Ether – O Que É e Como Funciona a Moeda Virtual



  

Nova criptomoeda cresceu 4.000% em apenas seis meses e já começa a ameaçar o Bitcoin.

No início do ano, um ether equivalia US$ 8 (aproximadamente R$ 26), neste mês está valendo US$ 340 (aproximadamente R$ 1.135).

Em abril, o ether era somente uma entre as 762 moedas virtuais da internet com as quais podem-se se realizar diversas operações, inclusive sacá-las em moeda física.

Nos últimos anos, surgiu o Bitcoin como principal moeda virtual no mercado de criptomoedas e continua a mais valorizada, valendo US$ 2.693,91 (equivalente a R$ 9.000) para cada unidade.

Desde o começo de 2017, o ether teve sua cotação aumentada em 4.250%, sendo a segunda criptomoeda de maior valor, segundo o CryptoCurrency Market Capitalizations.

Restrições de uso

Ao contrario de outras moedas, o ether funciona sobre a plataforma Ethereum, sendo único local de uso.

Veja também:  Bitcoin - O Que é, Como Funciona e Como Comprar

Lançado em meados de 2014, o Ethereum é um software que permite realizar aplicações sem um ponto centralizador, como bancos ou instituições, sendo regulado apenas pela Fundação Ethereum.

Tal recurso usa uma blockchain, cadeia de bloco de transações que garantem a segurança das transações.

Ether e Bitcoin

Para operar no Ethereum há um custo, que devem ser pago na própria moeda.





Cada processamento executado pelo dispositivo do usuário há um preço. Segundo a fundação, o valor garante a qualidade do processamento na plataforma.

Durante boa parte do ano de 2015, a moeda não chegou a US$ 1.

As vésperas deste ano, o mercado de moedas virtuais era dominado em 91,3% pelo Bitcoin, em segundo lugar o Ripple (com 2,8%) e em terceiro o Litecoin (com 2,15%), sendo que apenas 1% era representado pelo Ether.

Veja também:  Banco Santander volta a recomendar Petrobras como Investimento

Entretanto, neste cenário: a porção do Bitcoin foi reduzida no mercado chegando a 39,8%, já o Ether aumentou e atingiu 28,5%.

De acordo com o historiador econômico, Garrick Hileman, da London School of Economics (LSE) e da Universidade de Cambridge, essa mudança se deve a três razões.

O segundo motivo é referente às características mais "sofisticadas" desta moeda, a qual torna possível projetar tais transações. E, no entanto, o motivo mais importante, é que diversos empreendedores encontraram as vantagens disponibilizadas pelo Ethereum para que se consiga financiamento: a ICO, da sigla inglês, Oferta Inicial de Moedas. Acredita-se ainda que seu valor evolua consideravelmente.

FILIPE R SILVA



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *