Empreendimentos em São Paulo – Problemas e Falência das Empresas



  

Ingressar no mundo dos negócios sempre gera expectativa aos intencionados, tais como a ausência de um superior para dizer o que fazer ou deixar de fazer e, além disso, prosperidade financeira. Há duas modalidades amplamente analisadas pelos especialistas referentes à abertura de um empreendimento, que são por oportunidade (indicada) e por necessidade.

Contudo, nem sempre tudo sai como planejado. Segundo o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no Estado de São Paulo uma média de 84 mil empresas, por ano, decretam falência, situação que gera custos aproximados de R$ 1,4 bilhão, atinentes ao capital investido nas negociatas, aos empreendedores.

Veja também:  CDB - O Que é, Como Funciona e Como Escolher




Estudo amplo feito pela entidade com base em informações recolhidas em 2008 abaliza que 27% dos empreendimentos com um ano de vivência deixam de existir e 58% do total não consegue atuar durante cinco anos. Apesar desses dados negativos, segundo o portal de Economia Terra, existe certa tendência de longevidade das companhias em comparação às informações obtidas em 1998, ocasião na qual 32% das empresas não ultrapassaram 365 dias de atividades e outras 71% não conseguiram estabelecimento em meia década.

O levantamento diagnosticou que são vários os motivos diagnosticados com relação ao fechamento dos empreendimentos, o principal, segundo os próprios gestores, é a falta de clientes, seguido por ausência de capital e por último, impasses na administração do negócio e planejamento ineficaz.

Veja também:  Hedge - O Que é, Exemplos

Por Luiz Felipe T. Erdei



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *