IGP-DI registrou alta de 0,40% em agosto de 2015



  

IGP-DI, que se refere à inflação de preços, teve um aumento de 0,40% em agosto. Alta do dólar teve grande influência nesse resultado, já que deixa os produtos bem mais caros.

O IGP-DI obteve aumento de 0,40% no mês passado, informa a agência de notícias “Reuters”, segundo dados obtidos pela FGV. O IGP-DI se refere à inflação de preços, o índice é mensurado pela FGV.

Uma reportagem publicada pelo portal do jornal “O Estado de Minas” aponta que o aumento do dólar deixa importados mais caros, incluindo itens como remédios e também alimentos. Vinhos e chocolates importados, por exemplo, sofreram com a alta dos preços.

De acordo com a reportagem, o dólar obteve valorização de 71,87% nos últimos meses. Em entrevista ao site, Luiz Eugênio, dono da empresa AA Wine Experience – especializada em vinhos importados – afirma que um dos vinhos chilenos mais requisitados na loja custava em torno de R$ 60 no final de 2014 e hoje chega a cerca de R$ 80.

Veja também:  O que é Ethereum e Como Comprar?

Ele destaca que não há outra alternativa para as importadoras a não ser subir os preços, em meio a esse contexto de alta do dólar. Eugênio ainda destaca que a consequência principal, por parte do consumidor, é recorrer aos produtos com preços mais baratos.

Neste caso, a reportagem cita que os vinhos produzidos no Brasil conseguem, de fato, manter melhores valores de compras. De certa forma, isso ocorre, pois os vinhos nacionais – ao contrário dos importados – não são atingidos pelos impactos relacionados à alta dos preços da moeda norte-americana.





Comparar preços:

A dona de casa Lucia Silva Veloso, 40, afirma que teve de fazer alguns ajustes para economizar com a lista de compras semanais, tudo isso com base na comparação de preços. Ela conta que passou a comprar produtos de marcas menos conhecidas, mas com valores bem menores do que os praticados pelas empresas mais populares.

Veja também:  Heineken anuncia acordo de Compra da Brasil Kirin Holding

“Eu costumo listar todos os produtos indispensáveis para as compras e comparo os preços. Por exemplo, costumava comprar café solúvel de uma marca conhecida e notei que uma outra opção estava bem mais barata, tipo R$ 3 de diferença, era uma boa alternativa para economizar. No final das contas, eu achei que a qualidade do produto mais barato não deixou a desejar”, afirma.

Por Letícia Veloso

IGP-DI



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *