária de nenhuma das companhias.

Aquisição também terá parceria estratégica

Nesse caso, foi realizada uma aliança estratégica com a The Hertz Corporation, em que ocorrerá a combinação das duas marcas: “Localiza Hertz”. Isso incluirá também o uso da marca Localiza em aeroportos com maior fluxo do público brasileiro, como nos Estados Unidos e alguns países da Europa.

Dessa forma, os clientes da Localiza que viajarem para o exterior (com exceção dos países da América do Sul) serão atendidos pela Hertz. Os clientes desta que vierem até o Brasil serão atendidos pela Localiza.

Essa parceria entre as marcas terá um prazo de 20 anos. Caso seja favorável para ambas as partes poderá renovada por mais 20 anos.

A transação ainda está em fase de aprovação

O valor final dessa transação ainda não foi fechado, pois depende de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Até que isso aconteça, as companhias trabalharão de maneira autônoma e independente. Após o fechamento da operação as dívidas da Hertz serão liquidadas.

Com isso, a rede brasileira receberá uma frota de aproximadamente 9.200 automóveis da empresa americana. Dentre eles, 3.700 estão voltados para a gestão de frotas. Além disso, ambas terão trocas de novas tecnologias, visando o melhor atendimento de seus clientes.

Localiza e Hertz: quem são

A Localiza é atualmente a maior rede de aluguel de carros da América do Sul, operando em 7 países e com um total de 564 agências. Sua frota total é de 136.000 carros.

Já a Hertz Global é detentora das marcas de aluguel de veículos Hertz, Thrifty e Dollar. A empresa de origem americana possui franquias em países da América do Norte, América Latina, Europa, Oriente Médio, Ásia, Austrália e Nova Zelândia. É, portanto, uma das maiores redes do mundo no segmento.

Assim, a mudança tornará a Localiza uma rede mais influente e presente em outros países, facilitando a locomoção de brasileiros nesses locais. A empresa conta com diversas tecnologias digitais que visam a facilidade durante o processo de aluguel de seus veículos.

Camilla Silva


Dólar dispara e tem maior alta dos últimos 8 anos. Moeda subiu 4,73% em um único dia, fechando em R$ 3,361.

No dia 10/11, quinta-feira, o dólar fechou com a maior alta dos últimos 8 anos. Em porcentagem, a moeda norte-americana subiu 4,73% em um único dia, fechando em R$ 3,361. A disparada do dólar nessa quinta-feira foi atribuída a pelo menos três fatores: incertezas quanto ao governo de Michel Temer no Brasil, eleição de Donald Trump e ausência do Banco Central no mercado de câmbio.

Somente no dia 22/10/2008, mais de 8 anos atrás, o dólar tinha registrado uma alta tão considerável: 6,39%. Dentre os fatores que disparam o dólar estão as incertezas do governo Temer, a incógnita Trump, a saída de recursos do Brasil (o que enfraquece a moeda) e a ausência do Banco Central nas negociações de câmbio.

Dentre as notícias que aumentaram o clima de instabilidade no governo Temer consta a apresentação de documentos que comprovariam doação de um milhão de reais feita pela empreenteira Andrade Gutierrez ao candidato à vice-presidência Michel Temer. Os documentos foram apresentados pela defesa da ex-presidente, Dilma Rouseff.

Outro fator relevante para disparada do dólar foi a eleição inesperada de Donald Trump. O mercado financeiro recebeu a notícia com surpresa e o Banco Central interrompeu as negociações de câmbios futuros para observar qual será o comportamente do mercado.

A tendência de alta do dólar une um cenário político frágil no Brasil, o que desvaloriza o valor do real, com as incertezas quanto ao modo que o republicano Donald Trump irá governar. Se as promessas feitas na campanha eleitoral forem seguidas, podemos esperar o fortalecimento da moeda americana e a redução nas importações por parte dos EUA. Donald Trump bateu constantemente na tecla de apelo ao nacionalismo ufanista e medidas que restrinjam a entrada de imigrantes.

Boa parte do mercado está receosa com o comportamento da bolsa e das moedas. Vale frisar que o momento é de bastante incerteza e um mercado volátil e pouco horizontal. No dia da eleição de Trump, bolsa como a da China registram quedas consideráveis. Os reflexos no Brasil ainda dependem de fatores políticos que envolvem o futuro do governo Michel Temer.

Por Matheus Griebeler

Dólar


Compra custou ao Itaú cerca de R$ 710 milhões e envolve apenas os negócios de Varejo do Citibank.

No último sábado, dia 08 de outubro, foi anunciado (pelo site do Itaú) a venda dos negócios de varejo do Citibank que está instalado no Brasil. O comprador foi o banco Itaú Unibanco Holding S.A., que pagou pelas operações do Citi o equivalente a R$ 710 milhões de reais.

Como todos sabem, o Citibank é uma agência bancária que atua globalmente, atuando por meio de mais de 3.000 filiais distribuídas em 36 países no mundo todo. Só os Estados Unidos possui cerca de 26% das agências. No total são 983 filiais norte-americanas que atuam nas grandes metrópoles. No Brasil, a operação varejista do Citibank possui 71 agências que possuem aproximadamente 315 mil clientes correntistas, que fazem a movimentação de R$ 35 bilhões entre ativos e depósitos (valor baseado na movimentação até dezembro de 2015), mais os rendimentos de cartões de crédito, cujo valor é de 1,1 milhão e o valor referente à carteira de crédito, que é de R$ 6 bilhões.

Após a aquisição das operações de varejo do Citibank, cuja negociação durou aproximadamente dez meses, o Itaú contará com R$ 1.404 trilhão somente em ativos. Pois acaba de adquirir cartões de crédito, empréstimos, gestão de recursos, depósitos, agências, seguros para corretagem, além claro, das inúmeras participações de sociedade que o Citibank mantinha, como com a Tecnologia Bancária S.A – TECBAN (que possui uma representação de 5,64% do total de capital de sócios) e com a Companhia Brasileira de Securitização (cuja participação representa 3,60% do capital social).

Além das operações de varejo do Brasil, o Citigroup também se manifestou sobre planos de venda de suas operações na Colômbia, Argentina e Venezuela. Ao concluir a operação de venda para o banco Itaú, não existirá mais ligação com o grupo Citibank.

Existem algumas condições a serem cumpridas antes da conclusão da negociação. Dentre essas condições incluem-se aprovações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e do Banco Central do Brasil.

Porém, o mais importante é que os clientes do Citibank poderão contar sempre com suporte, eficiência e atendimento digital, de forma que os serviços digitais ocupam um valor de 95% das operações. Além de todos os serviços, também serão oferecidos atendimento nas agências (que são mais de quatro mil) e em postos para atendimento (que contam com 44 mil caixas eletrônicos) distribuídos em todo Brasil.

Sirlene Montes


Compra da Monsanto foi aceita após Bayer oferecer US$ 128 por ação da Monsanto.

A Bayer anunciou nesta semana a compra da multinacional norte-americana Monsanto, que atua no ramo de agricultura e biotecnologia. O acordo do negócio divulgado pela Bayer envolve o montante de US$ 66 bilhões pela aquisição, que possibilitará à empresa alemã reforçar sua posição no ramo do agronegócio.

A compra da Monsanto pela Bayer estava sendo esperada já há algum tempo pelo mercado mundial, uma vez que a companhia alemã já havia feito diversas propostas pela compra da multinacional com sede nos Estados Unidos. A primeira oferta feita pela Bayer pela Monsanto foi em 9 de maio, quando ofereceu o valor de US$ 122 por ação, que acabou sendo recusada pela Monsanto. Desta vez, o valor oferecido de US$ 128 por ação da Monsanto foi aceita, e corresponde a um incremento de 44% no valor de fechamento das ações da companhia no dia 9 de maio.

A Bayer deve levantar US$ 19 bilhões em emissões de títulos de dívidas conversíveis e angariar cerca de US$ 57 bilhões através de empréstimos em diversos bancos para pagar pela transação de compra da Monsanto. Juntas, as duas companhias tiveram receita de US$ 23 bilhões no ano passado. Os investimentos de ambas somam 2,5 bilhões de euros anuais em pesquisa e desenvolvimento nas áreas em que atuam.

A aquisição permitirá que a Bayer incremente seu portfólio, já que o principal negócio da alemã está na área de produtos voltados à saúde. Com a Monsanto, a companhia aumentará sua presença no mercado do agronegócio e biotecnologia, direcionando esforços, pesquisas e produtos, inclusive para o desenvolvimento de soluções sustentáveis para cultivo e plantações em todo o mundo.

Sobre as Empresas:

A Bayer é uma empresa alemã fundada em 1863, por Friedrich Bayer, e atua principalmente na área farmacêutica e da saúde. De acordo com dados divulgados pela companhia em 2013, o grupo emprega mais de 113 mil pessoas e possui um volume de negócios superior a 40 bilhões de euros.

Já a companhia Monsanto foi fundada em 1901 e está sediada nos Estados Unidos desde sua fundação. A empresa é líder mundial na produção de pesticida e agrotóxico, além de ser uma das principais companhias a produzir sementes geneticamente modificadas em todo o mundo. Sua intensa atuação na área de agricultura e biotecnologia é alvo de protestos periódicos de ativistas ambientais, principalmente por conta da produção de sementes transgênicas.

Por Luana Neves


Empresa possui uma dívida de R$ 65 bilhões e pode vender sua divisão de telefonia celular.

A companhia de telefonia Oi confirmou formalmente seu pedido de recuperação judicial, no valor de 65 bilhões de reais. Um dos maiores no Brasil, a empresa garante que continuará mantendo os seus serviços normalmente. Para os aficionados em finanças, a pergunta que não quer calar é: o que acontece com as ações da Oi em sua condição de recuperação judicial?

Ao que tudo indica, é que o procedimento se dê da seguinte maneira: primeiro, faz-se um levantamento das reais condições da empresa comparando com o que foi mostrado em seu pedido e, só depois disso, é que o mercado será comunicado. Quanto à bolsa de valores, o status das ações da Oi é de suspensão, o tempo dependerá do juiz à frente do caso e da duração daquelas averiguações.

Em seu plano de recuperação judicial, a Oi confirma a possibilidade de vender sua divisão de telefonia celular. Se reestruturada, a empresa se dedicará na divisão fixa, com ênfase na banda larga. Com dívidas que chegam a 65 bilhões de reais, a Oi investirá em operações de telefonia móvel e venda de participações em operadoras africanas e asiáticas, bem como operações de datacenter.

Quando o prazo de suspensão estipulado pelo juiz se encerrar, as ações da Oi voltam à negociação normalmente, todavia, não mais poderão fazer parte do Ibovespa, o principal indicador da Bolsa do Brasil.

O decreto de falência por parte da Oi é o seu último plano, caso o trâmite de recuperação falhe. O pedido de recuperação judicial objetiva fazer com que a empresa consiga superar as crises por que vem passado e sanar suas dívidas, de modo que retorne com credibilidade às suas atividades habituais. Mas, caso a falência venha à tona, os ativos da Oi serão leiloados para que se paguem seus funcionários, seus impostos, credores e acionistas; necessariamente nessa ordem.

Os pequenos credores receberão rapidamente após a homologação do plano de recuperação judicial; no caso dos fornecedores que têm até 150 mil reais a receber, o prazo será também rápido. Com relação aos funcionários e seus créditos trabalhistas, serão cinco parcelas mensais com carência de seis meses.

Para a Anatel, a Oi deve mais de 10 bilhões de reais; sua proposta é converter o valor em investimentos e melhorias nos serviços.

Flávia Figueirêdo


Saiba aqui o que levou as ações da Petrobrás a subirem de valor neste ano de 2016.

Em janeiro deste ano, a Petrobrás (PETR4) chegou a atingir as cotações ais baixas dos últimos 13 anos, com suas ações chegando a cair dos R$ 5,00. Porém, a empresa vem em franca recuperação no ano de 2016 e os valores dos papeis da PETR4 já triplicaram em relação aos baixos valores do começo do ano.

Na última segunda-feira, 5 de setembro, as ações da Petrobrás fecharam em R$ 13,83, o maior valor desde maio de 2015. Os números, porém, ainda ficam muito aquém do pico de maio de 2008, quando a empresa registrou o recorde nos valores de seus papeis, com as ações custando R$ 50,56.

De acordo com uma análise de Thiago Salomão, no InfoMoney, existem alguns motivos para essa forte retomada da petroleira no mercado nos último oito meses. Um deles foi o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Desde sua reeleição no final de 2014, o governo de Dilma ficou marcado por intervenções na Petrobrás e pelo congelamento dos preços da gasolina no país, com a finalidade de se conter a inflação. Desde as eleições, podia-se observar a cada notícia negativa em relação ao governo do PT, o mercado reagia positivamente e as ações da PETR4 subiam.

Mas, para o analista, o principal motivo não foi nem a conjuntura política do Brasil, mas sim a recuperação dos preços do petróleo no mercado mundial. O barril de petróleo, que chegou a custar US$ 27,88 em janeiro, hoje está custando por volta de US$ 45. Houve também uma mudança na gestão da empresa, estimulando a venda de ativos.

A expectativa é que o preço do petróleo continue crescendo, atingindo a marca de US$ 75 em 2019. Em julho e em agosto, o Santander, o Itaú BBA e o Bradesco BBI elevaram a recomendação para as ações da estatal. O UBS também elevou as recomendações e, comparando a Petrobrás a Fênix, que renasce das cinzas, prevê uma máxima de R$ 18,20 para as ações da PETR4.

Os números do primeiro balanço da empresa sob a tutela de Michel Temer agradaram ao mercado. No balanço do 2º trimestre de 2016, a Petrobrás registrou um lucro líquido de R$ 370 milhões, frente a um déficit de R$ 1,24 bilhão no 1º trimestre.

Renato Senna Maia


Saiba aqui quais são as previsões realizadas pela Empiricus em seu novo documentário sobre o Brasil.

A empresa de consultoria e análises financeiras Empiricus, desde as últimas eleições presidenciais de 2014, vem dando o que falar. Com teses econômicas e políticas bem polêmicas, a empresa já foi processada pela campanha eleitoral do PT e pelo governo de Dilma Rousseff.

A organização é formada por estudiosos e economistas que fazem análises da situação política e econômica atual e que publicam e divulgam teses em que muitas vezes vão contra a maioria das análises de economistas conhecidos e da grande mídia.

Em 2014, a Empiricus divulgou um estudo chamado “Fim do Brasil”, em que dizia que se a candidata Dilma Rousseff se reelegesse, o Brasil iria entrar em uma recessão sem precedentes e que o título da pesquisa realmente poderia se tornar realidade para todos os brasileiros. Daí a empresa teve um processo aberto pela campanha eleitoral do PT em que, segundo o partido político, a empresa estava apoiando o candidato adversário Aécio Neves e recebendo para divulgar esses relatos que, segundo o Partido dos Trabalhadores, eram mentirosos. A Empiricus nega qualquer vínculo com a campanha de Aécio Neves, relatando que a divulgação do projeto “Fim do Brasil” foi feito com base em estudos econômicos profundos e como forma de alerta para sociedade brasileira, que segundo a empresa, estava correndo perigo caso Dilma Rousseff realmente se reelegesse.

Hoje os diretores da empresa, ao mesmo tempo em que vangloriam ter acertado a análise, lamentam que o Brasil tenha chegado a essa recessão atual. Na época em que o estudo “Fim do Brasil” foi divulgado, muitos pontos da situação político-econômica em que os brasileiros sabem hoje pela grande mídia, já tinham sido alertados pelos consultores da organização. Os principais pontos que os estudiosos afirmam ter acertado a previsão são desemprego em alta, contas públicas em déficit (que na época das eleições presidenciais o governo afirmava não existir), pedaladas fiscais, inflação na casa de dois dígitos, corrupção enraizada e recessão econômica. No fim das contas, a Empiricus afirma que a gestão petista cometeu o que se chama de estelionato eleitoral, ou seja, segundo eles o governo maquiou as contas públicas e os dados públicos da economia do país para afirmar que o país não estava passando por nenhuma crise.

Nesse mês de agosto a empresa divulgou um novo documentário em que afirma que o país agora está tomando um novo rumo. Eles dizem não apoiar o novo presidente Michel Temer por ele fazer parte da “mesma turma” do último governo. Contudo, afirmam que algumas medidas tomadas por Temer podem dar uma nova guinada no país e na nossa economia. A Empiricus diz que a inflação já está mais dentro do controle da meta, que a indústria já dá seus primeiros sinais de recuperação, que o nosso câmbio está atrativo para investimentos e que o ambiente externo para 2017 está bem favorável para dar um fim na recessão. Muitos economistas ainda não conseguem fazer essas projeções, o que mais uma vez a empresa de consultoria polemiza. Agora é esperar para ver se o país realmente consegue caminhar para uma nova perspectiva.

Por Carolina Costa


Saiba aqui o que é e como calcular o EBITDA.

Quanto vale a minha empresa? Essa é uma dúvida muito comum tanto aos empresários com seus negócios já consolidados, como aos aspirantes a empresários e suas ideias inovadoras. O conceito é complexo e não há fórmula pronta, o que há são alguns métodos de se medir e alguns critérios a serem levados em conta na hora de saber qual é o valor de uma empresa, por quanto ela seria vendida.

A sigla EBITDA vem do inglês “earnings before interests, taxes, depreciation and amortization” e significa literalmente “lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”. É uma das fórmulas mais eficazes de se medir a real capacidade que uma empresa tem de ser lucrativa.

O índice é obtido quando se excluem as despesas operacionais – como é o caso da contabilização a amortização de pagamento de empréstimos ou dívidas e os juros que deles advêm; a depreciação de máquinas, equipamentos e instalações que são utilizados; imposto de renda, por exemplo – do lucro bruto da empresa.

Exemplifiquemos: se uma empresa fatura 5 milhões e tem 100 mil de EBITDA e outra empresa fatura o mesmo tanto, mas tem 700 mil de EBITDA, isso quer dizer que a segunda empresa tem mais capacidade de gerar lucro do que a primeira, ou seja, têm valores diferentes.

Ao multiplicarmos o EBITDA pelo múltiplo da indústria – ou seja, o valor pelo qual a empresa foi comprada sobre o EBITDA, não somente chegamos ao seu valor atual de mercado, mas à lógica do mercado, o que vem sendo mais valorizado em números, um indicador financeiro muito eficaz.

O EBITDA é um dos índices mais usados na administração financeira de um modo geral. Aplicá-lo junto a outros indicadores importantes não apenas traz uma análise mais completa da real situação de uma empresa, mas serve para averiguar seu horizonte financeiro. Pode ser também utilizado na análise da origem dos resultados das empresas, sendo, pois, mais preciso no cálculo de sua produtividade e eficiência de seu negócio. No quesito percentual de vendas, o EBITDA serve para comparar as empresas com relação a sua eficiência em certo segmento do mercado.

As variações que ocorrem do EBITDA de um ano para outro deixa claro para os seus investidores se uma empresa conseguiu ou não ser mais eficiente ou produtiva, fazendo com que ela valha mais ou menos aos olhos de seus possíveis compradores, seus investidores.

Flávia Figueirêdo


Saiba aqui o que é e para que serve a Análise Técnica ou Gráfica.

Nos tempos atuais é cada vez mais comum encontrar pessoas físicas interessadas em investir e atuar no mercado financeiro, seja para trabalho ou para hobby. Para saber trabalhar neste mercado, pequenos e grandes investidores devem ser capazes de analisar gráficos e identificar as oportunidades que o mercado financeiro lhe oferece. Se você tem interesse em atuar nesta área, conheça agora um pouco mais sobre a análise gráfica ou análise técnica, que é o tipo de análise mais utilizada por profissionais e amadores em todo o mundo.

A análise gráfica, também conhecida como análise técnica, é conhecida por utilizar-se das informações que o gráfico de um determinado ativo passa através de um histórico de preços. Para utilizar a análise técnica não é necessário ser conhecedor de questões econômicas, matemática, contabilidade, como a análise fundamentalista – outro tipo de análise utilizada no mercado financeiro e, por isso, requer apenas atenção, treino e conhecimentos sobre tendências, ciclos e padrões de preços.

Através da análise de gráficos, o investidor consegue identificar padrões de preços, tendências do mercado em períodos curtos ou mais longos de tempo, além de linhas de suporte e linhas de resistência, as quais os preços costumam respeitar. Não importa se estamos falando de índices, ações ou commodities, os padrões costumam sempre se repetir e tendem a permitir que o operador se antecipe ao próximo movimento do mercado e tenha êxito em suas operações financeiras.

A premissa mais importante da análise técnica é identificar justamente estes movimentos dos preços, deixando de lado tudo o que está externo ao elemento gráfico, como notícias, economia, política, e outros motivos, embora muitos destes fatores externos tenham o poder de alterar o preço do ativo sem respeitar qualquer padrão ou tendência. Por conta disso, muitos operadores preferem ficar longe das operações financeiras em períodos de notícias ou momentos turbulentos da economia ou política.

Entre os padrões gráficos utilizados pelos investidores que fazem uso da análise gráfica para operar no mercado estão as tendências altistas e baixistas, lateralidade (quando os preços estão laterais, com pouca volatilidade), topos e fundos de preços, pontos de suporte e resistência, entre outros. Também são bastante utilizadas ferramentas que permitem ao analista identificar tendências e os próximos passos do mercado, como as Ondas de Elliot, Pontos de Pivot Gráficos e a Sequência de Fibonacci.

É importante ressaltar, no entanto, que conhecimento em análise gráfica ou técnica não garante ao investidor sucesso em todas as suas operações. Além do conhecimento necessário para operar no mercado financeiro, é imprescindível que o investidor possua outras características particulares fundamentais para se obter sucesso, como paciência, controle psicológico e de risco, além da aplicação correta dos seus conhecimentos na prática.

Por Luana Neves


Saiba mais sobre a fusão dos sites Bom Negócio.com e OLX.

Bom, Bom, Bom! Négocio.com! Desapega, desapega: OLX!

O trecho do comercial do site de classificados bomnegocio.com ficou marcado na memória de todos. Quem não se lembra das propagandas criativas e até dos escândalos envolvendo as analogias propagandistas do site de vendas colaborativas bomnegocio.com? Um sucesso de marketing nacional, um nome intuitivo e uma explosão de adeptos. Claro que nenhuma empresa ganha notoriedade em vão e logo vieram propostas de venda e fusão. Consequência do sucesso, não um problema! O método funcionava, os anúncios eram gerados de forma democrática e autônoma, o contato e a possibilidade de negociar com o anunciante era um diferencial do líder no mercado naquele tempo, o site sul-americano que não permitia essa elasticidade na negociação. Ao invés de anunciar em sites aleatórios e com pouca visibilidade, o bomnegocio.com listava o país inteiro ao fim de um clique.

Para compreendermos melhor o que houve é preciso esclarecer que tanto a OLX quanto a bomnegócio.com são produtos de empresas estrangeiras, sendo representados respectivamente pela sul-africana Naspers (gestora da OLX) e empresa norueguesa Schibsted (gestora do bomnegocio.com). O que houve de fato não foi uma venda, foi uma fusão!

Vale lembrar a diferença ade aquisição e fusão de empresas: na aquisição, um prepondera sobre a outra, tornando-a extinta e absorvendo capital, ações, patrimônio e identidade. Fusão é quando duas empresas de porte parecido se complementam e geram uma terceira, deixando de haver as anteriores e sem prevalência de nenhuma delas ou ainda quando se incorporam. No processo de fusão as ações e o capital combinam-se em prol de uma nova identidade jurídica, com mais força e poder de atuação e podendo até manter inalterado o poder administrativo das anteriores. Além disso, na fusão a moeda é acionária, através de permuta de ações.

Com esse processo de fusão, que teve início no fim de 2014 e concluiu-se no início de 2015, a bomnegócio.com passa a ser veiculada como OLX e os usuários foram automaticamente transferidos.

O mercado de comércio colaborativo online movimenta milhões. A movimentação diária de usuários faz do site de classificados um excelente painel de propagandas e produtos com anúncios "premium". No fim, todos ganham: o usuário que deseja vender, conta um site poderoso e abrangente, o visitante que deseja comprar tem a certeza de que ali ele encontrará o que precisa reunido em um lugar só e com chances de comparação, os anunciantes ganham com a visibilidade e a empresa ganha em popularidade! Não há desvantagem, continua sendo um BOM NEGÓCIO!

Gracieli Borges Ferreira


Confira aqui algumas maneiras de minerar Bitcoin na internet.

Atualmente minerar Bitcoins com o PC doméstico se tornou de fato uma tarefa infrutífera. Isso porque com o tempo foram aparecendo computadores criados especificamente para este fim. Chamados de ASICSs, eles contam com processadores potentes com foco exclusivo no Bitcoin Miner. Sendo assim, os usuários comuns ficaram meio que sem saída e com o caminho cheio de obstáculos. Devido a presença desses equipamentos a mineração de bitcoins praticamente se tornou meio que exclusiva para aqueles que possuem mais condições para gastar com as novas tecnologias.

Ainda assim vale dizer que dá para minerar bitcoins com o equipamento doméstico. A questão é a presença maciça dos ASICs, que estão em operação e que tornam bem pequena a chance de se encontrar um único bitcoin, mesmo passando um ano com aplicativo de mineração rodando. Então a relação custo x retorno não justifica muito essa opção.

Deixando essa parte de lado, vamos ver algumas formas (algumas até mais baratas e práticas) de como minerar bitcoins:

– ASICs

Caso a pessoa tenha condições de comprar um ASIC a coisa vai além: É preciso escolher a melhor máquina que der para adquirir. Existem no mercado uma variedade de modelos como diferenciações em termos de configurações. As mais caras e potentes trazem um bom resultado na mineração, mas consomem muita energia elétrica. Uma ASIC mais em conta pode consumir menos e em contrapartida trazer uma quantidade menor de bitcoins.

– Nuvem

Uma das maneiras alternativas para a mineração de bitcoins é por meio da nuvem. Uma boa alternativa para quem não possui meios para adquirir uma ASIC de ponta.

Os serviços podem ser assinados pelo usuário pela internet. O usuário paga uma mensalidade que fica em torno dos R$ 50 e o serviço, por sua vez, envia diariamente bitcoins.

A vantagem aqui é que o usuário terá a certeza de que bitcoins serão gerados diariamente a custo baixo. Porém, vale lembrar que o tempo do investimento e do retorno pode variar.

– Pools

Os chamados Pools são basicamente grupos de investidores que trabalham em rede. Eles juntam as forças e claro, o hardware para minerar. A principal vantagem aqui é que de acordo com o tamanho do grupo e do tipo de equipamento que o mesmo usa, o retorno pode ser bem interessante.

Para participar dos Pools é até fácil. Uma grande maioria deles organizam-se pela internet e envolvem pessoas de todo o mundo permitindo uma escolha melhor dos grupos, principalmente em relação ao tamanho dos mesmos.

Por Denisson Soares


Os doces têm um lugar especial na vida de quase todo mundo, desde as crianças mais jovens até os adultos, ninguém dispensa um docinho de vez em quando. É por isso que o setor é um dos que tem mais possibilidades de crescimento, apesar do cenário difícil no país. Entre todas as guloseimas comercializadas, uma das categorias que ganhou mais destaque nos últimos tempos foi a dos candies, que inclui chicletes, balas de goma, confeitos e outras coisinhas açucaradas.

O chocolate sempre foi o queridinho dos brasileiros, mas com as dificuldades econômicas trazidas pela crise está ficando mais difícil consumi-lo e até sua produção anda caindo. Os candies, no entanto, ganham cada vez mais espaço no varejo. No setor de chicletes, por exemplo, o Brasil já está entre os 5 maiores consumidores, com 48,4 mil de toneladas vendidas, de acordo com dados da Euromonitor. Durante os últimos anos a população brasileira experimentou uma melhora de distribuição de renda, que fez com que a classe média aumentasse. Sua consequência foi aumento no consumo de produtos com maior valor agregado, categoria à qual os candies pertencem. Mesmo quando a economia começou a piorar, a família brasileira não abriu mão de seus doces. Como as guloseimas tem um custo razoavelmente baixo, o consumidor nem sempre deixa de comprá-las. Confeitos também devem ganhar destaque na loja já que, durante o período de crise, consumidores farão cada vez mais doces em casa.

Prova disso é o crescimento identificado por uma pesquisa da Nielsen. De acordo com os dados, a categoria de balas cresceu 9,6% entre os anos de 2014 e 2015. Durante o mesmo período, a categoria de chicletes teve crescimento de 1,8%. Em período de crise em que a tendência é de estagnação, as categorias de candies permanecem firmes nas vendas. Anualmente o setor gera um volume de vendas de 12 bilhões de reais, de acordo com dados da Euromonitor. Com a esperança de que essas vendas aumentem ainda mais, muitos varejistas já começam a investir em candies.

Mesmo com um produto com alta demanda, o varejista deve elaborar uma estratégia para maximizar suas vendas. No caso dos candies, um dos fatores mais importantes para a venda é a exposição. O produto pode ser o melhor do mundo, mas se estiver no lugar errado da loja não atingirá todo seu potencial. Quando for pensar onde deve deixar seus candies, não tenha dúvida: perto dos caixas é o melhor lugar. Essa posição é vantajosa porque incentiva a compra por impulso, quando o consumidor não pensa muito antes de adquirir a mercadoria. Também é importante que os doces fiquem na altura dos olhos tanto de adultos quanto de crianças para chamar a atenção. Tire vantagem de outras áreas da loja que atraiam públicos infantis, como seções de brinquedos e biscoitos. Colocar candies nessas partes pode ajudar a aumentar as vendas, já que o produto estará próximo dos pequenos. A separação dos candies também influencia na estratégia. Tente deixá-los separados em categorias, facilitando a escolha do consumidor. Por fim, é ideal acompanhar as tendências de cada época do ano. Durante o período de festas juninas, por exemplo, confeitos e docinhos temáticos são alguns dos que mais vendem, porém isso não acontecerá na Páscoa ou no Natal.

Confeitos também devem ganhar destaque na loja já que, durante o período de crise, consumidores farão cada vez mais doces em casa. Para atender a essa demanda, a Barion possui uma linha de balas de goma e confeitos que chama atenção principalmente pela qualidade. Investindo nas ferramentas certas de exposição e utilizando os melhores produtos, conquistar o consumidor é tarefa fácil.


Transação envolverá US$ 3 bilhões e será considerada a maior negociação que será feita com a participação de uma startup de todos os tempos.

Decididamente o mundo dos negócios não é para principiantes, pois a Jet.com, que teria sido criada, inicialmente, para concorrer diretamente com a poderosa Amazon.com no ramo do e-commerce (comércio eletrônico), ao que tudo indica fará parte agora da Walmart, maior rede varejista do planeta, avaliada em cerca de US$ 215.8 bilhões.

A negociação, segundo os principais portais de negócios do mundo, deverá envolver a quantia de US$ 3 bilhões, que a varejista deverá pagar pela Jet.com, acrescida de mais US$ 300 milhões a titulo de ações do site.

Os motivos da compra:

A notícia foi dada no dia 9 de agosto como a maior negociação que será feita com a participação de uma startup (no caso a Jet.com) de todos os tempos.

E segundo a assessoria de imprensa da Walmart, a compra da Jet.com seria uma forma de fortalecer o seu segmento de comércio eletrônico e, de quebra, competir com a gigante do e-commerce, a Amazon.com.

Tudo começou após a Walmart começar a sofrer uma série de críticas sobre o seu segmento de e-commerce, que apresenta valores infinitamente menores que os da Amazon.com (US$ 13,7 bilhões de dólares contra os quase US$ 100 bilhões de dólares da outra), exigindo da varejista uma resposta imediata, que veio por meio de um investimento maciço nesse setor, a partir de várias frentes, como: oferecer frete 50% mais barato que o da Amazon, contratação constante de novos empregados, a abertura de vários pontos distribuidores de produtos especialmente comercializados eletronicamente; além da compra de várias empresas nesse segmento.

Os bastidores da negociação:

No entanto, o que mais chama a atenção nesse tipo de negociação é o caráter singular com que ela vem se desenrolando ao longo do tempo, pois, curiosamente, a Jet.com vinha mantendo uma política agressiva, que envolvia descontos em qualquer dos seus produtos (bastando apenas que o consumidor se comprometesse com uma taxa de adesão de não mais que US$ 50 dólares, uma única vez).

Garantia da venda dos seus produtos por um valor sempre entre 5% e 6% menor que o das suas concorrentes (leia-se Amazon.com); além de mais descontos em qualquer produto que fosse despachado para um local nos arredores da empresa.

No entanto, após uma série de investimentos, e negociações controversas, como a venda de alguns sites de sua propriedade para a própria Amazon.com (como a Diapers, por exemplo), a Jet.com anuncia o encerramento das suas atividades, e a sua venda para a gigante varejista Walmart.

Um verdadeiro jogo de xadrez, segundo alguns entendidos, e que promete novos e emocionantes capítulos para o futuro, em se tratando de uma disputa entre as duas maiores representantes do comércio varejista do planeta (o físico e o virtual) Walmart e Amazon.com, respectivamente.

Por Vivaldo Pereira da Silva

Jet


Mês registrou novo aumento e o acumulado no ano chega a 4,96%.

Passando de 0,35%, em junho, para 0,52%, em julho, a inflação oficial do Brasil fez o acumulado do ano subir para 4,96%. Um valor até baixo, se comparado com o mesmo período de 2015, que foi de 6,83%.

A inflação é medida pelo IPCA, que significa Índice de Preços ao Consumidor Amplo, e o IBGE foi o responsável pelas informações fornecidas no dia de hoje, 10/08.

Se baseando nessas informações, temos os 8 (oito) produtos que tiveram aumentou no seu valor e outros 8 (oito) que ficaram mais baratos. Como sempre, o feijão foi o vilão dessa história. Nas 3 (três) primeiras posições, respectivamente está o feijão preto (41,59%), o feijão carioca (32,42%) e o feijão mulatinho (18,89%).

O leite longa vida ficou em quarto lugar com aumento de 17,58% e em seguida outro tipo de feijão, o fradinho, teve um acréscimo de 14,72%. Os 3 (três) últimos produtos dessa lista estão abaixo dos 10%, sendo o leite condensado, com alta de 9,87%, o fubá de milho, com 7,11% e a manteiga, com 5,72%.

Entre os produtos que tiveram os seus preços reduzidos, encontramos a cebola. Com uma queda de 28,37%, ela é a campeã nas quedas e está na frente da batata inglesa, que teve uma redução de preço em 20%. Logo abaixo vem a cenoura, com queda de 13,4%.

Da quarta posição até a oitava, 5 (cinco) produtos ficaram com a inflação abaixo dos 6%. As hortaliças caíram 5,65%, as frutas -3,28%, o óleo de soja -2,06%, as carnes -0,69% e os pescados com -0,63%.

Já o leite em pó vem na 9ª (nona) posição com alta de 5,26%, em seguida vem o arroz com alta de 4,68%, o bolo com 3,97%, os ovos aumentaram 3,87% e o alho subiu 3,54% no preço. Chocolate em barra e bombom tiveram aumento de 3,48% e o açúcar subiu 3,38%.

Ficando abaixo dos 3%, temos o cafezinho (2,52% de aumento), o queijo (2,34%), o café da manhã (2,32%), chocolate e achocolatado em pó (1,92%), Açúcar cristal (1,69%), margarina (1,44%), refrigerante (1,29%), pão francês (1,18%), macarrão (1,05%) e a farinha de trigo (1%).

Frango inteiro, café moído, iogurte, farinha de mandioca, carnes industrializadas, lanche fora e biscoito fazem parte da lista que sofreram aumento de preço, mas todos esses ficaram abaixo de 1%.

Por: Fernando Dias


Lista é liderada pela Amazon. Apple acabou de fora da lista das 50 empresas.

Recentemente a MIT Technology Review divulgou sua lista anual chamada de 50 Smartest Companies. No documento constam as escolhas dos editores da revista em relação as companhias que apresentam uma melhor combinação de tecnologia inovadora com modelos de negócios eficazes.

Segundo as informações da publicação, todos os anos são analisadas 50 companhias que se enquadram como “inteligentes”, principalmente no que diz respeito a maneira de como fazem para criarem novas oportunidades.

Na lista divulgada pelo MIT este ano a primeira posição foi ocupada pela Amazon. A empresa deu um salto do 13° lugar no ano anterior para o primeiro neste ano. De acordo com a publicação, a empresa que se tornou uma gigante do varejo online e que teve como fundador Jeff Bezos conseguiu obter destaque esse ano devido ao grande sucesso obtido pela sua assistente pessoal virtual, a Alexa. O crescimento dos dispositivos que a oferecem também ajudou como, por exemplo, o Echo Dot e Tap e o Amazon Echo. A publicação do MIT ainda destaca que um crescimento de uma divisão da Amazon, a Web Services, que atua para oferecer soluções em serviços de computação em nuvem, foi decisivo na escolha.

Mas não foi só a Amazon a conseguir um “lugar ao sol” na lista apresentada. Outras grandes companhias também figuraram por lá. Entre elas vamos encontrar a Intel, IBM, Microsoft, Tencent, Facebook, Nvidia, Huawei e claro, o Google.

De acordo com a opinião dos editores, essas empresas tem feito uso da tecnologia digital para provocar uma espécie de redefinição da indústria. É interessante ressaltar que a Apple ficou com o 16° lugar como empresa mais inteligente na lista de 2015 e nesse ano não conseguiu entrar para a gama das 50 empresas.

E não são apenas as grandes empresas que estão marcando presença. Startups que além de novas focam suas atuações com base digital aparecem na publicação. Uma delas é a 23andME. Ela foi criada por Anne E. Wojcicki. A empresa atua quase que especificamente no setor de biotecnologia e oferece às pessoas testes rápidos de DNA que possuem um preço bem mais acessível aos consumidores. Até agora já foram sequenciadas pela empresa mais de 1 milhão de códigos DNA de pessoas que querem saber mais sobre seu histórico genético ou ainda de possíveis riscos de doenças nessa área.

Pelo visto foi o tempo em que o mercado era dominado apenas pelas companhias mais tradicionais. As novas, que estão saindo do forno agora, têm mostrado uma grande competência para brigar até com quem é mais poderoso.

Por Denisson Soares


Empresa chinesa já registrou 54% de crescimento no primeiro trimestre deste ano, equanto Samsung e Apple registraram quedas.

Samsung? Apple? Não, o futuro do segmento dos smartphones parece estar na China. O nome Huawei ainda pode soar estranho para brasileiros ou americanos, mas a tendência é que em alguns anos ele vá ficar cada vez mais associado à inovação no segmento dos smartphones. A empresa já tem forte presença na maior parte da Europa e do Oriente Médio e não pretende parar por aí. “Queremos ser a fabricante número um de smartphones do mundo. É uma corrida de longa distância e nós temos paciência”, foi o que afirmou Richard Yu, o diretor da empresa chinesa, em uma conferência tecnológica organizada pelo The Wall Street Journal, em Hong Kong.

Segundo o mesmo jornal, a Huawei tem o ambicioso plano de até o ano de 2021 ultrapassar as gigantes Apple e Sansung e se tornar a maior empresa no ramo dos smartphones. Segundo a IDC (International Data Corporation), a Samsung lidera o mercado com uma fatia de 24,5% dele, seguida pela Apple com cerca de 15%. A empresa chinesa, terceira colocada no número de vendas de smartphones no mundo, que hoje possui 8,2% do mercado segundo a IDC, pretende aumentar sua fatia para 25% até o ano de 2021.

Além do crescimento exponencial da Huawei, a chinesa ainda contou com tropeços de seus concorrentes no primeiro trimestre de 2016. Segundo a IDC a Samsung vendeu nos primeiros três meses desse ano 0,6% a menos que o mesmo período do ano passado, a queda de vendas da Apple foi maior, 16,3%. Enquanto isso, a chinesa vendeu espantosos 54,8% a mais que ano passado no primeiro trimestre.

O diretor, Richard Yu afirmou que o foco de sua empresa nos próximos meses deve ser nos Estados Unidos. O país onde a Huawei ainda tem pouca presença é dominado pela Apple e Samsung e é essencial para ter uma maior presença no mercado. A empresa chinesa estaria negociando com operadoras norte-americanas para fornecer melhores preços aos consumidores, segundo Yu. Para se preparar para tal empreitada nas terras do Tio Sam, a Huawei investiu no ano passado a quantia de 9,2 bilhões de dólares em pesquisa. O novo smartphone da empresa, P9, ainda não chegou no Brasil, mas pela velocidade que ela cresce, podemos esperar ouvir bastante o nome chinês por aqui dentro de alguns anos.

T.Ferreira


Realizar a análise de amostragem de solo é extremamente importante para a produtividade da lavoura.

Uma cultura precisa de um solo em condições ideais para produzir. Em circunstâncias adversas, a plantação corre o risco de produzir menos ou ficar mais sujeita a pragas e doenças. Garantir um solo adequado exige algumas informações que devem ser obtidas pela análise de amostragem. Compreenda abaixo alguns dos fatores analisados com a amostragem e como eles podem interferir na vida de sua cultura.

Constituintes do solo

Existem alguns tipos de análises a serem feitas, uma delas é a análise granulométrica que estima a quantidade de argila, areia e silte. Esses fatores influenciam na qualidade de vida da cultura diretamente e são importantíssimos para quem deseja mecanizar a lavoura. É com esse conhecimento que o agricultor consegue determinar o potencial para mecanização. A partir deles é possível calcular a disponibilidade de água para as plantas e também qual o risco de erosão existente no terreno.

Nos resultados da análise, o agricultor descobre com qual tipo de solo está lidando e também qual o melhor período de plantio.

Macro e micronutrientes

Macro e micronutrientes são os elementos necessários para a vida das plantas presentes no solo, alguns exemplos são: boro, cloro, ferro, zinco, fósforo, potássio, entre outros. Através da análise química determina-se em qual quantidade esses elementos encontram-se no solo, um passo importante para a recomendação de insumos.

As deficiências de nutrientes causam vários efeitos nocivos para as plantas como problemas de crescimento, menor qualidade ou quantidade da produção e dificuldades no desenvolvimento da cultura. Sabendo quais são os nutrientes em falta no terreno, o agricultor consegue escolher a melhor opção de adubos e fertilizantes para garantir melhores condições na plantação.

Acidez do solo

A acidez do solo é determinada pela quantidade de íons de hidrogênio no solo, ela é mais um fator medido na análise química de amostragens. O tipo de acidez encontrado na análise é o que determina a quantidade de cal que deve ser aplicado no terreno.

A acidez influencia diretamente na disponibilidade de nutrientes no solo, um lugar muito ácido tem deficiência de fósforo, por exemplo. É importante conhecer o pH (que determina a acidez) para descobrir qual a solução correta para os problemas do terreno. Em certos momentos, aplicar adubos não resolverá a deficiência, pois o problema está no pH no solo.

A InCeres é especialista em soluções para manejo de cultura, para saber mais, acesse o site http://www.inceres.com.br/.


A agricultura de precisão é um tipo de prática agrícola que utiliza o princípio da variabilidade do solo para realizar a automação do campo. Essas técnicas foram introduzidas no Brasil durante a década de 1990, antes disso agricultores precisavam estimar a quantidade de insumos para seu terreno com valores médios.

O solo é uma massa irregular com variabilidade nos nutrientes, compactação, minerais e outros fatores. Por esse motivo as informações médias obtidas com amostragens não refletem a realidade da terra, fazendo com que a agricultura de precisão parecesse uma grande inovação tecnológica. Atualmente sabe-se que a agricultura de precisão não é uma solução mágica, suas tecnologias são incapazes de aplicar soluções diferenciadas para cada metro quadrado do terreno e conseguir resultados quase automáticos. Mas ela certamente é uma aliada importante da agricultura com suas extensas bases de dados para auxiliar nas decisões. De uma maneira geral, os dados obtidos através da agricultura de precisão podem gerar dois tipos de decisões: de gerenciamento de adubos baseando-se na variabilidade de nutrientes, ou de gerenciamento de reposição de insumos. O mercado brasileiro, por enquanto, tem utilizado mais estratégias que facilitem o gerenciamento de adubos e outros tipos de insumos agrícolas. Essa preferência acontece especialmente pelo grau de simplicidade dessas soluções, que também levam à economia de insumos. Espera-se que com a evolução das tecnologias e dos profissionais disponíveis no mercado, o gerenciamento de reposição comece a ganhar seu espaço.

Os produtos do setor que estão começando a ser desenvolvidos no Brasil terão de passar por desafios antes de serem aceitos. Mesmo assim, o desenvolvimento de agricultura de precisão já teve início no país. Empresas brasileiras têm tentado adaptar sensores, sistemas de posicionamento geográfico e monitoramento do campo para tecnologias existentes por aqui. Entre as novidades que surgiram nos últimos anos uma das que recebeu maior aceitação no Brasil foi um sistema conhecido como “barras de luz”. O sistema é feito para a aplicação em faixas paralelas e utiliza o DGPS para se orientar. Nos EUA esses sistemas também ganharam popularidade, assim como sistemas de esterçamento de veículos que também utilizam DGPS.

No Brasil o setor da agricultura de precisão enfrenta problemas causados especialmente pelo imediatismo dos produtores. Por estarem ansiosos para atender a suposta demanda por tecnologias, produtores tem dificuldade de fornecer equipamentos que atendam às reais necessidades do agricultor brasileiro. Outro problema no setor está na falta de resultados a curto prazo, frente ao investimento em agricultura de precisão. Com falta de incentivo, muitos agricultores brasileiros desistem de investir em tecnologias. Nos EUA algo semelhante ocorreu durante o estabelecimento do setor: muitos equipamentos surgiram no mercado para tratar lavouras, porém poucos conseguiram se destacar no mercado e atender às reais demandas. A melhor solução para os problemas enfrentados pela agricultura de precisão no país está na produção em massa de soluções. Dessa maneira é possível diminuir preços e incentivar a utilização por parte dos agricultores. A criação de uma rede de assistência técnica especializada também é importante, especialmente devido ao pouco conhecimento que os profissionais do campo possuem sobre as novas tecnologias. Para que produtores agrícolas façam o melhor uso das informações obtidas, é necessário que estejam sempre em contato com consultores especializados. Isso é possível ao criar uma rede de assistência que consiga conectar usuários de tecnologia com fornecedores. O consultor agrícola é o profissional ideal para fazer essa ligação, esse profissional autônomo deverá ajudar na análise de dados e tomada de decisões para fazer o melhor uso da agricultura de precisão.

Consultores também podem utilizar a tecnologia a seu favor. Com a utilização de sistemas como os disponibilizados pelo InCeres é possível diminuir custos e tempo de atendimento. Essas vantagens são essenciais para quem quer ganhar competitividade no mercado e melhorar sua relação com os clientes. 


Por enquanto o mapa de produção é a maneira mais eficiente de visualizar informações do terreno e avaliar as diferenças de produção dos talhões (pequena parte da lavoura). Apesar de já existirem alternativas, nenhuma delas chega ao nível de acurácia dos mapas, fazendo-os a melhor opção a ser aplicada por agricultores.

O mapa de produção é nada mais que um grupo de pontos que, através de variações de cores ou separações por isolinhas, mostra as diferenças de produção existentes entre os talhões. Cada um dos pontos representados no mapa representa um talhão e contém os seguintes dados: quantidade de grãos produzidos, tamanho da área (calculada através da largura da colhedora e distância percorrida) e posição do ponto no terreno. Reunindo todos esses dados de muitos pontos, já é possível visualizar um mapa. Com a tecnologia atual é comum utilizar entre 500 e 1300 pontos num mapa de produção.

Antes de ver o mapa e começar a analisá-lo, é preciso obter os dados necessários. O processo exige a utilização de algumas tecnologias como sistema de DGPS, sensores e softwares. A localização de um ponto é definida através de informações coletadas pelo sistema de DGPS, que calcula a distância percorrida e posição da colhedora na lavoura. É ele que determina a latitude e longitude da colhedora. Para informações relacionadas aos grãos, utiliza-se um conjunto de sensores instalados em algumas partes da colhedora. As informações são coletadas em intervalos de tempo pré-definidos e armazenadas num sistema de coleta de dados. O operador da máquina define os intervalos de coleta e o tamanho da área do talhão, que pode variar entre 8 m2 e 20 m2.

Outro fator importante do sistema de coleta de dados é o interruptor. Graças a ele os dados não são armazenados em tempo integral. Ele é configurado para ligar os sensores quando a plataforma abaixa e desligá-los quando a plataforma levanta. Os sensores são de dois tipos: os instalados de fábrica e os adquiridos de outros produtores. No primeiro caso, o sensor vem de fábrica na colhedora e não pode ser instalado em outros equipamentos. Já no segundo caso, produtores especializados fornecem os sensores. Eles podem ser instalados na maioria dos modelos de colhedoras disponíveis no mercado.

Por fim os dados passam por um software que gera o mapa de produção. O software sempre é incluído nos conjuntos disponíveis no mercado, mas eles variam em suas capacidades, podendo ir dos mais simples, que só geram mapas, até aqueles que produzem mapas de aplicação de insumos. 


Apesar de muito eficientes, os meios para gerar dados utilizados em mapas de produtividade podem apresentar algumas falhas que merecem atenção. Muitas delas já são conhecidas pelos desenvolvedores de softwares para criação de mapas e podem ser corrigidos pelos programas. Há, porém, algumas falhas que necessitam ser identificadas e reparadas por operadores, tomando atitudes que possam adequar o desempenho, como calibrar os sensores e as colhedoras utilizadas, por exemplo.

Erros mais comuns

Um mapa de produtividade é feito por vários pontos montados num sistema cartesiano, cada ponto é delimitado por uma área de alguns metros quadrados. Para uma boa leitura dos pontos, eles são divididos em cores de acordo com sua produtividade. Também é possível dividi-los com isolinhas, que dividem as áreas com produtividades parecidas.

Para realizar ambos os tipos de mapas são utilizados sistemas de suavização, cujo objetivo é melhorar a leitura do mapa deixando em evidência os talhões de produção com valores diferentes. É nesse sistema de suavização que ocorrem alguns tipos comuns de erro ocasionados por limites mínimos e máximos de variação. Mesmo com a possibilidade de erros a suavização é importante para uma boa leitura do mapa, apenas deve ser utilizada com cautela.

Quando o operador do software manipula o mapa para mostrar um número de intervalos muito grande, outro tipo de erro ocorre. Dessa maneira fica difícil para o agricultor enxergar as manchas de produção, por isso o ideal é determinar um número razoável de intervalo entre 3 e 5.

Na hora de calcular a tonelagem da colheita os softwares utilizam como base a área da plataforma da colhedora e a distância que a máquina percorreu. Isso ocasiona erros em alguns casos onde a área colhida é menor que a área da plataforma, dando como resultado uma diminuição no nível de produtividade do talhão. Esse erro é facilmente corrigido pelos operadores, que podem escolher utilizar uma fração da área da plataforma nessas áreas.

Outro problema comum é com um interruptor mal regulado. Nesse caso a coleta de dados não é ativada quando a plataforma é abaixada ou desativada quando a plataforma é levantada. É possível identificar esse erro por produtividade zero em alguns talhões. Ele também é facilmente prevenido realizando regulagens corretas no interruptor para evitar falhas.

O sinal do DGPS (variação do GPS utilizada para mapear a produtividade) pode ser outro motivo de falha. Variações no sinal podem acabar em alguns erros de posição da colhedora. A localização da antena também causa erros, já que costuma estar no teto da cabine da máquina.

Erros de calibração de volume nas colhedoras também são bastante comuns. Para evitá-los o operador deve medir o volume do grão algumas vezes por dia, atualizando os dados dos sensores.

Todos os sistemas tecnológicos são passíveis de erros, mas algumas atitudes podem preveni-los e elas devem sempre ser adotadas por operadores e agricultores. Em geral uma máquina operando com sensores bem calibrados dará menos problemas e erros, gerando um resultado melhor para o agricultor e gestores agrícolas.


Após a colheita, o solo deve ser preparado para o próximo plantio, o que implica na reposição de nutrientes e outros componentes químicos. É impossível realizar esse processo às cegas, sem conhecer o que já está presente ou o que ainda está faltando na terra. Por isso a coleta e análise de solo tem grande importância na agricultura.

Papel da amostragem

A amostragem é a quantidade de solo que o agricultor envia ao laboratório onde deve ser feita a análise. Essa amostra precisa ser capaz de representar a quantidade de elementos presentes na gleba da terra inteira. Por isso é necessário que, ao realizar a coleta, os procedimentos sejam seguidos com cuidado para garantir uma margem mínima de erro.

Isso implica também em relação aos materiais utilizados para retirar a amostra, que devem ser adequados à prática. Limpar e esterilizar os materiais antes de utilizá-los é importante para evitar contaminação das amostras coletadas.

Vantagens da coleta e análise do solo

Antes de fazer qualquer planejamento para sua cultura o produtor deve decidir quais insumos e em qual quantidade pretende utilizar. A prática de adubar a terra sem conhecer suas carências pode até envenenar a plantação por excesso de vitaminas, o que pode levar à morte da cultura ou deixá-la vulnerável a doenças. Algumas plantas ficam mais propensas a pragas quando apresentam nutrientes em excesso, como o nitrogênio, por exemplo. Outras diminuem sua produtividade, caso bastante comum em plantas frutíferas.

O agricultor que utiliza corretamente as técnicas de coleta e análise de amostragem consegue, também, aumentar sua lucratividade. Plantas que estão num solo com a exata quantidade de nutrientes produzem muito mais. Também será possível diminuir o gasto com inseticidas ou agrotóxicos já que, com o tempo, tornam-se menos resistentes às pragas. Possuindo informações precisas sobre a gleba é muito mais fácil criar estratégias de aplicação de insumos, o que afeta diretamente na produtividade da cultura.

Para garantir resultados satisfatórios o ideal é aliar as técnicas de análise de solo com a tecnologia da agricultura de precisão. Softwares de manejo de culturas são essenciais para auxiliar o produtor no processo de decisão. Esse tipo de ferramenta, em segundos, é capaz de gerar relatórios baseada nos dados obtidos, economizando tempo e propiciando maior confiabilidade nos resultados.

A InCeres oferece softwares de qualidade para manejo de lavouras que, aliado a uma boa análise de solo, aumentarão ainda mais a produtividade do agricultor. Conheça mais no site: http://www.inceres.com.br/.


Cada vez mais a tecnologia torna-se parte da vida, e no setor do agronegócio não é exceção. A agricultura de precisão já começou a se tornar uma tendência e exigência para qualquer um que queira garantir competitividade para sua produção.

Como já é conhecido o solo de um terreno não é uniforme. Existem diversas variabilidades em toda sua área que levam a níveis diferentes de produção em cada talhão. Devido a essas diferenças a produtividade de uma cultura pode ser bem mais baixa ou mais alta do que esperado. Para garantir que a cultura tenha o melhor resultado possível e que será utilizada a quantidade certa de insumos é importante investir num mapa de produtividade.

As informações obtidas por esse mapa mostram, em primeiro lugar, a variabilidade da produção de uma lavoura. Através da correta análise é possível realizar uma adubação mais exata do terreno para o próximo ciclo, sempre considerando quais pontos produziram mais ou menos resultados. Esse é o método mais seguro para determinar a variação de produtividade especialmente por levar em consideração os resultados da própria plantação e não somente os nutrientes que existem no solo.

Os dados utilizados na criação do mapa são coletados por sensores instalados no elevador da colhedora. Com eles é possível descobrir um valor aproximado de quanto a cultura está produzindo em cada zona do terreno. Isso gera um mapeamento de zonas de produção, em que o resultado da colheita é visível. Através desse mapeamento o agricultor deve criar estratégias para manejar o solo levando em consideração qual área possuiu melhor e pior resultado, decidindo maneiras de lidar com suas deficiências.

O mapa de produtividade é uma das melhores opções conhecidas na agricultura de precisão para compreender um terreno e suas possibilidades. Através dele o produtor agrícola consegue gerenciar e aplicar melhor seus insumos, alcançando melhores resultados.

O InCeres investe em softwares de alta qualidade para criar mapas de produtividade em culturas de todos os tipos. Em segundos é possível visualizar o mapa de seu terreno e avaliar a produtividade de cada seção, tudo baseado em dados obtidos nas colhedoras. Entre em contato e saiba mais. 


 

Plantar a soja safrinha sobre uma lavoura colhida recentemente é um costume bem comum no agronegócio brasileiro, porém, esse tipo de plantio estará proibido a partir de 2017.

A decisão foi tomada pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR), que determinou um calendário para o plantio de soja. Quem insistir em plantar a safrinha de soja durante o período de 15 de maio até 15 de setembro será autuado e terá que pagar multa.

Segundo os técnicos da ADAPAR esse tipo de cultura favorece o aparecimento de doenças como a ferrugem asiática. Estima-se que os fungos causadores da ferrugem estariam tornando-se cada vez mais resistentes a agrotóxicos pela longa exposição a esses pesticidas que a safrinha proporcionava. A maioria dos produtores concorda que é importante colaborar na erradicação dessa praga.

Começando o vazio sanitário em maio é possível interromper o ciclo reprodutivo e evitar que o fungo atinja as plantas da próxima safra. Caso a ferrugem realmente seja controlada será possível diminuir o custo com os fungicidas utilizados nas plantações. É importante que, além dos fungicidas, outras maneiras de controle sejam utilizadas.

As plantações infectadas pela ferrugem asiática deverão ter a situação controlada o mais rápido possível. Caso a safra torne-se um perigo para as propriedades vizinhas será necessário destruí-la para controlar o fungo da ferrugem.

Culturas de inverno

Deixar a terra em descanso após a colheita não é a decisão ideal, uma vez que outras pragas podem aparecer. Apesar de não existir muitas culturas que possam tomar o lugar da soja ou que se adaptem à região, será necessário planejar para não perder a renda extra que a safrinha proporciona.

Com a proibição, muitos agricultores deverão se adaptar às novas regras. Durante o tempo determinado, de maio até setembro, não será possível plantar a soja, dessa forma, quem costumava tirar lucro da safrinha de soja, precisará encontrar culturas alternativas, como o milho, para não ter prejuízo no período.


Embora nos últimos tempos grande parte dos setores da economia estejam em constante retração, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) divulgaram boas notícias aos empreendedores do agronegócio. O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio iniciou o ano apresentando crescimento de 0,47% no mês de janeiro. O resultado positivo do agronegócio é em decorrência da cadeia produtiva da agricultura, que apresentou alta de 0,7% no período.

Para se ter ideia, em 2015 a indústria recuou 6,2% e o setor de serviços registrou queda de 2,7%. Os números positivos do agronegócio se mantiveram firmes mesmo em meio ao impacto negativo que a valorização do dólar frente ao real tem para o agronegócio. Isso porque uma quantidade significativa dos insumos empregados na produção agropecuária é, em várias ocasiões, importada. Todo este movimento cambial teve como consequência significativa elevação de custos para os produtores, os quais ainda tiveram que, no mesmo período, lidar com a alta dos combustíveis e da energia elétrica. 

Mesmo com uma série de situações que poderia gerar números negativos, diversas culturas tiveram seu faturamento elevado, devido ao crescimento da produção e da alta das cotações.

Entre as que obtiveram maior crescimento estão: cacau (27,33%), algodão (24,78%), banana (13,55%), milho (34,25%), cebola (5,91%), café (10,60%), feijão (7,21%), laranja (15,24%), mandioca (4,11%), soja (24,63%), tomate (72,63%) e trigo (16,71%). Por conta também da agricultura, o setor de serviços do agronegócio, correspondente à distribuição e comercialização dos produtos industriais e agropecuários,incluindo todos os prestadores de serviço de Agricultura de Precisão,  teve elevação no faturamento de 0,37%.

Os números apontam o potencial de crescimento contínuo do setor e aumento da produtividade e da rentabilidade das empresas com a crescente adoção de novas tecnologias.  Com o auxílio de um software de manejo de cultura, é possível aumentar consideravelmente a produtividade. Exemplo disso são os sistemas desenvolvidos pela InCeres para gerenciar e analisar o solo, processar mapas de fertilidade e produtividade em tempo real, de forma on-line. Criada em 2013, a InCeres é uma empresa de desenvolvimento de softwares inteligentes para manejo da agricultura, que nasceu para resolver uma série de problemas que o mercado enfrentava, aumentando a capacidade de trabalho e reduzindo custos.


A agricultura de precisão utiliza vários ramos do conhecimento como aliados para criar técnicas mais efetivas, uma delas é a geoestatística. Através dela é possível dinamizar o processo de coleta e análise de amostragem de solo e criar mapas de variância de forma mais econômica.

Usos da amostragem georreferenciada

Até o século XX a agricultura utilizava informações médias de um talhão na hora de enriquecer e manejar o solo. Mas com a tecnologia atual já se percebe que o solo não é uma massa uniforme e possui diversas irregularidades. As amostras georreferenciadas possibilitam a criação de um mapa feito para ajudar no manejo localizado.

Ao conhecer quais partes do terreno precisam ser enriquecidas ou melhoradas o agricultor consegue aplicar seus insumos de maneira mais eficiente e até gerar certa economia. As amostras mostram fatores variados como quantidade de nutrientes no solo, PH, pragas, doenças, compactação do solo, etc.

Métodos de amostragem

Os métodos de amostragem utilizados para a geração de mapa dividem-se em dois grandes tipos: aqueles feitos sem conhecimento prévio do terreno e aqueles feitos com conhecimento prévio.

Em terrenos sem informações prévias ocorre a amostragem em grade, quando o terreno é dividido numa grade onde as amostras são representadas por pontos. A grade e a localização dos pontos podem ser geradas e editas por softwares, o que facilita o processo. Existem alguns arranjos de grade possíveis: grade regular com ponto no meio da célula, grade com pontos em zigue zague (boa para quebrar vícios de máquina), aleatorizado (quando os pontos são aleatorizados em um dos eixos) e randômica (quando a posição dos pontos é aleatória em todas as células).

Em casos onde já existem informações prévias do terreno como imagens áreas ou de satélite e mapas de produtividade o agricultor pode utilizar a amostragem inteligente ou guiada. Nela o ponto de amostragem é guiado por informações dos talhões. Algumas teorias sugerem que mais pontos de amostragem sejam colocados no talhão que é menos uniforme e menos no que é menos uniforme, outras sugerem o contrário.

No caso de não existir recursos financeiros suficientes para realizar uma amostragem mais detalhes o agricultor deve optar por uma amostragem composta, onde exista maior número de subamostras na grade. Dessa maneira as variâncias são atenuadas, criando um mapa mais possível de aplicar.

Fatores que influenciam na amostragem

Para gerar um mapa eficiente é preciso que a amostragem seja extremamente bem-feita. Vários fatores influenciam em seus resultados, alguns deles são:

  • Raio de busca da amostra: a amostra é o ponto central de uma célula a partir do qual serão coletadas as subamostras. O raio de busca é a distância do ponto central para coleta, que pode ser maior ou menor. Ao realizar coletas com um raio muito grande as variações do terreno serão atenuadas, isso é o equivalente à amostragem composta. O recomendado é que o raio tenha entre 2m e 5m.

  • Distância entre amostras: amostras mais próximas tendem a ter mais semelhanças e amostras mais distantes costumam ter mais diferenças. Quando as amostras coletadas são muito distantes o processo de interpolação (descobrir o que existe entre elas) é prejudicado, assim como todo o mapa.

  • Número de amostras e subamostras: a quantidade de amostras e subamostras influencia diretamente na variância encontrada no resultado final. Quando existe um número muito grande de amostras a variância do terreno é atenuada. O número de subamostras interfere no erro esperado pelo mapa: quanto menor o número de subamostras maior a possibilidade de erro.

Geoestatística aliada à amostragem de solo

O processo de coleta de amostras é demorado e custoso para o agricultor, mas a geoestatística ajuda a facilitar o processo. Seu objetivo é identificar a correlação espacial entre as amostras, modelar e quantificar sua dependência espacial e identificar padrões de amostragem adequados.

Enquanto a estatística tradicional procura descobrir a média das amostras a geoestatística trabalha com a variância encontrada no terreno. A partir das informações coletadas pela geoestatística é possível descobrir qual a distância ideal entre amostras. Também permite estimar valores em lugares não amostrados de acordo com as amostras existentes num processo conhecido como krigagem.

A grande vantagem da geoestatística é a economia na coleta de amostras. Ao invés de coletar várias amostras para conhecer o terreno inteiro basta utilizar os dados já obtidos para estimar como deve ser o restante do terreno.


Banco teve um aumento no número de ativos no mês de março e se tornou a segunda instituição financeira mais importante do país.

A Caixa Econômica Federal passou a ocupar o segundo lugar no ranking dos maiores bancos brasileiros em ativos. Anteriormente, esse posto era ocupado pelo Itaú Unibanco, agora em terceiro lugar, enquanto o Banco do Brasil permanece na liderança. Essa análise engloba transações feitas com dinheiro, depósitos do Banco Central, empréstimos, títulos públicos e privados, entre outros. O Banco Central utilizou como critério o levantamento de dados de 1.500 instituições financeiras de diversos segmentos.

Com isso, a Caixa obteve um aumento de 3% de ativos no mês de março deste ano em relação a dezembro de 2015, fechando o período com R$ 1, 24 trilhão. Já o Banco do Brasil alcançou o valor de R$1, 44 trilhão em ativos. O Bradesco também subiu no ranking, chegando a R$ 925 bilhões de ativos, ocupando o lugar que antes pertencia ao BNDES, agora em quarto lugar com R$ 923 bilhões.

No primeiro trimestre deste ano, a carteira de crédito da Caixa também subiu para 9,2%, segundo seu site oficial, o que representa a soma de R$ 684 bilhões em empréstimos no mês de março. Nesse caso, podem ser incluídos os investimentos em habitação e infraestrutura do país. Essa mudança é decorrente da política de concessão de créditos por parte de bancos públicos. A medida foi disponibilizada a partir do governo do ex presidente Lula e continuada pela presidente afastada Dilma Rousseff.

REDUÇÃO DE LUCRO MESMO COM JUROS MAIS ALTOS

Devido à alta da inadimplência no país, o sistema financeiro teve uma queda de 21% em seu lucro, sendo este o saldo atual de R$18,6 bilhões. Nesse valor não está incluída a correção da inflação superior a 9%, o que teria como consequência uma retração ainda maior, ou seja, de aproximadamente 30%.

Da mesma forma que ocorreu no ano passado, uma a cada quatro instituições financeiras teve prejuízo no primeiro trimestre deste ano, correspondendo a uma perda de 24,5% (em 2015 esse valor era de 23%).

No ranking de maiores lucros dos bancos privados no país, o Itaú registrou o valor de R$ 5. 535 bilhões, ficando em primeiro lugar, seguido do Bradesco R$ 4.113 bilhões e Santander com R$ 1.660 bilhões.

Camilla Cássia.


Negociação ainda precisa ser aprovada pelas autoridades regulatórias.

A Unilever anunciou a venda da Ades para a gigante Coca-Cola. A negociação foi divulgada nesta quarta-feira (1), porém, as autoridades regulatórias devem aprovar tal negociação. A empresa de bebidas de soja com atualmente trinta (30) sabores, comercializa seus produtos aqui no Brasil e em mais sete países da América Latina (Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Uruguai).

O presidente da Coca-Cola, Brian Smith, declarou que a Ades, além de ser uma marca líder em sucos de soja, será um marco para o portfólio da empresa mundialmente conhecida.

Segundo as informações do site da Folha de São Paulo, a Coca-Cola teve 123.200 funcionário em 2015 e a Unilever teve 172 mil colaboradores neste mesmo ano.

No Brasil a Ades comercializa suas bebidas desde 1997. Em 2013, após a constatação de soda cáustica no suco de maçã, algumas linhas de produção foram suspensas. O Instituto Adolfo Lutz emitiu um laudo confirmando a presença do produto químico na embalagem que foi adquirida por uma moradora do litoral de São Paulo, ela passou mal após consumir o suco contaminado. Segundo a empresa Unilever, noventa e seis (96) embalagens de suco Ades sabor maçã foram enchidas com o produto, que era uma solução de limpeza.

A Coca-Cola aposta no consumo de produtos saudáveis, uma vez que brasileiros e americanos compraram menos refrigerantes. Estima que entre os anos de 1998 e 2015 o consumo caiu 25% nos Estados Unidos. Já as bebidas não gasosas cresceram 7% nas suas vendas.

A Ades foi fundada na Argentina em 1988 e é líder entre as empresas do ramo de bebidas à base de soja. Em 2015, onde registrou uma receita líquida de US$ 284 milhões, foram vendidas 56,2 milhões de unidades.

Segundo a Unilever, a fábrica do Brasil ficará ainda três (3) anos produzindo os produtos. Na Argentina a produção continuará por mais dois (2) anos e no México as portas ficam abertas por mais um ano.

Para aumentar a diversidade de seus produtos, a Coca-Cola informou que está comprando a empresa brasileira "Laticínios Verde Campo" situada em Lavras, Minas Gerais. A linha de produtos sem lactose Lacfree, pertence a essa empresa mineira.

Por: Fernando Dias





CONTINUE NAVEGANDO: