Tesouro Direto – Como Funciona e Como Investir



  

Saiba aqui como funciona e como investir no Tesouro Direto.

O Tesouro Direto, é um meio elaborado pelo Tesouro Nacional pra que o cidadão consiga adquirir Títulos Públicos pela Internet com ou sem o assessoria de um profissional. O investidor entrega um determinado valor ao governo, que o gratifica pelo empréstimo. É permitido aplicar a partir de R$ 30,00.

Títulos públicos são uma ótima opção de aplicação em renda fixa, utilizados para angariar recursos para saldar a dívida pública e custear ações do Governo Federal.

Segue um passo-a-passo para quem deseja começar a investir no Tesouro Direto e não tem noção de como fazê-lo.

Passo1 – Registre-se numa Instituição Financeira

O seu banco pode aplicar o seu dinheiro, mas vai lhe cobrar altos valores. As mínimas taxas ou sem cobrança de taxas, estão em Instituições financeiras direcionadas aos investimentos, denominadas também como corretoras de valores ou agentes de custódia.

Veja também:  Ranking dos Bancos com Maiores Reclamações no Primeiro Bimestre de 2017

O investidor localiza todas as instituições com habilitação para investir no Tesouro Nacional e as taxas cobradas para aplicar o seu dinheiro neste site http://www3.tesouro.gov.br/.

Após definir, o investidor deve realizar o cadastro pelo site da corretora escolhida, encaminhar a documentação solicitada e esperar a aprovação do cadastro, para conseguir ter acesso ao home broker da instituição e assim estar apto a comprar e vender títulos públicos.

Passo 2 – Conhecer o Títulos

Os Títulos do Tesouro Direto são:

  • Tesouro SELIC – O investidor recebe conforme a alteração da Taxa Selic. O título mais recomendado para quem pretende ter a disponibilidade de retirar o valor aplicado a qualquer momento.
  • Tesouro Prefixado – O Investidor sabe precisamente qual será os rendimentos no momento do resgate.
  • Tesouro IPCA+ – Recebe de acordo com a alteração da Inflação mais uma taxa prefixada.




Os investimentos podem ser a curto, médio e longo prazo.

No programa de negociação online existe uma lista de vários títulos públicos disponíveis, cada qual com a sua forma de rendimento.

Veja também:  Pagamento de Boletos Vencidos poderá ser feito em Qualquer Banco

Passo 3 – Risco dos Títulos

Verifique quais títulos estão com disponibilidade para compra naquele instante e defina aquele que melhor se enquadre com seu propósito, prazo de investimento e perfil de risco.

É de suma importância conhecer os riscos dos títulos. Ao passo que títulos pós-fixados, como o Tesouro Selic, não apresentam riscos de perdas ao serem negociados antes do vencimento, os títulos que apresentam taxa prefixada, como o Tesouro IPCA+ e o Tesouro Prefixado, podem apresentar grandes prejuízos se forem negociados antes do prazo.

Passo 4 – Compra do Título

Após definir um dos títulos o investidor pode escolher pela aquisição tradicional ou a programada. A quantia mínima para aquisição é 1% do título, mas precisa considerar o valor mínimo de aplicação que é de R$ 30,00.

Veja também:  Receita Federal libera Programa do IRPF 2017

Passo 5 – Após a Confirmação da Compra

Depois de confirmada a compra, o Tesouro Direto comunicará a data limite na qual o dinheiro deve ser colocado na conta da corretora. O investidor precisará se comunicar com a Instituição Financeira para solicitar os dados bancários no qual deverá realizar o depósito.

Lucineia Fatima Campos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *