O que levou à baixa procura das empresas por crédito foram os juros altos, a baixa confiança no mercado e o risco eminente de crise.

A demanda das empresas por crédito teve queda de 3,4% em maio, em relação a abril. Os dados são do Indicador Serasa Experian, que ainda mostrou que o recuo em relação ao mesmo período de 2014 foi de 6,5%, sendo esta a maior diferença dos últimos dois anos, quando levado em conta esse critério de comparação. Apesar disso, o Serasa afirmou que a procura por crédito se manteve alta nos cinco primeiros meses de 2015, com crescimento de 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre os motivos que fizeram com que as empresas buscassem menos o crédito estão os juros altos, a baixa confiança no mercado e o risco eminente de crise, que assola diferentes segmentos. O atual cenário com desvalorização do Real frente ao Dólar também é um fator decisivo para que as empresas buscassem menos o crédito.

A queda na procura foi mais expressiva entre as pequenas empresas, cujo recuo foi de 3,5% na comparação com abril. As empresas de médio porte diminuíram a procura em 2,8% e nas grandes foi de 1,5%. Em contrapartida, de janeiro a maio de 2015, houve elevação da procura por micro empresas, com elevação de 5,5%, se comparado com o mesmo período de 2014. O recuo interanual das médias empresas foi de 15,8%, e nas grandes a queda foi de 9,7%.

Na região Norte houve a maior queda, com redução de 20,4%, mesmo sendo a região que teve a maior procura de crédito nos primeiros cinco meses do ano com elevação de 6,9%, seguida por Sul e Sudeste, cujo recuo foi de 1,3%. A região Centro – Oeste e Nordeste tiveram baixa de 0,5%. A indústria foi quem teve a maior queda na procura de crédito, com 5,5%.

A Serasa Experian ainda afirmou que a retração da procura por crédito mostra que há o declínio das atividades empresariais no país. Isso agrava o atual quadro recessivo da economia do país. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Crédito para empresas

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: