Quais Doenças Permitem Isenção do Imposto de Renda 2014?



  

Você sabia que pessoas com determinadas doenças podem ser isentas ou até mesmo dependentes (em qualquer idade) nas Declarações do Imposto de Renda? Se não, confira abaixo a lista de doenças que permitem esta isenção:

  • AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)
  • Alienação Mental
  • Cardiopatia grave
  • Cegueira
  • Contaminação por radiação
  • Doença de Paget em estados avançados (Osteíte deformante)
  • Doença de Parkinson
  • Esclerose múltipla
  • Espondiloartrose anquilosante
  • Fibrose cística (mucoviscidose)
  • Hanseníase
  • Nefropatia grave
  • Hepatopatia grave (nos casos de hepatopatia grave, somente serão isentos os rendimentos auferidos a partir de 01/01/2005)
  • Neoplasia Maligna
  • Paralisia Irreversível e incapacitante
  • Tuberculose ativa

No caso de um adulto portador de autismo, a mãe ou o pai pode declara-lo como dependente, não importando a sua idade. Além disso, é possível aproveitar as despesas médicas que obteve com ele para abater no Imposto de Renda.

Segundo a Receita Federal, se o portador da doença exerce uma atividade profissional (seja como autônomo ou empregado) e ainda não tenha se aposentado, não tem direito a isenção do imposto.

Caso o contribuinte seja isento pelas regras do fisco, deve-se procurar um serviço médico oficial da União para fazer o laudo pericial que comprove a doença.





Veja também:  Bitcoin na Declaração do Imposto de Renda

Caso o laudo seja emitido pelo INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), o imposto deixa de ser retido na fonte automaticamente, de acordo com a Receita Federal.

Veja bem os prazos para a declaração de Imposto de Tenda, não perca tempo e faça o mais rápido possível o laudo pericial para ficar isento da declaração, pois o atraso da mesma pode acarretar em multa e ninguém quer isso, não é mesmo? Faltam apenas três semanas para o término do prazo para entrega da declaração e quanto mais tempo passa mais lento o site da Receita Federal fica para receber as declarações devido ao grande número de acesso.

Por Antônia Mendes



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *